Medium picture

thecriticgames Matheus Pontes

O Bruce Wayne do Alvanista. "BY THE PEOPLE FOR THE PEOPLE"


2 meses atrás 2018-10-07

Outlast

A industria de jogos de terror é uma cheia de adoradores, mas que veio a se perder nas gerações mais novas, games como Silent Hill que eram a apoteose do terror se tornaram fracas e insossas em suas versões de PS3, jogos como Evil Within que se promoviam como jogos de terror estão muito mais para games de ação com momentos tensos (não é a toa que o mesmo é uma espécie de sucessor espiritual de Resident Evil 4), mas afinal, assustar alguém é pra poucos não da muito pra chamar de incompetência já que como o próprio Shinji Mikami apontou no desenvolvimento de Evil Within "" esta ficando mais difícil assustar os jogadores hoje em dia" e isso é uma boa verdade, mas ali, em 2013 fãs do genero foram agraciados como uma nova IP da novata Red Barrels (que de novata só tem o nome já que seus membros são veteranos da industria saídos de Prince of Persia, Uncharted, SPlinter Cell e Assassin's Creed), e essa nova IP se trata de Outlast.

Outlast hoje é um dos verdadeiros queridinhos dos fãs de jogos de terror.

Com base na comum ideia de um jogador indefeso perante aos perigos do mundo o jogo te coloca na pele do investigador Miles Upshur, um free-lancer que recebe um e-mail anonimo vazado apontando e comentando as irregularidades do hospital psiquiátrico Mount Massive Asylum, que teria fins de tratamento psicológico mas que estaria abusando de pessoas ali tratadas, realizando experimentos com elas, buscando como todo repórter a oportunidade de ouro o mesmo parte para investigar o lugar que estaria localizado nas montanhas em uma mansão, só que ao adentrar o lugar aparentemente fechado e abandonado as moscas o mesmo acaba se deparando com um lugar tomado pelos loucos e ensandecidos, cheio de cadáveres dos funcionários, Miles acaba sendo atacado por um dos mais terríveis loucos do lugar o gigantesco e monstruoso Chris Walker e acaba ficando preso dentro da instituição dotado apenas de sua câmera e sua coragem.

Fechar as portas é uma tática importante para barrar inimigos e atrasa-los, o mesmo vale para empurrar moveis contra as portas.

O jogo como imaginado coloca você como alguém sem formas de defesa, Miles pode apenas se locomover, andar, correr, se abaixar, espiar para os lados e pode utilizar sua ferramenta mor durante o jogo que é a câmera utilizada para filmar e iluminar  os lugares escuros do jogo que são muitos, alem disso Miles pode se agarrar ao saltar de plataformas e pode se esconder debaixo de camas, dentro de armários em lugares onde tal ação for possível. O grande pesadelo do game são os Variantes, que é como são denominados os loucos do instituto, com boa parte deles desfigurados há vários no jogo e de diferentes tipos, há os inofensivos que por boa parte ficam vagando, falando sozinhos ou não e não apresentam maior ameaça, há inofensivos-agressivos que são inofensivos mais podem vir a lhe agredir caso você se aproxime, há os falsos inofensivos que por boa parte agem como um inofensivo mas após dado momento passam a te atacar, há os agressivos que continuamente te perseguiram e te atacaram, podendo até realizar tal feito em grupo, e tem os psicopatas, os Stalkers que stalkearam você por varias partes do jogo e que possuem um propósito mor com relação ao plot do game, são exemplos desse tipo o já citado Chris Walker, Richard Trager que é um dos ex-funcionários do lugar e age como um cientista sendo responsável por experimentos envolvendo outros variantes que também são vitimas desses stalkers, tem o Piromaniaco que possui uma rápida participação e um dos mais medonhos de todo os Twins, gêmeos que vagam pelados pelo lugar te caçando sendo alguns dos mais perigosos variantes não apenas por agirem em silencio como também por serem muio silenciosos. 

Valido de notar a ainda alguns poucos variantes que aparentam ser amigáveis, lhe ajudando com informações ou com ações, alguns até de formas inconscientes.

 Um dos pontos mais notáveis do jogo desde o começo é seu visual, extremamente bem feito com respeito ao cenário e suas localizações, mas não apenas com isso mas também com o detalhismo gráfico da brutalidade do game, corpos desmembrados, gente viva e aberta com seu interior a mostra, Outlast é bem visceral nessa parte deixando alguns jogadores de estomago fraco um tanto desnorteados. Mas não apenas isso o choque gráfico vem também com outro elemento a nudez masculina presente em Outlast, os gêmeos como mencionados estão pelados e não há qualquer forma de censura para eles ou outros peladões do mesmo tipo, outro aspecto visual a se analisar é  a presença física de Miles, a movimentação dele é extremamente bem feita e você pode observar isso com seus pés e mãos marcando presença durante o jogo como pucos First Persons se atentam. A trilha sonora, a parte embora menosprezada por muitos é uma das mais importantes dos games de terror é muito bem feita, com seus momentos majoritários de silencio de gameplay assombrados por gritos dos loucos dentro do lugar, quando não trilhas sonoras extremamente tensas ao som de violino, seja para momentos de tensão ou para momentos de perseguição onde uma postura mais desesperada e frenética é assumida por elas, o voice acting é relativamente decente, principalmente na parte dos stalkers, mas só o deles mesmo.

Outlast é um verdadeiro mestre em te colocar em situações desconfortáveis, como quando se fica preso no laboratório de Richard Trager ou o momento em que perdemos a câmera.

A experiencia de gameplay é o tempero da coisa toda, Outlast consegue te assustar e te deixar tenso continuamente, somente pra te dar esperanças posteriormente e te retirar de forma dolorosa, o trajeto do game envolve muito disso já que em determinados momentos você estará sendo caçado pelo pessoal daqui, em sessões notavelmente tensas e que envolvem sair do lugar enquanto se esconde do stalker em questão, os Variantes não te enxergam no escuro, mas tem uma audição otina então andar agachado é essencial para fazer o menor ruido possível, atenção com o lugar onde pisa também é necessário, Miles não pode se defender, mas pode coletar baterias para câmera (que caso você não tenha terá de se virar no escuro) e se recuperar com o sistema de recovery do jogo, ao receber uma porrada o mesmo deve se esconder para recuperar a vida, a má noticia, o mesmo fica balbuciando e respirando fundo, o que pode vir a revelar sua localização para inimigos, ainda assim há um pouco de repetição no game pois após dado momento fica evidente que ele funciona com as seguintes divisões: ida do ponto A ao B; ficar preso em algum circuito de salas tendo de achar a saida ou itens enquanto evita Variants ou psicopatas, ida do ponto B ao C; ficar preso em algum circuito de salas.... mas isso por incrivel que pareça passa bem despercebido e não incomoda em nada. O plot do game é contado também por vias de documentos e anotações de Miles, este apesar de não falar reflete em suas notas sua personalidade e pensamentos, sendo cínico, que possui até um certo humor negro mas de personalidade bem forte, os documentos revelam informações do lugar e background da maioria dos pacientes inclusive dos stalkers, e vai construindo inicialmente de forma subentendida que quando a construção foi feita eles despertaram algo na montanha, alguma força sobrenatural que seria ela sim a responsável pelo surto agressivo de insanidade que condena o lugar alem da mesma ser vista num dos videos liquidando a força tarefa que chega ao lugar, tal elemento vai sendo ainda reforçado com a presença de Father Martim um padre que na verdade também é um paciente do lugar que diz uma voz que o chama sendo a voz de Deus, e acreditando que Miles é na verdade um apostolo de Deus o mesmo o auxilia por determinadas vezes mesmo com sua motivação dúbia dando o tom de paranormal para o plot, principalmente quando... 

***SPOILERS***


O jogador se depara com um espirito no lugar, o dito cujo mencionado Walrider, a forma que passa a fazer aparições esporádicas durante o jogo, e até seu nome passa a ser mencionado em alguns docs como "Projeto Walrider" dando a entender que a Murkoff tinha um certo conhecimento da existência desse ser, porem, na reta final do game ele desanda com uma forma agressiva, te colocando em localizações que não remetem ao jogo e revelando que o espirito não tinha nada de espirito, tudo a favor de um plot insosso mais pé no chão.

*****FIM DOS SPOILERS****

Independente desses fatores que condenam um bocado o plot do game o mesmo vai se condenar por quase completo com um final tipico de filme de terror ruim, super cliche, e que quem é fã do gênero já deve ter em mente ao ler isso, felizmente, parte do valor de plot do mesmo é resgatado em sua DLC.

E QUANTO AS DLCs????

Outlast ganhou uma DLC meses depois de seu lançamento, e uma das melhores DLCs que você vai ver, Outlast: Whistleblower (Denunciante ou delator) onde assumimos o papel de outro personagem, Waylon Park, um engenheiro de software que acaba denunciando as torturas e os meios inumanos de sua empresa, a Murkoff Corportation para um repórter através de um e-mail, isto mesmo, aqui você assume o papel do repórter que enviou o e-mail a Miles no inicio do game, pouco após realizar tal feito Waylon é descoberto pelo seu chefe e com isso ele se torna a mais nova vitima da empresa que o coloca  para sofrer alguns dos mesmos experimentos que as demais cobaias, mas um acidente ocorre no lugar libertando a todos os loucos e deixando Waylon a merce destes. Waylon assim como Miles só conta com uma camera e com a devida habilidade de se esconder, fugir e afins, o mesmo também coleta documentos e escreve notas, denunciando uma personalidade mais frágil e temerosa se comparada com a pessoa de Miles, ambos personagens muito diferentes. Dentre as novidades da DLC estão as diversas novas e sinistras localizações que o jogo te coloca, mais nudismo e violencia visual para os jogadores e mais momentos de terror e panico, em especial protagonizado por dois dos novos Variantes, um destes Frank Manera um psicopata canibal que como todo bom canibal deseja te comer,  o outro que certamente é o mais terrível dos stalkers é Eddie Gluskin, ou "O Noivo" como é chamado pelos outros variantes que o temem ainda mais que Chris Walker, isso porque enquanto Walker só deseja te matar, o Noivo deseja te transformar em sua noiva, cortando seu pinto, te estuprando vivo ou morto, ele deseja assim como Manera te comer, mas no outro sentido.

Entre o Walker ou o Gluskin, vá de Walker, ele só ira te matar, o outro, bem ira te matar também, mas ali a morte vai ser uma libertação!

A história dessa DLC se inicia pouco antes e termina pouco depois do game principal  mesmo sendo mais curta (já que em dado momento o protagonista daqui fica desacordado), só que um dos grandes valores da DLC esta em seu plot, isso porque contrario ao final do game original a DLC termina com um final mais conclusivo, positivo e mais importante, menos cliche que o do jogo principal, principalmente porque o estrago principal do plot já esta feito a essa altura do campeonato.

Outlast é um excelente game de terror, se você é um adorador do gênero curtindo sustos e tensão proporcionado por estes jogos ele é o tipo de game obrigatorio para você, ele e sua DLC.

8.6 8.6 10
Nota Geral
9.0 Jogabilidade
7.5 História
9.0 Música
9.0 Gráficos
Momentos de tensão e terror, e violência visceral perturbadora.
Toda a DLC Whistleblower.
Plot do jogo que desanda próximo de sua anti-climática conclusão.

12 de usuários gostaram desta crítica.


Outras críticas do mesmo autor:

Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...