Medium picture

andre_andricopoulos André Zanetti Andricopoulos

Um gamer viciado em SHARE (fotos).


5 anos atrás 2014-01-14

Dead Space 3

GRAFICAMENTE está excelente e usa e abusa de belíssimos efeitos de luz. Há boas cenas no espaço e o game permite explorá-lo como nunca antes. Em certos momentos, principalmente “in game” as expressões faciais dos personagens não são muito convincentes... porém nas “CUT scenes” com zoom no rosto, tal característica é melhorada drasticamente principalmente em ISAAC CLARKE (personagem principal). Ambientação no game pode tornar-se massante (pois, assim como nos outros, fica-se muito tempo dentro das espaçonaves) PORÉM o game genialmente te transporta para o espaço constantemente e na metade do game lhe dá ambientes abertos no planeta gélido TAU VOLANTIS (que dá um show visualmente falando).

O ESPAÇO SIDERAL está maior do que nunca e os criadores permitem que você os explore. Visualmente está lindo demais e passa a sensação de que você realmente está lá. Através de uma cápsula/nave, o game permite que você explore certas naves abandonadas no espaço. Ficar com o personagem parado e rotacionar a câmera para admirar os gráficos e os belíssimos efeitos de luz são uma constante. Não paro de pensar em como um DEAD SPACE ficará incrível na Nova Geração...

Muito foi falado que o game não dá MEDO. Não é bem assim, principalmente se você optar por jogar sozinho sem co-op mode. Porém algumas missões são acessadas apenas se você estiver jogando co-op e isso renderá itens extras e adição na história. Os inimigos continuam te surpreendendo (saindo de ventilações, debaixo da neve, arrebentando vidraças, dentro de elevadores, te aguardando na porta a ser aberta...) e isso já rende muitos sustos. Eles estão mais violentos do que nunca. Quando eles atacam em bando... suas mãos tremem e você praticamente não consegue mirar direito. Principalmente nos ataques surpresas (e isso é constante). Algo que senti falta em DEAD SPACE II foram inimigos grandes e...aqui... eles estão (sutilmente) de volta principalmente ao percorrer TAU VOLANTIS (planeta gélido onde supostamente os MARKERS tiveram origem).

Ainda no aspecto MEDO, podemos mencionar os mutantes que se regeneram, pois não morrem e não saem do seu encalço. A dica é arrancar seus membros e retardar sua regeneração com o STASIS (poder que permite deixar devagar movimentos dos inimigos e também de objetos como uma porta abrindo/fechando rapidamente...). Em suma, lembra aquele pânico gerado pelo NEMESIS em RE2 e RE3. Porém muito mais assustador. O game consegue gerar tensão...como quando você desmembra as pernas de um NECROMORPH e ele continua se rastejando com o auxílio das mãos para atacá-lo... OU quando decepa um NECROMORPH e ele tenta lhe matar “às cegas”...

NA JOGABILIDADE houveram adições... inúteis... tiporolamento” e “proteger-se no murinho” e acredite... RARAMENTE VOCÊ LEMBRARÁ DELES OU PRECISARÁ UTILIZÁ-LOS. E continuo incomodado com o fato do personagem não passar por cima de objetos baixos (tipo um murinho, um caixão, pular uma estrutura metálica...). O sistema de criação de armas sofreu alterações, basicamente você as monta desde sua base até acoplagens especiais (mira zoom, stasis extra pra você e seu parceiro co – op) e também os tiros secundários. Isso ocupará muito tempo no game e para muitos pode tornar-se chato. Eu em questão tive momentos de tédio e prazer fazendo isso. Porém, você tem a opção de criar armas já elaboradas (blueprints). E caso faça uma arma que não lhe agrade, basta desmantelar e recuperar as peças.

Encontrei alguns problemas com o KINESIS (poder que lhe permite levitar objetos / corpos). Às vezes você pretende levar um objeto para dentro de uma sala/elevador... e tal objeto pode sumir. Em certos ambientes como no planeta gélido TAU VOLANTIS onde você encontra certas picaretas no ambiente... VOCÊ NÃO PODE INTERAGIR COM ELAS. Pequenos detalhes que não chegam à comprometer a qualidade geral do game. Uma sacada bacana é permitir o personagem andar/correr enquanto carrega e atira. Uma outra novidade é a inclusão de BOTS – pequenos robôs / “droids” acoplados ao seu pulso e, por auxílio de um radar com bip sonoro, você o solta numa área para realizar uma varredura e recolher boas quantidades de itens (necessários para aprimorar / criar seus trajes e armas). Carregar apenas duas armas ao invés de 04 como nos games anteriores incomoda. SAVE & QUIT salva seu inventário, porém não necessariamente salva exatamente onde solicitou. Com isso, pode-se tornar necessário repetir certas coisas.

A HISTÓRIA já está ficando confusa com as temáticas de artefato alienígena, contaminação, MARKER e os protótipos MARKERS, o culto religioso, o EARTH GOV... Em suma, a trama geral envolve o planeta TERRA buscando recursos para manter a sobrevivência humana até que, descobrem o artefato alienígena MARKER. Até protótipos dele é construído e, com o tempo, percebe-se o mal por trás disso tudo (poder de ressuscitar os mortos, infectar...) e, para alguns humanos, isso é a EVOLUÇÃO natural e dae surgem os aficionados religiosos que pregam o suicídio em prol desta evolução. Em Dead Space III, você irá adentrar o planeta gélido TAU VOLANTIS, origem do artefato alienígena. O final deste game é bom (assista até o final os créditos) e me agradaria muito se num próximo DEAD SPACE tivéssemos uma protagonista.

TRILHA SONORA está incrível, bastante cinematográfica e se adéqua totalmente à trama sci-fi / terror. O som também consegue te auxiliar nos sustos... como uma porta se fechando abruptamente fazendo com que o jogador pense se tratar de um inimigo querendo te atacar. Em suma, é o único e melhor game de terror sci fi já criado até o momento. Vale à pena conferir. Achei melhor do que DEAD SPACE II, devido as bem vindas novidades e o espetáculo de gráficos. Game essencial para todos que curtem a série. Dead Space III me encantou por saber dosar com maestria cenas de terror/suspense/tensão, ligeira ação e momentos sci-fi. Não é um game onde você sai atirando incessantemente e de forma tediosa/cansativa como em RESIDENT EVIL 6, por exemplo.

Ouvi algumas reclamações sobre o game não ter cenas memoráveis...e discordo: as cenas espaciais são espetaculares (e quebram o ritmo enclausurado que tanto vimos nos games anteriores e que remete muito ao filme ALIEN O OITAVO PASSAGEIRO); as cut scenes são de tirar o fôlego; sua passagem por TAU VOLANTIS num ambiente gélido com neve rende grandes momentos também (incluindo ae o momento em que você deve buscar abrigo/calor para manter a temperatura corporal e os inimigos HIVE MIND e SNOW BEAST); inimigos novos do capítulo 9 (assustadores). Em aproximadas 30h que você irá jogar este game, tenha a certeza que será diversão garantida!

TRAILER DEAD SPACE III: http://www.youtube.com/watch?v=u5f5tOmMkLk

9.0 9.0 10
Nota Geral
8.0 Jogabilidade
7.0 História
9.5 Música
9.5 Gráficos
GRÁFICOS de tirar o fôlego.
Explorar mais intensamente o ESPAÇO SIDERAL.
TAU VOLANTIS (planeta gélido de origem do MARKER).
CRIATURAS / CHEFES como o HIVE MIND, SNOW BEAST e o último chefe)
TRILHA SONORA
POUCA EXPLORAÇÃO DOS PERSONAGENS (suas motivações, ambições, história...)
ADIÇÕES NÃO PRÁTICAS: esconder no murinho, rolar...
Para alguns, MONTAR ARMA DESDE SUA BASE. Lembrando que para outros isso pode ser divertido.
CARREGAR APENAS 02 ARMAS.

8 de usuários gostaram desta crítica.


Outras críticas do mesmo autor:

Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...