Medium picture

thecriticgames Matheus Pontes

O Bruce Wayne do Alvanista. "BY THE PEOPLE FOR THE PEOPLE"


6 anos atrás 2013-01-04

Disgaea: Hour of Darkness

Se tiver algo que os japoneses são marca registrada é em fazer RPGs, o que dizer então quando o gênero é preenchido com um universo bizarro e hardcore. Disgaea é um RPG tático (estilo do Final Fantasy Tatics do PSX) que conta a história de Laharl príncipe dos demônios que desperta após um longo sono (de dois anos) para ocupar seu lugar como rei dos demônios após a morte de seu pai que morreu engasgado com um pretzel.

O game segue confrontos estratégicos estilo Final Fantasy Tactics.

Com um universo bizarro repleto de demônios dos mais variados tipos como esqueletos elementais, pingüins explosivos (pingüins!?), Power Rangers(hein!?), o jogo é cheio de piadas e humor que derrubam a quarta parede.e um estilo gráfico desenhado semelhante a animes que embora agradável, pode soar como ultrapassado para muitos jogadores acostumados com Final Fantasys da vida.

Disgaea é do mesmo universo de La Pucelle Tatics e possui o humor bizarro e sem noção dos japoneses.

Seus combates rolam em campos de batalha formados por "Grids" espaços nos quais os personagens se posicionam, rolando combos malucos de até quatro personagens e magias que beiram o absurdo, Sua aventura principal não é tão longa, mas, os objetivos secundários e o desafio de chegar ao nível 9999 mostram o quão hardcore é o jogo. A dublagem é boa e as vozes embora às vezes irritantes combinem com os personagens e a trilha sonora faz seu trabalho. Seu estilo, porém não agrada a todos principalmente aqueles que procuram no jogo um RPG de nível Final Fantasy, mas se você curte um RPG mais diversificado Disgaea é o RPG pra você.

O elenco de Disgaea inclui até mesmo... Rangers!?

7.5 7.5 10
Nota Geral
7.0 Jogabilidade
7.5 História
7.0 Música
7.0 Gráficos
Humor picareta, originalidade e desafio alto para os jogadores mais hardcores.
É um game de nicho, só jogue-o se você aprecia muito animes ou jogos taticos.

3 de usuários gostaram desta crítica.


Outras críticas do mesmo autor:

Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...