You aren't following griffor.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-15 22:49:46 -0300 Thumb picture

    Dia 11 - Alistair Theirin

    Mais um dia que se pensar demais, mudo de opinião ou vou cair em alguma dúvida cruel. Ainda que eu pense só na franquia Dragon Age, são muitos companions fodas demais pra escolher um só, porém seguirei meu coração e vou defender o Alistair. 

    Eu não lembro, no mundo dos games, de nenhuma outra franquia onde se tenha tantos personagens com tanta profundidade e personalidade própria. Assim, o Alistair é desde o começo um personagem carismático, um sidekick convicto, que prefere ficar em segundo plano embora seja o veterano do grupo. E isso, que parece um pequeno detalhe para que o próprio Warden possa assumir o protagonismo, assume uma outra conotação quando se descobre quem realmente é Alistair. Ao mesmo tempo em que é sentimental, carente até, quando a conversa começa a ficar séria ele dá um jeito de escapar por um humor bobo. No fundo, ele tem medo da responsabilidade e das consequências de suas decisões, apesar de em nenhum momento entrar em xeque a sua coragem. Enfim, são essas algumas sutilezas do personagem que me fazem amá-lo demais! Enquanto companion, ele é forte, tanker, pode negar magia, e é praticamente impossível não se divertir com os comentários aleatórios dele, especialmente se a Morrigan está na pt. Posso estar esquecendo de companions melhores, mas o Alistair certamente merece essa posição!

    Dragon Age: Origins - Ultimate Edition

    Platform: PC
    260 Players
    19 Check-ins

    12
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-14 20:58:36 -0300 Thumb picture

    Dia 10 - Baby Mario

    Sim, ele consegue superar a Navi. Basta UM golpe pra porra desse bicho sair voando nessa bolha chorando que nem um desgraçado, e ainda tem contagem regressiva no canto da tela! O jogo é foda, com certeza, mas não há quem supere o Baby Mario em ser irritante.

    Super Mario World 2: Yoshi's Island

    Platform: SNES
    7996 Players
    111 Check-ins

    13
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 8 months ago · 2 pontos

      Kkkk...o bebê chorão é foda mesmo!

    • Micro picture
      vinirimar · 8 months ago · 2 pontos

      a sensação de urgência pra resgatar esse moleque é só pra ele parar de chorar. o choro é pior que o game over.

      1 reply
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-13 21:31:05 -0300 Thumb picture

    Dia 9 - Wander

    Deve ser minha opinião mais impopular a respeito de games, mas pra mim não tem jogo mais superestimado que Shadow of the Colossus. Okay que alguns colossos são realmente divertidos de se enfrentar, mas está muito longe de ser tudo o que dizem dele - na minha opinião de bosta, é claro. Somado ao conjunto, uma das coisas que me incomoda é o Wander... Os bichos estão lá na deles, e ele chega ali pra acabar com a vida delas em troca de nada, só porque ele (egoísta) quer ressuscitar a mulherzinha, e vai virando o próprio Satanás e nem se dá conta disso? É um protagonista que realmente não dá ânimo de encarnar. Prefiro o cavalo.

    Shadow of the Colossus

    Platform: Playstation 2
    16508 Players
    212 Check-ins

    3
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-13 02:25:32 -0300 Thumb picture

    Dia 8 - Cuphead

    Certamente há melhores jogos multiplayer, e mesmo dentre os mais atuais deve haver quem ganhe, mas esse foi - muito pessoalmente - a melhor experiência multiplayer que tive nos últimos anos. É até um pouco repetitivo elogiar Cuphead, já que se tornou até lugar comum, porém não custa repetir: o jogo é lindo e te transporta com perfeição para o contexto das animações antigas, desde o visual, efeitos, movimentos, construção dos personagens, até a trilha sonora, TUDO. Claro, some-se a dificuldade que se tornou marca do jogo, que dá uma dose deliciosa de desafio, sem se tornar excessivamente cansativo, e a cereja do bolo: a possibilidade de se passar isso junto com alguém. No meu caso, joguei com meu irmão, e foi demais! Descobri pouco a pouco como passar por determinada fase, como desviar dos ataques, ou mesmo um ressuscitando o outro, os dois igualmente morrer quando o chefe estava quase derrotado e morríamos - mas também a comemoração quando enfim passávamos algum chefe no qual havíamos perdido às vezes mais de uma hora. Sim, pra mim esse foi um jogo fantástico e sem a experiência multiplayer não seria a mesma coisa.

    Cuphead

    Platform: PC
    587 Players
    209 Check-ins

    6
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-12 17:01:58 -0300 Thumb picture

    Dia 7 - Ragnarök Eternal Love

    Pra quem passou a adolescência jogando Ragnarök Online, a versão mobile pode até não ser um substituto perfeito (ainda mais pra mim que não sou tão fã de jogos mobile), mas não deixa de ser um jogo refrescante, por assim dizer. Não dá pra ter o mesmo vício, mas é delicioso revisitar as cidades e os mapas, ou rever os inimigos, todos remasterizados e mais de acordo com os visuais disponíveis hoje. Pena que não fizeram algo assim para PC...

    Ragnarok Online Mobile

    Platform: Android
    24 Players
    54 Check-ins

    5
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-11 01:09:23 -0300 Thumb picture

    Dia 6 - Harvest Moon: Back to Nature

    Lembro de como esse jogo me viciou na infância, e até hoje eu o amo, e esse gênero como um todo. Eu diria, aliás, que o gênero em si é relaxante, mas esse jogo é pessoalmente especial. Mesmo recentemente eu o joguei e continuou tendo o mesmo efeito mágico sobre mim.

    Harvest Moon: Back to Nature

    Platform: Playstation
    2233 Players
    24 Check-ins

    6
    • Micro picture
      bebessauro · 8 months ago · 2 pontos

      Esse jogo é incrível, até hoje quando vou jogar tenho a mesma sensação de tempos atras.

  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-10 02:03:16 -0300 Thumb picture

    Dia 5 - Mario Kart 64

    Esse é o tipo de tema que não dá pra pensar muito ou você logo lembra de outros tantos que não lembrava há um segundo atrás: Chocobo Racing, Mortal Kombat 2, Super Mario World, Bomberman, e por aí vai. Contudo, escolhi ser nostálgico: provavelmente não há nenhum jogo de console que eu tenha me divertido mais jogando com meu irmão e amigos que Mario Kart 64. TALVEZ Super Smash Bros, o do mesmo console, que também era maravilhoso, mas não jogava com tanta frequência assim. Os sucessores seguiram e expandiram a fórmula do sucesso, creio eu, mas infelizmente passou a época em que eu conseguia reunir amigos pra jogar comigo. 

    Mario Kart 64

    Platform: N64
    10751 Players
    60 Check-ins

    1
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-08 23:26:40 -0300 Thumb picture

    Dia 4 - Final Fantasy XV

    O último jogo que zerei... Não tem muito o que argumentar aqui, é só constatar o fato. Terminei (platinei!) em fevereiro e infelizmente não arrumei nada pra jogar depois dele. Recentemente comecei Breath of Fire 3, para o PSP, mas meio que só comecei mesmo, e ainda não estou muito certo se vou dar continuidade ou não.

    Final Fantasy XV

    Platform: Playstation 4
    2206 Players
    585 Check-ins

    3
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-07 20:13:10 -0300 Thumb picture

    Dia 3 - Chrono Cross

    Embora muito se fale de um remake de Chrono Trigger, parece meio unanimidade que o original permanece um clássico, para muitos um dos melhores RPGs já feitos, e os 16/32 bits envelheceram muito bem. O que eu queria de verdade é um remaster de Chrono Cross!

    Chrono Cross pode até ser zuado como uma sequência, mas nem por isso deixa de ser um dos melhores RPGs que já joguei (inclusive umas das melhores histórias, apesar da confusão). O detalhe: o game pegou a transição para os jogos 3D, e esses sim não envelheceram bem. Não que o jogo não permaneça bonito, mas também está inegavelmente datado. Não é preciso mexer no jogo, não é necessário um remake - apesar de que alguns acréscimos para explicar melhor a história e a ligação com seu antecessor seriam bem-vindas -, porém jogar essa história com o visual que um PS4 ou um PC nos possibilitam, isso sim seria maravilhoso!

    Chrono Cross

    Platform: Playstation
    5276 Players
    154 Check-ins

    3
  • griffor William Azevedo Rodrigues
    2019-04-07 19:17:45 -0300 Thumb picture

    Dia 2 - A Link Between Worlds

    Penso que o 3DS foi muito feliz em seus remakes/remasters, no que tange os The Legend of Zelda: Ocarina of Time resgatou o dono do meu coração do 64 para um visual mais bonito e atual, sucedido pelo Majora's Mask que trouxe, além disso, grandes melhorias para o gameplay! Contudo, A Link Between Worlds se tornou, para mim, o exemplo do que é fazer remake bem feito. 

    Propondo-se um remake de A Link to the Past, e alcançando isso, ele vai ainda mais longe, criando uma aventura completamente nova e memorável. Ao mesmo tempo em que temos praticamente o mesmo mapa, o modo de explorá-lo muda radicalmente com a mecânica de se fungir com as paredes. Os itens podem até ser velhos conhecidos, e os templos podem até lembrar os antigos, mas também o modo de vencê-los é diverso. Os puzzles conseguem o equilíbrio de não serem óbvios demais nem impossíveis, apenas levam algum tempo pra pensar/explorar, ou alguma convivência com os anteriores jogos da franquia. A história é simples, mas envolvente, com personagens novos (e muito mais carismáticos que as donzelas do ALttp) e um encerramento memorável! Em suma, A Link between worlds resume em si a nostalgia do Zelda de nossas infâncias no SNES com algo completamente novo e inesperado. E se pensarmos bem, é justamente isso que deveríamos esperar de qualquer remasterização.

    The Legend of Zelda: A Link Between Worlds

    Platform: Nintendo 3DS
    3304 Players
    362 Check-ins

    3
    • Micro picture
      roberto_monteiro · 8 months ago · 1 ponto

      Mas, A Link Between Worlds não é nem remake, nem remaster, ele é um jogo totalmente novo que se passa no mesmo lugar que o A Link to the Past...

      2 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...