Medium picture

juninhonash Juninho Rodrigues

I suggest you to stay down...


8 months ago 2018-11-01

Dragon Ball Fighter Z

Dragon Ball como todo e qualquer anime, sempre tiveram jogos recheados de personagens repetidos, mecânicas cansativas e conteúdo massivo, porém repetitivo. Ainda que muitos jogos bons tenham nascido em meio a isso, como quase sempre, ele caía no clichê de jogos de anime que tem mais do mesmo e se repetem ao longo de cada temporada de anime.

Mas dessa vez, a Namco Bandai fez diferente, chamou a já renomada Arc System (pelos seus trabalhos 2D impressionantes com Guilty Gear XRD) pra fazer um jogo de luta 2D que fosse bom o bastante pra gregos e troianos, no caso, jogadores casuais e hardcore.

O jogo consiste em uma receita de bolo básica, tem a história do jogo que é bem ruim, uma tentativa forçadíssima de causar a sensação do jogador estar dentro da história meio que "incorporando" os personagens controláveis e prosseguindo numa narrativa exaustiva e desnecessariamente longa.

São 3 arcos de narrativa em formato de tabuleiro, enfrentando clones e mais clones até que a história ande pra algum lugar. Se fosse curta ao menos o tédio não duraria tanto, mas infelizmente erraram brutalmente a mão causando uma sensação de que precisavam "esticar" a história e falhando miseravelmente ao inserir uma quantidade inútil de coisas pra se fazer. Tal história que quando pensa em ficar decente, chega ao final. E mesmo assim são só muitas horas de tédio, pelo menos umas 2 ou 3 horas POR ARCO. O que é absurdamente longo e cansativo.

E além disso tem modos normais como Arcade sem nenhum final, dando somente pontos que servem pra comprar itens na loja do jogo, algo presente no jogo desde o lançamento e ironicamente talvez a melhor lootbox que já vi em algum jogo.

Além disso tem os modos de Treino, e... Versus local. E claro, o online, que tem servidores bastante questionáveis e desconectam constantemente o jogador. Principalmente no Brasil, e mais absurdo ainda é entrar no servidor de outros países... existe a possibilidade de jogar online quase que perfeitamente. Ainda que em algumas situações, nem assim seja possível ficar conectado mais de 10 minutos sem ter alguma desconexão. Ao menos durante as lutas o jogo funciona bem no online mesmo com jogadores de outros países e o lag se a net for minimamente decente, é mínimo e tolerável gerando ótimas partidas.

A mecânica do jogo é surpreendentemente boa, e tem a função de manter o competitivo vivo e agradar casuais, e consegue muito bem até certa parte. Ao invés de uma mecânica com auto-combos integrados, auto-combo É a mecânica do jogo, e diferente de jogos como KOF XIV ou Persona 4 Arena, onde esse recurso muito mais atrapalha do que ajuda (e não pode ser desligado, como em Marvel vs Capcom: Infinite) aqui ela é parte central da mecânica do jogo. Cada botão tem seus auto-combos com suas respectivas funções e rotas de combo. Porém, usar eles não te garante o hard knockdown na grande maioria dos casos, e tem dano menor.

Isso mesmo funcionando bem, mostra a diferença de quem sabe jogar e quem não sabe. Porém essa função fatalmente ilude o jogador, tanto é que com 2 semanas de jogo, MUITOS players haviam literalmente o abandonado por completo, provavelmente devida à ilusão de saber jogar, não usar corretamente os recursos que o jogo ensina (e os que ele não ensina, o que é um erro de design) e quando vão pro online dar de cara com a muralha da frustração.

Mas... O balanceamento do jogo ERA simplesmente um horror, os torneios mostravam isso e mesmo sem torneios, jogando online era muito mas MUITO improvável vencer usando personagens fracos (no jogo, e não no anime) como Freeza, Kuririn, Goku Blue mas fácil fácil vai ver personagens absurdamente fortes como Cell, Yamcha, Adult Gohan e Vegetto.

Porém, a Namco Bandai apesar dos absurdos valores cobrados no jogo em todas as plataformas, vem desde o comecinho da Season 2 trazendo muito além de personagens novos, e trouxeram toda uma reestruturação de como o meta do jogo funciona, tornando alguns recursos mais úteis pra todos, e ao invés de nerfs pesados em personagens fortes, ela optou pelo caminho mais lógico que é buffar os mais fracos. Sendo assim tanto online quanto em torneios, é mais fácil ver personagens variados e existe uma recompensa melhor por usá-los, a sensação de "personagem tal é inútil" a cada atualização fica ainda menor. Mostrando que estão no rumo certo.

A trilha sonora e os gráficos são um show à parte, chamam muita atenção, são lindos de ver e quase todas as músicas são muitíssimos agradáveis de se ouvir (exceto a do Hit), e a otimização do jogo ajuda muito também. Curiosamente sendo menor que muitos jogos lindos em 2D de orçamento grande também, mostrando que fizeram um belo trabalho.

Uma coisa meio "estranha" é a história usando os sprites de Cell-Shading do jogo, não fica feio mas é meio estranho, poderiam ter feito animações ou imagens estáticas que ficaria com um resultado menos incômodo aos olhos.

E a lootbox do jogo funciona realmente muito bem, basicamente tudo do jogo te dá pontos e uma quantidade considerável, e você vai abrindo tudo na loja e a melhor parte é que os itens não se repetem, ou seja, tem fim tudo aquilo. Chega a um ponto que não é mais necessário juntar (caso queira) tudo aquilo pra poder pegar tudo que o jogo já oferece. Obviamente, se renovando a cada DLC de personagem novo que o jogo recebe. E a lootbox vai de coisas legais como cores e personalização de perfil até futilidades como frases de efeito, avatares e cores pra eles.

Conclusão: o jogo é realmente muito bom, tem bastante conteúdo significativo online e offline. O balanceamento ainda é questionável mas está cada dia mais próximo do ideal mas no game design em algumas situações e mecânicas universais que deixam os boa parte dos personagens muito parecidos de se jogar, além do mais ele pode gerar um espetáculo visual grande e ao mesmo tempo um gigantesco nível de frustração devido aos combos de 100% de dano e a falsa sensação que um jogador inexperiente pode ter achando que sabe jogar ao enfrentar com quem realmente sabe e domina as mecânicas do game. No geral, mesmo com falhas bem questionáveis, ele é um ótimo jogo de anime, foge da regra que torna boa parte deles ruins ou "bons pra sua época". DBFZ é um ótimo exemplo de jogo de anime, e eu espero que a Arc System e demais empresas sustente essa ideia com animes futuros como YuYu Hakusho, One Piece, Bleach e derivados, conseguindo mais jogos que pega casuais mas que obviamente se mantém no mercado através do cenário competitivo.

8.5 8.5 10
Overall
9.0 Gameplay
4.0 Story
9.0 Music
10 Graphics
Excelente espetáculo visual
Trilha sonora que casa bem com a porrada de alta intensidade do jogo
Gameplay simples e direto, bastante viciante
Um senhor tiro na cara do formato padrão de jogos de anime, focado no competitivo, DBFZ é imensamente mais divertido a longo prazo que boa parte dos jogos de anime já lançados
O jogo teve a coragem de trazer personagens menos populares como Hit, 17, Bardock e Nappa. Ainda que acho que algumas escolhas poderiam ser melhores
História super arrastada
Infelizmente o balanceamento é desmotivador
Online instável, principalmente por desconectar você das salas constantemente
Não haver crossplay
O preço é de fato um inimigo real do jogo, sem promoções o preço é extremamente abusivo e nos consoles ainda mais

12 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...