Medium picture

manoelnsn Manoel Nogueira

Só um cara que curte rpgs...


over 2 years ago 2017-01-15

Mega Man Zero 2

Com Megaman Zero sendo um sucesso, era um tanto óbvio que uma continuação não tardasse pra sair e desse prosseguimento ao sonho de Inafune de ver seu amado Zero protagonizando uma história própria. E assim surgiu Megaman Zero 2, trazendo a mesma fórmula anterior, com algumas pequenas, mas importantes, melhorias. Infelizmente não são melhorias de artwork, também não param de usar esse esquema estúpido de fofura + morte e muito menos X volta e deixa esse jogo com mais cara de Megaman, mas são o suficiente para deixar este jogo um pouco melhor que seu antecessor.

A história tem início com o final do jogo anterior, com Zero vagando feito um eremita no meio do deserto, enfrentando hordas de inimigos, até que cai no chão sem energias, e é salvo por Harpuia, um dos capachos de X Clone, e que agora lidera Neo Arcadia em seu lugar. O reploid voador deixa a carcaça inconsciente do vermelhinho em frente à nova base da Resistência, onde ele se reencontra com Ciel, que agora está pesquisando uma nova fonte de energia para por um fim nos conflitos entre as duas facções. Como suas pesquisas lhe consomem muito tempo, ela acaba indicando um reploid para comandar as forças de ataque, seu nome é Elpizo(Ciel indicando alguém? Vai dar merda, quer ver?).

                                              Isso é homem, por incrível que pareça...

As pesquisas da loirinha a levaram a adquirir conhecimento do Baby Elf(isso vai ser mais explorado só no próximo game), criatura relacionada ao Dark Elf, um elf extremamente poderoso, que serviu como o estopim da Elf Wars(conflito que aconteceu depois da Marverick Wars, ocasionada pelo Sigma Virus), que terminou com X tendo de usar seu corpo para selar a fadinha das trevas(o que ocasionou na construção de X clone e toda a merdalhada que aconteceu no jogo anterior). Enfim, Zero continua realizando as missões, numa tentativa de colocar um fim no conflito entre a Resistência e Neo Arcadia de uma vez, até que Elpizo ordena um ataque imediato ao antigo império de X Clone... Claro que são massacrados e Zero ainda precisa ir resgatar o andrógino líder, antes que ele seja morto de vez pelos 3 patetas do jogo anterior: Harpuia, Leviathan e Fefnir...

Desolado após retornar à base, Elpizo foge, não antes de mandar uma mensagem dizendo que falhou como um líder e que precisará de poder e para isso irá despertar o Dark Elf com a ajuda dos Baby Elves(pois é, tinha mais um baby na parada) para então destruir Neo Arcadia e fazer um paraíso só de Reploids. 

                       Eu não falei que por ser a Ciel que o indicou, que isso ia dar merda?????

Obviamente que Ciel e Zero não podem ficar parados deixando o maluco matar um monte de pessoas inocentes, então o vermelhinho parte à procura do dito cujo. No meio do caminho, Zero acaba tendo de reenfrentar os capangas de X clone novamente, desta vez cada um em uma forma transformer. Harpuia acaba sendo forçado a isso pelos Baby Elves(essas praguinhas vão encher muito mais no próximo jogo, vai por mim).

                                  Olhando desse ângulo, não parece que Zero está usando fraldas?

Mas Zero consegue transpassar todos estes obstáculos e chegar em Elpizo, que destrói o corpo de X(fodeu, lá se vão as esperanças de se jogar com ele nessa franquia), libera o Dark Elf e se transforma em um monstro gigantesco.

Que só serve para torná-lo um alvo maior, tanto que é derrotado e pouco antes de morrer é transformado em um Cyber Elf(WTF?) pelo Dark Elf, que temporariamente perdera sua  maldade, até desaparecer por completo.

                            Aparentemente, o elfo preto conhece nosso protagonista também...

Por fim, X(agora eternamente preso em sua forma de fadinha), diz que Dark Elf um dia foi um ser bom, mas que foi amaldiçoado por um cientista chamado Weil. Tudo isso termina em aberto, tal como uma porta abrindo chamando alguém de nome Omega, servindo de introdução para a trama do próximo game.

                                                            E a porta dos desesperados se abre...

Apesar da história novamente ser atrapalhada por esse artwork, ela acabou se saindo um pouco melhor que a do primeiro jogo. Não temos arregadas no final da trama(como Xclone não sendo o X original), Elpizo é um vilão com alguma motivação e Harpuia, Leviathan e Fenfnir até tiveram um bom aproveitamento, ao contrário de Zero, que continua inexpressivo e literalmente robótico, sequer sabemos se ele se lembra ou não de seu passado.

O gameplay basicamente continua o mesmo. O design das fases continua muito bom, a trilha sonora legal, os bosses ainda são desafiadores(ao menos a maioria), e ainda precisamos grindar para ganhar novas habilidades com as armas e evoluir os elfos. Porém o grind desta vez foi extremamente reduzido, sendo possível até zerar o jogo sem precisar ficar farmando horas em um local específico! 

As duas armas extras, a lança e o escudo, estão disponíveis desde o começo também. A lança foi nerfada e sua função agora é mais de suporte, já que com ela você pode se balançar em plataformas aéreas e alcançar alguns locais distantes(tal como era no funesto Megaman 8), alguns que até escondem energy tanks(sim, eles podem ser encontrados nas fases agora, apesar de ainda ser possível evoluir elfos pra isso).

Outra novidade se dá pelo Form system, onde Zero modifica sua forma para adquirir melhorias de status ou habilidades diferentes. Por exemplo, com a Form X, Zero pode atirar o buster com um tiro carregado mais forte, com outra armadura ele pode usar 3 cortes no combo da espada e por aí vai. Isso serviu para tirar um pouco do grind das armas, além de dar um ar diferente para o game.

Além dos elemental chips de sempre, também temos as Ex skills fazendo sua primeira aparição aqui. Tal como em Megaman X4, Zero agora pode adquirir habilidades dos bosses. Contudo para conseguir tal façanha, o jogador precisará manter o rank A ou S para conseguir a skill do boss, ou seja: se não passar a fase rápido, se ferrou.

Outro lance legal é que a seleção de fases agora lembram um pouco mais o estilo da franquia clássica/X. É possível ter informações de cada um dos bosses que estão te aguardando em cada uma delas, e mesmo que os 8 não estejam disponíveis de uma vez, já é um bom começo. Outro detalhe é que missões paralelas na mesma fase ou mesmo limite de tempo foram abolidos aqui! Apesar de alguns bosses serem estúpidos, outros são bem interessantes, como a batalha contra os dois reploids besouro, sendo a mais difícil do game.

Ah sim, e a ideia estúpida de continues foi abolida, se você morrer volta para o começo da fase com duas vidas extras, como antigamente!

Concluindo...

Mesmo mantendo boa parte dos problemas do primeiro game, Megaman Zero 2 teve seus pontos positivos. No primeiro jogo da série, Inafune e Intil Creates adicionaram tanta coisa que o jogo acabou ficando bem bagunçado(especialmente no lance do gridding), mas neste segundo tiveram tempo de pensar e reorganizar suas ideias. Infelizmente o jogo continua bem distante da franquia Megaman/X e continua utilizando seu nome simplesmente por ser conveniente(além de tentar ser sério com um traço colorido e fofo desses), mas é uma opção bem melhor que seu antecessor.

8.0 8.0 10
Overall
8.0 Gameplay
7.5 Story
8.0 Music
8.0 Graphics
Gridding diminuído
Sistema de Forms e Exskills
Continues ilimitados
Fases mais organizadas, e sem limites estúpidos de tempo
Exskills só podem ser obtidas em altos ranks
Afastamento da essência da franquia ainda persiste

5 of users found this review helpful.


Outras críticas do mesmo autor:

Keep reading → Collapse ←
Loading...