2019-01-14 15:35:05 -0200 2019-01-14 15:35:05 -0200
harpuia Éverton Castro
<p>Me deparei hoje com esse vídeo por acaso e resol - Alvanista

Me deparei hoje com esse vídeo por acaso e resolvi assistir. O nome do vídeo em uma tradução grosseira é: Seus dados, sua carteira. Eu já tinha visto alguns dessa série "What Happens Next" do canal Quartz, mas não sabia que tinham feito um sobre videogames. Enfim, eu gostaria de comentar alguns pontos do vídeo que chamaram minha atenção.

O primeiro ponto trás de volta um debate já antigo sobre a relação entre jogos violentos e violência na sociedade. Uma pesquisa (LINKLINK) feita pelo professor Christopher Ferguson, da Stetson University, concluiu que não há relação entre jogar jogos de tiro desde criança e problemas comportamentais relacionados à violência no futuro desenvolvimento de uma pessoa. Inclusive ele publicou um artigo (LINK) em que mostra como a mídia vende uma verdade muitas vezes fazendo uma abordagem precipitada de estudos onde dados relevantes não são interpretados corretamente. Isso me remete muito ao que a mídia se tornou hoje em dia como um todo, manipulando informações para construir a narrativa que deseja passar para o público. Tanto é que a confiança nesses grandes meios de comunicação parece ter decaído drasticamente nos últimos anos.

Outro ponto interessante tratado no vídeo é como o perfil demográfico de pessoas que jogam videogames mudou após o constante advento dos smartphones. Segundo o autor, mulheres adultas são a maioria entre os gamers nos EUA hoje.  Encontrei também uma notícia (LINK) que cita uma pesquisa intitulada Pesquisa Game Brasil 2018 e coloca as mulheres como maioria entre os gamers brasileiros. Infelizmente eu não consegui acessar a pesquisa completa com infográficos organizados e outras informações complementares, o site (LINK) disponibiliza apenas alguns dados dela na sua página inicial. É louco como uma única ferramenta pode trazer uma mudança social tão significativa.

Por fim, uma questão que me chamou muito a atenção no vídeo foi o trecho que trata da análise de perfil das pessoas que jogam videogames. Você já conversou com alguma pessoa e percebeu que ela estava analisando você de cima a baixo? Isso é algo que me deixa desconfortável e, parando pra pensar que isso ocorre o tempo todo com videogames nos dias de hoje, fico incomodado. A ex-pesquisadora do CERN que aparece no vídeo, África Periáñez, que agora traça perfil de gamers para as companhias que querem aumentar o lucro por jogador em seus jogos, explica que faz isso registrando cada interação sua no jogo, por mais pequena que ela seja. Cada clique seu é registrado e analisado.

O modo como o indivíduo é tratado também mudou, agora eles são divididos basicamente em: não gastadores, gastadores ocasionais e grandes gastadores. O tempo todo as empresas estão usando essas análises de dados para fazer o jogador subir nessas categorias, independente de qual categoria ele está. E o principal é descobrir os potencias grandes gastadores e focar neles para ou se tornarem grandes gastadores ou aumentarem ainda mais a quantidade gasta. Eu imagino que eles devam imaginar o público gamer como gado, tentando fazer você comer mais para ganhar mais dinheiro com você.

30
  • Micro picture
    warbraz · 1 mês atrás · 2 pontos

    Belo artigo! O big brother está de olho em tudo e, na jogatina despretensiosa do dia a dia, nem paramos pra pensar nisso.

  • Micro picture
    giovanavoig · 1 mês atrás · 1 ponto

    Uau! Bem interessante mesmo. Confesso que fiquei surpresa quando vi que mulheres adultas são maioria...e assustada sobre isso de traçar o perfil. Cada movimento, cada escolha, tudo sendo observado.

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...