This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • 2020-08-08 13:59:07 -0300 Thumb picture
    niltondeoliveira checked-in:
    Post by niltondeoliveira: <p>Mais 3 coisas sobre este game;</p><p>1 - No time

    Mais 3 coisas sobre este game;

    1 - No time de futebol da cidade dá para ver no mínimo duas referências a clubes reais, que no caso seriam São Paulo e Grêmio. São Paulo pela semelhanca da estrutura do estádio  (que seria o Morumbi, no caso) e pela sala de troféus; a estante com duas das primeiras taças de títulos mundiais lembra bastante o que já vi no Morumbi. E Grêmio por conta da data de fundação ser a mesma (1903) e fixada também na parte de cima do escudo do clube fictício; não diria que o azul tem necessariamente algo a ver. Talvez o nome tenha sido inspirado tortamente no do Corinthians.

    2 - Percebe-se que fizeram uma mistureba legal nos dubladores para as falas em português. Alternaram entre americanos (talvez de outros países europeus também), pessoas de língua nativa espanhola, e brasileiros. O ricaço empresário por exemplo tava sendo dublado por americano; nas pouquíssimas vezes em que fala em português dá para notar um sotaque fortíssimo.

    3 - Por último mas não menos importante: críticas que esse game recebe até hoje por sua retratação errada da realidade brasileira (ou paulistana, que seja); mais uma choradeira de brasileiro mimizento: é óbvio que aquilo ali não é uma retratação 100% fiel, mas uma inspiração propositadamente exagerada da realidade. Ora, com GTA e Watch Dogs  (dentre outros) não é a mesma coisa? Ou alguém acha que nos EUA se vivem situações comuns do GTA? GTA é um retrato fiel dos EUA, abarrotado de violência em tudo que é canto, criminosos e gente safada? A principal franquia da Rockstar dentro de suas estórias de jogo flerta o suficiente com a realidade americana? Óbvio que existem traficantes, psicopatas, policiais corruptos, mafiosos e mais outras classes pertencentes a ralé humana, mas não naquela proporção, nao naquele nível de violência. Por que não reclamam disso? Nosso povo é hipócrita pra caralho; se o pessoal de fora fala um "ai" do Brasil ja querem execrar; uns 10 anos atras só faltaram pedir a prisão do Stallone por causa de uma piada. Tem é que agradecer por terem se lembrado nos games que o nosso país existe. Esse Max Payne aí, até onde eu sei, é o único game estrangeiro que se passa inteiro no Brasil. Não acho pouca coisa.

    O maior efeito que esse tipo de reação bocal pode causar é inibir desenvolvedores e roteiristas de ambientar estórias no Brasil, porque com qualquer coisinha vão dizer "Ah, não é igual". O pior é ver gamer youtuber se posicionando assim. Deveriam ser os primeiros a compreender que roteiros de videogames, por mais realistas que possam ser, não passam de um reflexo bastante torto da realidade - sendo que muitos nem isso são.

    Fala sério!

    2
  • 2020-08-06 17:43:28 -0300 Thumb picture
    niltondeoliveira checked-in:
    Post by niltondeoliveira: <p>Não vi absolutamente nada demais neste jogo - fo

    Não vi absolutamente nada demais neste jogo - fora os gráficos. E sendo franco, eu prefiro ainda o primeiro (não joguei o segundo) com seus gráficos escrotoes mas com uma atmosfera bastante sombria.

    Joguei no Hard, mas confesso que com a trava leve. Motivo: tenho problemas de coordenação motora; Se eu coloco mira livre, no Hard, EM CONSOLE, não consigo jogar. Esses tipos de game cuja mira é fundamental e a escassez de vidas é evidente na mais alta dificuldade que se pode ter a início é muito complicado para mim fora do PC. MESMO ASSIM o jogo ainda apresenta um desafio considerável, e morrer várias vezes em determinados cenários não é algo tão difícil.

    Em computadores tenho quase certeza que a coisa é diferente (pelo menos para pessoas com dificuldades como a minha), mas com o controle eu sempre achei o bullet time UM SACO.  Só uso mesmo em casos de necessidade. Se dá para passar de algum lugar com um pouco mais de estratégia e paciência eu prefiro assim do que acionar tal efeito.

    Creio que tenha alguns elementos de jogo que podem ser melhorados para o próximo (Que sabe-se lá quando vai sair), como é o caso das armas sendo carregadas pelas munições de outras equivalentes; acho que isso tira um complicador na experiência. Outra coisa da qual não gosto é o completo desprezo que se tem pela espreita: os inimigos SEMPRE vão notar sua presença, mesmo que você esteja escondido num lugar impossível a olho nu de ser detectado. Não quero aqui exigir que o game adote um outro estilo, mas seria sim interessante dar essa maior liberdade ao jogador de poder enganar o npc, até mesmo para poder executa-lo de surpresa ou o evitar - podendo aí até deixa-lo em "stand-by" para vir por trás ao ouvir a barulheira acontecendo no(s) cenário(s) seguinte(s), já nos dando algo mais com que se preocupar. Essa característica porém deveria ser permitida em cenários específicos.

    Bom, os dois parágrafos acima foram mais focados na franquia em geral. Agora, voltando a Max Payne 3, preciso fazer uma crítica quanto a estória: inverossímil até mesmo para um jogo de videogame. MP3 é tipo uma versão animada de Duro de Matar 4.0 - filme que eu curto, diga-se -, só que com coisas até mais difíceis de engolir. Max Payne já coroa, bebum, ofegante, parece que ta todo cagado quando se mexe, quase infarta ao menor esforço físico, mas continua pulando, saltando,  sobrevivendo a explosões, enfim... mil e uma loucuras sem sequer quebrar uma costela. Tudo isso forçado o suficiente numa estória clichezona bem mais ou menos. Não sei se envelhecer tanto o personagem foi a melhor das idéias; certo é que para o 4, agora, nao há escapatoria - a nao ser que o "4" na verdade seja um remake do primeiro jogo, que é algo que torco muito e penso ser bastante necessário.

    Um TREEEEEMENDO desperdício foi nao aproveitar a capacidade gráfica para a inclusão de momentos com pesadelos/alucinações. Como disse no início, ainda não joguei o 2, mas é certo que um cara que continua com uma vida errante daquelas não chegou nem perto de superar a tragédia familiar. Porra, que usassem aquelas idéias tenebrosas que se vê no primeiro, imaginem só o que não sairia.

    Para encerrar: Achei ruim? NÃO. Mas não posso dizer que é um grande jogo, porque em momento algum ele me apresentou características que julgo suficientes para defini-lo assim. Gráficos ótimos com uma experiência ok, nada mais. Tem tiros em terceira pessoa de outras geracoes (passadas, futuras e a contemporânea do jogo) muito mais interessantes; o primeiro da franquia é um deles.

    0
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2020-05-06 19:46:20 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>#img#[705865]</p>

    24
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2020-05-06 13:44:04 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>#img#[705756]</p>

    19
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2020-05-03 13:39:10 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>Continuando.&nbsp;</p><p>#img#[705242]</p>

    Continuando. 

    24
    • Micro picture
      reasel · 3 months ago · 3 pontos

      mesmo fugindo das raizes da franquia, eu achei esse ai muito bom

    • Micro picture
      rcukierti · 3 months ago · 2 pontos

      Adoro esse jogo!

      1 reply
  • gan0nd0rf Luis Gomes
    2020-05-02 14:32:10 -0300 Thumb picture
    gan0nd0rf checked-in:
    Post by gan0nd0rf: <p>Mas um que estava abandonado no hd do ps3.&nbsp;

    Mas um que estava abandonado no hd do ps3. 

    Começando aqui. 

    25
    • Micro picture
      jesspras · 3 months ago · 3 pontos

      Esse eu queria muito jogar

      1 reply
    • Micro picture
      natnitro · 3 months ago · 3 pontos

      Manda ver que é um jogão!!! Maratonei a trilogia completa e fechei o 3 nos 100% com gosto, porque o jogo é adrenalina pura mesmo... :-)

  • peralva_gamer Peralva Gamer
    2020-03-22 19:27:00 -0300 Thumb picture

    Ps3 vale a pena até pra quem tem o PS4. Jogos fodas sem remaster!

    Galera, preparei uma listinha com jogos do PS3 sensacionais que não foram rematerizados para o PS4. 

    8
  • natnitro Renata
    2020-02-27 23:53:21 -0300 Thumb picture

    Brincando de achievement hunter um dia desses...

    Depois de fechar o Max Payne 3 nos 100% há umas semanas atrás, graças a colaboração do pessoal da comunidade Steam com quem joguei para pegar todas as conquistas de que precisava, acabei esbarrando por acaso em outra comunidade que era justamente sobre achievement hunters/caçadores de conquistas, e, quando fui bisolhar alguns perfis do pessoal lá, foi uma enorme surpresa em ver como tem muita gente que realmente leva isso tão a sério, com até mais de 1200 jogos "perfeitos",  e taxas de conquistas por jogo chegando quase nos 100%, o que é um tipo de média que o sistema faz e que pode significar que o jogador praticamente fechou todas as conquistas de quase tudo que era jogo na conta... o_O

    E depois de ver as médias de conquistas por jogo altíssimas do pessoal, entrei nessa brincadeira também, até para dar aquele up no meu perfil que andava bem capenga, e resolvi ir fundo também só pra ver como era e o resultado foi nada menos do que 23 jogos perfeitos a mais na conta, em questão de dias...

    (Sepia Tears - a arte desse jogo é super kawaii :-)

    E apesar de realmente funcionarem para dar aquele up nas estatísticas do perfil, na prática deu foi uma canseira danada, já que a grande maioria dos jogos "easy-achievements" eram basicamente clickers para avançar telas e mais telas e ir lendo a história, que nem sempre é lá muito criativa, enquanto pipocam conquistas até os 100% sem o jogador ter feito praticamente nada além de ler e clicar até o final, já que a maioria é tão simples que nem tem opção de interação. 

    E foi justamente em alguns desses em que resolvi brincar e a experiência passou longe de ser das melhores, já que o segredinho por trás dos números não é bem sobreviver a uma maratona de New York Minute Hardcore com o Max Payne, pra deixar mais um troféu bonitinho na estante virtual, mas sim ir mais pelo volume massivo de jogos fechados do que pelo desafio propriamente dito, que é quase zero na maioria dos jogos, salvo poucas e louváveis exceções...

    (Antenna - o visual desse jogo lembra demais Limbo ♥♥♥)

    Mesmo com o resultado positivo nas estatísticas do perfil, o tédio e a canseira me desanimaram bastante a continuar no desafio, justamente porque isso tira muito do sentido de se jogar um jogo que é poder curti-lo pela diversão, imersão, experiência, etc, e não exatamente por causa de uma obsessão por números que não termina nunca... 

    Mas, se alguém por ai resolver se aventurar nesse mundo da caça aos achievements para participar de alguns desafios e cia, como da persona Steamtadores daqui do alva, fica ai a dica do excelente post dos Easy 100% Achievements que é completaço, mas só não me responsabilizo pelo porre de tédio, canseira e saco cheio depois... xD

    29
    • Micro picture
      thiones · 6 months ago · 3 pontos

      Eu deixei de platinar jogos na trigésima. Algumas platinas estavam exigindo muito e quando percebi, nem me divertindo com meus jogos mais eu estava. Hoje só platino jogos que realmente significam algo pra mim de alguma forma. Ainda nem vi o trophy set, mas RE3R é FF7R já são platinas garantidas hehe

      1 reply
    • Micro picture
      jcelove · 6 months ago · 2 pontos

      Quiesso Nat, ainda bem q caiu em si.
      A industria dos 100% no steam é vergonhosa. Alem desse esquema de jogar jogos whatever so pra aumentar conquistas tem uma galera que hackeia elas . so olhar a quantidade de gente com 100%instantaneo em varios games. É uma jornada vazia de qq forma.

      Continua jogando o q gosta e fazendo 100% no q realmente te empolgar, q vale mais.

      6 replies
    • Micro picture
      nicholasaraujo0 · 6 months ago · 2 pontos

      Depois que se joga um Runner da russia e dropa 5k de conquistas so pulando não tem mais volta

      2 replies
  • 2020-02-24 00:22:03 -0300 Thumb picture
    Post by soundtrack: <p>Emicida também estava presente na trilha sonora

    Emicida também estava presente na trilha sonora de Max Payne 3.

    14
    • Micro picture
      wcleyton · 6 months ago · 2 pontos

      Minha música favorita desse game

  • natnitro Renata
    2020-02-16 21:56:11 -0300 Thumb picture
    natnitro checked-in:
    Post by natnitro: <p>#Payne in the Ass -- Só o nome dessa conquista j

    #Payne in the Ass -- Só o nome dessa conquista já resume o jogo inteiro... huahuahuahuahauhaua

    Esses jogos do Max Payne viviam na minha lista da vergonha eterna até que na holiday sale passada do tio Gabe eu consegui pegar a trilogia completa por menos de R$25 e ai sim me empolguei em fazer aquela maratona básica, começando pelo 1, que não levei nem 5h para fechar, depois passando para o 2, que foram ai pouco mais de 6h, e então finalmente veio o 3, que já imaginei que seria um pouco maior, mas não tanto a ponto de levar ai umas 51h para finalmente conseguir fechar a campanha com o modo arcade e os desafios, fora as arruaças do multiplayer, que era pra ter só dado uma bisolhada pra ver como era, mas acabei me empolgando tanto que juntei com outros jogadores da comunidade online e fizemos até raids pra ajudarmos uns aos outros a fechar todas as conquistas de que precisávamos, o que foi um impulso e tanto rumo aos 100%... \o/

    E pra quem começou pelo primeiro e curtiu muito mesmo todo aquele clima de vingança noir e então passou para o 2, que pegou tudo que o anterior já tinha de bom e melhorou ainda mais, logo que começou o 3 foi aquela cara de "wtf?!", já que dessa vez a Rockstar resolveu chutar o balde geral e o que era uma história de detetive noir acabou virando o jogo do filme "Die Hard/Duro de Matar" misturado com CS:Rio, com direito a favela brasuca, o rio Amazonas no meio de SP e o Max badass carecão tocando o terror igual ao Bruce Willis... xD

    E o jogo em si é muito bom com toda essa ação no talo e o Max foi cair justamente em SP como guarda-costas e vive se ferrando do início ao fim, com uma sucessão de missões que dão errado e sempre que ele tenta consertar as coisas, ai tudo só piora ainda mais, só que, pra dizer a verdade na lata, dessa vez acabei me desapontando um pouquinho com esse estilo GTA-like, ainda mais porque meio que fiquei esperando um jogo mais noir, com aquela mesma pegada das vendettas do primeiro, uma ost mais melancólica no piano e no violoncelo magnífico do Perttu Kivilaakso (Apocalyptica) que ficaria perfeito em um clima mais urbano e sombrio para trazer uma possível redenção do Max, que, depois de toda aquela fase dark dos primeiros jogos, finalmente pudesse encontrar um pouco de paz, isso até se meter na próxima encrenca, o que já vira assunto para os próximos capítulos da saga Payne... :-)

    E pra não perder o clima da ação, hora de pular pro próximo da fila, que é justamente o Scarface - The World is Yours, e deixa o chumbo comer geral... \o/

    28
    • Micro picture
      venomsnake · 6 months ago · 2 pontos

      Jesus agora eu quero xD ( adoro duro de matar)

      1 reply
    • Micro picture
      _gustavo · 6 months ago · 2 pontos

      Eu vi na Steam que vc fez a New York Minute olha.......parabéns, eu não teria coragem kkkkkkkkkk

      1 reply
    • Micro picture
      leandro · 6 months ago · 2 pontos

      Eu tinha terminado ele pelo Xbox 360, mas vendi o mesmo com os jogos que tinha. Ai, ano passado, recuperei esse jogo, agora para o Play 3. O jogo é muito bom, mesmo. A ambientação da cidade de SP ficou bem bacana. E vou usar a celebre frase, na qual ele se depara com uma revista da PM, em uma favela: "a policia de SP faz a da Nova Iorque parecer o Hare Krishna". Ah e tem outra, quando ele lança seu pensamento sobre cidade de SP: "São Paulo é uma especie de Bagda de fio dental", ou seja, sensual e perigosa kkkkkk. Amo esse jogo

      3 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...