hdpatrick

how about kids? / gabinales.wordpress.com

You aren't following hdpatrick.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-02-23 18:12:41 -0300 Thumb picture
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-02-14 19:34:56 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Continuando. Voltei lá pro lugar onde a Cerl tav
    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1373 Players
    76 Check-ins

    Continuando. Voltei lá pro lugar onde a Cerl tava, e encontrei a mulher conversando com o Alan. Os dois discutiram e ela mandou todo mundo pro cacete. Alan ficou ferido e a vilã escapou, como já era de se esperar.

    Conversei com o coitado e ele me falou de uma tal Fruta que poderia fazer com que a doida lembrasse da infância dos dois, o que, segundo ele, faria com que ela voltasse a ser boazinha. Fui lá no lugar onde eu imaginei que seria a árvore onde teria a fruta, peguei o negócio e voltei pra bater mais um papo com a Cerl.

    Ela ficou toda sentimental, me deu a TimeKey e aconteceu a maior confusão, porque um outro cara - um dos capangas do Jade - apareceu querendo arrumar briga. 

    Depois eu coloquei a chave no pedestal e o tempo em Carmen voltou ao normal, e todo mundo ficou bem. Menos a Nina, porque o espaço-tempo resolveu dar uma zoada e jogar ela num vórtex sinistro logo depois que ela usou a chave. Tentando salvar nossa amiga, entramos todos no buraco e fomos parar perto de Tunlan (a cidade musical). Nina sumiu.

    Chegando lá, encontrei um cara suspeito (muito suspeito mesmo) que me falou de um médico em Carmen. Segui a vida e encontrei, numa das casas, uma menina idêntica a Nina que aparentemente perdeu a memória. Agora eu saquei: é a própria Nina. Bizarro, porque eu já tinha passado por aqui com a Nina antes e a menina já estava nessa casa. Quer dizer que duas Ninas de tempos diferentes se encontraram no mesmo tempo? Esquisito.

    Mas enfim, lembrei que o homem suspeito havia falado sobre um médico em Carmen e resolvi ir pra lá, pra ver se o cara poderia me ajudar a recuperar a memória da Nina.

    Cheguei lá e o dotô me passa uma lista de ingredientes pra eu correr atrás. P.Fish, Root, C.Nut e W.Ant. Não faço ideia de como encontrar essas coisas, e suspeito que o peixe eu vou ter que pescar. É nessas horas que eu percebo que esqueci completamente de tentar aprender como que se pesca nesse jogo, porque eu simplesmente nunca dei a mínima. 

    Eis aí um dos maiores problemas desse jogo: ele não me dá a menor vontade de fazer as coisas que ele oferece. Até agora eu não liberei as outras formas de Dragão do Ryu porque tenho preguiça de correr atrás dos equipamentos "Dragon". Até agora eu não procurei as habilidades do Karn nem tentei aprender como que funciona esse esquema de FUSÃO entre os membros da party. E vou continuar assim até zerar o jogo, porque agora é tarde demais pra eu ficar me estressando com essas coisas.

    Mais tarde eu continuo.

    1
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-30 14:46:56 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Continuando. Sabendo que os problemas climáticos
    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1373 Players
    76 Check-ins

    Continuando. Sabendo que os problemas climáticos do lugar tinha a ver com um tal de Spyre, explorei a região e encontrei uma torre, que imaginei - corretamente - ser a Spyre. Aqui resolvi mais alguns puzzles diferentes, atravessei umas salas alucinantes (primeiro um lugar com chão de grama, depois de chuva, depois de céu e depois de galáxia (?)) e pensei até que ainda estava preso no mundo dos sonhos do Mogu.

    E quando eu chego no fim, na hora de acionar o switch pra descongelar a cidade o Mote aparece e me manda pro pesadelo de novo. Porra. Mas enfim, depois de muitos puzzles chatos eu cheguei no topo de outra torre (já estou pegando trauma de torres) e matei o Mote. Aê.

    Aí eu voltei pra Spyre, acionei o switch e peguei a SkyKey. De volta à cidade, agora descongelada, pude atravessar uma passagem oculta atrás da cachoeira (que antes era só gelo).

    Do outro lado, andei e andei até chegar numa cidade chamada Carmen, onde o tempo parou. A única pessoa que não está sob o efeito de seja lá o que for que esteja paralisando o tempo na cidade me diz que pode ter algo a ver com Tock, e é pra lá que eu fui.

    Tock é, adivinhem, UMA OUTRA TORRE. E não é apenas MAIS UMA TORRE, mas A TORRE MAIS CHATA ATÉ AGORA. Ou talvez eu que seja ruim no puzzle dela (uns pisos no chão que me teletransportam de acordo com a seta que tá desenhada nele), mas foi muito estressante.

    Depois de algum tempo eu passei e consegui chegar no fim, onde encontrei Cerl, mais uma capanga do Jade. Eu, na minha inocência, fui pra cima achando que já ia lutar contra ela, MAS NÃO, AFINAL, ISSO AQUI É BREATH OF FIRE E O CHEFE PRECISA SEMPRE FAZER ALGUMA MERDA COM VOCÊ ANTES DA LUTA FINAL. E foi exatamente isso o que ela fez: começou a bagunçar o tempo e o espaço e jogou a minha party pra fora da torre, e o Ryu lá pra puta que o pariu.

    Depois de andar sozinho até de volta à cidade, minha party se reuniu e conversamos com um tal de Alan, que ao que tudo indica é um amigo de infância de Cerl. O cara acha que ela está sendo controlada pelas forças do mal, e jura que no fundo ela é uma boa pessoa. E quem sou eu pra julgar os vilões desse jogo? Decidi que vou ajudá-lo e trazê-la de volta ao Lado da Luz. Mas agora não estou mentalmente apto pra refazer os puzzles de Tock novamente, mais tarde eu continuo.

    O gás tá acabando. Jogar esse jogo está sendo cada vez mais enfadonho, estou me forçando pra terminar só porque não quero deixar nada pendente. Espero que eu já esteja chegando no fim.

    3
    • Micro picture
      onai_onai · over 3 years ago · 2 pontos

      Lembro dessa torre, foi chato demais passar dela.

  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-19 19:55:54 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Resolvi tentar passar do labirinto de uma vez. S
    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1373 Players
    76 Check-ins

    Resolvi tentar passar do labirinto de uma vez. Sorte a minha que não demorei tanto, e no fim matei o chefão. Ele, em suas últimas palavras, rogou que eu nunca mais sairia daquele mundo de sonhos, mas saí mesmo assim. Toma aí.

    Então o Mogu acordou e ficou todo mundo feliz, e depois ele resolveu entrar na minha party definitivamente. Acho engraçado esses RPGs em que tipo, a família do cara tá toda preocupada, desesperada com a situação do filho, daí me implora pra eu salvar ele e quando tudo se resolve o cara simplesmente decide abandonar todo mundo pra ir embora comigo. E os familiares só ficam tipo "tudo bem, só toma conta dele ok?" e eu fico tipo "ok, claro". Quando vai ver, a Nina já teve que ressuscitar o cara umas dez vezes, porque ele ainda é muito fraco.

    É claro que não tô exigindo uma história "séria" de um RPG do SNES, mas que é engraçado, isso é.

    Depois partimos todos da casa das toupeiras e fomos pra uma área nova no mapa. Após atravessar uma caverna, cheguei numa cidade toda congelada, e os moradores já me disseram que tem a ver com um tal de Spyre, que controla o clima.

    Depois eu continuo.

    3
    • Micro picture
      artoriasblack · over 3 years ago · 2 pontos

      Esse Mogu não serve pra muito em batalha, somente numas Quest para conseguir melhores armas que o usava

      1 reply
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-18 10:13:56 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>[SPOILERS]</p><p>Que final foda, pqp.</p><p>Todo
    Rogue Legacy

    Platform: PC
    987 Players
    166 Check-ins

    [SPOILERS]

    Que final foda, pqp.

    Todo ele, do começo ao fim, foi muito bem construído. 

    Eu já esperava que o chefe final fosse o primeiro filho, mas vendo na hora é outra coisa. Quando você entra na sala e lembra que aquela é exatamente a mesma sala do tutorial, e no fim você lê a última anotação do diário, porra, é uma epifania. Perceber que está prestes a enfrentar o Johannes, que foi o primeiro herdeiro que você controlou, é épico.

    "I entered this castle a swordsman, a savior... But all I have left is a rogue's legacy."

    Fiquei até arrepiado. Não há uma cena do teu personagem lembrando, é algo totalmente natural pro PRÓPRIO jogador lembrar, porque é um sentimento totalmente pessoal. Foda. Fora que a batalha em si é épica, nem muito fácil nem muito difícil, é um combate balanceado no ponto certo. A sensação que eu tive foi mais ou menos a que eu tive quando enfrentei o Dark Link pela primeira vez no Water Temple. Acredito que foi proposital, já que a luta é mais sobre sentimentos do que sobre esforço (como são os outros chefes).

    Ainda achei genial que, quando o Johannes morreu, apareceu a mesma cena de quando um personagem normal seu morre, com o fantasminha indo pro céu e listando em baixo os inimigos que ele matou. No caso dele, apareceu o rei. O jogo brinca com a própria linguagem que ele criou.

    Enfim, já recomecei no modo difícil e já matei o Khidr, vamos ver se eu consigo zerar pela segunda vez.

    3
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-17 15:46:29 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Continuando dentro do sonho do Mogu... mas que l
    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1373 Players
    76 Check-ins

    Continuando dentro do sonho do Mogu... mas que lugarzinho chato, hein. Odeio quando os jogos param de ser jogos e se tornam trabalhos. Andar por aqui é uma merda, e só cheguei no fim do labirinto pra descobrir que o chefe é invulnerável e que eu preciso da ajuda de todos os "sentimentos" do Mogu. Medo, Raiva, etc, tipo Divertida Mente. Só que o Coragem estava desaparecido e eu tive que ir num canto lá no quinto dos inferno pra trazer o cara de volta.

    Aí voltei pra torre, o chefe fugiu e no segundo andar do lugar encontrei outro labirinto. Achei uma saída, mas pra fora da torre. Não entendi se caí numa armadilha ou se era pra sair de lá mesmo, porque pelo que eu entendi o bichão tava me fazendo seguir ele até o topo da torre... Só sei que não tenho saco pra recomeçar o labirinto do zero, depois eu tento de novo.

    2
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-17 15:29:58 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Era uma vez Ponce de Leon.</p><p>#img#[233875]</
    Rogue Legacy

    Platform: PC
    987 Players
    166 Check-ins

    Era uma vez Ponce de Leon.

    0
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-12 18:06:41 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Na sofrência pra matar o Alexander IV.</p>
    Rogue Legacy

    Platform: PC
    987 Players
    166 Check-ins

    Na sofrência pra matar o Alexander IV.

    0
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-12 04:09:58 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Atravessando a ponte que o Nicholie reconstruiu,
    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1373 Players
    76 Check-ins

    Atravessando a ponte que o Nicholie reconstruiu, cheguei num campo desértico onde encontrei uma família de "pessoas-toupeiras" debaixo da terra. 

    Lá conheci Mogu, um rapaz toupeira que foi enfeitiçado e não consegue mais acordar de um pesadelo. Daí parti em busca de um tal de Bolster, item que me permite entrar nos sonhos das pessoas, e que está guardado em Tunlan, a cidade musical.

    Voltei pra lá e já me meti em mais um problema familiar: a princesa do lugar se enamorou com Zog, o malvadão do jogo, e a mãe dela (ou conselheira, sei lá quem era aquela velha) me pediu para que eu convencesse a menina de que essa história de casamento é uma furada. Se já não bastasse a situação da velha, o Zog só estava de olho mesmo na Time Key, uma das chaves que ele precisa pra ferrar com todo mundo, e que estava sob a guarda da princesa.

    Então falei com a menina, mas a garota só faltou me mandar matar, e o jeito foi me esgueirar por trás de um arbusto pra espionar ela tomando banho de piscina, pra descobrir qual era a combinação do cofre, que estava escrito no corpo dela. Essa parte meio stealth foi legal, gostei, mesmo sendo simples.

    Depois disso fui lá pegar a chave por conta própria, mas na hora H a princesa me pegou no flagra e caímos todos na pancadaria. No meio da confusão, malandramente, uma das capangas do Jade (se não me engano) roubou a chave e saiu correndo. Mais um problema pra resolver depois, mas pelo menos a velha me deu o Bolster como recompensa pelo meu esforço.

    Daí já voltei pra casa do Mogu, usei o item novo e entrei no pesadelo dele. Entrei numa torre gigante e me perdi num labirinto com paredes invisíveis. Mais tarde eu continuo.

    2
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-01-08 17:53:23 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in to:
    Post by hdpatrick: <p>Continuando minha jornada em miniatura dentro da
    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1373 Players
    76 Check-ins

    Continuando minha jornada em miniatura dentro da toca dos ratos, matei umas baratas gigantes e ganhei uma cura de presente do rato chefe. Me pergunto o porquê dos ratos guardarem um remédio pra curar um feitiço de encolhimento, mas tudo bem. 

    Saindo do buraco, corri atrás do Cort, que tinha fugido. No fim do labirinto lutei contra um monstro marombado só pra ver o Cort fugir de novo. Depois da confusão, descobri que o monstro era um construtor de Gust que também havia sido enfeitiçado, e que agora estava desacordado.

    De volta à cidade, parti em busca de um óleo de sapo que, de acordo com Bleu, seria necessário pro antídoto do cara. Óleo de sapo, bom. Fui direto praquela caverna que eu tinha citado antes e o sapo me pediu uma mosca em troca. Já sabendo que morava uma mosca numa caverna em Gust, voltei pra lá, matei o bicho e voltei pro sapo. 

    Com o óleo em mãos, voltei pra falar com Bleu (quanta enrolação, porra), que tinha feito merda e transformado o cara em monstro de novo. Depois de uma lutinha tudo se resolveu e a ponte foi reconstruída. Nem sabia que havia uma ponte até o construtor falar que ela estava de volta, mas tudo bem.

    Agora que eu já sabia que a causa de todos esses problemas era a tal flor brilhante que ficava ao norte de Gust, fui pra lá e matei a criatura, e depois fui atrás do Cort, que já tinha fugido de novo enquanto eu lutava contra a planta. A procura não demorou muito e logo depois eu lutei contra ele na ponte. Finalmente.

    Antes de continuar pra nova área, dei uma conversada com os NPCs da cidade (que agora não estão mais malucos) e achei umas coisas interessantes. Primeiro, um buraco secreto que me levou pra uma sala onde um cara suspeito ensinou uma magia nova pro Karn. Simulate, o nome, mas ainda não sei pra que serve. E segundo, um velho me deu uma flauta (acho), que eu suspeito fortemente ser o item necessário pra se comunicar com o pessoal cantante da cidade que eu citei no último check-in. Depois me equipei apropriadamente e segui em direção à Scande. Mas depois continuo.

    1
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...