Medium picture

neilson1984 Neilson Lopes De Carvalho

35 anosHeadbangerCristão,Podcaster,Retrogamer,Produtor de conteúdo no Youtube,Fanático por Dreamcast


over 2 years ago 2017-10-02

Dead Space 2

Em 2011, a tão esperada sequência de Dead Space finalmente chegou. Dead Space 2 trouxe tudo o que agradou os fãs do primeiro jogo: muita carnificina, membros rolando pelo chão, sustos dramáticos e uma história no mínimo contundente. Tudo isso está aqui, e tem muito mais! O jogo trouxe um modo multiplayer! E não estamos mais o tempo todo dentro de uma nave!

No começo do game, Isaac terá de improvisar para se defender (depois de conseguir se livrar da camisa de força, é claro), literalmente usando objetos do cenário, roubando coisas e hackear computadores para reaver seu traje. Isso mesmo, Isaac perdeu todos os seus equipamentos do primeiro jogo, e tem de reavê-los hackeando os computadores que ele encontrar pelo cenário. Só assim ele conseguirá de volta suas habilidades de levitar coisas, retardar o tempo e arremessar coisas. Quanto a armas, tem muitas novas armas para brincarmos. A maioria delas são improvisadas de equipamentos cirúrgicos, de escavação ou de mineração, mas dão bem para o gasto. São muitas armas novas, uma melhor do que a outra, de modo que possamos estraçalhar inimigos de várias formas diferentes. Aos que se perguntam, sim, o jogo continua cruelmente sangrento, muito mais ainda do que o primeiro jogo, alcançando patamares nunca antes imaginados de crueldade. O vício de Isaac por sangue e membros voando pelo cenário está mais forte do que nunca, e com nossos novos brinquedos, ops, quero dizer, armas, podemos fazer o que quisermos com os inimigos. Literalmente. Arrancar pernas, braços e cabeça? Pode. Deixá-los lentos, arrancar um braço e bater nele com o próprio braço dele? Pode. Lançá-los com uma estaca para prendê-los na parede? Pode. Lançar barris explosivos nele? Opa, pode. Atear fogo neles? Pode sim. Abrir uma comporta para jogar os bichos no espaço? Claro. Arrebentar eles de porrada e depois jogar uns nos outros, derrubando-os do cenário? Esse é o mais legal. Pense em uma forma tortuosa de matar os inimigos, e Isaac será capaz de fazê-lo com o apertar de alguns botões. Exerça sua criatividade maléfica!!!

Falando em algumas habilidades, agora Clark não pode mais saltar de um lugar a outro quando se encontra na gravidade zero. Não, porque a Visceral Games pensou em uma coisa muito melhor: adaptar botas de voo! Agora, as botas propulsoras de Isaac podem levá-lo calmamente para onde ele quiser, e até girá-lo indefinidamente, com direito a turbo e tudo o mais durante o voo. Bem mais prático do que ficar pulando... Mas é bom se acostumar com esses novos controles, porque terá de sair de umas boas enrascadas em gravidade zero no decorrer do jogo. Isaac continua fazendo compras através daqueles terminais especiais. Os preços sofreram uma defasagem boa em relação ao primeiro jogo, reduzindo os preços. Deve ser porque há mais novas armas à venda. Ou porque tem mais dinheiro espalhado pelos cenários. Bom, não sei, mas as coisas estão mais baratas. O esquema é o mesmo: encontre os "schematics" para habilitar novos itens, então vá e compre esse item, assim que tiver a grana. Há novos trajes disponíveis no jogo, e eles são diferentes um da outro, com habilidades únicas. A loja virtual também é um trocador a laser. Se puder, compre todos os trajes que aparecerem: eles valem a pena. Alguns trajes possuem funções especiais, como conseguir preços mais baratos na loja. Aí, você pode trocar de roupa sempre que passar por uma loja virtual, pois as roupas anteriores ficam armazenadas.

Diferentemente do primeiro jogo, o segundo é muito mais linear. Ele não faz com que o jogador tenha de ir e voltar ao mesmo local dezenas de vezes, não pede por cartões de acesso toda hora para acessarmos as portas: o progresso está muito mais rápido, agora. É mais simples descobrir o que temos de fazer. Os quebra-cabeças estão em menor número do que no primeiro jogo, porém estão um pouco mais elaborados. Além do mais, sempre é possível contar com o raiozinho azul de Isaac para lhe mostrar onde tem de ir. Desta vez. Isaac fez um upgrade nesse acessório navegador, e ele é capaz de mostrar a direção de outras coisas além do objetivo, como o ponto de save mais próximo, a loja virtual mais próxima e a mesa de upgrades mais próxima, por exemplo. Resumindo: está ainda mais legal seguir aquele tracinho colorido na tela. Por fim, a Visceral tratou de colocar vários modos de dificuldade, para aqueles que querem mais desafios (o modo hardcore é insanamente impossível para seres humanos normais), e também um modo multiplayer online que é meio tosco, mas divertido por alguns momentos.

Os gráficos de Dead Space 2 estão ainda melhores do que no primeiro jogo. O clima de escuridão dá uma sensação desesperadora, principalmente porque ainda é possível ver os vultos passando no escuro. As animações de personagens e dos monstros está perfeita, tudo muito assustador. Os cenários também estão bem feitos, também, repletos de detalhes que enchem os olhos. Até mesmo a visão de Saturno que se tem, em determinado momento do jogo, é magnífica. Em si, a Visceral Games fez um excelente trabalho, sem sombra de dúvida, e só não é perfeito porque tem falhas. Muitas vezes, encontrei partes de monstros que eu desmembrei presas pelo cenário, de modo que eu não podia mais utilizá-los, assim, sem nenhum motivo. Tem itens que ficam presos em locais que não dá para se acessar, tem vezes que alguns itens do cenário ficam presos na tela ou presos no corpo de Isaac, e isso não é bonito.

Ei, Isaac possui voz! Ele fala, e fala bem! As atuações de voz dos personagens estão muito boas, sincronizadas e realmente exercem um diálogo interessante. Os sons das naves rangendo, os gritos dos inimigos, os sons que Isaac só ouve dentro de sua cabeça, enfim, tudo está tão bem feito que passa completamente a sensação de desolação e desespero do jogo. A equipe de som teve um grande empenho, e alcançou todos os resultados esperados. O que precisava ser alterado no primeiro jogo foi. Os controles tiveram mudanças sutis que tornaram tudo mais dinâmico e rápido. O novo sistema de voo que eles incluíram é sensacional, não tem o que reclamar. O novo sistema de navegação torna quase impossível se perder, uma vez que você pode escolher qual o seu destino, e seguir diretamente na direção desejada, podendo até usar o mapa para auxiliar. Agora, além de encher a vida com apenas um botão, é possível também encher o stasis de Isaac com um botão apenas. Em batalhas contra múltiplos inimigos e contra chefes, onde é praticamente impossível parar para acessar o menu sem tomar dano, essa função rápida vem tremendamente a calhar. Os movimentos de combate estão mais rápidos e dinâmicos, deixando a experiência ainda mais incrível.

Dead Space 2 possui um jeito de causar diversão que é um jeito perturbador e viciante. Quando você se acostuma a aniquilar alienígenas de forma nunca antes vista, é difícil esquecer e jogar outro jogo de aliens. O clima do jogo é assustador, como um survivor-horror tem de ser, a história do jogo é muito bacana, e os dilemas pessoais de Isaac lhe dão uma personalidade consistente, para variar, algo que faltou no primeiro jogo. De fato, o jogo é divertido pacas, e não tem nada que estrague isso. Ora, a Visceral Games também se preocupou com a longevidade do jogo. O jogo leva mais de dez horas para ser fechado, e olha que serão dez horas intensas. Além disso, são quatro modos de jogo, sendo que o modo hardcore é o mais intenso que eu já vi em um survivor-horror. Apenas as dificuldades mais absurdas já lhe deixarão preso ao jogo por muito, muito tempo. E você ainda receberá muitos extras, muitas novas armas e habilidades, que lhe farão querer jogar mais e mais. Um jogo que poderá passar meses dentro de seu videogame, sem que você nem perceba, só para fazer tudo o que tem de ser feito e desbloquear todos os extras.

A Visceral Games tentou de verdade mudar uns conceitos do jogo. Mas não foram alterações tão drásticas: todos os elementos que fazem de Dead Space 2 um grande jogo são os mesmos elementos que fizeram de Dead Space um grande jogo. Não encontraram motivos para revolucionar, então não o fizeram. Podiam ter feito algo totalmente diferente, mas não o fizeram. Trata-se de uma sequência comum. Por causa das alterações devidas que eles fizeram, como as mudanças nos controles e o novo modo multiplayer, posso dizer que o empenho na inovação foi considerável. Em resumo: Dead Space 2 é o tipo de jogo que vicia. Como já disse antes, é o melhor jogo de matar aliens disponível no mercado, sem sombra de dúvida. Seus momentos de terror constante e de sustos aterrorizantes são inesquecíveis, e irão se sobrepor aos que o primeiro jogo deixou. Tudo nesse jogo é divertido e viciante. Tudo que podia ser melhorado foi melhorado. Se jogou o primeiro jogo, você tem o dever de jogar esse jogo. Se não jogou o primeiro, jogue esse jogo também. Ele é obrigatório para os fãs do verdadeiro survivor-horror, ou para aqueles que gostam de matar seres do espaço, ou mesmo para aqueles que gostam da pura e mais horripilante carnificina.

10 10 10
Overall
10 Gameplay
9.0 Story
9.0 Music
10 Graphics

5 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...