Medium picture

bragdale Marco David


over 3 years ago 2016-09-15

Treasure of the Rudras

Ultimamente vinha me sentindo um pouco frustrado com os atuais representantes dos JRPGs. Alguns poucos representantes de peso na geração passada, nenhum que realmente tenha me cativado nessa geração ainda. Por um tempo achei que estivesse velho para as espalhafatices nipônicas, então resolvi ir atrás de algum JRPG da era de ouro - os 16 Bits, claro - para ver se eu apenas romantizava demais aquele tempo (embora com exemplos como Chrono Trigger, Tales of Phantasia e Final Fantasy VI - entre mains uns vinte que poderia citar aqui - seja difícil dizer que aquela época deixou saudades). Sempre soube que um bom número de jogos japoneses jamais chegam aqui, e com os RPGs isso é ainda mais verdade. Então chequei sites que fazem traduções independentes e descobri Treasure of the Rudras, lançado em 1996, um dos últimos jogos do Super Nintendo.

Com aquela carinha de Square, o jogo é mais um grande exemplo da qualidade que a empresa tinha na época. Para dar uma passada na parte técnica, os gráficos, mesmo não sendo os melhores da época, não devem em nada para os grandes títulos dos 16 Bits. A história é sólida, bem contada e prende a atenção do jogador. A música é excelente e bem colocada em todos os momentos. Os combates são o velho e emocionante sistema de turnos tão pouco utilizado hoje em dia, e a dificuldade, mesmo não sendo um destaque, vai te enganar em alguns momentos e te pegar desprevenido.

Um ponto de destaque é o sistema de Mantras (a magia do jogo), bastante singular. Basicamente, os poderes são ativados através das palavras. Você costuma aprender quando as pessoas dão dicas de que palavras usar, mas TODAS as palavras têm poder. Então, basta tentar diferentes palavras que sempre vai dar em alguma coisa. Por exemplo, tente digitar palavras como "Strong" ou "Super", e vai descobrir magias de aumentar a força. 

No início do jogo somos convidados a escolher um de três personagens que, em algum momento vão descobrir que a humanidade tem apenas 14 dias até ser destruída... Mas não são escolhas definitivas, sempre que carregar um save você pode alternar entre as linhas da história e descobrir como elas se ligam.

Um belo exemplar da qualidade que os JRPGs tinham nos anos 90 e que, infelizmente, não vêm mantendo atualmente. Tanto que os grandes destaques do momento no gênero são todos ocidentais. Uma pena.

9.0 9.0 10
Overall
9.0 Gameplay
9.0 Story
9.5 Music
9.0 Graphics
Ótimos gráficos
História e personagens interessantes
Sistema de Mantras único
Pouco desafiador
Não procura criar diferenciais no sistema de turnos

1 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...