Medium picture

_gustavo Luis Gustavo Da Luz

29, Téc de Hardware, Ouvinte de Punk e HC que joga um monte de coisa ao mesmo tempo.


over 1 year ago 2017-10-05

Blue Reflection: Sword of the Girl Who Dances in Illusions

Blue Reflection é a mais nova e recente IP da Gust (mais conhecida por sua série Atelier, bem como Ar tonelico e, mais recentemente, Nights of Azure). Dessa vez o "gênero" adotado para o foco principal do jogo é o Mahou Shoujo, ou Magical Girls. Semelhante a animes como Nanoha, Sailor Moon e Madoka. Mas para quem espera um jogo fofolete e alegrinho, Blue Reflection pode surpreender pela história, a Gust meio que se distanciou da sua formula habitual de seus JRPGS, e criou algo bem interessante.

Nossa protagonista é Hinako Shirai, uma estudante do primeiro ano do ensino médio no Hoshinomiya High, um colégio apenas para garotas. A paixão de sua vida é o balé, e ela é boa pra caramba no que faz, isso até sofrer uma lesão trágica no joelho que a deixou incapaz de pratica-lo. Hinako volta para a escola já quase no final do ano letivo após uma intensa reabilitação, que nada resolveu para consertar seu joelho, e sentindo-se desprovida de propósito agora que ela perdeu o balé. Mas a vida dela está prestes a ser virada ainda mais de cabeça para baixo quando ela é abordada por uma garota que a admirava em sua época de glórias. Do nada a menina que fala com ela começa a perder o controle de suas emoções, e Hinako é transportada para uma paisagem mística lotadas de seres monstruosos. Vozes neste outro mundo pedem pra que ela use os poderes de um anel mágico para se defender, sem outra saída, ela usa o poder do anel para se transformar em uma "Reflector". Ela ganha um imenso poder de luta (e para sua surpresa a dor do joelho desaparece completamente neste mundo), ela derrota os monstros, fazendo com que a garota volte ao normal na escola.

As misteriosas vozes acabam por pertencer a duas de suas novas colegas de classe: as irmãs Yuzuki e Lime Shijou. Yuzuki (que é chamada de 'Yuzu') e Lime explicam que as três são Reflectors - Garotas que vivem em uma eterna luta pela humanidade contra os Sephirots (não, não o de Final Fantasy) seres temíveis que planejam destruir a raça humana. Hinako é meio relutante em primeiro impacto, mas as irmãs lhe contam que o vencedor desta eterna guerra terá direito a um desejo, que se realizado do fundo do coração, será atendido prontamente. Para curar sua perna e ser capaz de praticar balé novamente, Hinako concorda em ajudar (uma motivação egoísta eu achei kkkkkk).

A fonte de poder das Refletors é a emoção humana, por isso as três precisam saltar para "Common", uma espécie de subconsciência humana compartilhada em forma de sonho, para estabilizar e coletar o poder de "Fragmentos" de emoções fora de controle. Como se a pressão do ensino médio não fosse suficiente para a maioria das pessoas, as estudantes da escola possuem sofrimentos emocionais que são ampliado graças à chegada dos Sephirots. Estabilizar seus fragmentos de emoção na common não apenas restaura a sanidade de suas colegas, mas evita que elas morram no mundo real, e ainda fornece mais poder para as três Reflectors usarem no combate ao Sephirots.

Este é o principal fluxo da trama de Blue Reflection, onde Sephirots irão organizar ataques em larga escala por toda Hoshinomiya, e Hinako, Yuzu e Lime precisam colecionar o poder emocional de suas colegas de escola para combatê-los de volta. Hinako possuí laços com velhas conhecidas por mais que ela não demonstre isso inicialmente, mas Yuzu e Lime estão sempre dispostas a empurrá-la para formar mais vínculos com novas pessoas, e assim encontrar novas fontes de energia emocional para coletar. Há também uma tensão interessante entre Yuzu e Lime sobre a ética do que elas estão fazendo - ao deixar propositalmente que situações ruins se agravem, o sofrimento emocional das alunas será aumentado (e, portanto, mais poderoso quando coletado no common). Yuzu se sente mal por isso, enquanto Lime adota a ideologia de os fins justificam os meios.

A jogabilidade envolve metas principais dadas por Yuzu e Lime para Hinako, que podem ser cumpridas ao reunir pontos de várias tarefas menores, algo como Side e Sub Quests menores. As tarefas geralmente envolvem encontrar uma estudante na escola experimentando uma emoção fora de controle e saltar para o Common combater monstros em seu caminho até o fragmento, que Hinako estabiliza. Cada capítulo também tende a se concentrar em uma ou duas colegas da classe de Hinako e com o que elas estão lutando internamente. No final de cada dia, Hinako pode optar por convidar alguém para vários locais (shopping centers, cinemas, cafés, etc.) após a escola, o que aumenta o carinho entre elas, destrancando mais eventos e fragmentos mais tarde. De volta a casa, Hinako pode estudar, se exercitar ou entrar no banho, no banho você pode refletir sobre os eventos diários, exercitar-se e estudar podem render bônus para o dia seguinte, e dormir, encerrará o dia. Durante a escola, Hinako também tem seu smartphone, onde ela pode jogar um mini game de criação de animais de estimação chamado Cave of Darkness, ouvir as musicas do jogo pela jukebox e participar de bate-papos com seus colegas de classe através de um aplicativo em forma de rede social

Neste ponto Blue Reflection tem MUITO de Persona e seus Social Links

O sistema de batalha é baseado em turnos. As 3 participantes principais em cada batalha são obviamente Hinako, Yuzu e Lime. Semelhante à série Atelier, os personagens possuem várias habilidades que afetam seus próprios tempos de espera (o tempo que leva para que possam realizar outra ação novamente), a interface de exibição da batalha é linda de se olhar, num estilo meio Metro. A barra da "linha de tempo" na parte superior da tela mostra quanto WT (tempo de espera) até que cada personagem aliado e inimigo possa atacar e torna muito mais fácil visualizar suas escolhas e os efeitos de coisas que, por exemplo, atrasam ações inimigas. Os menus também têm uma estética muito rápida e combinam com os modelos de personagens 3D para criar um sistema de combate extremamente agradável visualmente. Além de atacar com habilidades, os personagens também podem usar o Ether Charge, que enche o medidor de reflexão e pode ser usado para uma variedade de ações, como proteger ou refletir ataques inimigos, e realizar mais de 2 ações em seguidas com a habilidade 'Overdrive', ou até mesmo acelerar o seu turno na linha do tempo.

https://www.youtube.com/watch?v=omtpN-oL0Lc

O sistema de experiência usual dos JRPGS foi abandonado em Blue Reflection - as três garotas sobem de level ao atingir certos marcos na história e nas histórias paralelas. Ou seja, não existe XP após as batalhas. Quando o level up ocorre elas conseguem um ponto por nível para atribuir entre Ataque, Defesa, Suporte ou Técnica, o que distorce o crescimento de estatísticas da personagens em direções específicas. Alcançar certos marcos em cada categoria pode desbloquear novas habilidades. "Se não há pontos de experiência, qual é o objetivo de combater inimigos normais então?", Você pode perguntar. Os inimigos dropam itens, que podem ser usados para criar consumíveis que aumentam permanentemente as estatísticas das personagens (semelhante ao matagal de Tales of shaushauahs) e também podem ser usados para fortalecer os Fragmentos que as meninas obtiveram. Fragmentos podem ser atribuídos a habilidades da personagem e fornecer efeitos suplementares, como fazer com que ele custe menos MP, adicionando danos sob certas condições, e muito mais. O jogo também possui três dificuldades selecionáveis que podem ser alteradas a qualquer momento: Fácil, Normal e Difícil.

Há, infelizmente, uma grande falha no sistema de combate em Blue Reflection. O jogo é fácil DEMAIS. Quando um jogo oferece opções de dificuldade e especialmente quando você pode mudar a dificuldade a qualquer momento (como você pode em Blue Reflection), escolher a dificuldade mais difícil é dizer ao jogo "por favor, chute minha bunda, eu quero um desafio!". Acontece que no início do jogo o Difícil pode sim ser algum desafio mas após o terceiro ou quarto capítulo, ir para o Common para encontrar fragmentos torna-se uma tarefa árdua- muito bonita, mas ainda uma tarefa que não fornece nenhum desafio e nenhuma motivação real para entrar em batalhas. Por que se incomodar de recolher itens para criar consumíveis quando cada luta é um passeio no parque, mesmo sem eles? Isso é ainda mais trágico, considerando que os princípios do sistema de combate são incrivelmente sólidos - um simples ajuste de números (estatísticas inimigas) resolveria o problema. Talvez a Gust conserte com um patch, ou coloque uma dificuldade ainda maior, como fizeram no Atelier Sophie depois. As batalhas são tão lindas e agradáveis que não seria problema ter que repeti-las várias vezes no decorrer do jogo, e espero que em Atelier Lydie e Suelle a Gust utilize algo do sistema de combate do Blue Reflection

A única fonte desafiadora da joagabilidade (ainda que não tanto) São as lutas com os Sephirots . Eles congelam o tempo no mundo normal e atacam a escola diretamente. Essas batalhas têm uma OST incrível como só a Gust sabe fazer, e não apenas as Reflectors participam nelas - as alunas normais que nossas heroínas ajudaram podem fornecer backup sob a forma de ataques extras, buffs, cura, recuperação de éter e outros papeis de suporte. Um total de, eventualmente, 12 alunas podem ajudar Hinako, Yuzu e Lime. Essas batalhas ocorrem em vários estágios e possuem normalmente 3 fases cada, com um inimigo enorme que tem várias partes que se regeneram. Você pode tirar as partes para enfraquecê-lo temporariamente ou focar o fogo no corpo principal, é sua escolha. Uma vez que a terceira fase chega, rola um golpe especial onde Hinako destrói o monstro de uma vez por todas

Blue Reflection é um jogo lindo visualmente a arte do Mel Kishida (que trabalhou com a Gust em Atelier Totori, Meruru e Rorona) continua excepcional, a HUD das batalhas é linda, pena que essas mesmas batalhas sejam muito fáceis, de qualquer maneira o clima do Persona, principalmente o 4 também impera no jogo e o sistema da rede social entre as alunas da escola é bem divertido

Para os fãs de Jrpgs, e principalmente dos games da Gust, vale muito a pena conferir

9.0 9.0 10
Overall
8.5 Gameplay
8.5 Story
9.0 Music
9.5 Graphics
Lindo visualmente
História bem legal, apesar da motivação da Hinako para salvar a cidade seja egoísta pra caramba
OST ao nível da Gust
Fácil demais, mesmo no difícil

12 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...