This game doesn't have any review. Be the first one to review it!

Add Review


  • darleysantos676 Darley Santos
    2020-11-02 07:33:54 -0200 Thumb picture
    darleysantos676 checked-in:
    Post by darleysantos676: <p><strong style="background-color: initial;">RESID

    RESIDENT EVIL - REVELATIONS

    PLATINADO (07/08/2020)

    *

    (Alguns jogos que eu peguei troféu há muito tempo, e não dei continuidade no jogo e só retomei muito tempo depois, ficaram com esse tipo de aviso, fazer o quê...)

    **************************************************************************

    *

    Após a guinada tomada em RE4 (2005) e sua continuação em RE5 (2009) e RE6 (2012), indo numa pegada mais ação do que survival horror, a Capcom lançou o spin-off canônico Resident Evil Revelations (2012). Na história, RE4 se passa em 2004, RE5 em 2009 e RE6 se passa em 2013, e é no entremeio desse polêmico arco da saga que ocorrem os eventos de RE Revelations, mais precisamente entre os acontecimentos de RE4  e RE5. Voltamos a controlar os personagens clássicos da série: Jill Valentine e Chris Redfield, agora parceiros em uma organização recém-criada, a BSAA (Bioterrorism Security Assessment Alliance, ou Aliança de Avaliação de Segurança ao Bioterrorismo). O game se passa em localidades situadas no continente europeu e no Mar Mediterrâneo (aqui vemos o reflexo globalista dos eventos bioterroristas - a Capcom foi distribuindo os eventos dos jogos em diferentes regiões do globo), seja em regiões montanhosas de neve, seja na extinta cidade flutuante Terragrigia (afundada em 2004, sendo os eventos atuais situados um ano depois da tragédia, em 2005), ou em pleno mar em navios ligados aos eventos bioterroristas do plot – o Queen Semiramis. o Queen Zenobia, e um terceiro navio já afundado, o Queen Dido. A trama envolve o embate entre organizações governamentais anti-terroristas e grupos bioterroristas (o novo tipo de ameaça mundial), sendo uma expansão coerente dos eventos de Raccoon City... Resident Evil Revelations foi o primeiro RE que joguei com legendas em português, o que sempre foi um sonho.

    O jogo é celebrado como "um retorno ao survival horror", pois o jogador sentirá a angústia e a insegurança de não possuir munição à vontade, com inimigos surgindo de qualquer lugar (das tubulações, por exemplo), então devemos explorar os lugares para adquirir munição e ter alguma chance a mais de sobrevivência, além de resolver alguns mini-puzzles relacionados a conexão de energia. Para tanto, é imprescindível a ajuda de uma nova tecnologia surgida a partir dos fatídicos eventos de Terragrigia – o Genesis Scanner, capaz de escanear material biológico e extrair dados importantes, e de quebra identificar a presença de objetos escondidos no ambiente, como munição e itens de cura. Os inimigos de fato são diversa e surpreendentemente grotescos, tomando formas que só a ação do vírus T-abyss é capaz de engendrar nos organismos que infecta, e para cada tipo de inimigo existe uma estratégia específica que é mais bem-sucedida, sendo que é muito fácil errar o tiro ou desperdiçar munição, seja devido a forma como os inimigos se locomovem ou por não atirar nos pontos fracos.

    Um dos pontos fortes do game com certeza é o enredo, bem interessante e cheio de informações importantes para a saga, além de possuir vários plot-twists ou reviravoltas que deixam o jogador ligado no que pode acontecer. O game adota um modelo episódico (ao estilo série de TV, até lançando mão de um recurso chamado “cliffhanger”, um recurso narrativo que consiste em “terminar cenas no meio de momentos reveladores ou tensos para manter a atenção do telespectador”) não-cronológico (pois há vários saltos no tempo, alternando entre eventos do tempo presente nos navios e de um ano atrás em Terragrigia, e mesmo no tempo presente, alternando entre eventos em lugares e horários distintos) para a sua progressão, e controlamos vários personagens – então apesar da presença dos personagens clássicos Jill Valentine e Chris Redfield, com seu protagonismo aclamado dentro do próprio plot, temos o papel-chave de outros personagens; a maior parte do tempo do jogo controlamos a Jill a bordo de um navio fantasma no Mar Mediterrâneo, mas em alguns cenários controlaremos outros personagens. O jogo começa com a Jill e seus parceiros da BSAA (o agente Parker Luciani e o diretor Clive O’Brian) realizando uma investigação numa praia, com vista de fundo para as ruínas de Terragrigia (um projeto bem sucedido de cidade flutuante e sustentável, que se utilizava de energia renovável solar para se manter, mas que foi destruída como forma de erradicar as armas biológicas liberadas pelo grupo terrorista II Veltro, um grupo nacionalista italiano e espécie de seita armada), analisando a presença de materiais biológicos estranhos, quando circunstancialmente temos que investigar o aparente sumiço de Chris Redfield e sua parceira de BSAA Jessica Sherawat, que também estão em trabalho de investigação, mas nada é o que parece, e começa a luta pela sobrevivência e busca pela verdade nos navios gêmeos em alto mar... Os agentes de contraterrorismo Jill e Chris devem impedir que uma organização bioterrorista consiga infectar os oceanos da Terra com um vírus agressivo e poderoso – o T-Abyss. Seria a mesma organização terrorista que teria destruído a cidade de Terragrigia, mas agora ameaçam o mundo todo.

    De fato, Resident Evil Revelations, enquanto spin-off canônico, mostra o que aconteceu entre RE4 e RE5, situando-se em 2005, após o fim da Umbrella e após a fundação recente de um esquadrão tático de combate ao bioterrorismo, a BSAA, em 2003. Os veteranos dos S.T.A.R.S. Chris Redfield e Jill Valentine são os dois principais fundadores da BSAA, que atua por todo o mundo prendendo contrabandistas e bioterroristas, que proliferaram após o colapso da Umbrella. No contexto do jogo, a BSAA ganhará status da ONU após os eventos de Revelations, quando uma tal FBC acaba sendo extinta em meio ao escândalo... Revelations possui aspectos típicos das tramas de RE: temos um novo e poderoso vírus que arrisca a vida humana, o T-Abyss; uma cidade aniquilada por causa de armas biológicas ou BOWs; protagonistas dos jogos clássicos; uma organização megalomaníaca sedenta de poder e querendo dominar o mundo; e a figura de um traidor desconhecido. A trama gira em torno de três organizações - a terrorista Veltro, a F.B.C. (Federal Bioterrorism Commission, ou Comissão Federal de Bioterrorismo) e a B.S.A.A., representadas respectivamente pelo Dr. Jack Norman, Morgan Lansdale e Clive O’Brian. Basicamente, o jogo se trata de desvendar a verdade sobre a conspiração por trás do desastre em Terragrigia e do Queen Zenobia, principal navio da trama.

    O jogo todo faz referência à obra literária Divina Comédia, do autor Dante Alighieri, sendo o líder do grupo terrorista do enredo o apropriador cultural da obra, que a usa para evocar o apocalipse que eles devem ajudar a ocorrer, como se fossem cumpridores de alguma profecia, já que a humanidade teria fallhado...


    Se a proposta do game é também um retorno ao survival horror dos jogos clássicos, então temos de fato um clima bem aterrorizante, com uma trilha sonora imersiva (efeitos sonoros emitidos pelos inimigos ou advindos da infraestrutura do navio, como sons de madeira, metal ou vidro) e inimigos surgindo das sombras. Verifica-se a ocorrência de sustos localizados e a presença de desafios de quebra-cabeça (puzzles). Não que seja exatamente como nos jogos clássicos, mas há a intenção de um retorno a isso. E não há os típicos backtrackings, o jogo é bem mais progressivo nesse sentido. Os puzzles são simples aqui, não há enigmas de difícil resolução como nos primeiros títulos, no máximo se trata de quebra-cabeças para destravar correntes elétricas.


    Outro ponto forte com certeza são os gráficos. Curioso pensar que originalmente foi lançado para um console portátil. Tanto os cenários e os personagens em sua caracterização (o jogo traz a personagem mais fitness de toda a saga, a super-sub-aproveitada Rachael Foley...), quanto as cenas de cortes (cutscenes) são muito bonitas. A visão do hall dos navios gêmeos são de embasbacar, são imponentes, num dourado cheio de detalhes, e que lembra, a seu modo, o cenário da mansão de Resident Evil 1 ou a sensação de estar no hall da delegacia de RE2 – e são inúmeros cômodos e corredores.


    A jogabilidade também dá gosto, há flexibilidade no combate aos inimigos, e com aquela “câmera sobre os ombros”. A jogabilidade é mais fluida, permitindo se locomover e atirar ao mesmo tempo. Além de facilitar algumas ações usando um botão apenas, como usar cura, aliás, também é necessário um único uso para curar totalmente. E existe a inovação da habilidade de esquiva enquanto ação específica, que ajuda a se livrar de situações de perigo iminente, quando inimigos estão muito perto ou em grande número, além dos ataques corpo a corpo em inimigos atordoados. Comumente se diz que em Revelations há um equilíbrio entre a jogabilidade moderna e o clima de terror e suspense da era clássica. O jogo enfatiza a sobrevivência, a evasão e a exploração ao invés do combate frenético.

    http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/20...(img)

    O jogo conta com um modo extra (adição tradicional dentro dos jogos da saga) chamado Raid Mode, um modo multiplayer que funciona tanto online quanto offline. Inevitável a comparação com o clássico Mercenaries. Focado no combate, o modo consiste em enfrentar uma série de inimigos em cenários da campanha. Os monstros possuem diferentes níveis e atributos (força ou velocidade), e a fase termina quando todos os inimigos são derrotados. Com as ações realizadas no game se obtém pontos que são usados para adquirir armas, upgrades e vestimentas diferentes. Sobre a dificuldade progressiva, bem maior que a da campanha principal, o Raid Mode apresenta uma enorme quantidade de níveis cuja dificuldade aumenta conforme se avança. Existe uma série de fatores que dão bônus em cada um dos níveis – bônus de ileso, de aniquilador e de timing, o que resulta na trindade de bônus, que é o quarto bônus possível. É possível controlar todos os personagens da campanha, alguns com duas ou três caracterizações diferentes, assim como personagens de outros games, como o Hunk. O Raid Mode pode ser bem instigante, levando o jogador a tentar conseguir todas as conquistas possíveis, o que demandará bastante tempo de jogo. É considerado um dos grandes modos extras da franquia Resident Evil, considerado “mais diversificado que Mercenaries de RE5, tão dinâmico quanto o Battle Game, de RECVX, e tão empolgante quanto o Mercenaries, de RE3”. Presenciei muitos jogadores de level altíssimo jogando o modo, com certeza é o principal fator replay. Para conseguir os troféus do modo Raid necessários para a platina foi imprescindível a ajuda de jogadores mais evoluídos, senão teria que jogar até o final do ano para conseguir o level necessário; realmente, os pioneiros que subiram de level na raça são destemidos mesmo hahah!

    RE Revelations trouxe a integração com a RE.Net, a rede social de Resident Evil, e isso tem implicações tanto em relação à campanha quanto ao modo Raid.

    *

    *

    *

    @platinadores

    20
    • Micro picture
      denis_lisboadosreis · 26 days ago · 1 ponto

      Só uma correção: acho que vc queria dizer "globalizado" em "(...) reflexo globalista dos eventos (...)". Globalista não existe, e é um termo inventado por grupos de teoria da conspiração malucos que acreditam num complô mundial que eles chamam de "globalismo". Esses termos tem confundindo as pessoas por pular da boca de maluco de internet que usa papel alumínio na cabeça pra de políticos extremados.

      1 reply
  • ocamarubres Igor Mendes Santana
    2020-10-08 21:12:52 -0300 Thumb picture

    Primeiro Resident Evil que zerei!

    E como foi dureza. Teve umas missões que foram complexas e chefes duros de vencer. Mas nada se compara com o chefe final que encarei hoje. O jogo considerou que morri duas vezes, mas eu tenho certeza que morri mais que isso. Acho que foram umas 5 ou 6 vezes.

    Demorei para entender onde atacar o chefe. E como ele demorou para morrer! Achei que fosse imortal. Quando venci, tirei o peso do universo dos meus ombros!

    Depois dos créditos e da cutscene pós-créditos, teve uma mensagem dizendo que eu podia começar um novo jogo e com uma roupa diferente.

    Isso não me importa, mas o que eu realmente queria saber é se tem algum chefe ou conteúdo extra para fazer nesse jogo que precisa ter zerado pelo menos uma vez?

    Fora os chefes, achei esse jogo muito bem feito.Ele se passa antes do Resident 5 e 6?Porque falou que a Jill e o Chris teriam um destino sinistro a frente?E esse jogo se passa onde na cronologia de Resident Evil(se tiver uma)?

    2
  • thecriticgames Matheus Pontes
    2020-10-02 20:11:39 -0300 Thumb picture

    Podcast Hóspedes Malditos Parte 2 + FLISP 2020

    Fala pessoas, nos reunimos agora na segunda e ultima parte da minha participação no Podcast do @demolidorjt o @hospedesmalditos para dar continuidade ao papo da primeira parte que você pode escutar aqui sobre a heroína Jill Valentine. 

    E aproveito TAMBEM para convidar vocês para a FLISP 2020 1ª Festa Literária de São Paulo dia 08/11, das 9h às 20h onde eu estarei com meu livro Canções de Bruxas e Rapsódias de Fadas Negras isso junto de uma porrada de outras editoras e escritores maiores, mais bonitos e mais importantes do que eu =D com ENTRADA FRANCA. Maiores informações nos links abaixo.

    FLISP 2020: https://www.instagram.com/flisp2020/?igshid=1g12rn...

    Livro:http://editoracoerencia.com.br/livros/cancoes-de-b...

    Duração: 44 minutos

    Nesta segunda parte tinja seu cabelo de loiro a base da criogenia e vírus com os produtos da Umbrella, venha xingar comigo mais um pouquinho aquele jogo que vem entre o Remake de RE 2 e o Remake de RE 4, aprenda como emburrecer seu antagonista no 5° jogo da série e descubra qual jogo precisa definitivamente de um remake.

    https://hospedesmalditos.com.br/2020/10/01/episodi...

    17
  • jcelove José Carlos
    2020-09-21 22:18:12 -0300 Thumb picture

    REVELAITONS

    Rapaz, tem qse um ano que peguei o maravilhoso RE Revelations pro 3ds e só ontem qdo tava tirando fotos pro insta que percebi q tenho a lendaria e incompreensivelmente cobiçada, REVELAITONS EDITION XD

    Nunca imaginei q tivesse pego a versao com erro pq ela ficou "rara" rapido e comprei relativamente barato no ML. Nao lembrava que o abalfabetismo era na lombada, ai nem reparei. Hehe

    Tem maluco pedindo 500 pila por isso no ebay.

    51
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-08-31 13:26:01 -0300 Thumb picture
    Post by katsuragi: <p>Quanto mais eu passo pela tópicos no fórum do Ga

    Quanto mais eu passo pela tópicos no fórum do Gamefaqs (costumo a passar por todas as páginas de um jogo que tô pegando pra valer no momento e ler o que achar relevante) mais e mais eu desanimo de actually tentar a platina desse jogo.

    O que costumam dizer de como as Stages do Raid Mode no Abyss são simplesmente insuportáveis a ponto de que parece que nem testaram nada, só colocaram e pronto, me soa simplesmente desanimador e que não vale realmente a pena tentar...

    Sério, tem nego dizendo que na Stage 11 você luta contra freaking 10 Scagdeads um atrás do outro. 10 Scagdeads. Isso são 10 bosses de uma vez maluco, sem parar, e esses filhos da mãe comem bala que só o cacete.

    E as melhores parts pra equipar armas dropam tudo do Ghost Ship, que é extremamente chato por si só.

    Tem gente falando que simplesmente não balancearam as coisas direito nesses ports de versão de console de mesa e deixaram certas coisas do Raid Mode simplesmente insuportáveis e chatas, diferente da versão do 3DS que era muito mais doable e simples de se fazer.

    Vamos ver, vou continuar e pegar um gosto do que o pessoal diz e ver se é verdade antes de, de fato, largar o que provavelmente vai ser o primeiro 100% que vou totalmente deixar de lado na vida e simplesmente não fazer. 

    16
    • Micro picture
      rshadowss · 3 months ago · 2 pontos

      Eu peguei platina na base do ódio, algumas fases eu fiz sozinho, outras em Coop, e algumas em coop a pessoa tinha cheat, então eu aproveitava, não era eu que tava usando trapaça mesmo haha

      1 reply
    • Micro picture
      speedhunter · 3 months ago · 2 pontos

      Não sei pq as platinas de RES são na sua maioria com requisitos idiotas.

      1 reply
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-08-29 20:10:44 -0300 Thumb picture
    katsuragi checked-in:
    Post by katsuragi: <p>E foi!</p><p>#img#[732684]Depois de muito perren

    E foi!

    Depois de muito perrengue, e literalmente quase 3 dias (não seguidos e nem inteiros) tentando, Stage 15 do Chasm “trinitada”! Eu tava fazendo uma rota mas o fato que eu deixava o Promenade pro final, me lascava por que toda hora o placement dos inimigos tava mudando e aí tava quase sempre brotando bicho literalmente no meu pé enquanto eu lidava com outros de longe e me batia. 

    A solução foi mudar a rota e passar pelo Promenade o quanto antes e vir por um caminho diferente também pra acessar. Eu sempre vinha pelo elevador que dava acesso a Bridge, e como era um dos últimos locais que eu ia, sempre já tinha gastado pelo menos 25m+ em CADA TENTATIVA, devido ao quão grande essa Stage é, aí imagina a frustração de toda hora jogar esses repetecos de 25m fora...

    Mas foi só a mudança de rota que zimba, deu na primeira tentativa... nunca achei que ficaria frustrado por ter vencido. Mas a satisfação foi sem igual. 

    Agora é me preparar pra trinitar a Stage 16, a segunda parte do jogo que é um emaranhado de inimigo um atrás do outro. Essa é fácil e chata ao mesmo tempo, por conta dos Hunters... é sempre os malditos Hunters...

    30
    • Micro picture
      kess · 3 months ago · 2 pontos

      Eu devia tentar acabar isso enquanto os servidores estão de pé... Ou migrar para o do PS4, se vier a acontecer. Bom ter um plano B. Ah, e parabéns, eu sei como é demorado e custoso de se conseguir avançar cada uma das fases nesse online e seus bônus...

      1 reply
    • Micro picture
      romline5 · 3 months ago · 2 pontos

      Eu torço para capcom re-criar o outbreak. com modo online. Mas eles estão tão ficados no re village que acho que não tem nem chance de um outbreak.

      1 reply
    • Micro picture
      lica · 3 months ago · 2 pontos

      Meu, parei nos bônus desse jogo. Falta o de 150... Fico chorando sangue só de pensar! XD

      5 replies
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-08-23 00:33:56 -0300 Thumb picture
    katsuragi checked-in:
    Post by katsuragi: <p>“Porra, vamo lá, mais uma Stage no Raid Mode, bo

    “Porra, vamo lá, mais uma Stage no Raid Mode, bora explorar ela pra depois me preparar pra pegar Trinity nela também “

    NOVENTA E TRÊS INIMIGOS IRMÃO 

    E a Stage é enorme.

    No way, deve ter um caminho específico que não precisa matar todos, você tá maluco. E eu levei tudo isso de tempo e ainda deu Rank S. Wtf...

    27
    • Micro picture
      jcelove · 3 months ago · 2 pontos

      Putz ghost ship Katsu? Acho q so por terminar ja leva S, é um inferno infinito.hehe
      So vi no yt, mas pelo q li tem uma rota "fscil" e outra q tem que matar tudo.

      5 replies
  • jcelove José Carlos
    2020-05-24 21:15:15 -0300 Thumb picture
    jcelove checked-in:
    Post by jcelove: <p>O modo raid foi meu consolo pq ta IMPOSSIVEL pra

    O modo raid foi meu consolo pq ta IMPOSSIVEL pra mim passar do trecho do Chris aleijado sem usar cura. No casual os lobos pequenos morrem com 1hit mas sao mais de 5 waves e tem q ser muito preciso pra acertar varios com a bosta da pistola. Arruinou minha run sem cura u_u

    Dai fiquei mo raid e fui mais longe q pensava: lv 31 e liberei o Raymond, o Norman e variaçoes de jill, chris e parker, alem da jessica. Queria habilitar o Quint, Obrian e o Morgan mas vao exigir esforço e habilidade demais. Pena q a versao original nao tem as roupas galhofa de pirata da versao hd nem o Keith samurai, ou nao ja q se tivesse eu iria querer.hehe

    Como todo joho multiplayer do 3ds AINDA se acha gente mo online mas so tem mamiaco lv50 no ghost ship, ai nem tem como entrar nas partidas.

    Fiquei bolado por conseguir terminar no infernal e empacar na segunda fade do casual no desafio sem cura, esperava q fosde tranquilo mas deixa pra la... 

    21
    • Micro picture
      mateusfv · 6 months ago · 2 pontos

      O modo raid do primeiro eu não cheguei a jogar, mas o do segundo é muito bom, inclusive acho que é o único jeito legal de jogar ele em coop, já que o coop normal o segundo jogador sempre vai ficar com um personagem que não faz nada kk

      3 replies
  • jcelove José Carlos
    2020-05-20 21:38:53 -0300 Thumb picture
    jcelove checked-in:
    Post by jcelove: <p>Ok, retiro o que disse a respeito do Raid mode,

    Ok, retiro o que disse a respeito do Raid mode, essa porcaria vicia mesmo.

    Como não consegui passar de jeito nenhum do cap 2 sem usar erva fui dar uma olhada no raid e lá se foram 6h até chegar a level 20 e a fase 20 do chasm mode.

    O lance de ficar dando recompensazinhas incentiva o grind de um jeito que fica sempre a vontade de jogar mais ao menos até habilitar tal coisa e qdo ve ja jogou um bocado

    queria habilitar os peronsgens, ou ao menos a segunda roupa do CHris pq aquela da neve acho sem graça, mas só conseguia a Jessica (muito boa) e as 3 roupas do Parker U_U

    30
    • Micro picture
      zefie · 6 months ago · 2 pontos

      Lembro que eu viciei muito no Raid Mode do RE Rev2 também, e só parei porque depois de pegar as conquistas dele não tinha mais incetivo nenhum pra continuar jogando aquele modo (o que é uma pena enorme, porque eu realmente adorei).
      Justamente por isso eu tava hypado pro Resistance, mas nasceu morto xD

      1 reply
    • Micro picture
      hyuga · 6 months ago · 2 pontos

      Joguei até que bastantinho o raid do revelation 2 e o fato de colocarem elementos de RPG deixou o jogo muito mais divertido

    • Blank user
      megamanma · 6 months ago · 2 pontos

      Esse raid mode é muito foda, tinha umas 200h no ps3, mas parei depois que peguei a platina. Recomendo fortemente.

  • jcelove José Carlos
    2020-05-18 16:18:57 -0300 Thumb picture
    jcelove checked-in:
    Post by jcelove: <p>Disse que seria tranquilo terminar o game sem us

    Disse que seria tranquilo terminar o game sem usar cura mas não consegui passar do começo do cap 2 NO CASUAL...aquela maldita parte dos cachorros com o chris aleijado ta mil vezes pior que o hell mode sem pode curar.

    Diga-se de passagem, os cachorros são talvez os piores inimigos do jogo nas dificuldades mais difíceis por que se movem de uma maneira muito troll circulando o personagem e conseguem ficar atrás do Chris nessa parte mesmo ele estando encostado na rocha U_U.

    Com treino deve dar pq os bichos saem de pontos fixos mas demora demais mesmo no casual e minha mira é péssima. Acho que vou deixar pra lá e brincar com a rocket infinita mesmo, nem estreei ela ainda pq vc só encontra um baú depois dessa parte.

    33
    • Micro picture
      reasel · 6 months ago · 2 pontos

      tem que pegar o máximo de ervas antes e usar aquelas bombas nessa parte

      5 replies
    • Micro picture
      thiones · 6 months ago · 2 pontos

      Cara, essa parte no Infernal é realmente infernal. Essa e a última boss fight na verdade.

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 6 months ago · 2 pontos

      Sempre amei (num sentido estranho) os cães em RE...
      Eles assustam...eles são ágeis ❤️

      2 replies

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...