This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2019-11-15 00:44:26 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Finalizado!&nbsp;</p><p>#img#[670611]</p><p>Como

    Finalizado! 

    Como o jogo não marca o tempo, não sei quantas horas eu gastei, mas eu diria que umas 30, já que grindei bastante. Queria ter feito mais check-ins, mas acabei optando por focar em terminar o game de uma vez, então vou deixar pra desembuchar tudo nesse derradeiro e gigantesco check-in, huahua

    Comecemos pelo que eu gostei do jogo: os gráficos, a ambientação como um todo. É tudo muito bonito, colorido e diversificado, cada cidade tem um clima e um cenário próprio, as dungeons possuem inimigos temáticos (a minha preferida foi a pirâmide, com o hieróglifos te atacando, só faltou um boss múmia), a trilha sonora também é bem variada, com as músicas de batalha mudando dependendo dos inimigos que tu encontra e talz. A luta contra o final boss também foi interessante, fizeram uns efeitos legais junto com um som bem destoante que te deixa incomodado, é tudo muito bonito, e bizarro, de se ver.

    O "worldbuilding" que fizeram também é interessante, mas pessoalmente caguei pro que os NPCs estavam falando, só volta e meia ia falar com algum e ele quase sempre dizia algo maluco que não fazia o menor sentido, hauhua

    Agora, a parte que não gostei...

    TODO O RESTO DO JOGO.

    Não, não estou brincando. Narrativa, personagens, gameplay, é tudo extremamente questionável, pra não dizer ruim. Pra começar, uma perguntinha pra vocês, meus queridos alvanistanianos: o que é mais importante num JRPG?

    Sem tempo de resposta, hauhua. É a party, os personagens que você, jogador, irá controlar. É através deles que seu role play, a entrada pra sua participação naquele mundo (não como um espectador de um filme, mas como um participante ativo da aventura) irá acontecer. E se esses personagens, essa party, tiver problemas, tudo acaba indo pras cucuias, e infelizmente Earthbound erra rude nesse quesito, já que tanto Ness quando Paula, Poo ou Jeff não têm o menor carisma, personalidade ou sequer interagem entre si e entre ou mundo que os cercam. Você não se sente interpretando crianças de 12 anos, tanto que poderiam ser qualquer um, ou qualquer coisa ali no lugar deles que não faria muita diferença, realmente parece que eu estava jogando um RPG de NES, com a diferença que esse jogo é de 1994, mesmo ano que coisas como Final Fantasy VI e Lunar 2 saíram, então não dá pra ver como uma coisinha que não faz diferença...

    A outra parte ruim do jogo que me fez pensar em dropar o game várias vezes foi o gameplay, que é terrível. Essa imagem acima define bem Earthbound: Ness errando a droga do hit toda hora, isso quando não erra magia ou fica chorando com saudade de casa. Paula é quase uma pinhada e é sempre a primeira a morrer, Jeff é um personagem bem roubado com seus mísseis, mas igualmente frágil, e Poo é o monk que é até legal, mas entra na party pra mais da metade do jogo e depois ainda vaza por umas 2 ou 3 dungeons...

    O grinding também é horrível, já que como hits físicos falham com uma taxa bem alta (Ness que o diga) é bem maçante ficar treinando pra subir alguns níveis pra compensar personagens saindo da equipe, dungeons standalone, entre outras coisas. Perto do final deixei meu Ness quase no 99 e ainda assim ele continuou falhando hits, como se aquele boné tampasse a droga dos olhos dele... Isso sem falar dos status negativos irritantes como Cogumelo, onde tu fica com um cogumelão na cabeça e os inputs do joystick mudam, e tu precisa ir até a puta que pariu de um hospital pra curar esse troço!!!!

    Resumindo, Earthbound é um jogo inusitado, único e maluco com gráficos lindos, mas dois dos principais elementos de um JRPG, gameplay e party, ruins. É uma boa pedida pra quem não gosta das narrativas comuns de RPGs japoneses e esteja procurando algo diferenciado nesse sentido, mas se você, assim como eu, preza por personagens carismáticos e memoráveis e uma aventura onde você se sente como parte dela, além de um gameplay que te imerja ainda mais no jogo, definitivamente não encontrará isso em Mother 2. Não é um jogo terrível, de fato, mas eu certamente não me lembrarei dele como algo agradável.

    Por hora, não farei uma review desse trambolho, vou jogar o primeiro Mother antes, pra ver se ao menos Earthbound melhorou alguma coisa do seu antecessor de NES, mas antes disso vou voltar pro Summon Nights a Swordcraft Story pra tirar esse gosto de gameplay ruim da boca, ahauhauhauha

    35
    • Micro picture
      wilford_fernandes · 5 days ago · 2 pontos

      o 3 corrige os dois fatores, gameplay e party ^^ vai na fé, e ainda eh mais bonito ^^

      4 replies
    • Micro picture
      mateusfv · 5 days ago · 2 pontos

      Caramba vc falou tudo o pq de até hj eu n ter me empolgado de tentar jogar earthbound, nunca vi um pingo de carisma ou personalidade na party do jogo e o gameplay sempre pareceu bem estranho no combate.

      Apesar das maluquices dele me interessarem tipo as aleatoriedades do jogo e dos npcs, mas isso ai n é o suficiente pra mim, fora que a parada de rezar pra vencer o gygas é legal mas tem um problema... dá certo, se o final do jogo fosse eles rezando e juntando energia da galera a lá genki dama mas desse tudo errado e todo mundo morresse ai me empolgava de jogar kkk

      5 replies
    • Micro picture
      lukenakama · 4 days ago · 2 pontos

      Mother 3 ainda é o melhor, deixe o Mother 1 pra jogar por último, na moral.

      8 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2019-11-12 20:29:50 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Quanto tempo de jogo? Sei lá, essa coisa não mar

    Quanto tempo de jogo? Sei lá, essa coisa não marca tempo...

    E as maluquices continuam... Desta vez numa cidade tomada por punks, onde depois de quebrar a cara do líder deles, cheguei num lugar onde tem... Uma pegada gigante? Que adicionou uma música sabe se lá aonde?

    Depois disso cheguei na próxima cidade, onde finalmente parece estar Paula, a próxima membro da party. Mas pra chegar nela tive que dar dinheiro pra um garoto gordo, cujo rato me deu um telefone pai de santo (que só recebe) e depois ganhei um item que destruiu um lápis cromado que estava bloqueando meu caminho...

    E nesse meio tempo também detonei esse Alceu Valença gordo aí...

    E também temos esse Tio San que surge de uma hora pra outra pra tirar fotos do Ness. Com certeza a erva que a galera da Nintendo fumou pra fazer esse negócio foi das pesadas...

    Mas essa não está sendo uma parte ruim do jogo, já que é tudo bem inusitado e talz. A pior parte do game até agora se dá por conta desse sistema de batalha de merda. Não é por ele ser em primeira pessoa e sim por ter a mania terrivelmente irritante de FALHAR hits normais, coisa que não acontece nem com DQ do NES, o que pode tornar as batalhas terrivelmente maçantes. 

    O fato das batalhas não serem random e o aparecimento de inimigos no mapa para poder interagir ser totalmente aleatório também atrapalha na hora do grinding, o que me faz querer pular combates ao invés de lutá-los, coisa que é extremamente rara de acontecer em um JRPG pra mim. Enfim, vou desligar a música do game, ligar o Netinho de Paula e grindar feito um condenado mesmo assim, pra acabar essa trolha o mais rápido possível, ahuahuaha

    32
    • Micro picture
      lukenakama · 7 days ago · 2 pontos

      O sistema de combate é diferente, mas chato pois é muito nrg, nem tenta usar a maioria das magias pois tu vai errar com certeza.
      E eu curto os inimigos aparecerem no mapa, só que mais pra frente tem uns que não dá pra correr de jeito nenhum, eles ficam muito rápidos.

      1 reply
    • Micro picture
      reasel · 7 days ago · 2 pontos

      haja paciência pra esse ai hihi

      1 reply
    • Micro picture
      emphighwind · 7 days ago · 2 pontos

      Pior que não lembro da hit rate ser tão ruim assim quando eu joguei.

      5 replies
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2019-11-11 22:48:50 -0200 Thumb picture
    manoelnsn checked-in:
    Post by manoelnsn: <p>Tá aí um jogo que nunca tive a menor vontade de

    Tá aí um jogo que nunca tive a menor vontade de jogar, mesmo ele sendo um dos RPGs mais famosos do SNES e até o @grindingcast ter um podcast sobre ele... Isso porque tendo a ter asco de children adventures, já que além delas tenderem ou a ser bobinhas demais ou a serem prepotentes pra caralho, JRPGs precisam de protagonistas mais velhos e não mais novos do que os teenagers que costumam ser padrão!

    Mas como escasquetei de maratonar os filmes do Ghibli e nessa brincadeira já vi umas duas child adventures e não me matei (no caso Kiki e Laputa que pariu), bora aproveitar o embalo e jogar logo essa bijursca!

    De cara, gostei dos discos voadores soltando raios do começo do jogo, e depois na tela de nomear os personagens ter uma opção "don't care" porque eu realmente não dou a mínima pra essa parte, todo personagem devia ter um nome por default, detesto customizações até nessas horas, ahauhaua

    A história começa com Ness, aquele fedelho do Smash Bros, acordando de noite por causa de um barulho, no caso um meteoro que caiu na sua vizinhança. Depois de um tempo seu amigo gordo loser aparece e ele sai pra investigar junto com o amigo gordo loser e seu cachorro mais loser ainda (já que o bicho não faz nada nas batalhas), e no meio do caminho encontram corvos de óculos escuros que parecem uma mistura do Jubileu do Pica Pau com o Zé Bonitinho da Praça é Nossa...

    Depois, ao chegarem no meteorito SURGE UM MOSQUITO QUE VEIO DO FUTURO E FALA PRO NESS QUE ELE TEM QUE JUNTAR COMPANHEIROS PRA PODER DERROTAR O GYGAS, E DAÍ APARECE UM ROBÔ DE METAL QUE PARECE TER SAÍDO DO FILME "O DIA EM QUE A TERRA PAROU"...

    E NA BATALHA O MOSQUITO MATA O ROBÔ CROMADO DO FUTURO EM 3 HITS, DAÍ NESS VOLTA PRA CASA DO AMIGO GORDO LOSER PRA DEIXAR ELE E O IRMÃO MAIS LOSER AINDA EM SEGURANÇA, QUANDO DE REPENTE A MÃE DO AMIGO GORDO LOSER QUE TEM UMA CARA DE PSICOPATA MATA O MOSQUITO COM UM ÚNICO TABEFE!

    ESSA PORRA É TÃO PIRADA QUE NÃO CONSIGO DESCREVÊ-LA SEM SER USANDO CAIXA ALTA! Não é raiva nem alegria, é só uma exacerbação da maluquice que esse começo de jogo foi. Também tem outras loucuras, como tu ligar pro seu pai pra poder salvar e pedir dinheiro, e pelo que já vi desse jogo net afora (inclusive no vídeo do AVGN) a coisa só piora. Anyway, o jeito é continuar jogando pra ver no que vai dar, por hora é um jogo inusitadamente maluco... Bem maluco, e só nisso já se sai melhor que muita porcaria 32 bits que joguei por aí...

    30
    • Micro picture
      lukenakama · 7 days ago · 3 pontos

      Tu vai adorar, na moral.

      2 replies
    • Micro picture
      mateusfv · 8 days ago · 2 pontos

      "Mistura de jubileu do pica pau com zé bonitinho da praça é nossa" foi uma frase que fez eu rir pra caralho kkk.

      Eu joguei até a parte que vc chega no meteoro ai parei kkk, é um jogo que parece legal, porém o fato da glr hypar demais me dá certo asco, mas um dia ainda jogo pra ver

      7 replies
    • Micro picture
      vinicios_santana · 8 days ago · 2 pontos

      Esse não tive paciência tbm

      3 replies
  • gusgeek Gustavo Francescheto
    2019-11-08 16:29:54 -0200 Thumb picture
  • santosmurilo Murilo
    2019-11-01 01:43:40 -0200 Thumb picture
  • nyzel Nicholas Wilson
    2019-10-25 16:41:22 -0200 Thumb picture
    nyzel checked-in:
    Post by nyzel: <p>&nbsp; &nbsp;Finalizei, recentemente, esse belí

       Finalizei, recentemente, esse belíssimo RPG. É o segundo game da série Mother que finalizo, visto que terminei seu antecessor, Mother, do “Nintendinho”. Earthbound/Mother 2 ostenta uma genialidade ímpar, tanto porseus trunfos sonoros e gráficos extraídos do limitado hardware do Super Nintendo, quanto em razão da sua narrativa satírica e recheada de uma aguda metalinguagem. Com efeito, é um game abundanteem predicados, qualidades estas que merecem uma abordagem mais ampla e cuidadosa do que um mero check-in. No mais, a obra de Shigesato Itoi oferece uma experiência estética e reflexiva ímpar frente aos seus pares, isto é, perante os demais jogos do gênero RPG, mesmo aqueles oriundos das gerações subsequentes à aquela onde aportou essa obra. Definitivamente tornou-se um dos meus RPGS preferidos, ao lado de outros grandes deste nicho como Final Fantasy VI, Final Fantasy IX e Chrono Trigger. Sinto-me triste por ter que dizer adeus a este mundo paradoxalmente profundo e pueril. Earthbound lega, no fim, um vazio ao jogador, bem como uma profusão meditativa acerca de tudo que aconteceu naquela realidade tão orgânica e cativante. Assim, depois desta merecida despedida, caminho outro não me resta senão enveredar-me pelo último filho desta profícua série: Mother 3, do Game Boy Advance. 

    3
    • Micro picture
      jcelove · 25 days ago · 2 pontos

      Boa! Mother 2 é o melhor da trilogia pq consegue bem equilibrar o clima infantil com humor ácido e temas pesados sem pender demais pra um lado.

      O 3 é o melhor tecnicamente e lindao, vai curtir. mas tem um clima de melancolia q permeia todo o jogo, nao conseguia rir tanto das piadinhas e quebra da quarta parede com tanta coisa ruim acontecendo.hehe

      1 reply
  • 2019-10-19 20:17:08 -0300 Thumb picture

    STAGE 27 - Uma passagem para Eastward, por favor // .TXT

    Medium 665984 3309110367

    Com uma mescla de ação/aventura e elementos de RPG o indie da Pixpil segue como um dos lançamentos mais interessantes de 2020. Vamos conhecê-lo mais?

    ▼ https://daibokem.blogspot.com/2019/10/uma-passagem-para-eastward-por-favor.html

    [@jvhazuki]

    13
  • luis_carlosblj Luis Carlos Bernardes
    2019-09-30 21:54:17 -0300 Thumb picture
    Post by luis_carlosblj: <p>:O</p>

    Medium 662579 3309110367

    :O

    25
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 2 months ago · 4 pontos

      Com POM POM ou sem POM POM...continua sinistro.

    • Micro picture
      rax · about 2 months ago · 3 pontos

      Essa eu sabia :v

    • Micro picture
      avmnetto · about 2 months ago · 2 pontos

      O "HH" seria de "Heil Hitler"?

      1 reply
  • 2019-08-20 11:12:57 -0300 Thumb picture

    Droga

    Lembra que eu disse que eu tava querendo comprar um SNES Mini, mas tinha dito que ia desistir porque pelos preços que vi não valia a pena? Então, infelizmente eu fiquei de novo com vontade de fazer isso. Maldita mente retrofrag essa minha hauehahe.

    Desse jeito, o negócio é ficar procurando e esperando aparecer um preço bom dele aqui. Isso é, se eu nao resolver tomar juízo e desistir hehe.

    22
    • Micro picture
      old_gamer · 3 months ago · 2 pontos

      Snes é vida!

      3 replies
    • Micro picture
      1977rider · 3 months ago · 2 pontos

      Compra! Pelo que estou vendo o negocio vai se esgotar no mercado logo logo, vai ficar caro, e caso você se arrependa mais tarde acredito que consiga vender por no minimo o mesmo preço que pagou

      2 replies
    • Micro picture
      thiagoreis · 3 months ago · 2 pontos

      Esses consoles mini são muito bacaninhas,.. mas infelizmente o preço é um obstáculo enorme pra nós BRs !!. o jeito entao, que eu vou fazer é adquirir uma Raspberry pi 3 e botar uma case da NesPI ou SnesPI nela !! Melhor custo beneficio, e com várias plataformas kkk..

      1 reply
  • 2019-08-13 10:45:15 -0300 Thumb picture
    36
    • Micro picture
      the_muriel · 3 months ago · 3 pontos

      Amo como os NPCs do jogo sempre tem algo maluco para te dizer kkkkkkkkkkk

      3 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...