Medium picture

thecriticgames Matheus Pontes

O Bruce Wayne do Alvanista. "BY THE PEOPLE FOR THE PEOPLE"


3 months ago 2019-04-03

Bubsy II

Bubsy, um nome famoso no mundo gamer, afinal em uma mídia onde um ouriço azul fez um impecável sucesso gerando inúmeros clones e "massacotes" do mais genérico calibre possível, o mais genérico deles, dono de uma falta de qualidade repugnante na direção totalmente oposta de seus hypes na época e que ainda sim durou bem mais que a concorrência genérica e ruim tem de ser uma figura notável, e este é Bubsy o Lince-Vermelho (ele não é um gato).

O personagem que foi dono de um jogo terrível (critica aqui) e cheio de hype que fez o mesmo vender super bem veio a ganhar a sequencia assunto da critica de hoje. Bubsy 2 coloca os jogadores novamente na pele do irritante mascote, que dessa vez resolve tirar um dia de recreação levando seus sobrinhos, Terri & Terry para o parque de diversões Amazatorium, assim como seu animal de estimação e sidekick o tatu Arnold, o quarteto decide visitar o parque na véspera da abertura, descobrindo que o dono do lugar, o cientista ou empresario Oinker.P Hamm construiu no parque portais para outras linhas do tempo para roubar artigos históricos, o que obriga por noção de protagonismo os heróis o impedirem. Nada de Woolies dessa vez, ao invés disso temos ameaças variadas com as linhas do tempo, mas são as mais genéricas, sem graça e sem identidade possível assim como o próprio vilão, e este o que diabos tem haver abrir um parque com a construção dos ditos cujos portais para viagens no tempo? Não podia construir num laboratório como um cientista maluco normal, ao invés você abre algo secreto como uma atração pública??? Quem sou eu pra questionar mais um plot sem pé nem cabeça, os vilões de Bubsy 2 são inválidos e a troca dos Woolies do primeiro game por eles seriam em 99,9% das vezes um ponto ruim, e é, mas os Woolies são mais insossos do que o bestiário mais aleatório e genérico possível.

O pai de Bubsy Michael Berlyn detesta o segundo jogo e acredita firmemente que o mesmo do qual ele não fez parte destruiu o espirito da série (que espirito, o trash? ele ainda ta firme e forte, sério), posteriormente o mesmo retornou a série para produzir Bubsy 3D, o suprassumo dos jogos ruins com mascotes ruins o que comprova que o cara não tem competência mesmo. 

Novamente controlamos Bubsy, o gatuno pode assim como no game anterior correr, pular, planar, e quicar na cabeça dos inimigos pra mata-los, mas o game traz sim novidades, a começar que Bubsy não morre mais com apenas um hit como no primeiro game, agora o mesmo tem uma resistência maior demonstrada pela sua cara no canto da tela que vai se alterando a medida que se fere a la "Doomguy" do Doom, alem disso o mesmo possui agora novas armas compradas ao final do estagio, a começar pela Nerf-Gun do mesmo que o jogador pode comprar mais munição ao final do estagio, alem dela temos a Smart Bomb que mata todos os inimigos em tela, o buraco negro que permite sair do estagio, a roupa de mergulho que permite a Bubsy acessar mini-games ao cair em partes d'água (onde normalmente o mesmo morre) e vidas extras, todos os itens são comprados com cards achados nas fases, e alguns podem ser vendidos de volta caso o jogador queira dinheiro/cards o que é de certa forma interessante.

No estagio do Egito, as cabeças de leões escondem alavancas ativadas apertando para cima.

Os estágios agora se dividem por mundos, sendo 15 fases ao todo e 3 chefes, divididos em 3 mundos ou andares do lugar. As fases são acessadas por meio de portais sendo 6 deles por andar, com o do chefe só sendo acessível somente após a derrota dos outros 5 estágios, que são o mundo do Egito, mundo Musical, mundo Espacial, mundo Aéreo e mundo Medieval, tais mundos possuem 3 fases cada, uma para cada andar, o que significa que você jogara 3 fases similares de cada mundo, o layout dos estágios continua tão ruim como no game original, sendo todos labirintos terrivelmente irritantes igual algumas das fases mais irritantes do primeiro game (porque diabos alguém achou que o labirinto ia ser maneiro? Labirintos em games são sofríveis) os mesmos possuem pelo menos uma boa dose de checkpoints e setas apontando lados, mas continua terrível de se seguir, existem perigos aos montes na forma principalmente de obstáculos, o que somado ao labirinto que são muitas fases só torna tudo mais ilógico, como você joga com um mascote rápido e que devia correr rápido como sua inspiração Sonic quando tudo te para e toda hora você se vê perdido? Morrer e perder vidas alias, continua fácil porque o jogo continua difícil, um pouco mais até que o primeiro jogo para evitar isso coletar as bolinhas que substituem os novelos de lã são uma opção pra se conseguir alguma vida.

O personagem pode em algumas fases pilotar um avião que atravessa parte das fases e que conta com munição infinita.

Uma das notáveis novidades é que com a entrada de novos personagens o game também ganhou a opção de multiplayer em dois tipos, um amigável e um inimistoso, no primeiro o segundo jogador controla um dos gêmeos voando podendo coletar itens e matar inimigos, no outro o segundo player deve jogar cascas de banana para atrapalhar o primeiro player, porque alguém jogaria esse modo eu não sei, a diversão não é tanta que justifique sua existência. O game traz também alguns mini-games (em um destes Arnold o tatu é jogável), os mesmos são encontrados durante o jogo embora tenha-se uma opção inicial no menu para joga-los e uma para joga-los em 2 jogadores. Existe opções no começo do jogo que mudam o tour do game (praticamente sua duração e dificuldade) com o Grand Tour sendo o maior deles. As boss battles são 3 e é são igualmente RUINS e POBRES como as do primeiro jogo, as duas primeiras, são na verdade batalhas iguais contra inimigos comuns que ficam aparecendo, e somente a terceira e ultima é um boss de verdade, Oinker em si que também não é grande coisa, porque?? Apenas porque com tanto jogo plataforma pra se comparar e se inspirar como o próprio Sonic porque repetir o erro com chefes do primeiro jogo.

O jogo da também duas opções de competir indiretamente com Oinker nas fases, por pontos ou por tempo, ao terminar as fases é mostrado quantos pontos ou o quão rápido o vilão terminou o trajeto, não é nada de mais.

Graficamente o jogo esta no mesmo nível do primeiro, usa a mesma engine e tudo mais, Bubsy continua irritante mas cheio de mortes variadas o que é bem legal, torna o gatuno para o bem e para o mal um personagem beeem expressivo, com a diferença de que o jogo possui uma maior variação gráfica com a variedade genérica de inimigos e com as fases separadas por mundos. A trilha sonora é razoavelmente boa, há uma ou outra musica realmente legalzinha em Bubsy 2, mas em ambos elementos no fim o jogo se iguala ao primeiro episódio. Bubsy II consegue ser melhor que seu predecessor, mas isso não o torna um jogo bom, sério, Bubsy II ainda é um jogo ruim e difícil e irritante em boa parte como o game anterior, ele pode divertir você dependendo da sua tolerância com sua falta de qualidade e por um determinado tempo, há muita coisa muito melhor para se usar seu tempo, seja no SNES ou no Mega Drive.

6.8 6.8 10
Overall
6.0 Gameplay
5.5 Story
7.5 Music
8.0 Graphics
Tonelada de novidades como a nerf-gun, Bubsy mais resistente a danos, multiplayer e sistema de loja de itens.
Layout de estágios horríveis, dificuldade e elenco sem graça.

10 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...