This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • kipocalia Kipocalia
    2019-10-31 13:48:01 -0200 Thumb picture
    Post by kipocalia: <p>Tem tempo limite pra fazer as quests mesmo se eu

    Tem tempo limite pra fazer as quests mesmo se eu não aceitar elas? Queria juntar mais dinheiro antes de upgradar o castelo.

    12
  • kipocalia Kipocalia
    2019-10-25 16:08:29 -0200 Thumb picture
    Post by kipocalia: <p>Como chego em turnip forest? Será que peguei ess

    Como chego em turnip forest? Será que peguei essa quest cedo demais?

    12
    • Micro picture
      supermarkosbros · 26 days ago · 1 ponto

      The Turnip Forest is located to the east of Castle Town, and is obtained by Corobo after the Cow Bones Guardian has been defeated, where it becomes the Royal Forest.

      The forest contains several giant turnip obstacles that can be destroyed, some of which contain Turnipheads.

      4 replies
    • Micro picture
      supermarkosbros · 26 days ago · 1 ponto

      @_gustavo , já jogou esse?

      1 reply
  • kipocalia Kipocalia
    2019-10-25 13:39:44 -0200 Thumb picture
    Post by kipocalia: <p>Tem uma quest aqui que tá impossivel, e o tenso

    Tem uma quest aqui que tá impossivel, e o tenso é que se eu cancelar perco a quest pra sempre :\ (ou ela reaparece depois de um tempo?)

    11
  • 2017-02-08 00:07:51 -0200 Thumb picture

    Little King's Story tá mais suave, tranquilo, e favorável no PC

    Medium 397005 3309110367

    Um homem foi contratado para o serviço e ele deixou a vida de Corobo ainda melhor no PC.

    ► Random Encounter no DaiBokém!

    [@jvhazuki]

    7
    • Micro picture
      aryel · almost 3 years ago · 2 pontos

      Eu preciso jogar isso

  • jessie Jéssica Nicoletti
    2017-01-31 23:27:33 -0200 Thumb picture
    jessie checked-in:
    Post by jessie: <p>&nbsp; &nbsp; Um dos meus jogos favoritos de tod

        Um dos meus jogos favoritos de todos os tempos EEEEEE resolvi rejogar.

        Esqueci de como era difícil AH MEU DEUS TO QUASE JOGANDO O WII NA PISCINA!

        As missões são classificadas em 1 até 5 estrelas em dificuldade... mas eu gostaria de saber quem foi o idiota que inventou essas classificações -__-

        Estou presa na missão "Farmer Revolution" de UMA, EU DISSE UMAAAA ESTRELA. Já tentei 7 vezes e até agora nada, to aqui ferrada apanhando e me irritando com o trajeto imenso que é até o local da missão.

        Um Korobokle estúpido fica atirando sementes de confusão nos meus soldados e possui muitos minions super agressivos de vida alta. *chorando de raiva*

        Se não tivesse essa trilha sonora magnífica eu acho que já teria arrancado algumas cabeças...

       

    5
  • 2017-01-21 10:10:34 -0200 Thumb picture

    Ficando mais íntimo de Brave Yamada

    O canal FalseProof fez esse gameplay de Dandy Dungeon: Legend of Brave Yamada, o primeiro RPG da Onion Games. O jogo, chamado aqui de "O RPG MAIS ESQUISITO",  tem se mostrado cheio de personalidade -- as vozes e as músicas são ótimas!

    [@jvhazuki]

    9
  • 2017-01-15 03:39:55 -0200 Thumb picture

    Contra o mal, em nome do amor, Brave Yamada chegou

    Gpreview 388281 3309110367

    O primeiro RPG mobile do criador de Little King's Story e seu bom humor chega ao ocidente.

    ► Random Encounter no DaiBokém!

    [@jvhazuki]

    3
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-10-26 01:53:43 -0200 Thumb picture

    [A Little King's Story's Story] Eu sou um maestro. E também um rei.

    Trilha sonora pra entrar no clima:

    -

    Eu sou um maestro. E também um rei. Quero dizer, às vezes eu sou um maestro, às vezes um rei. Só quando visito Alpoko. É lá onde eu sou rei. E também maestro. Oficialmente, sou apenas rei. Mas geralmente sou as duas coisas ao mesmo tempo. “Como”, você pergunta? Fácil, eu respondo: todo rei é um maestro. Pelo menos os bons reis. Naturalmente, todo maestro também pode ser um rei. Pelo menos os bons maestros. Mas os reis têm muito mais dinheiro e mulheres que os maestros. Eu, por exemplo, vivo em um grande castelo e tenho sete esposas. Então você poderia dizer que eu estou mais para rei do que para maestro. Eu digo que não. Porque a função mais importante do rei é a de comandar competentemente a sua população e conquistar novos territórios para o reino, e isso o maestro também faz.

    “De que maneira?”, você se pergunta. Ora, como, “de que maneira”? Repito: como eu já disse, todo rei é um maestro por excelência. Comandar um exército é como reger uma orquestra. E reger uma orquestra é como comandar um exército.

    Isso eu aprendi depois que me tornei rei. A gente aprende várias coisas quando se é responsável pela vida de dezenas de pessoas.

    Por exemplo: de luta em luta, a vida te ensina que o campo de batalha é um balé. Pois é: um balé. Tirando a matança – é claro – é tudo igual, com orquestra, maestro e dança coreografada.

    Você sabia que o “Bolero” de Maurice Ravel foi composto inicialmente como um balé? Deve ser por isso que, toda vez que eu chego de viagem a Alpoko, encontro Ravel tocando seu Bolero no meu quintal. Acredito que é Deus ou o universo me pregando uma peça, mostrando um pouco do que está por vir. Nas primeiras vezes, apesar de sempre achar a cena bela, não lhe prestava muita atenção. Achava que um rei deveria se ocupar com coisas mais importantes. Mas o ponto aonde eu quero chegar é: era um sinal. Sempre foi um sinal. Porque, como eu disse, o campo de batalha é igual a um balé. Ravel já estava me dizendo, desde o primeiro momento: comande como um maestro, reja como um rei.

    É claro que eu demorei a entender tudo isso. Leva-se tempo até que alguém aprenda como ser um maestro-rei. A não ser que você já seja um maestro ou um rei na vida real.

    Ou seja, essas coisas você só aprende na prática.

    Depois das primeiras derrotas, o seu corpo começa a entrar no ritmo. Tudo começa a funcionar organicamente como uma orquestra e o negócio do balé fica mais claro.

    Quando menos esperar, você estará regendo-comandando como um maestro-rei.

    Aí você é Ravel diante da orquestra. De costas para o público, que é a vida testemunhando a própria vida no campo de batalha, Ravel dá as ordens aos músicos-guerreiros. Sua coroa, dourada e brilhante, vibra sobre uma cabeça e um corpo que gesticulam de maneira precisa. Na vida real a mão treme ao segurar no nanchuk, mas em Alpoko você é rei. Rei-maestro. Você fica suado por baixo da casaca real, mas é preciso dar o compasso correto à música.

    Ritmo é tudo.

    Mas Ravel te ensina que a cooperação entre as partes é o mais importante.

    Você foca na melodia. Ela se repete. É cíclica. “É o Bolero de Ravel”, você se lembra, afinal. É o ciclo da natureza, interpretada através das ações dos homens? É o ciclo da vida, que vai do nascimento à morte, se expressando através dos corpos que a guerra deixa para trás?

    Não. É sobre outro ciclo que estamos falando aqui.

    Lembre-se. Ouça. Acredite na memória muscular: você está ouvindo ao Bolero de Ravel.

    Primeiro as madeiras. Sim, comece pela flauta. Depois, o clarinete. Fagote. Oboé d’amore. Vejo que você está entrando na atmosfera da música. Depois, os metais. O trompete. O saxofone. Trompa. Trombone. Agora, os instrumentos de corda. Violino. Viola. Violoncelo. Sem se esquecer, jamais, da percussão: bumbo, pratos, tam-tam.

    A melodia-batalha se repete incessantemente. A cada repetição, um novo instrumento-combatente assume a dianteira. Madeiras, metais, cordas, percussão. Soldados, carpinteiros, caçadores, fazendeiros. Cada um tem a sua função específica: valorize-os. A cada ciclo, adicione um combatente-instrumento. A tática é sempre a mesma, mas a instrumentação varia ao longo do espetáculo-conflito. Você começa em um pianissimo, mas sabe que, ao fim de um longo crescendo, o gravissimo te espera.

    Ok, agora você já sabe o que fazer. Mas o gravissimo é a garantia de vitória?

    Não necessariamente.

    É apenas o fim da primeira investida.

    A primeira de muitas, sem dúvidas.

    E como todo bom comandante, você precisa saber quando recuar.

    Você recua.

    Mas não perca o ritmo: não recue demais. É preciso seguir para a próxima investida. Dance no ritmo da música. Você é Ravel, mas também é a bailarina de um maestro-rei que está acima de você. Seria Deus? O universo? Ou o espírito do campo de batalha, quem sabe?

    Talvez você seja só você, Ravel-rei-maestro-bailarina-jogador(a) de Little King’s Story.

    Sem divagações: a música não pode parar. Assim como a melodia cíclica do Bolero, o campo de batalha é composto por repetidas investidas, de ambos os lados.

    Que o melhor rei-maestro vença: eu só quero ouvir a música tocar até o fim.

    2
  • hdpatrick Patrick Diego
    2016-10-16 14:41:30 -0200 Thumb picture
    hdpatrick checked-in:
    Post by hdpatrick: <p>Taí um jogo que te deixa triste com a morte de c

    Taí um jogo que te deixa triste com a morte de cada súdito seu. É uma sensação de incompetência, aquele sentimento de que o sangue deles está nas suas mãos. No fim do dia você dorme se achando um péssimo rei. Talvez até um tirano. Você jura que será mais responsável e calculista no próximo dia. É, no próximo dia. Quem sabe.

    0
  • 2016-08-03 00:23:49 -0300 Thumb picture

    Que o reinado de Corobo seja muito feliz no PC

    Medium 325097 3309110367

    O RTS/Simulação da Cing e Town Factory merecia mesmo voltar, independente das baixas vendas do original. 

    ► Post completo no DaiBokém!

    [@jvhazuki]

    4

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...