Medium picture

thecriticgames Matheus Pontes

Autor do livro Canções de Bruxas e Rapsódias de Fadas Negras disponível na Amazon em ebook.


almost 8 years ago 2013-02-25

Mega Man 2

Que o primeiro Mega Man era um game plataforma bem inovador para sua época não há quem discorde. Seu esquema de poderes Jokempo e seu sistema não linear de fases se mostraram uma forma mágica que fez a cabeça dos fãs desde o primeiro Mega Man do NES até os avanços mais futuristas como Megaman X8 do PS2, ou seus episódios mais recentes 9 e 10, essa forma é pura mágica mesmo, porque depois de ser usada em mais de 20 games da série, a formula ainda faz você jogar cada episódio com o mesmo gosto. Se tiver algo que fez com que alguns jogadores nunca terminassem o primeiro episódio era o Yellow Devil. OK era a dificuldade em geral do game, mais também o Yellow Devil. Fases dificílimas com obstáculos cabeludos marcaram uma geração sofredora que não conseguia terminar um dos games mais viciantes da época.

Os novos Robot Masters, dessa vez projetados pelo próprio Dr. Wily.

Some esse fator à falta de saves ou passwords e você tinha um episódio que nem hoje, nem nunca será amigável. Mega Man 2 desenvolveu os pontos gerais de Mega Man, eliminando a dificuldade absurda do episódio anterior, colocando um sistema de password e se tornando um dos episódios mais amigáveis e cultuados da franquia. Os chefes, os poderes, o design mais elaborado dos estágios, tudo marcou o jogo com uma forte aprovação pelos fãs. A história antes contada apenas no manual do game (e modificada levemente na versão americana), agora se faz presente em um texto no início do game. No ano de 200X (a primeira década do século 21) um robô com humanoide conhecido como Mega Man conseguiu por fim aos planos de dominação mundial do cientista Dr. Wily, porem um ano após sua derrota Dr. Wily volta a ativa com 8 novos robôs criados por ele próprio para resumir seu plano de dominação mundial. A jogabilidade como dita anteriormente é mais convidativa, a versão americana possuí duas dificuldades, uma delas mais fácil que o normal.

Chefes gigantescos são um destaque no game.

Temos aqui no game pela primeira vez os tanques de energia (E-Tank), tanques que podiam ser guardados para recuperar a energia em horas críticas e seriam mantidos até os episódios da saga X. Temos também três armas auxiliares conhecidas como “Transport Itens”, armas que criam plataformas diferentes e que são um óbvio protótipo do futuro cachorro de Mega Man, Rush. Os poderes obtidos pelos chefes são alguns dos mais originais, e posteriormente seriam copiados em games futuros como o poder de parar o tempo (Time Stopper) e o escudo (Leaf Shield), outro que merece ser lembrado é o Atomic Fire de Heat Man, que pode ser carregado da mesma forma que futuramente o Mega Buster passaria a ser. Os inimigos e os obstáculos embora não tão apelativos como no primeiro game obrigam o jogador a ter estratégia para derrota-los. O que dizer dos chefes, no episódio anterior todos os chefes iniciais simplesmente avançavam atirando seus poderes pra cima de você, embora aqui a maioria possua apenas um ataque como no episódio anterior suas estratégias de combate se tornam mais desenvolvidas devido a diferente movimentação dos mesmos, Quick Man que o diga.

Mecha Dragon, um dos novos chefes da fortaleza de Willy.

Os gráficos embora bebam da mesma engine que o primeiro episódio, eles possuem aqui seu uso mais refinado, exemplo disto pode ser visto na cena de abertura onde Mega Man fica sob um prédio com seu cabelo exposto chacoalhando ao vento (uma das cenas mais associáveis a Mega Man hoje em dia). Alguns detalhes gráficos que viriam a se tornar formula no resto da franquia se apresentam aqui como a tela que apresenta apenas a face dos chefes, em contramão ao episódio anterior que exibia o sprite inteiro do inimigo, os corredores pré-chefes, onde tomamos fôlego para o confronto, o mapa da fortaleza de Wily com sua característica marca de crânio, entre outras melhorias sutis. A trilha sonora traz as faixas mais associáveis a série em tempo, as fases iniciais como sempre possuem cada uma delas faixas próprias que combinam com o ambiente, porem diferente do primeiro episódio, todos os chefes dos Robot Masters ao Wily possuem a mesma musica, isso não ocorre nos outros episódios, nem mesmo no primeiro onde tínhamos uma faixa mais tensa que associamos hoje ao Yellow Devil (creio que muitos jogadores ainda tem pesadelos com a presença diabólica caolha amarela se manifestando ao som da trilha dessa musica). Dentre os poucos contras que os jogadores associam ao game hoje esta a inabilidade de jogar os estágios dos Robot Masters após os mesmos serem derrotados, e a dificuldade facilitada em relação ao primeiro episódio (dizem os jogadores masoquistas). Mega Man 2 é um dos episódios mais convidativos da série e obviamente um dos melhores, se não o mais.

9.5 9.5 10
Overall
10 Gameplay
7.5 Story
10 Music
9.0 Graphics
Dificuldade balanceada e sistema de passwords inclusos.
Alguns podem achar o game facil demais em comparação com o primeiro episódio.

9 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...