2018-03-14 10:32:39 -0300 2018-03-14 10:32:39 -0300

Vectrex: O console de gráficos vetoriais

Single 3610264 featured image

  A General Consumer Electric resolve inovar, criando um console de segunda geração bastante diferente dos que existiam no mercado. Nenhum jogo de cartucho da época podia rodar jogos com gráficos vetoriais, pois a tecnologia só era possível em monitores especiais. Por isso, os jogos de Arcade que possuíam gráficos nesse estilo eram os que mais impressionavam os jogadores que buscavam imersão. Visto que não existia jogos vetoriais para os consoles caseiros, a empresa pensou em uma forma para tornar isso possível, então veio a ideia de criar um console com um televisor integrado, como alguns Arcades tabletop. Em novembro de 1982, é lançado o console de segunda geração, Vectrex.

  O console já era o monitor, bem menor que as televisões convencionais. Tinha uma tela na orientada na vertical e gerava gráficos vetoriais em preto e branco. Possuía entrada para 2 controles, um único sinal sonoro e a entrada para cartuchos ficava na parte lateral. Por dentro, era equipado com um Motorola 68A09 de 1,5 MHz e 1KB de memória RAM. Como ele já vinha com uma tela, não ocupava a televisão de casa, que geralmente era a apenas uma. Apesar da ideia inovadora, o hardware era modesto, o que impactava no preço final do produto, US$ 200,00 inicialmente. Não demorou muito para a gigante Milton Bradley, que havia criado o Microvision, comprar a pequena General Consumer Electric.

  Como a maioria dos jogos eram portes de Arcades da Cinematronics ou inspirados em outros jogos vetoriais da época, seu controle foi feito pensando nos fliperamas. Seguia um padrão bem diferente do que estava sendo adotado pelo mercado, com teclado numérico ao estilo do Intellivision. Ele possuía uma pequena alavanca do lado esquerdo e 4 botões de ação no lado direito, que já é mais botões que a maioria dos jogos de Arcade. Os cartuchos eram simples e pequenos, com um nome do jogo estampado na frente e nenhum desenho. Para simular cores, os jogos eram vendidos com películas de acetato para grudar na tela da TV, muito parecido com o que o Odyssey fazia, mas sem muitos desenhos na folha.

  Os jogos do console eram únicos e também o seu grande charme. Mesmo sendo jogos vetoriais, ele chegou a ter ports de jogos pixelado dos Arcades, como Pole Position e Scramble. Space Wars sempre foi o jogo mais popular da plataforma, mas o seu verdadeiro poder estava nos jogos com perspectiva 3D. Renderizando linhas com grande velocidade, os jogos trazia uma experiência completamente diferente dos seus concorrentes. Com um controle inovador e fácil de manusear, uma boa película na tela do jogo e principalmente, uma televisão integrada, era o sonho de consumo de qualquer gamer americano.

@andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

58
Keep reading → Collapse ←
Loading...