2018-03-02 12:00:29 -0300 2018-03-02 12:00:29 -0300
thiones Fredson Ricelli checked-in to:
Post by thiones: <p>chi, chi, chi; ha, ha, ha...</p><p>Não, não é um
Splatterhouse

Platform: TurboGrafx-16
59 Players
9 Check-ins

chi, chi, chi; ha, ha, ha...

Não, não é um jogo ou muito menos um filme do Jason, é o jogo do Rick haha

Como sou muito fã de Sexta-feira 13, vou deixar uma pequena curiosidade sobre a linha inicial deste check-in: "Segundo o compositor Harry Manfredini, o som da famosa frase musical que todos conhecem como “chi, chi, chi; ha, ha, ha” e funciona como tema do filme, é, na verdade, “ki, ki, ki, ma, ma, ma”. Isso porque a música está ligada diretamente à voz de Jason dizendo “kill, kill, kill, mom, mom, mom” dentro da mente de sua mãe. A ideia foi inspirada nas frases “get her, mommy, kill her” (“pegue-a mamãe, mate-a”, em tradução livre) que surgem nas cenas em que a mulher parece estar possuída pelo filho, e Manfredini criou o efeito pronunciando as sílabas “ki” e “ma” num microfone com delay''

Bom, agora vamos ao jogo hehe

Splatterhouse do TurboGrafx-16 (ou PCEngine caso preferir) foi um jogo lançado em 1988 e é um port inferior da versão de Arcade.

Eu tentei jogar a versão de Arcade, mas acabou que a ROM que peguei estava com um probleminha, então por comodidade, fui na de TG16 mesmo e com o pouco que joguei da versão Arcade até hoje, posso dizer que a versão caseira é infinitamente inferior.

Se você pegar pra jogar sem antes buscar referências do enredo fora do jogo, pouco entenderá sobre o que se passa, pois o jogo mal explica coisas básicas sobre o enredo.

Logo de início temos uma cutscene onde vemos uma tempestade e uma mansão. 

Essa imagem fica na tela com 10 segundos e após isso, tomamos controle do brutamontes mascarado Rick. Nada é explicado, mas vamos lá, eu faço isso pelo jogo.

Jennifer e Rick são estudantes de parapsicologia e ambos decidem visitar a mansão West para investigar o local, pois há lendas de que o antigo morador, Dr West fazia experiências sobrenaturais ali. 

Acontece que ao chegarem, Jennifer e abduzida e Rick desmaiado por um golpe. O mesmo acorda algum tempo depois já utilizando a máscara. Rick é um desses nerds magralelo e medroso, porém a máscara de origem desconhecida lhe fornece super força e dobra seu tamanho. Basicamente é isso. Na versão dos consoles de sétima geração isso é contado de forma mais brutal e você de fato vai ser interado sobre a trama inicial.

De poder da máscara, Rick agora pode desbravar a mansão dominada por zumbis e demônios e salvar sua garota.

O jogo é um beat'm up clássico com apenas um plano de movimentação ou seja, nada de subir ou descer na tela, você só anda pra esquerda e pra direita. Como os demais jogos do gênero, Rick pode usar armas brancas e de fogo que são encontradas no chão, porém não há franguinhos ou pizzas em tambores de lixo para recuperar teu life  você pode tomar 5 hits e só. Perdeu 5 hits perde uma vida, perdeu todas as vidas, perde um continue, perdeu 6 continues é game over.

Parece bastante continues, porém não é, já que a dificuldade do jogo é extremamente alta e a jogabilidade muitas vezes não ti ajuda a avançar. Rick é muito lento e toma hits de forma muito fácil. Mas com alguma prática e aprendendo a utilizar os socos, voadoras e rasteiras nos inimigos certos, você contorna isso.

Falando sobre a música, ela é bem creepy, porém muito repetitiva. No Arcade ela já repete muito, imagina aqui.

Procurando por alguns curiosidades do game, descobri que há diferenças entre a versão TurboGrafx-16 e PCengine(versão americana e japonesa respectivamente). Falando na parte de censura, um dos chefes na versão japonesa é uma cruz invertida, porém nessa versão substituiram por um olho:

Já no personagem a maior diferença é na cor da máscara. Na versão japonesa existe uma semelhança muito grande com a máscara de Jason Voorhees, porém na americana a máscara teve sua cor alterada para roxo. 

Não acredito que tal mudança se deva por questões de censura, mas sim pra tentar desvincular Rick do assassino slasher de sexta-feira 13.

Bom, acho que por enquanto é isso. Apesar de ser uma versão bem sem vergonha do Arcade, o jogo é bem gore e legal. MK pode até ser bem gore pra sua época e ter causado certo rebuliço e a criação da ESRB, mas 5 anos antes a Nanco já mostrava o quanto um jogo podia ser violento e gore.

Fiquem ai com o belíssimo e completo final explicando com total clareza todos os acontecimentos do jogo. Vai na fé que spoiler aqui nesse caso, são coisas só da sua cabeça:

http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/20...(img)

http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/20...(img)

http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/20...(img)

http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/20...(img)

Teria sido a busca de Rick concluída com sucesso? Ele falhou em salvar sua querida Jennifer? 

Bom, pra saber isso você vai ter que jogar. E pra deixar você com vontade, vou  dizer que acontece algo surpreendente no capítulo 5.

32
  • Micro picture
    marlonfonseca · over 1 year ago · 2 pontos

    Um dos meus favorito de todos os tempos principalmente a continuação do mega-drive.

    1 reply
  • Micro picture
    fredson · over 1 year ago · 2 pontos

    Cara, eu joguei muito esse jogo ano passado, mas não consigo passar do último chefe. Sempre perco todos os continues restantes nele. Mas não desisti. Ainda vou zerar isso! Você já viu que eu tenho a Terror Mask, né? Hehehe.

    1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...