Medium picture

igor_park

Dos overrated aos underrated, também jogando os jogos alternativos que ninguém joga na alva!


2 months ago 2020-07-25

Life is Strange 2

Life Is Strange 2, antes de tudo é um produto da sua época, um jogo que não tem medo de suas posições, que sabe que tipo de narrativa quer construir, sem amarras e  medos de retaliações, que constrói uma narrativa reflexiva e forte.

(Irmãos Diaz)

Sinopse

Em 2016, Sean Diaz, um adolescente mexicano-americano de dezesseis anos, mora com seu irmão Daniel de nove anos e seu pai Esteban em Seattle depois que a mãe de Sean, Karen, os deixou após o nascimento de Daniel. Um dia, Sean intervém quando seu vizinho Brett assedia Daniel inadvertidamente ferindo Brett no momento em que é flagrado por um policial. Esteban chega ao local e é baleado e morto pelo policial. Uma explosão repentina danifica a casa, e Sean foge com Daniel antes que mais policiais cheguem. Agora fugitivos, Sean decide levar Daniel à cidade natal de seu pai, Puerto Lobos, no México, e começa a influenciar a moralidade de Daniel.

Role Model.

A explosão foi causada por Daniel que despertou poderes sobrenaturais, a partir daí a relação de Sean e Daniel mudam, Sean passa a ter um papel de figura paterna e mentor do irmão  e começa a influenciar na moralidade do irmão.

Suas escolhas e palavras vão definir o caráter do irmão mais novo, o jogador controlando Sean pode influenciar Daniel, bem e mal, atitudes, palavreados, tudo que o jogador faz afeta diretamente Daniel.

A relação entre os irmãos é algo que pode irritar os jogadores.

Daniel é uma criança, e uma criança que faz muita besteira durante a jornada, em certos momentos nos capítulos parece que estamos implorando pela companhia dele, certas atitudes dele e permissões que a história dá  não combinam com o clima  de fuga que o jogo tem.

Exemplo no 2° episódio, os irmãos vão para uma feira livre, para quem  está sendo perseguido e procurado não tem tanto sentido assim!

No episódio 3, o jogo cria uma tensão entre os irmãos eles estão trabalhando numa fazenda de maconha, nesse episódio Daniel é um pestinha que quer ser tratado como adulto e Sean sempre fica lembrando ao mesmo que ele é uma criança, o jogo não cede uma opção ao jogador de tratar ele melhor justamente para criar uma tensão e uma briga entre os dois.

A relação entre os dois tem altos e baixos no variar dos episódios começando bem no episódio 1 e 2, caindo no 3 e 4 e no 5 tudo se resolvendo tranquilamente no episódio 5.

O jogo tem 7 finais dependendo da suas escolhas, mas na  verdade são 4 com algumas variações que levam a sete, são bem diferentes os 4 entre si, cada um com uma penalidade e um bônus.

Ritmo dos Episódio.

Talvez um dos grandes problema do jogo seja o pace dos episódios, no episódio 1 tem um bom fôlego, o 2 corre um pouco inferior, o 3 é muito lento e com atos que incomodam, o 4 tem bons momentos mas sofre muito com a síndrome da briga dos irmãos do 3 e o 5 encerra bem.

Porém apesar desses problemas a história é boa em si, tem episódios lentos, mas que vão bem no final.

Agora se prepare para se revoltar e irritar, Sean vai sofre xenofobia, perseguição e se ferrar muito durante a jornada, se você se irrita fácil com injustiças vai querer sair chutando vários personagens nesse jogo kkkk.

Jornada e Personagens.

A melhor parte da história é a jornada e os personagens encontrados, temos até referências ao primeiro jogo no enredo.

Os irmãos sofrem de tudo nos Estados Unidos, correndo por estados como Seattle, California, Washigton, Oregon e Arizona, e as figuras que encontramos no enredo são bem marcantes e cheias de personalidades.

(Brody um escritor bem interessante e quem deixa a sua marca)]

(Cassidy uma Punk Hippie que você encontra na jornada)

(Chris personagem que é apresentado na prequel Captain Spirit)

Esses são alguns do personagens marcantes e de grande impacto que o jogador vai encontrar na história, cada um com sua peculiaridade.

Esse carinho e variedade de representações de personagens que temos no universo Life is Strange, é algo que é bastante marcante e corajoso da franquia, elas conseguem dar impacto e pontos de vistas diferentes no entendo que enriquecem bastante o enredo.

A variedade de personagens que LIS 2 apresenta, fortalece a forma como que eles tratam os temas, vemos racismo, xenofobia, vemos também religião pelo lado positivo e pelo lado negativo do fanatismo, tudo abordado e ditado de forma bem credível.

Uma coisa que continua bem no jogo são as músicas, a trilha sonora segue impecável, com planos e ângulos aliando as músicas e as cenas de forma que a Dontnod sabe fazer como ninguém.

Graficamente o jogo continua charmoso, com o seu estilo bem único, dá para perceber de longe, os cenários são bem detalhados e com um bom nível de interação, o que é algo essencial num Adventure.

Conclusão.

Life is Strange é um jogo que abordada temas delicados, sem medo de ser o que é, um jogo que leva a reflexão, que tem suas falhas em alguns  capítulos principalmente no ritmo, mas que ainda assim mantém uma boa consistência narrativa, com personagens interessantes aparecendo durante a trama, o jogo trata de assuntos bem pertinentes aos tempos atuais, ele é um verdadeiro produto de sua época.

8.0 8.0 10
Overall
7.0 Gameplay
8.0 Story
9.0 Music
8.5 Graphics
Temas abordados
Ótima trilha sonora
Bons personagens
Pace do episódios
Certas horas tu vai querer

10 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...