Medium picture

joanan_van_dort Joanan Oliveira Batista

Eu só quero um filme de Zelda feito pelo Studio Ghibli


about 5 years ago 2014-04-20

South Park: The Stick of Truth

South Park: The Stick of Truth (PC)

Épico, divertido e besta!

O visual é totalmente um episódio de South Park, com todos os elementos do desenho presentes. Esse é um fator que não exige muito da máquina em si, mas por ter muito flash exige em demasia da capacidade do directx, que deve estar atualizado para evitar travamentos e delay no decorrer da jogatina.
A jogabilidade está atrelada ao gráfico que também simula o modo como os personagens se movimentam, no estilo do cartum, saltitando como papelão querendo sair da cartolina. O que difere o jogo da série é que foi preciso desenvolver mecânicas para as armas, bem como para os itens poderem ser controlados pelo jogador. Isso foi feito de modo simples e extremamente fácil de dominar, todas as armas e poderes podem ser usados tranquilamente, sem grande habilidade do gamer.

A história: Cara! É South Park! Então você encontra Jesus, luta contra mongóis (mongóis MESMO, não pessoas retardadas), bate em lobos e ursos atrozes canadenses (o Canadá é feito todo em 8-bits - Você sabe o que são ursos atrozes, né? Não? No jogo você descobre), alienígenas, zumbis nazistas, no Al-Gore e em mais uma penca de coisas e pessoas. Tudo para recuperar o Palito da Verdade e salvar South Park de um Taco Bell falso.

Entre as missões alternativas está bater em monstros mais fortes e específicos, que te recompensam com itens valiosos para fortalecer seu status, além de encontrar coisas que ajudam na hora das batalhas, coisa típica de RPG.

Outro ponto importante é que o game traz referências geeks o tempo TODO! Por exemplo, no PC, para jogar não é possível alterar os comandos do teclado, que são os mesmos do Half-Life e Counter Strike. Matrix também está lá, filmes de abdução alienígena, segunda guerra mundial, brincadeiras com atores de Hollywood e Morgan Freeman como oráculo do mundo... entre muitos outros "easter eggs" menores e que podem passar desapercebidos, caso a referência seja desconhecida pelo jogador ou caso ele não esteja tão atento assim.

No final o que vale a pena no game é o humor nonsense, grosso, estúpido, negro e sem pudor algum da turma que vive as loucuras da animação da televisão.

Quem já assistiu algumas temporadas vai encontrar várias piadas recicladas e utilizadas em outros momentos, como a nota marrom e a música do filme Maior Melhor e Sem Cortes, "Blame Canadá", versão instrumental.

Também há as clássicas piadas com gays, negros, cristãos, judeus e outras do tipo:

"-Um ladrão branco? Nunca vi! Mas pode ser interessante."

"-Se Deus não quisesse que peidássemos, não nos daria ânus".

"-Você só pode expressar sua individualidade se estiver vestido igual todo mundo".

"-Vocês estão atrás dele porque ele consegue controlar o esfíncter como ninguém? Que idiotice!".

"-Não posso lutar contra chefes, eles são assustadores, e nem estar em todos os lugares ao mesmo tempo, isso é impossível". "Me procure na igreja e não no coração das pessoas, não tem como chegar lá" - Jesus depois de ser encontrado.

E por aí vai...

No final é um jogo extremamente satisfatório que rende horas e horas de campanha viciante, diversão e muitas risadas.

Caso você esteja curioso ou é telespectador assíduo de South Park, jogue, mas comece agora!

Se você acha esse tipo de humor repulsivo, não deveria nem estar lendo essa análise.

10 10 10
Overall
10 Gameplay
10 Story
10 Music
10 Graphics
É um episódio de South Park jogável
Todo o humor do desenho está presente no jogo
É fácil de jogar, não exige experiência no estilo como fazem alguns jogos atuais
Senti falta da mãe do Cartman "causando" alguma coisa

4 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...