firerockbird

A Konami é o inferno, e os jogadores de yugioh são os demonios!

You aren't following firerockbird.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2019-07-18 09:18:44 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    "Baixe pirata, mas não compre no G2A"

    Nova guerra entre desenvolvedores indies e a empresa de revendas de chaves.

    A G2A, que já possui quase 10 anos de mercado, é constantemente alvo de críticas de desenvolvedores e também jogadores, principalmente após adotar o sistema de marketplace, há cerca de cinco anos. Enquanto negócios como a brasileira Nuuvem fazem parcerias com estúdios e publishers para vender games de PC mais baratos fora de plataformas como Steam e GOG, a G2A (e o Kinguin) aceita que qualquer pessoa comercialize chaves de ativação de jogos em seu site, ao estilo Mercado Livre e eBay.

    A competitividade entre vendedores acaba gerando preços mais atraentes, mas como a empresa não é restritiva quanto a origem dos produtos, que podem ser adquiridos de formas ilegais ou antiéticas pelos revendedores, seu serviço não é bem visto por membros da indústria e costuma gerar revolta em desenvolvedores independentes. E foi isso que aconteceu na treta que tomou o mês de julho.

    Vários desenvolvedores uniram-se para dizer que preferem que os jogadores pirateiem seus jogos ao invés de comprá-los na G2A, plataforma online para venda de games através de chaves oferecidas por terceiros. Tudo começou quando Mike Rose, criador de "No more robots" e "Descenders", publicou no Twitter um vídeo mostrando uma busca no Google pelo jogo de sua empresa. Segundo a publicação, os resultados mostravam apenas anúncios da revendedora e era impossível fugir das propagandas.

    "No último episódio de Fuck G2A:

    A G2A publicou anúncios patrocinados no Google, o que significa que quando você busca por nossos jogos, a G2A aparece acima dos nossos próprios links - e não ganhamos dinheiro nos nossos jogos se as pessoas comprarem através destes anúncios.

    E quando você tenta desativar os anúncios ..."

    Rose pediu que os jogadores que buscam por meios mais baratos de conseguir games optem por baixar torrents. "Os desenvolvedores não vêem um centavo de qualquer maneira, então preferimos que a G2A também não veja esse dinheiro", disse ele.

    Depois da reclamação pública, muitos outros desenvolvedores manifestaram-se a favor de Rose, como a Squid Games, e Rami Ismail, de "Vlambeer".

    "Por favor, baixe nossos jogos com Torrent em vez de comprá-los no G2A"

    "Se você não puder pagar ou não quiser comprar nossos jogos pelo preço integral, pirateie-os em vez de comprá-los de um revendedor de chaves. Estes sites nos custam muito tempo de desenvolvimento no atendimento ao cliente, investigando solicitações de chave falsas, analisando estornos de cartão de crédito e muito mais"

    Como Rami Ismail ressaltou, os problemas que os desenvolvedores enfrentam parecem ir muito além de "apenas" não receber o dinheiro. Existem acusações contra a G2A dizendo que o site utiliza cartões de crédito falsos para comprar chaves de jogos, e quando a fraude é descoberta já é tarde demais. Além disso, os desenvolvedores precisam fornecer suporte extra ao cliente que acabou com chaves falsas ou desativadas.

    Paul Kilduff-Taylor, do Mode 7, e Chet Faliszek, do Stray Bombay, somaram-se aos desenvolvedores que reclamaram sobre o revendedor de jogos. Durante a última grande onda de críticas, a G2A assumiu o compromisso público de melhorar seu comportamento.

    Em um tuíte mais recente de Rose, o desenvolvedor disse que a G2A fez um monte de seus streamers patrocinados lerem declarações explicando por que eles não são maus. "Espero que muitas pessoas não acreditem nessa merda que eles vomitaram".

     Para tentar acabar com a guerra civil contra os desenvolvedores, a G2A fez uma longa publicação em seu site no dia 5 de julho explicando o funcionamento do seu serviço, apresentando soluções de segurança para seus clientes e respondendo diretamente os estúdios que criticaram a plataforma.

    A empresa admite que já cometeu erros no passado e merece ser criticada por alguns de seus serviços, mas ressalta que também possui formas de ajudar os desenvolvedores, como o programa de parceria G2A Direct. A firma garantiu que está investindo para evitar fraudes em sua plataforma e sugeriu uma solução que vai compensar estúdios que tiveram prejuízo por causa de fraudes no marketplace. “Não estamos fazendo isso porque somos os únicos culpados, mas porque queremos finalmente parar com as acusações que recebemos”, diz a loja em sua publicação.

    Para começar, a empresa prometeu que vai pagar aos desenvolvedores 10 vezes o valor do prejuízo gerado por chargebacks. Ou seja, se os criadores de games comprovarem que o cliente adquiriu no marketplace da G2A um jogo originalmente comprado em outro meio ilicito, a companhia cobrirá os custos e ainda dará um bônus gigante para o estúdio.

    E as promessas não param por aí: a G2A também disse que vai contratar uma firma de auditoria independente para garantir transparência em todo o processo de análise dos casos. A atitude é uma ótima forma de compensar desenvolvedores independentes que perderam dinheiro por causa do marketplace, mas, segundo a empresa, isso não acontece com frequência.

    De acordo com dados divulgados pela G2A, as reclamações mais raras, que ocupam uma parcela de 0,02% de todas as transações mensais, seriam casos em que o jogo some da conta da Steam do cliente, algo que ocorre quando o título é comprado com cartão de crédito roubado, gerando chargebacks. Ou seja, se os números da companhia estiverem corretos, os casos em que desenvolvedores vão solicitar o dinheiro perdido no marketplace seriam raros.

    Por outro lado, um cálculo feito pelo pessoal da Wube Software, criadora do indie Factorio, mostrou que os casos de ilegalidade no marketplace podem ser mais recorrentes e a promessa deve pesar no bolso da companhia. No dia 12 de julho, os desenvolvedores disseram que apoiam o movimento “piratear é melhor que G2A” e mostraram dados revelando fraudes durante o lançamento do seu game, em 2016. E alguns deles ocorreram na polêmica loja.

    O time alega ter recebido cerca de 300 reclamações sobre chaves de ativação adquiridas com cartões de crédito roubados e revendidas na internet. “Com uma taxa de estorno média de US$ 20, estimamos o valor total das tarifas que pagamos devido a chargebacks em algo na casa de US$ 6,6 mil”. A Wube Software diz que possui todas as chaves que foram “devolvidas” e e-mails comprovando que a origem de alguns dos produtos fraudulentos (não todos) vieram da G2A. Até o momento a empresa ainda não havia respondido o estúdio sobre a promessa de pagar 10 vezes os prejuízos provenientes de seu marketplace, mas comentou que está “conversando” com desenvolvedores e aprendendo com os feedbacks recebidos. 

    Para conseguir preços mais baixos, alguns revendedores compram o jogo na Europa e enviam como presente para outros lugares do mundo.

    Além de reclamar dos casos de fraude, a equipe de Factorio tocou em outro ponto mais abrangente que costuma irritar alguns desenvolvedores independentes: o fato de seus jogos simplesmente serem revendidos na G2A, mesmo quando são obtidos de forma legal. De acordo com os desenvolvedores, algumas pessoas aproveitam aberturas como mudanças de preços regionais e promoções em revendedoras oficiais para lucrar em cima dos estúdios. “Recomendamos fortemente que as pessoas comprem de nós ou de um dos nossos parceiros oficiais”, explica a Wube Software, que comercializa Factorio na Steam e no site oficial do game.

    Depois de sua oferta de paz e os esforços para acabar com fraudes, a G2A também tentou agradar aos desenvolvedores que querem impedir a venda de seus produtos por pessoas não autorizadas. No dia 12, a empresa sugeriu a criação de uma ferramenta para “bloquear games” em seu marketplace. Assim, companhias como a Wube Software poderiam, em tese, impedir que seus títulos fossem revendidos na plataforma. De acordo com a loja, os estúdios poderão acessar um formulário e cadastrar keys geradas para análises e sorteios, que serão identificadas pelo sistema e não poderão ser anunciadas por terceiros.

    A empresa disse que só vai criar a novidade, se existir interesse por parte dos estúdios, já que a criação da solução seria “cara e demandaria tempo”. Por causa disso, a G2A lançou um formulário e espera que pelo menos 100 desenvolvedores apoiem a iniciativa dentro de um mês. Após a divulgação da ideia, porém, a companhia voltou a ser criticada por especialistas do mundo dos games.

    Apesar de o bloqueador de keys da G2A permitir que os incomodados diminuam a circulação de seus games no mercado cinza, a ferramenta foi vista como uma forma da empresa passar a responsabilidade dos problemas de sua plataforma para os desenvolvedores, já que os estúdios teriam que inserir manualmente todas as chaves de ativação que não queiram ser comercializadas no marketplace.

    O desenvolvedor Mike Bithell, responsável por John Wick Hex, comentou a atitude no Twitter dizendo que não trabalha para a G2A e que a empresa deveria cuidar melhor do seu negócio. A solução do marketplace também foi vista como um risco de segurança por sites como o Polygon, já que a firma teria um banco de dados imenso com chaves de ativação de games em suas mãos, o que colocaria seu serviço na mira de cibercriminosos.

    A G2A só vai divulgar se recebeu apoio suficiente dos desenvolvedores para criar seu bloqueador de keys na metade de agosto. Logo, teremos que esperar um tempo para ver o desdobramento da mais recente oferta de paz da companhia para ficar de boas com os estúdios que fazem games. Isso não quer dizer, porém, que a firma vai deixar de gerar manchetes polêmicas nesse meio tempo.

    Enquanto estava tentando tranquilizar os desenvolvedores, a empresa também se meteu em outra confusão. A assessoria da loja enviou um e-mail para alguns veículos de mídia oferecendo dinheiro para a publicação de um artigo falando bem do marketplace, mas com um detalhe: o post não deveria ser marcado como patrocinado.

    No meio de toda a confusão, a G2A enviou um e-mail oferecendo dinheiro para a mídia falar bem do marketplace

    A companhia respondeu oficialmente dizendo que a mensagem, emitida no dia 8 de julho, foi enviada por um funcionário sem autorização e chegou em apenas 10 sites especializados. No final das contas, se a campanha foi acidental ou não, isso só acabou colaborando ainda mais para a má fama da empresa, que além de desagradar os desenvolvedores independentes, também acabou ficando mal vista por internautas.

    Fontes : ODV

    33
    • Micro picture
      luchta · about 1 month ago · 2 pontos

      Eu já pensei em comprar na G2A, disseram que dava para comprar créditos da Google Play mais barato pelo site, mas eu desconfiei da inidoneidade e se realmente receberia pelo pagamento. Nunca comprei nada lá, nunca vi a G2A com bons olhos e pelo jeito tinha razão. Já tinha ouvido falar desses casos de chaves falsas no site, mas parece que nimguém dava muita bola para isso, finalmente os desenvolvedores decidiram se mexe contra eles. Vamos ver no que vai resultar isso.

      1 reply
    • Micro picture
      kleber7777 · about 1 month ago · 2 pontos

      "a companhia cobrirá os custos e ainda dará um bônus gigante para o estúdio". Nenhuma empresa séria diria algo assim, sem detalhar planos.
      Não é de hoje que esse site dá problemas. E existem outros sites similares fazendo o mesmo.
      Os jogadores precisam sim repudiar esse tipo de comércio. Pagar menos e fuder um estúdio é muita sacanagem.

    • Micro picture
      firerockbird · about 1 month ago · 2 pontos

      Primeiro a epic games store enfiando a faca nos fãs de Shenmue (junto com o criador da franquia) e agora a G2A com esse esquema!? sinceramente, eu to vendo que esse tal de google stadia vai ser que nem o anakin skywalker, de início é bom mas depois vai pro lado ruim. eu torço para que a steam dure por anos (tipo, no futuro talvez ser a única empresa de distribuição de jogos online, ou no mínimo a mais "poderosa" do mercado) para não dar chance a empresas pilantras como essas de f*dem a vida de criadores e jogadores ao mesmo tempo.

      2 replies
  • raiden Raiden
    2019-07-16 23:07:29 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    raiden checked-in to:
    Post by raiden: <p>Voltei depois de muito tempo atrás quando zerei
    Horizon Zero Dawn the Frozen Wilds

    Platform: Playstation 4
    57 Players
    24 Check-ins

    Voltei depois de muito tempo atrás quando zerei no ultra difícil pra terminar essa magnífica dlc Frozen Wilds!!! PQP!!! Que foda!!! 

    Eis o meu vídeo postado a 1 ano atrás quando comecei a jogatina no ultra difícil:

    Quanto a dlc, é essencial pra quem curtiu o jogo. Tem informações da história de explodir o cérebro. Excelente!!!

    A luta contra esse tirânico foi muito foda!!!

    Mistérios!!!

    Uma pena que não se vê ninguém falando dessa obra de arte que é o Horizon. Muita gente não irá jogar provavelmente porque acha que é mais um joguinho de mapa aberto com quests e só. Que pena. Porque esse jogo tem um enredo de cair o queixo, explodir o cérebro. Como estão enganados. ^^

    19
  • rafaelssn Rafael Nogueira
    2019-07-11 14:30:34 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by rafaelssn: <p>Por&nbsp;<a href="https://www.deviantart.com/pro

    Medium 647209 3309110367

    Por ProjectENDO

    Crash Bandicoot

    Platform: Playstation
    15403 Players
    128 Check-ins

    34
  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2019-07-16 17:42:05 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    [OFF]

    Na minha opinião um dos melhores canais com dicas para Windows e PCs em geral, mandei esse video pra um amigo meu que é viciado no Ccleaner, achei legal postar aqui tb porque tem muita gente que acha que esses programas são milagrosos, até falei deles lá no meu post do windows 10 aquela vez.

    29
    • Micro picture
      luchta · about 1 month ago · 2 pontos

      Sou viciado nisso, vou ver o vídeo...

    • Micro picture
      rcukierti · about 1 month ago · 1 ponto

      Eu faço uso do CCleaner no dia a dia mas modifico ele bastante só pra liberar espaço (cache) em disco sem afetar o comportamento do Windows e programas e tem alguns recursos bacanas como analisador de disco pra saber o que ocupa mais espaço, gerenciar serviços do Windows...
      Sei que não precisa do CCleaner pra isso mas acaba sendo um hub do que poderia ser buscado e limpo manualmente.
      Não vejo mal se bem ajustado.

      Agora atribuir um pc que dá problema várias ao técnico é sacanagem. Pode até ser um trabalho mal executado tanto quanto um usuário porco fazendo cagada ué.

    • Micro picture
      rcukierti · about 1 month ago · 1 ponto

      Fiz os procedimentos no CCleaner e chequei as pastas que ele considera importante e consegui limpa-las com o CCleaner. Ele não configurou direito o programa.
      De fato não é bom deixar na mão de leigos, agora não acho que dá pra chamar o CCleaner de otimizador como os outros programas que ele testou (que esses sim eu nem toco).

  • gradash Elton Gradash
    2019-07-16 17:43:02 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Não preciso da DLC, só me dá a música que to feliz!

    Pra quem não sabe chines (todo mundo aqui)

    A letra da música é um poema da era dos 3 reinos (próximo ao ano zero) escrita para filho do Cao Cao, Cao Zhi.

    煮豆持作羹,漉菽以為汁。 

    萁在釜下燃,豆在釜中泣。 

    本自同根生,相煎何太急?

    Inglês:

    People burn the beanstalk to boil beans,

    filtering them to extract juice.

    The beanstalks were burnt under the cauldron,

    and the beans in the cauldron wailed:

    "We were originally grown from the same root;

    Why should we hound each other to death with such impatience?

    Português:

    As pessoas queimam o pé de feijão para ferver o feijão,

    filtrando-os para extrair suco.

    Os pés de feijão foram queimados sob o caldeirão,

    e os grãos no caldeirão se lamentaram:

    "Nós nascemos originalmente da mesma raiz;

    Por que deveríamos nos perseguir até a morte com tanta impaciência?

    -------------------------

    O poema é uma metáfora para irmãos se matando.

    Total War: Warhammer II

    Platform: PC
    4 Players
    1 Check-in

    13
  • gradash Elton Gradash
    2019-07-16 10:35:57 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    19
    • Micro picture
      fernandovst · about 1 month ago · 2 pontos

      E principalmente, não gastar dinheiro(*corre)

      1 reply
    • Micro picture
      tassio · about 1 month ago · 1 ponto

      Pior que eu ficava brisando nessa musiquinhas também!!

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 month ago · 1 ponto

      Muito massa as trilhas...

  • gusgeek Gustavo Francescheto
    2019-07-13 18:51:05 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    68
  • manoelnsn Manoel Nogueira
    2019-07-12 10:54:03 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by manoelnsn: <p>#img#[647407]</p><p>Palavras sábias de um desenh

    Palavras sábias de um desenho chamado Daimidaler, HAUHAUHAUHAUHAUA

    Super Robot Taisen X

    Platform: Playstation 4
    3 Players
    1 Check-in

    24
    • Micro picture
      mateusfv · about 1 month ago · 3 pontos

      Vejo aqui um homem de sábias palavras, all hail the sacanagem \o/

      1 reply
    • Micro picture
      ryou · about 1 month ago · 2 pontos

      Agora fiquei curioso pra saber a frase original.

      1 reply
    • Micro picture
      rcukierti · about 1 month ago · 2 pontos

      Que?! Hahahaha

      1 reply
  • juninhonash Juninho Rodrigues
    2019-07-12 06:36:00 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Square com Exclusivo... Aham...

    Square diz que Final Fantasy VII Remake não vai sair pra outras plataformas, que não sejam as da Sony... Ok, vamos lá.

    Final Fantasy do 1 ao 6, exclusivos da Nintendo, todos saíram pra muitas plataformas, incluindo fora da Nintendo. Incluindo seus remakes como III e IV.

    Do VII ao IX, foram 1 ano exclusivos da Sony e todos saíram pra PC, posteriormente pra Android, remaster, etc...

    X, XII, XIII teoricamente eram exclusivos e todos saíram pra outras plataformas ainda que em casos bem tardios como o XII ou IX.

    Vale lembrar que Type 0 e Dissidia eram exclusivo de PSP, e TODOS saíram pra outras plataformas. Sem basicamente nenhuma exceção.

    Quando não era port, era remasterizado. Confia na Square, ela faz exclusivo sim... A base pode ser dobrada nos consoles da Sony em relação à Microsoft mas tem uma fatia do bolo bem grande fora dessa jogada.

    "Ah mas a Square quem disse"

    Minha reação:

    Final Fantasy VII Remake

    Platform: Playstation 4
    307 Players

    37
    • Micro picture
      gradash · about 1 month ago · 3 pontos

      Não existe nada pior que jogo exclusivo não importa a plataforma. Se você defende jogo exclusivo, você é um filha da puta elitista do caralho. #falei.

      5 replies
    • Micro picture
      fernandovst · about 1 month ago · 2 pontos

      Eu nem sei porque os cara ficam querendo que um jogo seja exclusivo uaheaueah

    • Micro picture
      tecnologgamer · about 1 month ago · 2 pontos

      Meia dúzia de gato pingado vai cobrir o investimento da Square nesse jogo. Aham, conta outra, Pedrinho.

      2 replies
  • 2019-07-11 13:19:10 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Arte do menu do meu TCC

    Ainda há espaço para polir ela, mas já estou feliz com o resultado.

    21
    • Micro picture
      gradash · about 1 month ago · 1 ponto

      tá bem legal mesmo

    • Micro picture
      roberto_monteiro · about 1 month ago · 1 ponto

      Bem bom! Vai ficar topezara =D

    • Micro picture
      filipessoa · about 1 month ago · 1 ponto

      Tá massa!

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...