This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-06-07 21:09:51 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Gunstar Heroes

    Zerado dia 07/06/20

    Dava até vergonha dizer que eu mal tinha jogado Gunstar Heroes (GH) na minha vida. Um super clássico de Mega Drive/Genesis e um daqueles jogos que só vim conhecer já praticamente na vida adulta, quando me abri para conhecer jogos importantes de plataformas passadas, sobretudo da SEGA, que até então se resumia em poucas séries pra mim.

    Basta uma leve pesquisa sobre jogos da época 16bit pra conhecer GH e sempre vi meus amigos falando sobre ele. Resolvi deixar no PSP pra jogar depois, mas acabou que um amigo e eu estávamos querendo jogar outro título do console por emulador via Hamachi, mas resolvi abrir esse aqui antes pra testar o multiplayer mais frenético e até terminar, o que acabou devorando a nossa tarde!

    GH é basicamente o que estávamos o chamando sempre que esquecíamos o nome: "Contra Kids". Mas não se engane! A aventura não é muito fácil, não! Ela só é colorida e com personagens mais cartunescos e infantis, mas de uma forma muito agradável.

    O lance é aquele que a gente já esperava: run and gun. Corra atirando como um louco, matando dezenas de inimigos e explodindo as coisas, colete power-ups e enfrente chefes grandões.

    Além da parte visual, que é super bacana e aquele estilo bem japonês que não existe em Contra, o título conta com um grande de particularidades super bacanas!

    Uma dessas particularidades é o uso de elementos 3D nas fases, que geralmente são chefes. É bacana ver o jogo trazer esse lado pra aventura e dá uns efeitos bem legais.

    Um dos chefes, inclusive, parece um personagem gigante daquele jogo de SNES, Balls.

    Mas a parte que mais me conquistou foi a liberdade de jogo. Ao começar a campanha, você pode escolher se prefere jogar correndo e atirando (meu amigo escolheu essa opção) ou se prefere que o personagem pare enquanto você atira, dando a possibilidade de mirar em 8 direções (minha escolha). Depois disso você deve escolher qual seu tipo básico de ataque e embora você possa trocá-lo, se der Game Over ou algo do tipo você já começa com ele em mãos.

    Os tipos se resumem a fogo, projéteis perseguidores, laser e metralhadora.

    Agora, diferentemente de Contra, embora você tenha dois slots para armas, você não precisa necessariamente alternar entre uma ou outra (embora seja possível), mas pode combiná-las para atacar!

    Eu gostava de usar o tiro verde, que persegue. Junte isso ao tiro de fogo e você terá bolas de energia grandonas seguindo inimigos na tela. Com laser você terá um radio que fica constantemente em cima do oponente tirando seu HP. Com outro do mesmo tipo (2 verdes) você tem estrelas verdes por toda a tela matando geral.

    Esse lance de combinações de tipos de ataque é definitivamente um grande salto na customização do gameplay, junto com os outros fatores que mencionei antes. E é legal também experimentar também com todos eles e descobrir que pode ter um tiro mais interessante e que parece mais forte.

    A forma menos linear também se estende as fases, que podem ser jogadas em qualquer ordem até que desbloqueie a final.

    Esses estágios também são relativamente diferentes, inclusive na temática, mas jogamos na ordem que eles estava no painel. A primeira fase é a típica primeira fase de muitos jogos, com cenário verde, inimigos mais simples e tal. Já a segunda, bem, essa foi um pesadelo. Houve uma parte com jogatina normal, depois um chefe com diversas formas. Muuuuitas formas e com bastante HP em todas elas, coisa que parecia de chefe final (foi a parte mais difícil do jogo, disparada).

    A terceira fase foi bem simples e fácil, em comparação. Já a próxima foi mais longa e lotada de inimigos e com um jogo de tabuleiro estilo Banjo Kazooie perto do fim!

    Nesse jogo, se você morre você pode voltar à jogatina ao custo de 50%  do HP do seu amigo (até que ele tenha apenas 1 de vida ou os dois morram juntos). Bom, isso é bem melhor do que morrer com apenas um tiro com em outros do mesmo gênero. Morrendo você perde também a sua arma secundária.

    Pra facilitar a nossa vida, há checkpoints em pontos chaves dos estágios e os Continues são infinitos!

    Resumindo: Gunstar Heroes é um jogo bem gostoso de ser jogado e o multiplayer foi demais. Apesar de ser um título run and gun, ele mistura outras coisas no meio e faz uma verdadeira confusão. Ele ainda conta com uma série de ajudas que são comuns em jogos contemporâneos, o que me surpreendeu, mas cuidado pra não se acomodar muito, morrer e ter que fazer uma parte longa e monótona toda de novo, pois isso acontece.

    De bom: visuais carismáticos e que me fazem querer um remaster pras plataformas atuais. Jogabilidade simples e divertida, assim como as suas mecânicas. Achei que a pouca quantidade de estágio fariam uma experiência curta, mas teve uma duração bem boa (e não usamos savestate nem nada). Gostei do lance de combinação de armas e de poder usar ataques físicos, como chutes, para tirar muita vida dos inimigos! Gosto do fato dos chefes terem números representando suas barras de vida, pois, além de não nos deixar sem informação nenhuma do quão perto estamos de os derrotarmos, ainda dá pra ter uma noção do quão forte a sua arma é.

    De ruim: até o momento não entendi o motivo da segunda fase ser tão mais difícil que o resto do jogo inteiro. Odiei uma mecânica que usa o mesmo botão de tiro para agarrar e lançar os outros, que me fazia jogar meu amigo contra o período a todo momento enquanto eu só queria atirar. O lance de voltar ao custo de metade da vida do seu amigo pode ser bem cruel e até injusto (tipo você morrer uma vez e não poder mais voltar pois seu amigo perdeu todo o seu hp), e isso num jogo que economiza bastante em itens de regeneração de vida.

    No geral, a experiência foi muito divertida e já tenho certeza que não só do gênero, mas dos multiplayers co-op de sofá daquela era, Gunstar Heroes é um dos títulos mais bacanas e um exclusivo da época de peso. Infelizmente só descobri que existia uma versão de PC depois, mas já estou doido pra ver Gunstar Super Heroes no GBA! Maneiraço!

    30
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 month ago · 2 pontos

      Contra Kids...😂😂😂

    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 2 pontos

      Boa, esse é um classico do meguinha q todos deveriam jogar. Ele é bem mais amigavel q contra mas nada simples de terminar.hehe

      Teve uma continuaçao no gba q dizem ser maneira mas nunca fui atras mas no mega mesmo recomendaria q tentasse Alien Soldier qie foi o ultimo jogo da Treasure no console se me lembro e é beeeem mais hardcore sendo basicamente um bossrush frenetico com uma vida só. Tem inckusive o boss das 7 formas do gunstar de volta

      1 reply
    • Micro picture
      luis_f · about 1 month ago · 2 pontos

      Grande jogo, estou há décadas adiando terminá-lo. Caso não conheça, recomendo no mesmo estilo, Gunner's Heaven (PS1).

      1 reply
  • 2020-03-09 09:22:48 -0300 Thumb picture

    #223 - Gunstar Heroes [Mega Drive] 1993

     Um grupo de funcionários deixaram a Konami para formar a Treasure em 1991 para criarem seu primeiro jogo com o apoio da Sega. O jogo é um Run ‘n’ gun onde uma dupla luta enfreta um império do mal para evitar que eles dominem o mundo. No início do game, é possível escolher uma das 4 armas iniciais, tiro fixo ou em movimento e qual das 4 primeiras fases pretende começar. Coletar um segundo tipo de tiro vai combinar o poder de fogo da arma. Graças ao processador do Mega Drive, o jogo permite uma ação muito mais frenética que os jogos do Super Nintendo. Utilizando várias técnicas de programação, o jogo permite criar chefes gigantes com vários membros e cenários que parecem ter 4 camadas de fundo, sendo que o hardware é capaz de trabalhar apenas com duas.

     - A estreia da Treasure não poderia ser mais positiva. O jogo é simplesmente o mais frenético até então, superando até mesmo alguns Arcades. Tiros para todos os lados, explosões, inimigos diversos e tudo isso com um multiplayer coop extremamente bem programado. Combinar os tiros resultam sempre em algo novo ou então mais poderoso e cada jogador pode experimentar a vontade. O medidor de saúde numérico permite levar vários danos antes de morrer, o que é algo essencial dado o quão frenético é o jogo. Os gráficos do jogo são simplesmente lindos, com cenários diversos e efeitos visuais nunca antes visto num videogame. A trilha sonora também tenta acompanhar a ação constante. É, sem dúvidas, o melhor Run ‘n’ gun até então.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx, @fredson, @mjdias [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    51
  • neilson1984 Neilson Lopes De Carvalho
    2020-03-03 20:22:16 -0300 Thumb picture
  • 2020-02-08 00:42:57 -0200 Thumb picture
    subzero_amarelo checked-in:
    Post by subzero_amarelo: <p><strong>Finalizado!</strong></p><p>2020 - <stron

    Finalizado!

    2020 - #13

    Geral - #143

    Ah, PC novo, configurações melhores... dá pra jogar bastante coisa a mais agora. Aí eu vou jogar o que? Jogo de Game Gear, é claro!

    Gunstar Heroes é meu jogo preferido de Mega Drive. E a versão de Mega com certeza é a melhor de todas (contando com o Gunstar Super Heroes de GBA, que mais parece um remake do que uma continuação). Essa versão de Game Gear é bem competente, é incrível como a Treasure conseguiu portar um jogo assim para um portátil 8 bits. Porém as limitações de hardware acabam deixando a jogatina um pouco menos divertida. O jogo acabou tendo fases a menos e boa parte dos efeitos sonoros foram cortados. O milagre que fizeram com o chip de som do Mega nos 16 bits não conseguiram reproduzir aqui. As músicas em 8 bits ficaram estranhas, não me soaram legais e não trouxeram aquela experiência boa da trilha sonora do Gunstar original. Porém, é exigir muito de um portátil 8 bits, então acho que dá pra relevar...

    A limitação também afetou a dificuldade. Achei a movimentação do boneco mais lenta e mais travada aqui. Nas lutas contra chefes, isso pode ser um problema, já que alguns deles se movimentam na velocidade da luz e o jogador acaba controlando uma lesma. Haja paciência...

    No mais, acho que era uma boa pedida pra quem não podia desfrutar do Mega na época e/ou queria um jogo portátil mais divertido, mais frenético. Mas hoje em dia com os emuladores da vida, na dúvida, a versão do Meguinha é bem melhor, ô se é.

    21
    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 2 pontos

      Retro Gamer só tem PC foda de fachada.

      1 reply
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2019-07-14 15:37:19 -0300 Thumb picture
    Post by thecriticgames: <p>Que jogo foda de se jogar esse daqui, ja é junto

    Que jogo foda de se jogar esse daqui, ja é junto do Castlevania de Mega Drive e do Alein Soldier meus jogos favoritos do console. Mais incrivel ainda de se conhecer o esforço dos caras que fizeram o jogo, ex-funcionarios da Konami que tiveram o projeto ja pronto negado varias vezes e quando lançado a Sega se recusou a fazer marketing do game, ele se espalhou pelo próprio bate papo dos jogadores.

    Herois, armas estelares e muita, muita ação frenética nesse run'n gun.

    Review by: @thecriticgames

    Gunstar Heroes é e sempre foi um dos grandes nomes quando se fala de exclusivos do Mega Drive, o jogo que traz o que praticamen...

    Keep Reading →
    24
    • Micro picture
      jcelove · about 1 year ago · 3 pontos

      A Treasure tem um portifolio invejável, só jogo awesome desde esta estreia espetacular ai.

      1 reply
    • Micro picture
      neilson1984 · about 1 year ago · 3 pontos

      Treasure é uma baita empresa cara até fiz o artigo sobre os jogos dela!

      3 replies
    • Micro picture
      speedhunter · about 1 year ago · 2 pontos

      Treasure minha desenvolvedora favorita do Megão. Alien Soldier é meu jogo favorito do MD.

      1 reply
  • arthurdias25 Arthur Dias
    2019-01-15 20:46:14 -0200 Thumb picture
    arthurdias25 checked-in:
    Post by arthurdias25: <p>Segundo jogo zerado em 2019</p><p>E o primeiro d

    Segundo jogo zerado em 2019

    E o primeiro do ano que eu zero pro Canal.

    Tava vendo alguns jogos aqui pra fazer Gameplay (bem merda)  e decidi pegar esse que era um dos meus jogos favoritos quando eu era pequeno.

    Edit: Foda que é tanta explosão na tela que o video acabou ficando todo cagado (como se não fosse ruim o bastante), duvido que eu poste agora ;-;

    mas tá zerado pelo menos

    5
  • rafaelbarbosa Rafael Barbosa
    2018-12-20 22:30:20 -0200 Thumb picture
    rafaelbarbosa checked-in:
    Post by rafaelbarbosa: <p>Aquela zerada básica de fim de ano.</p>

    Aquela zerada básica de fim de ano.

    4
  • jerfrey Jerfrey Figueira
    2018-12-12 07:37:35 -0200 Thumb picture
    jerfrey checked-in:
    Post by jerfrey: <p>#01. Finalizado em 11/12/2018.</p><p>Tenho muita

    #01. Finalizado em 11/12/2018.

    Tenho muitas recordações boas de quando era mais novo e com o meu primo jogávamos esse jogo no emulador do Mega Drive no computador, dividindo o mesmo teclado (enquanto um ficava em sua maior extensão o outro se espremia todo no teclado numérico no cantinho) e era muito divertido, principalmente quando fazíamos pessoalmente um com o outro o que os personagens faziam na tela: se baterem e se atrapalharem. 

    Joguei outras tantas vezes ao longo dos anos, mas nunca ia tão longe. Hoje, depois de receber esse espírito de nostalgia e "gamer" e ter baixado alguns emuladores e jogos antigos, esse inclusive, fui até o fim e finalmente concluí o jogo com meu irmão.

    Ele continua tão divertido quanto lembrava, mais ainda por saber o que diabos estava acontecendo. Tudo funciona muito bem aqui: os personagens, suas armas e os confrontos com os chefes com seu estágio final muito empolgante e desafiador. 

    Sei que irei jogar outras tantas vezes, talvez sozinho ou em outras dificuldades e também com outras pessoas porque esse é esse tipo de jogo. 

    4
  • rafaelbarbosa Rafael Barbosa
    2018-07-24 23:35:09 -0300 Thumb picture
    Post by rafaelbarbosa: <p>Um canal muito maneiro e simples, que conta um p

    Um canal muito maneiro e simples, que conta um pouco da história de uma das minhas empresas favoritas de videogames, a Treasure. Vale a pena perder uma hora pra ver a quantidade de bons jogos e de conceitos que eles tentaram (com ou sem êxito) inserir nos jogos.

    Abaixo, a sequência dos vídeos:

    Espero que se divirtam tanto quanto eu relembrando desses clássicos cheios de criatividade e ousadia. E, para quem não conheceu, que vejam como era muito mais difícil e genial contornar as limitações de arquitetura dos consoles antigos.

    4
  • 2018-07-08 22:09:52 -0300 Thumb picture
    subzero_amarelo checked-in:
    Post by subzero_amarelo: <p>Finalizado <strong>#08</strong></p><p>#img#[5657

    Finalizado #08

    0

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...