farusantos

Indies, jogos não muito conhecidos e análises :) https://faru.wordpress.com/

Você não está seguindo farusantos.

Siga-o para acompanhar suas atualizações.

Seguir

  • farusantos Farley Santos
    2018-12-04 09:25:13 -0200 Thumb picture

    Análise: Monster Boy and the Cursed Kingdom

    Monster Boy and the Cursed Kingdom conquista com uma aventura variada e de ritmo ágil. Controlar Jin e suas várias transformações por um mundo imenso é uma experiência divertida por causa dos controles precisos e o desenho de níveis interessante, com puzzles e situações que exploram as habilidades dos monstros de maneiras criativas. Além disso, o visual é impecável com gráficos desenhados à mão e a música é muito bem produzida (algo natural, afinal a equipe de compositores é notável). Há alguns tropeços, como pequenos problemas de ritmo, contudo eles atrapalham muito pouco a experiência geral. No fim, Monster Boy and the Cursed Kingdom resgata e moderniza muito bem conceitos clássicos, sendo o resultado uma experiência excepcional.

    Análise completa

    Monster Boy and The Cursed Kingdom

    Plataforma: Nintendo Switch
    20 Jogadores
    1 Check-in

    5
  • farusantos Farley Santos
    2018-12-02 21:28:40 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>Joguei hoje Super Mario Party com amigos pela pr - Alvanista
    Super Mario Party

    Plataforma: Nintendo Switch
    65 Jogadores
    4 Check-ins

    Joguei hoje Super Mario Party com amigos pela primeira vez e me surpreendi positivamente com o jogo.

    Joguei mais o modo de tabuleiro clássico e gostei bastante do estilo geral: a pegada é bem clássica com algumas novidades estratégicas legais, como vários tipos de dados e tal.

    Os minigames, em sua maioria, são simples. Alguns são bem esquecíveis, já outros têm ideias interessantes. Os que eu mais gostei usavam os controles de maneiras mais criativas, como um que uma dupla precisa encaixar blocos e eles são movimentados por meio do giroscópio do Joy-Con. Outro legal é um que o controle é uma frigideira e precisamos fritar todos os lados de um cubo de carne.

    E nossa, achei impressionante demais que o controle "toca" uma música com a vibração do controle quando chega a nossa vez, bruxaria demais isso, haha XD

    Só achei mesmo uma pena que tem somente quatro tabuleiros. Tem alguns outros modos, mas não gostei tanto deles. O de ritmo é até legalzinho, mas o da corredeira eu achei bem meh, depois tenho que testar os outros. Torcer pra Nintendo lançar updates pro jogo, principalmente com mais tabuleiros. 

    Super Mario Party não é a glória do passado, porém tá no caminho certo :)

    7
  • farusantos Farley Santos
    2018-12-01 13:55:06 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>MUSYNX é um jogo indie de ritmo desses bem tradi - Alvanista
    MUSYNX

    Plataforma: PC
    1 Jogadores
    1 Check-in

    MUSYNX é um jogo indie de ritmo desses bem tradicionais, ou seja, basta apertar botões na batida da música. 

    Ele lembra bastante DJMAX, inclusive no visual, porém é bem mais simples e não tão difícil. O jogo já tinha sido lançado em outras plataformas antes e agora chega ao PC. Achei um lançamento interessante, pois não tem muitos jogos desse estilo no PC.

    A desenvolvedora é chinesa e o orçamento não é grandes coisas, o que significa que a trilha sonora não é lá muito conhecida: música asiática (C-POP, K-POP e J-POP), eletrônica e instrumental. Mas, mesmo assim, tem umas músicas bem legais.

    Sou suspeito de falar desse tipo de jogo, pois adoro jogos de ritmo. Mesmo sendo mais simples, MUSYNX é bem legal.

    5
  • farusantos Farley Santos
    2018-11-27 15:52:44 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>Monster Boy and the Cursed Kingdom finalmente es - Alvanista
    Monster Boy and The Cursed Kingdom

    Plataforma: Nintendo Switch
    20 Jogadores
    1 Check-in

    Monster Boy and the Cursed Kingdom finalmente está pronto, depois de quase cinco anos em desenvolvimento. Estou jogando no Switch e curti bastante o que vi até agora.

    O jogo usa como inspiração os títulos da série Wonder Boy in Monster World e teve a participação do criador Ryuichi Nishizawa. Sua mecânica mais marcante é a possibilidade de se transformar em outros animais para explorar o mundo e superar desafios.

    O primeiro detalhe que chama a atenção é o visual desenhado à mão. É um jogo incrivelmente bonito e bem animado, parece um desenho animado. As animações são repletas de personalidade e feitas com esmero, tudo passa uma sensação de capricho. Os cenários complementam a ambientação com várias camadas de elementos.

    Sobre o jogo em si ainda não dá para falar muito, pois joguei por volta de duas horas. O foco é em plataforma clássica, porém tem um mapa complexo no estilo metroidvania. As partes que eu joguei são bem lineares, no entanto vi vários pontos que não posso acessar ainda por não ter certas habilidades ou transformações. De qualquer maneira, tem segredos em todos os cantinhos e encontrei coisas em lugares que nem imaginava.

    E seguindo a tendência de vários indies, o jogo está completamente localizado para o Português do Brasil. Até o momento a adaptação está boa, com texto natural e sem erros.

    Até agora Monster Boy and the Cursed Kingdom me surpreendeu positivamente, espero que continue assim por todo o jogo :)

    11
  • farusantos Farley Santos
    2018-11-27 13:05:56 -0200 Thumb picture

    Análise: Persona Dancing: Endless Night Collection

    Persona 3: Dancing in Moonlight e Persona 5: Dancing in Starlight celebram a música e a temática estilosa da série na forma de ótimos jogos de ritmo. As memoráveis composições são acompanhadas de mecânicas sólidas, coreografias contagiantes e visual colorido, resultando em uma experiência repleta de energia. Além disso, vários níveis de dificuldade e inúmeros modificadores fazem com que o jogo seja acessível. As características cenas de interação entre os personagens estão presentes no modo Social, que contém várias esquetes divertidas que exploram as personalidades dos heróis. Infelizmente o jogo peca em ter conteúdo reduzido dividido em duas versões, com algumas repetições nas seleções — talvez fosse melhor um único título contendo tudo.

    Persona 3: Dancing in Moonlight e Persona 5: Dancing in Starlight são claramente direcionados para os fãs da série, que com certeza vão se divertir revendo seus personagens favoritos. Por sorte, por trás do fan service, há um jogo de ritmo competente e muito divertido. Escolha a sua equipe (ou até mesmo as duas) e prepare-se para dançar a noite toda.

    Análise completa

    Persona 5: Dancing Star Night

    Plataforma: Playstation 4
    23 Jogadores
    3 Check-ins

    5
  • farusantos Farley Santos
    2018-11-23 09:19:08 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>Part Time UFO é o primeiro jogo mobile da HAL La - Alvanista
    Part Time UFO

    Plataforma: Android
    1 Jogadores
    1 Check-in

    Part Time UFO é o primeiro jogo mobile da HAL Laboratory (desenvolvedora de Kirby, dos primeiros Smash Bros. e etc) e tem o charme característico da empresa.

    No jogo, somos um simpático ovni (que lembra bastante aquela transformação do Kirby) que precisa fazer alguns trabalhos para conseguir dinheiro. Para isso, o personagem usa uma garra no estilo daquelas de máquinas de shoppings para levantar e carregar coisas. Começa bem trivial, como colocar caixas em um caminhão, mas rapidamente fica bem maluco — já construí um templo equilibrando pilastras, pesquei peixes e já ajudei líderes de torcida em um campeonato.

    É uma mistura de puzzle com ação, a dificuldade é conseguir pegar as coisas do jeito certo e levá-las para pontos específicos. A física realista deixa tudo mais divertido e é muito comum as coisas desequilibrarem ou ficarem em posições malucas, haha. Tem, também, várias roupas desbloqueáveis com habilidades especiais.

    Gostei bastante do que já joguei, é um título que passou batido para muita gente, afinal mal teve divulgação.

    7
    • Micro picture
      mattfenrir · 3 meses atrás · 2 pontos

      kkkkkkkkkkkkkkk OVNI fofinho.

  • farusantos Farley Santos
    2018-11-22 09:17:37 -0200 Thumb picture

    Análise: Super Hydorah

    Super Hydorah é um shoot’em up para poucos por causa dificuldade acentuada. No entanto, é justamente essa característica que o faz muito divertido: conseguir superar os inúmeros perigos sem morrer é muito recompensador. A jornada cativa com estágios criativos e com muita variedade de situações, trazendo experiências únicas pelo caminho. Mesmo com habilidade, há um pouco de frustração com alguns problemas, como perigos difíceis de identificar nos cenários — por sorte eles aparecem com pouca frequência. Super Hydorah é uma ótima homenagem aos shoot’em ups de outrora sem deixar de ter identidade própria, fãs do gênero não podem deixar de conferi-lo.

    Joguei no Switch :)

    Análise completa

    Super Hydorah

    Plataforma: Nintendo Switch
    1 Jogadores
    1 Check-in

    3
  • farusantos Farley Santos
    2018-11-20 16:58:23 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>Não sou muito fã desses jogos do tipo "gatcha", - Alvanista
    SEGA Heroes

    Plataforma: Android
    5 Jogadores
    2 Check-ins

    Não sou muito fã desses jogos do tipo "gatcha", porém tenho curtido SEGA Heroes. Essa mistura de puzzle com elementos de RPG é bem legal, o que incentiva a fazer os movimentos de forma consciente. 

    Claro, como é um free  to play com gatcha tem grind até o fim dos tempos, no entanto não tô me dedicando muito, jogo de vez em quando bem relax. 

    Só incomodou mesmo o visual desses humanos, ficou bem estranho, esses personagens do Golden Axe mesmo ficaram assustadores, haha

    7
    • Micro picture
      mattfenrir · 3 meses atrás · 1 ponto

      Ficaram estranhos mesmo XD, mas eu curto o gênero "bejeweled".

  • farusantos Farley Santos
    2018-11-19 16:23:37 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>Segui para o Persona 3: Dancing in Moonlight dep - Alvanista
    Persona 3: Dancing Moon Night

    Plataforma: Playstation 4
    19 Jogadores
    3 Check-ins

    Segui para o Persona 3: Dancing in Moonlight depois de platinar o Persona 5: Dancing in Starlight. 

    Da primeira vez, quando joguei a versão japa no Vita, não tinha gostado tanto de P3D (provavelmente pq joguei pouco Persona 3, aí não criei os "laços emocionais" necessários, haha). No entanto, agora no PS4 gostei bem mais, só uma ou outra música que eu não gostei (como Mass Destruction - Tetsuya Kobayashi Remix, eta treco pavoroso).

    Já liberei todas as músicas, faltam só alguns eventos sociais para completar os troféus restantes. Em comparação com P5D, a platina aqui é levemente mais difícil pq tem mais troféus que exigem completar músicas na dificuldade All Night, mas nada que os facilitadores não resolvam :)

    6
  • farusantos Farley Santos
    2018-11-17 19:37:28 -0200 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>Super Hydorah é um shoot'em up de progressão lat - Alvanista
    Super Hydorah

    Plataforma: Nintendo Switch
    1 Jogadores
    1 Check-in

    Super Hydorah é um shoot'em up de progressão lateral com pegada clássica, bem parecido com Gradius. Já estava disponível em outros consoles, saiu pro Switch agora.

    É beeem difícil: você morre com um único acerto e perder todas as vidas significa recomeçar a fase desde o início. Por sorte, cada trecho de fase é curto, porém são sempre intensos por causa da presença de muitos inimigos e obstáculos.

    Mesmo assim, é bem legal, tô curtindo. Tem várias armas pra descobrir, fases distribuídas em um mapa com bifurcações (e com segredos nelas) e uns cenários bem criativos. Com o tempo eu fui aprendendo o jogo e agora morro bem menos, no entanto não deixa de ser meio frustrante às vezes, haha

    9
Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...