• daisuke Daisuke Vieira
    2019-02-06 12:52:16 -0200 Thumb picture
    daisuke fez um check-in:
    <p>Vou te zerei.</p> - Alvanista

    Vou te zerei.

    19
  • 2019-01-29 22:45:26 -0200 Thumb picture

    REMAKE DE RESIDENT EVIL 3 DEPENDE DOS FÃS, DIZ PRODUTOR

    Muito antes de Resident Evil 2 ser lançado no último dia 25, os fãs já se perguntavam se a Capcom arriscaria a fazer um remake de Resident Evil 3 também. Segundo um dos produtores da série, a vontade da comunidade é essencial para que esse projeto aconteça.

    Segundo o produtor de Resident Evil 2, Yoshiaki Hirabayashi, o remake do jogo de 1998 só aconteceu porque a Capcom sabia que esse sempre foi um pedido dos fãs da série. Hirabayashi diz que o mesmo pode acontecer com Resident Evil 3, caso “RE2” for bem sucedido e os fãs, mais uma vez, manifestem entusiasmo pela ideia.

    FONTE: Voxel

    ======================================================

    Para de enrolar a gente Hirabayashi, você sabe muito bem que os fãs querem esse remake! E a gente sabe que esse remake já ta em produção, não mente pra nós-qqqqq 

    3
  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2019-01-28 18:00:04 -0200 Thumb picture

    Remake de Resident Evil 3, só depende dos fãs

    Agora que o remake de Resident Evil 2 foi oficialmente lançado, uma das grandes perguntas do fãs passa a ser quando a Capcom fará o mesmo tratamento com Resident Evil 3: Nemesis.

    Em entrevista com o site GameWatch (via GamingBolt), o produtor Yoshiaki Hirabayashi indicou que a Capcom vai considerar um remake de Nemesis, dependendo tanto do sucesso de Resident Evil 2 quanto do entusiasmo dos fãs da série.

    Lançado originalmente em 1999, Resident Evil 3: Nemesis é protagonizado por Jill Valentine, uma das heroínas do game original, que deve escapar de Raccoon City durante a infestação de mortos-vivos que tomou a cidade.

    Durante sua jornada, Jill é confrontada por uma misteriosa criatura conhecida como Nemesis, que tem como missão matar todos os envolvidos nos eventos do primeiro Resident Evil.

    Rumores já indicam que a Capcom já está trabalhando em um remake de Resident Evil 3.

    31
    • Micro picture
      jclove · 21 dias atrás · 3 pontos

      Depois dessa recepçao que o remaje ta tendo, acho q eles nao tem mais duvidas

    • Micro picture
      typhonite · 21 dias atrás · 3 pontos

      Em geral, sou contra remakes/remasters, ainda mais de jogos que não necessitam (ex: GoW 3, TLoU), mas no caso de Resident Evil, pra mim que não tive PS1/PS2 são todos bem vindos, principalmente se mantiverem o zelo que tiveram com esse!

    • Micro picture
      rafael_mingato · 21 dias atrás · 3 pontos

      Na minha opinião, eu acho que eles já estão até produzindo o game nesse momento.
      A CAPCOM não dorme em serviço! hehe XD

  • tiagodantas Tiago
    2019-01-26 16:21:50 -0200 Thumb picture
  • eduardo_wrzecionek Eduardo Wrzecionek
    2019-01-15 16:07:57 -0200 Thumb picture

    finalizado versão Trial

    Não muda absolutamente nada e o jogo totalmente finalizado ate os itens estão no local só muda um item a foto que esta naquele corredor que queima com a corta não esta lá. Não vou falar aonde que termina para não estragar a experiencia da Demo.

    3
  • 2019-01-07 20:38:27 -0200 Thumb picture

    Histórias Gamísticas parte -3

    Até por volta de 2002, a galera aqui só jogava Super Nintendo, e falo muito sério quando afirmo isso. Até essa data pelo menos uns 5 amigos meus muito próximos tinham um console da big N em casa, e eu, como não podia ter não perdia uma oportunidade quando me chamavam pra jogar. 

    O grande estouro aconteceu em 2002, por dois motivos que faço questão de guardar bem na memória;

    1- A copa do mundo desse ano foi mágica, lembro de levantar de madrugada para assistir todos os jogos possíveis, era um clima diferente, o país parecia parar para assistir os jogos da seleção, e até mesmo na escola, as aulas eram interrompidas para assistirmos os jogos.

    2- Um certo bar adquiriu 2 PlayStations, montou uma mini locadora e mudou a forma como toda a molecada via os videogames.

    O meu primeiro contato com o Playstation foi nesse bar, e se eu não estou enganado foi por mero acaso, fui comprar algo lá e me deparo com a nova estrutura e um rapaz jogando um jogo meio sinistro, e que só de assistir fez me cagar todo, o nome: Resident Evil 3.

    A partir daí esse bar virou uma febre da molecada, era óbvio que o Super Nintendo estava ultrapassado e jamais seria páreo para jogos 3d, cutscenes, e trilhas sonoras espetaculares. Quem tinha Snes até esqueceu o videogame e passou a dedicar seus trocados exclusivamente ao psx, nos fins de semana a gurizada fazia fila pra poder jogar o tão famoso console da Sony, e agora que me lembro dessa época, esse bar deve ter ganho muito dinheiro.

    Eu particularmente nunca tive muito dinheiro na minha infância, mas nos fins de semana meu pai sempre me arrumava uns trocadinhos, e jogar era barato, acho que 2 reais dava pra jogar 1 hora ou até um pouco mais. E quando não tinha dinheiro, eu simplesmente ia assistir quem tinha jogar, ou dar aquela famosa serrotada nos jogadores com frases do tipo;

    "derrotar esse cara é mó fácil, deixa eu te mostrar".

    Às vezes a pessoa era sua amiga e te deixava dar uma jogada, às vezes não, e eu me contentava só em assistir. 

    Foi nesse bar locadora que fui apresentado a jogos inesquecíveis como: Resident Evil 1 e 3 (o 2 nunca teve rs), Wining Eleven (ficou muito famoso por causa da copa do mundo), Crash 1 e 2, Tekken 2 e 3, Marvel Vs Capcom, Metal Slug, Mega Man, Dino Crisis 1 e 2, Driver, Moto Racer, Need for Speed, The king of Fighters, Mortal Kombat 4, Street Fighter Alpha, Gran Turismo, Final Fantasy Origins (que mesmo sem entender muita coisa eu adorava) e muitos outros que não vou me lembrar de citar aqui, é, foram bons tempos. 

    Não demoraria muito até um amigo comprar um também e fazer inveja a toda molecada...

    Histórias Gamísticas é uma série de textos sem compromisso onde narro minhas aventuras por esse tal negócio chamado vídeo game.

    12
    • Micro picture
      mastershadow · 1 mês atrás · 3 pontos

      Eu VIVIA nas locadoras, e isso de 1994 até no máximo 2003, onde elas já estavam praticamente extintas onde eu moro, ou se tornando Lan Houses.

      Mesmo quando eu não ia jogar, eu ficava a tarde la, olhando os caras jogar, fiz amizades demais, e eram ambientes onde todo mundo ali tinha algo em comum, a paixão pelos jogos, então era o máximo interagir, comentar sobre os jogos etc etc, só tenho boas lembranças das famosas locadoras!

    • Micro picture
      vinicios_santana_3 · 1 mês atrás · 2 pontos

      Eu sempre vivi uma ou duas gerações atrasado tbm, enquanto geral estava com ps1, eu ganhei um Dynavision , depois snes.
      Quando todo mundo estava com ps2, eu comprei um ps1 kkkkk
      Só na época do wii, 3ds e wii-u, que eu segui a geração.

    • Micro picture
      santz · 1 mês atrás · 2 pontos

      Eu nunca fui muito de frequentar locadoras, mas de vez em quando, eu ia lá em baixo jogar o belíssimo Metal Slug X, jogo perfeito para jogar com os irmãos. Outro que me lembro de jogar bastante na locadora era o Pepsi Man. Foi meu primeiro contato com o mundo 3D e aquilo era sensacional! Teve também Beyblade, que era má or men, mas era bacana. Só me lembro desses 3 jogos. Quando acabava o meu horário, eu não ficava lá assistindo o povo jogar, pois sempre era o tal do Wineleven. Era até legal, mas preferia meu Ronaldinho Soccer 97.

  • vinicios_santana_3 Vinicios Santana
    2018-12-30 22:38:53 -0200 Thumb picture
    vinicios_santana_3 fez um check-in:
    <p>#img#[607208]</p><p>Resolvendo um puzzle que env - Alvanista

    Resolvendo um puzzle que envolvia quadros, relógios, estátuas e orbes, consigo uma engrenagem dourada, agora junto com a que eu já tinha, consigo fazer o sino da torre funcionar.

    O helicóptero chega e o júbilo nos olhos de Jill é imenso, mas logo a alegria se transforma num misto de horror e incredulidade, um míssil destrói o helicóptero e junto suas esperanças, míssil esse disparado por quem? ELE!

    Como se não bastasse, Nemesis vem nos atacar, golpeando Jill de forma letal e a contaminando com o T-Vírus.

    Carlos ajuda com sua metralhadora e atira em Nemesis, até que uma das balas, por sorte, atinge a bazuca da fera e a explode, consumindo-a em chamas.

    Mas desgraça pouca é bobagem, Nemesis não morre, em vez disso ele se ergue das chamas com o peito deformado e furioso, Jill é seu alvo e mesmo cambaleante, uso todas as granadas e tiros de Magnum disponíveis e consigo derrotar a besta que cai inconsciente em meio as chamas.

    Mas ao procurar Carlos, Jill desmaia, está fraca pelo efeito do vírus.

    Agora com Carlos devo ir até o hospital em busca de um antídoto.

    Essa missão não é nada fácil, visto que o armamento de Carlos é limitado, ele encontra os "hunters" desse jogo, mas o pior que qualquer fera, é Nicholai,ele sobreviveu e está eliminando um de seus companheiros, pra não ter que dividir a remuneração ou algo do tipo e Carlos seria o próximo se o mercenário baleado não tivesse ativado uma granada, os forçando a correr. Nicholai escapa mais uma vez.

    Consigo reunir os ingredientes do soro, bastando apenas ativá-los numa sala repleta de tubos com Hunters, que com certeza vão se libertar assim que eu obtiver o soro.

    Dito e feito, gasto aqui o final de minha metralhadora, ficando apenas com alguns cartuchos da Beretta.

    Voltando para o hall de entrada do hospital, Nicholai havia plantado uma C4, o que me da menos de 5 segundo para fugir antes o o hospital inteiro exploda. Que cara fdp.

    Volto para a torre do relógio sem surpresas, até que, ELE aparece. Dessa vez com mais tentáculos, provenientes da mutação sofrida após os danos dee nosso último encontro. Não tenho nem como pensar em enfrentar ele, estou com menos de 20 tiros da Beretta, corro o máximo que posso até chegar na capela onde deixei Jill e salvá-la.

    Com Jill, peguei tudo que tinha e fui pra cima dele, com o sentimento de vingança, o Gif abaixo resume o que aconteceu comigo.

    Desisti de tentar enfrentá-lo e fiz o caminho reverso que Carlos havia feito, indo dessa vez para o parque da cidade.

    No parque, depois de alguns puzzles e muitas sangue-sugas gigantes, encontro uma cabana onde mais uma vez Nicholai vem encher a paciência, antes que alguém viesse a morrer, um tremor nos faz sair da cabana e um verme da terra gigantesco surge, enquanto Nicholai foge mais uma vez.

    Depois de derrotar o monstrengo, sigo para a única porta restante, um pequeno portão nos leva até uma estação de tratamento de esgoto, mas não antes de mais um encontro com ELE, que bloqueia a ponte, o empurro , jogando-o precipício abaixo e corro para a estação.

    Aqui encontro Carlos, que me avisa que uma ordem de extermínio foi dada, um míssil irá destruir a cidade e temos que fugir o mais rápido possível.

    As portas pra variar estão todas fechadas e preciso achar um cartão de acesso.

    Próximo da entrada do depósito de lixo, o mala do Nicholai aparece mais uma vez, dessa vez disposto a me matar, ele atira algumas vezes, mas seus tiros chamam a atenção de algo que andava pelos tubos de ventilação, esse algo o pucha com um tentáculo e o estrangula.

    Meio receoso entro no depósito e sou surpreendido pela criatura que matou Nicholai, o inominável, o filhote do capeta, o stalker mor, Nemesis.

    Essa cria de satanás não desiste, mas agora não há pra onde eu fugir.

    Não tardei a descobrir como derrotá-lo e gastando o mínimo de munição, há torneiras de ácido que são apertadas demais pra se abrir, mas que se rompem com um tiro forte, atraia a fera para uma dessas torneiras, atirava e saia correndo, pois o ácido também me fere.

    A cada banho, Nemesis ia perdendo pedaços, até sobrar apenas um tronco retorcendo de dor.

    Um dos corpos do lixão tem um cartão que uso para chegar até a sala de controle, onde falo com Carlos pelo rádio, ele já havia estado ali e me deixa um sensor que recebe o sinal do míssil, para que eu saiba o tempo que tenho até a explosão. (Um radar fica na tela, mostrando o tempo e distância do míssil.)

    Seguindo pela escada que se abre, chego até um depósito todo destruído, onde uma das experiencias da Umbrella jaz morta, uma espécie de canhão de energia precisa ser carregado para assim abriir as portas.

    Mas nesse meio tempo, Nemesis, ou o que restou dele, aparece e se funde com a criatura morta, dando origem a uma fera disforme.

    Atiro na coisa atrasando-a, me dando tempo para ligar as baterias e posteriormente o canhão.

    Ele começa a carregar energia e erra o primeiro tiro, no segundo Nemesis é explodido, mas mesmo assim uma pequena massa de carne insiste em me perseguir, então Jill com a furia de quem foi perseguida pela fera, descarrega uma Magmum no bicho.

    Com a ameaça de Nemesis enfim derrotada, saio da sala, a tempo de pegar o helicóptero, e do céu vislumbra a cidade virar cinzas.

    Apesar do tempo bom, em vista do primeiro RE, tive um ranking ruim, tinha lido em algum lugar que usar spray reduz o ranking, então não os usei no 1 e 2, mas aqui, apesar de eu estar cheio de ervas, o Nemesis sempre me pegava de surpresa, me forçando a usar o que eu tinha no inventário no momento, ou resetar o jogo.

    Terminando o jogo também libero o modo Mercenaries, que como o nome diz, envolve uma missão do grupo de Carlos que devem ir do ponto A ao ponto B, semelhante ao 4th Survive do RE2.

    Gostei bastante do jogo, ele é tecnicamente superior em quase tudo que seus antecessores,  melhores menus, movimentação, armas, ambientação.

    Mas o 2 ainda é meu favorito, acho que a forma como a história de Leon e Claire é contada, cheia de ação e reviravoltas, me agradou mais.

    Vou procurar uma maneira de jogar o Code Verônica e seguir nessa saga.

    Agradeço a todos que acompanharam e que comentaram com dicas e curiosidades. Vocês fazem a rede permanecer viva.

    Bom, é isso, até o próximo check-in.

    21
    • Micro picture
      thecriticgames · 2 meses atrás · 2 pontos

      Parabens pela finalização, eu adoro o RE3 por completo, algumas observações, você escolheu no bondinho puxar o freio, se tivesse usado a outra opção Carlos não aparecia no combate com o Nemesis e você teria de encara-lo com bazuka e tudo, e não me recordo da opção depois dessa, mas em algum momento alguma opção muda o final fazendo com que o piloto do helicoptero a resgatar Jill e Carlos seja Barry de RE1.

      O 2 é mais dramático com respeito a história, alem de ter mais aquela sensação de descoberta junto dos protagonistas do terror da cidade e do que causa isso, o 3 não possui estes elementos sendo algo mais voltado a ação mais com um nivel de terror similar ao 2 devido ao Nemesis (no 2 tinhamos o Mr.X e o G causando sentimentos parecidos com o do Nemesis). A frase e momento da Jill ao final "You Want Stars? I'II give you stars." é o melhor representação de Girl Power dela.

      4 respostas
    • Micro picture
      jclove · 2 meses atrás · 2 pontos

      Caraca homi, tu já terminou? É muito melhor que eu jogando.hehe.Patabens de novo.
      Essa cena da torre é de longe a mais troll da série. Muita gente na época da locadora achava q realmente era o final é fazia a mesma cara da Jill qdo via o sorriso do nemesio após estourar o helicóptero.XD
      A gente chegava a ficar esperando a reação qdo tinha um cara novo jogando.hehe

      Pena q o Carlos destruiu a bazuca. Com ela o nemesis não fica correndo nem te agarra, só precisa esquivar dos tiros.

      Vc pulou na ponte né? Pelo q vi foi o final B, onde ninguém menos q o Barry vem te salvar.
      No final 1 o Nicolai não morre pelo duto, rola até uma batalha contra o helicóptero dele, vc pode destruir ou deixá-lo fugir até.
      Apesar de não ser canon ele volta no re outbreak é no operário raccon city, quase um Drake e sem poderes.XD

      O modo mercenários é bem bacana, muito mais fácil e divertido q o hunk. Cada personagem é uma dificuldade. Mickael é easy, Carlos normal e Nicolai ver hard. Além de sobreviver vc pode fazer desvios pra resgatar sobreviventes q te são itens é prolongam o tempo. Com o dinheiro ganho vc pode desbloquear as armas infinitas.ai fica show renovar.hehe

      6 respostas
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 2 meses atrás · 2 pontos

      Mano...que delícia relembrar disso tudo.
      Fico só imaginando um REMAKE desse também.
      ---
      Essa B.I.O. final é sinistra...

      3 respostas
  • vinicios_santana_3 Vinicios Santana
    2018-12-28 21:44:46 -0200 Thumb picture
    vinicios_santana_3 fez um check-in:
    <p>#img#[606796]</p><p>Fiz muita coisa, vou tentar - Alvanista

    Fiz muita coisa, vou tentar não enrolar demais contando os fatos.

    No final da área do parque, há um bondinho estacionado, ele não funciona, faltam algumas peças.

    Entrei e fui direto analisar o painel soltando faíscas e nem percebi que o bondinho já estava ocupado.

    A tripulação são os outros mercenários companheiros de Carlos, Nicholai Ginovaef, que parece ser o líder, ele está surpreso de uma garota ter ido tão longe, mas Jill logo da uma carteirada, mostrando que ela não é qualquer uma.

    O outro passageiro é Mikhail Victor, que foi gravemente ferido e descansa deitado no banco do veículo.

    Nicholai está irritado e não quer que Jill ajude a equipe, mas Carlos o convence, já que mais da metade da equipe foi morta.

    O plano é chegar até a Torre do relógio da cidade e lá tocar o sino da torre, como um sinal para que o helicóptero da Umbrella os resgate, o modo mais rápido de chegar até o relógio, seria usando o bondinho, mas primeiro devemos recuperar as peças defeituosas, além de combustível.

    Para ajudar na missão, Carlos me entrega um colete tático, que aumenta em 2 o espaço de meu inventário.

    Os itens necessários são:

    Um cabo de força, que já havia pego no estacionamento.

    Um fusível, que fica numa espécie de usina elétrica.

    Combustível, que fica no posto de gasolina e deve ser aditivado com um aditivo.

    Não foi difícil conseguir os itens, só perdi tempo procurando o fusível, há uma estátua do prefeito que libera uma bateria e eu me embananei sobre qual item colocar na mão da estátua, até me recordar de uma fonte, próximo ao restaurante.

    No posto de gasolina, Carlos aparece para me ajudar e tenta conter uma horda de zumbis, enquanto apanho para um puzzle, assim que pego o combustível, uma faísca inicia um incêndio no posto de gasolina e logo há uma explosão, fugimos e indo de volta para o bondinho, somos surpreendidos mais uma vez por Nemesis.

    Que cara chato!

    Dando um olé nele, consigo fugir, mas o chão começa a tremer e o chão cede, aqui há uma batalha com uma criatura cavadora, na realidade, eu nem cheguei a lutar com ela, só acionei os botões pra descer a escada e sai correndo.

    De volta a superfície, consigo chegar até o bondinho e vejo Mikhail que, mesmo ferido, estava defendendo o bondinho de uma horda de zumbis.O carrego para dentro do bondinho e trocando as peças iniciamos nossa jornada. Nicholai, aparentemente morreu num ataque de zumbis, quando eu fui pegar o reagente do combustível, então, somos só eu, Carlos e Mikhail.

    Carlos pilota o bondinho, mas logo um barulho no vagão de trás nos chama a atenção.

    Jill vai investigar e se depara mais uma vez com ELE, Nemesis.

    Mikhail, que estava sentado do lado da porta, quase desacordado, manda que eu corra enquanto ele da um jeito na fera.

    Ele se sacrifica pelo grupo.

    Os freios do bondinho foram avariados, nos forçando a tomar medidas drásticas. Pular ou acionar os freios de emergência.

    Aciono os freios e o bonde descarrilha, parando em frente à torre do relógio.

    Explorando, encontro duas caixinhas de música que escondem uma combinação, não tardo para descobrir a sua função, elas liberam uma chave que fica no topo da torre.

    Descendo da torre, quem encontro? Nemesis mais uma vez.

    Mas dessa vez ele é eletrocutado por um fio jogado na poça de água onde ele pisava.

    Ele fica desacordado, mas me da tempo suficiente de pegar mais uma peça de arma.

    Ao juntar com a peça que eu já tinha, obtive a Eagle 6.0, uma evolução da beretta que eu já tinha.

    Em comparação, com a Beretta, matava aranhas gigantes com cerca de 10 tiros, com essa nova arma, matei com 3. O que é uma boa, já que elas compartilham a mesma munição.

    Agora tenho que descobrir uma maneira de tocar o sino da torre para chamar o helicóptero, mas isso fica para depois.

    Bom, é isso, até o próximo check-in.

    16
    • Micro picture
      thiones · 2 meses atrás · 3 pontos

      Nessa parte onde você está juntando os itens pra sair da cidade pelo bonde, podem ocorrer cenas diferentes como por exemplo encontrar o Nicholai no "GASTA" e o Carlos no office. Vale mudar um pouco as rotas numa segunda jogatina hehe

      3 respostas
    • Micro picture
      jclove · 2 meses atrás · 3 pontos

      Rapaz, ta indo na raça ainda? Vc avança bem rápido pra quem ta de primeira!parabains!

      A parte do resgate de helicopetro é um dos finais mais emocionantes da série. Ninguém esquecia na época da locadora, se prepare pras lágrimas.hehe

      Diz ai se dar o chocão no nemesio num foi maneiro? O cheto é que ele volta, mas se jogasse não poderia pegar o item que ele dropa.
      Essa pistola é só um dos itens. cada vez que vc derruba ele ele dropa parts de alguma coisa ou packs com 3 sprays (que ocupam um slot só), mas definitivamente não vale o esforço na primeira jogada e sem armas especiais.

      2 respostas
    • Micro picture
      thecriticgames · 2 meses atrás · 2 pontos

      Uma dica, a munição evoluida de pistola não funciona com a pistola evoluida, se tiver que escolher entre a pistola velha com munição evoluida ou a pistola nova com munição normal va com a pistola velha msm e use a pistola nova a.k.a EAGLE com as munições normais que você encontrar, estratégia.

      9 respostas
  • frohlich Gabri
    2018-12-28 16:13:30 -0200 Thumb picture
    19
    • Micro picture
      fredson · 2 meses atrás · 1 ponto

      Eu tenho ele, hehe.

    • Micro picture
      avmnetto · 2 meses atrás · 1 ponto

      Fica realmente bem melhor que o PS1 na qualidade de imagem (especialmente os cenários pré-renderizados)?

  • vinicios_santana_3 Vinicios Santana
    2018-12-26 22:56:40 -0200 Thumb picture
    vinicios_santana_3 fez um check-in:
    <p>#img#[606347]</p><p>Depois de toda a dor de cabe - Alvanista

    Depois de toda a dor de cabeça que foi pra fazer o jogo funcionar, finalmente consegui, o emulador que uso cria Bios simuladas e elas são eficientes na maioria dos jogos, o RE3 era uma exceção.

    Baixei as Bios e o jogo funcionou perfeitamente e agora sim dou inicio aos check-ins da minha jornada.

    O jogo se inicia com uma animação que mostra o caos que Raccon City se tornou depois da infestação ocorrida no 1 e 2.

    A qualidade da animação melhorou consideravelmente em relação ao 2.

    Mais uma vez Jill Valentine é a protagonista do jogo, agora com um visual mais casual em comparação ao seu uniforme do primeiro jogo.

    Ela fala sobre não saber como ainda está viva e que esta seria sua última chance de escapar.

    Houveram várias mudanças em relação ao 2 e gostei de todas.

    A principal é que agora só há um protagonista, o que apesar de deixar a narrativa e fator replay mais fracos, deixa o jogo mais objetivo.

    O menu de inventário é um misto do melhor dos menus do 1 e 2, foi o mais bonito que achei até agora.

    Ainda dentro dos menus, o mapa agora é mais nítido e tem um botão exclusivo (L2), o que agiliza a exploração.

    A faca, voltou a ser letal, no 2 ela era praticamente inútil, aqui seu dano voltou a ser comparável ao dano da munição básica.

    Falando em munição, agora há um sistema de fabricar seus próprios cartuchos, baseado numa combinação de diferentes tipos de pólvora.

    A cidade é a mesma do jogo anterior, tendo até locais comuns, mas aparentemente se passaram algum tempo e ela está bem mais suja e cheia de bloqueios pra tentar evitar o avanço dos zumbis.

    Explorando um pouco as ruelas de Raccon City, uma porta se abre subitamente, alguém está fugindo dos zumbis, antes de seguir esse sobrevivente, exploro a sala de onde os zumbis saíram e sou presenteado por uma das minhas armas preferidas na franquia, a Shotgun.

    Voltando a seguir o misterioso sobrevivente, chego num bar e sou surpreendido ao descobrir que o sobrevivente é Brad Vickers, piloto do time Alfa, equipe que Jill fez parte no RE1.

    Ele está sendo atacado por um zumbi e mesmo com minha ajuda, ainda é mordido.

    Ele está aflito, está fugindo de algo, diz que todos irão morrer, pois esse algo está caçando os membros da S.T.A.R.S, repartição da policia de Raccon City responsável por missões táticas.

    Brad foge sem olhar pra trás.

    Seguindo meu caminho, chego até a Delegacia de Raccon City, e mal tive tempo de reconhecer o local, quando Brad aparece novamente, mancando, a felicidade em vê-lo, logo se torna horror, pois uma criatura imensa nos surpreende e mata Brad impiedosamente.

    Esse é Nemesis, a criatura que da nome ao jogo e que tem como único objetivo, matar os membros da S.T.A.R.S, ou seja, tô ferrado.

    Aqui há algo interessante, a possibilidade de escolher entre dois destinos, no caso lutar ou fugir.

    inicialmente lutei, mas logo morri e voltando, acabei me acovardando, ou melhor, fazendo uma retirada estratégica. kkkk

    Dentro da Delegacia, sou inundado com um sentimento de familiaridade, afinal, grande parte do RE2 se passa dentro dessas paredes e o joguei recentemente.

    Apesar das semelhanças, muitas salas estão obstruídas, fazendo com que passear por aqui, seja uma experiencia nova.

    Após mais um encontro com Nemesis, consigo pegar meu kit de abrir fechaduras e vou embora daqui. Sério que vim aqui só pra pegar um clipes de papel? Na rua mesmo dava pra ter pego qualquer araminho, mas enfim, com o clipe consigo abrir fechaduras simples, algo bem útil, uma dessas fechaduras, é de uma porta que leva para uma nova área da cidade.

    Em alguns cantos escuros, me deparo com uma criatura bizarra, Drain Deimos, uma espécie de mistura de Hunter com Aranha, ele da trabalho, mas com a shotgun, logo se torna mais uma poça de sangue e carne no asfalto.

    Na Redação de um jornal,  encontro Carlos Oliveira desacordado, ele estava tentando fazer contato via rádio, mas acaba desmaiando com a fumaça do incêndio da sala ao lado.

    Não há tempo de formalidades, assim que Carlos acorda, Nemesis adentra o prédio e devo escolher novamente, se fujo ou se luto. Resolvi lutar, pois Carlos está armado com uma metralhadora, mas Nemesis da conta de nós dois e mais uma vez morremos, então corajosamente escolho lutar e saio correndo, e no meio do caminho encontro peças de alguma arma ainda desconhecida para mim.

    Lá em baixo Carlos se apresenta melhor, ele é um mercenário da Umbrella, que foi mandado para a cidade para salvar sobreviventes.

    Jill fica irritada ao saber de seus objetivos e de porque a Umbrella estaria querendo salvar alguém se ela é a culpada de toda essa tragédia.

    Carlos diz que não questiona as ordens, basicamente é só um pau mandado mesmo, como qualquer funcionário assalariado.

    Ao longo do caminho, coletei dois cristais, que se colocados num relógio estranho, abre passagem para o parque de Raccon City, e é pra lá que irei na próxima jogatina.

    Bom, é isso, até o próximo check-in.

    22
    • Micro picture
      minato3 · 2 meses atrás · 2 pontos

      Até que enfim vc resolveu esse problema.Boa sorte ai.Esse posso dizer que ta no meu top 3 dos REs xD

      6 respostas
    • Micro picture
      jclove · 2 meses atrás · 2 pontos

      Ah...Re 3, finalmente!
      Apesar de só ter a Jill, o fator replay do jogo é gigantesco, tão grande ou até maior q os anteriores.
      Além das novidades q mencionou tem a esquiva q é um dos movimentos mais difíceis de dominar da série mas que transforma a Jill numa ninja se vc pegar o jeito.
      Pra esquivar vc precisa apertar o botão de mirar ou o X no exato momento em q o inimigo for acertar a Jill. Se fizer no timing certo ela desvia ou empurra ele sem levar dano. É bem difícil de fazer mas sai na cagada tbm se ficar metralhando x qdo tiver cercado.hehe

      Além das escolhas q ele te empurra, o 3 volta ao esquema do primeiro onde a ordem de suas ações mudam eventos do jogo. Ir pro jornal influência o segundo ending(Que seria o canon). Se tivesse ido primeiro pro restaurante é conhecido o Carlos lá influencia a pro primeiro. Tem muita ceninha q varia com esse esquema.

      Nesse primeiro encontro com o Genesis vc podia colocar pra lutar, dar um olé nele, pegar o cartão do brad, é correr pra delegacia, o q evitaria a necessidade de procurar o cartão dela.

      Ah tem outro esquema. Tipo um modo arrange automático a cada new game. As armas munição é itens de cura são trocados de lugar a cada vez q joga. Na delegacia por exemplo pode vir a frente launcher ou a Magnum no armário dos stars (vc foi na sala dos stars não foi?)

      Isso as vezes deixa tenso pq tem jogada em q no começo só vem pólvora tipo 1 pra handgun é no final aparece um monte dos outros.hehe

      21 respostas
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 2 meses atrás · 2 pontos

      As animaçoes e cgs estao bem dinamicos. Muito massa a INTRO com a cidade em caos.
      ...
      Esse sistema de polvora estara no RE2 REMAKE...
      ...

      1 resposta

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...