2018-08-17 13:27:30 -0300 2018-08-17 13:27:30 -0300

DOOM: Os Jogos Para Consoles Na Década de 90.

Single 3662457 featured image

1) INTRODUÇÃO:

A iD Software foi responsáveis por popularizar o gênero FPS com o lançamento de dois jogos fantásticos para PC na década de 90: Wolfenstain 3D (1992) e DOOM (1993).

O jogo DOOM para PC dispensa comentários, foi pioneiro em levar um jogo de tiro para um ambiente tridimensional a um nível mais sangrento e realista, na qual também se possibilitava jogar um multiplayer em rede. Devido à sua grande popularidade o jogo DOOM foi portado para quase todos os principais consoles de videogame durante os anos 90.

Então amigos do Alva, vou fazer uma pequena análise sobre cada versão/Port do jogo "DOOM" que saiu na década de 90 para os principais consoles de mesa da 4° e 5° Geração.

2) DOOM - JOGOS NA 4° GERAÇÃO:

Há cerca de 25 anos conseguiram fazer o que parecia ser impossível, levar o jogo DOOM de PC (93) para ninguém menos que os Videogames de 16 bits da Nintendo (SNES) e Sega (Mega Drive) .

4° Geração Console (16Bits)

O jogo para SNES possuía 22 dos 24 níveis singleplayer do PC, não foi usada a engine de DOOM, o mesmo foi desenvolvido do zero por um único programador independente "Randy Linden". Tudo isso só foi possível devido ao uso do Chip FX2 no cartucho, no qual foi o grande responsável pela mágica acontecer.

O cartucho de DOOM é um dos poucos de SNES que foi colorido na versão NTSC, o jogo tinha suporte para mouse, SuperScope e possibilitava multiplayer com modem XBand em pleno ano de 1995.

Mas nem tudo é maravilha, o jogo sofre com um frame-rate baixo na maior parte do tempo (10 a 15FPS), possui uma especie de moldura preta em volta da tela para melhorar o desempenho.

O jogo não apresentava texturas mapeadas no piso e teto, não tinha efeito de fumaça/faíscas das balas e os inimigos não possuíam lado nem costas sempre estão de frente para o jogador, tudo isso devido a limitação do console. O som para compensar é de ótima qualidade, na minha opinião a trilha sonora se iguala em qualidade com o PC.

Curiosidade:

Randy Linden o programador de DOOM para SNES, foi também o responsável por criar o emulador de PS1 o "bleem!" alguns anos depois.

*O cartucho para SNES possuia 16 Megabit (2Megabyte) desenvolvido inicialmente por Randy Linden (independente) depois com ajuda da Sculptured Software.

O jogo Doom para Mega Drive só foi possível devido seu add-on o "32X" que turbinava o console para 32Bits, o jogo se deriva do port feito para o Atari Jaguar.

O jogo também não ocorre em tela cheia, apresenta uma especie de moldura para atenuar problemas de desempenho. Devido a limitação do cartucho algumas texturas e objetos decorativos estão faltando, a paleta de cor também é bem limitada nessa versão e a imagem da impressão de ser um pouco mais granulada.

Com a pressa de terminas o jogo para o lançamento do "32X" ficou de fora alguns níveis do PC, os inimigos assim como no SNES possuem apenas sprites frontais e as musicas foram alteradas resultando em um som com qualidade ruim, sendo considerado como o pior áudio de todos os ports de DOOM.

A versão do "32X " de DOOM ocorre com frame-rate melhor que a versão de SNES, variando de 15-20FPS.

Curiosidade:

DOOM para 32X foi o primeiro port a ser lançado mas foi o segundo a ser produzido, sendo que o primeiro produzido foi para o Jaguar da Atari.

*O cartucho para 32X possuia 24 Megabit (3Megabyte) desenvolvido pela Id Software + Sega of America.

2.1) CONCLUSÃO - DOOM 4° GERAÇÃO:

Se considerarmos que ambos os consoles eram bem limitados na época para receber um jogo de PC com uma Engine 3D, eu considero que os dois conseguiram apresentar bons gráficos em seus consoles e considero bons jogos para cada plataforma. Na minha opinião tanto os gráficos como o desempenho no geral de DOOM para "32X" é um pouco superior a versão de SNES, sendo este ultimo com uma melhor qualidade do som.

3) DOOM - JOGOS NA 5º GERAÇÃO:

Aqui surgiram os consoles da geração 32Bits onde existia mais poder para receber o jogo.

5° Geração Console (32 e 64Bits)

Assim como foi no SNES e 32X o jogo DOOM para o "Atari Jaguar" era em cartucho e foi o primeiro Port Oficial a sair, serviu como base para o desenvolvimento das versões do 32X, 3DO, GBA e PS1.

O jogo DOOM para Jaguar possuía tela fullscreen, continha todas as armas, sangue e monstros da versão de PC. Oferecia um modo multiplayer para dois jogadores e co-op se você tivesse um Jaglink em 1994.

O jogo apresentava 22 mapas da versão de PC com algumas pequenas modificações na arquitetura na qual apresentava um desing mais simples com numero de texturas reduzidas.

O frame-rate como no 32X fica variando entre 15-20FPS, onde a maior parte do tempo fica em 20FPS.

A versão de DOOM para Jaguar foi a única que não possuía música durante os níveis do jogo, somente apresentava música nas telas de título e nas de intervalos.

*O cartucho DOOM para Jaguar possuía 32 Megabit (4Megabyte) o jogo foi desenvolvido pera Id Software.

O port de Doom para 3DO não teve muito sucesso, é considerado um dos piores da 5° Geração. Assim como nas versões de 32X e SNES apresentava uma moldura que reduzia a tela do jogo em até 6 tamanhos diferentes, onde as duas maiores somente por meio de códigos na qual quanto maior pior o desempenho do jogo.

O frame-rate do jogo é muito ruim e instável (8 e 20FPS) na maior parte do tempo fica a 10FPS, piorando conforme tamanho adotado da tela e maior quantidade de elementos para renderizar ao mesmo tempo.

O port desse jogo foi praticamente produzido por uma única pessoa a programadora "Rebecca Heineman" (Wolfenstein 3D) e pasmem em apenas 10 semanas, isso mesmo pouco mais de dois meses!

A trilha sonora em compensação é uma das melhores de todos os ports na minha opinião. Como Rebecca não teve tempo suficiente para fazer o port das músicas, a solução então foi gravar as músicas tocadas por uma banda na qual participava o CEO da "Art Data Interactive"(Desenvolvedora) na qual ficou com ótima qualidade.

*DOOM do 3DO foi desenvolvido pela Art Data Interactive, com assistência da Logicware, possui 230 MB.

PS1 - DOOM :

A versão do jogo para PS1 é uma conversão de “The Ultimate Doom” e “Doom II”, ou seja inclui 2 jogos em 1 (Doom original + Doom II) onde foi aproveitado o mesmo motor gráfico do port para Jaguar para o seu desenvolvimento.

O jogo possuía tela fullscreen e apresentava uma iluminação e cores um pouco diferentes da versão de PC, as musicas originais foram modificas recebendo um toque mais sombrio ficando assim mais assustador. Possuía multiplayer somente com link entre dois consoles.

O frame-rate em comparação com os outros ports é bem melhor e mais suave (25-30FPS), as texturas são um pouco inferiores da versão de PC e alguns níveis foram editados ou removidos devido a limitação do console.

*DOOM PS1 foi desenvolvido pela Williams Entertainment, possuía 277 MB.

PS1 - Final DOOM:

“Final Doom” de PS1 usava a mesma engine do primeiro DOOM é dividido em 3 episódios (Doom II Master Levels+ The Plutonia e TNT) na qual possuía 32 mapas dos 64 de PC. É uma espécie de pacote de expansão que oferecia novos níveis para DOOM 2.

Assim como o 1° DOOM de PS1 o jogo possuía as texturas inferiores a versão de PC e sua dificuldade um pouco menor. Os níveis onde apresentavam muitos inimigos elevando a dificuldades foram simplificados ou removidos para amenizar problemas de frame-rate no console.

Curiosidade:

O jogo ficou exclusivo para PS1 até 2012 quando saiu uma versão para PS3.

*Final DOOM PS1 foi produzido pela Williams Entertainment, possuía 238 MB.

A versão de DOOM N64 foi diferente de todas outras versões/ Port de DOOM que saíram para os consoles, a equipe de design da Midway projetou 32 níveis completamente novos a partir do zero com uma versão melhorada da Engine de Doom que aproveitava a capacidade do N64. O jogo é basicamente uma continuação apos eventos de Doom 2 e Final Doom.

Os gráficos do jogo foram atualizados ficando no geral mais refinados, recebeu também novas iluminações com um visual incrivelmente escuro, novas texturas para as armas e monstros. O som também sofreu algumas modificações, recebeu alguns gritos/vozes e a trilha sonora ficou com uma atmosfera + assustadora. O jogo ocorre quase sempre com um frame-rate de 30FPS, uma outra coisa que notei foi que retiraram aquela barra na parte de baixo da tela com "Doomguy" que aparece em todas outras versões.

Também teve alguns pontos fracos como ausência de multiplayer, não possuir recursos de saltar ou a habilidade de olhar para cima e para baixo deixando assim os controles mais simples oque não é tão ruim .

*Doom 64 foi produzido pela Midway em cooperação com a id Software, o cartucho possuía 64 Megabit (8MB).

O jogo DOOM para Saturn foi um dos últimos da 5° geração a sair, é uma versão do port lançado para PS1 com os mapas de Ultimate Doom e Doom II.

A versão para o Sega Saturn ganhou a reputação de ser o pior port de DOOM de todos os tempos.

A tela do jogo é Fullscreen e o frame-rate assim como ocorre no 3DO é péssimo (7 a 20FPS) ficando a maior parte do tempo a 10FPS, o tornando complicado de jogar. Oque me deixa intrigado é o fato que o Saturn poderia facilmente ter uma versão bem produzida de Doom assim como foi no PS1.

Pesquisei para saber o motivo do Port sair ruim, parece que o jogo para Saturn não foi nem um pouco otimizado para usar os processadores duplos do Saturn, o jogo utilizou-se da bibliotecas de software e geometria do console da Sony PS1 (arquitetura diferente) e consequentemente entregou um produto final bem abaixo. Alguns efeitos usados no PS1 foram removidos também nessa versão, achei que até mesmo que a versão do "32X" ficou mais fluida que no Saturn.

No lado positivo, o DOOM de Saturn mantém a trilha sonora da versão do PS1, que é uma melhoria da trilha sonora original do jogo.

Curiosidades:

Existe um boato que a versão japonesa do jogo para Saturn teria uma taxa de quadros mais alta em relação ao jogo americano/europeu, eu assisti uma análise da Digital Foundry e a taxa é praticamente igual.

No PS1 o tamanho total do disco de Doom é de 277 MB, no disco de Saturn Doom é de 589 MB. A principal razão pela qual a versão de Saturn é maior é devido à inclusão de mais faixas de CD de áudio.

*DOOM do SATURN foi desenvolvido pela Rage Software, possuía 589 MB.

3.1) CONCLUSÃO - DOOM 5° GERAÇÃO:

Na minha opinião o port que mais se aproximou da experiencia de jogar DOOM de PC foi no console da Sony PS1, em seguido vem o port par Atari Jaguar.

O jogo DOOM pra mim que apresentou os melhores gráficos e design dos níveis foi na versão do videogame da Nintendo o "DOOM 64".

Os piores ports de DOOM aqui na 5° Geração que eu achei foram os de 3DO e do Sega Saturn.

Bom pessoal me desculpem pelo texto que ficou grande. Obrigado a todos.

55
  • Micro picture
    jonomaia · 8 months ago · 2 pontos

    Depois que conheci esse jogo de verdade, me apaixonei perdidamente hahaha hoje digo facilmente que, para mim pelo menos, é um dos melhores -ou se não o melhor - jogos do mundo. Um dos poucos que conesegue ser bom ou muito competente em todos os aspectos. Muito legal o texto!!
    De recomendação, o video da Digital Foundry comparando os ports tambem é interessante

    1 reply
  • Micro picture
    artigos · 8 months ago · 2 pontos

    Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • Micro picture
    gus_sander · 8 months ago · 1 ponto

    Ideia muito interessante de trazer essas informações sobre as versões do Doom. Confesso que só conhecia a versão do PC mesmo, nunca tinha visto essas outras, com exceção a do GBA.
    Fiquei curioso pra analisar a versão de PS1 e N64, parecem realmente ter ficado muito boas.
    A propósito, ótimo texto e parabéns, ele entrou em destaque!! ^^

    2 replies
  • Micro picture
    mattfenrir · 8 months ago · 1 ponto

    Joguei o de PC e de PS1!

  • Micro picture
    kess · 8 months ago · 1 ponto

    Prum troço que rodava até em torradeiras... acho que só RE4 pode competir em tantos ports!

  • Micro picture
    santz · 8 months ago · 1 ponto

    Mesmo com tantas opções, nunca joguei Doom a sério.

  • Micro picture
    thiagorfgamer · 7 months ago · 1 ponto

    A primeira versão que eu joguei foi a de super nintendo em um emulador de snes para pc em meados de 2009 aos meus 8 anos kkkkk,eu me lembro inclusive que eu tinha medo de jogar ele...em seguida eu me lembro de ter jogado a versão em flash do game em um daqueles famosos sites de games em flash,depois disso joguei a versão de jaguar e a de 32x via emulação (obviamente),porem nunca joguei a versão original para pc 😐. No fim das contas o melhor port que eu joguei do game( a melhor versão que eu joguei considerando que não joguei a de pc) foi a do jaguar...pra mim essa versão ficou mt boa ,porem realmente o que deixa ela mais chata e a ausência das musicas...

    1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...