2019-04-30 10:43:17 -0300 2019-04-30 10:43:17 -0300
edfalcao Ed Falcão checked-in to:
Post by edfalcao: <p>Check-In 2 em 1! Zerei no <em>PlayStation 2</em>
Tom Clancy's Splinter Cell Double Agent

Platform: Playstation 2
456 Players
7 Check-ins

Check-In 2 em 1! Zerei no PlayStation 2 e comecei no PC!

Fiz a última missão duas vezes, baseado nas escolhas feitas no fim da penúltima missão (uma escolha importante em que a canônica só foi revelada em Conviction, até onde eu sei [ao fim das duas versões que eu vou poder dizer com certeza]). Confesso que fiquei um pouco decepcionado ao ver que a mudança é apenas uma fala, antes de o jogo voltar aos seus trilhos.

Dito isso, a última fase foi um desafio à parte. Acredito, agora, que os Splinter Cell tendem a ser cada vez mais lineares quando vão chegando ao fim, porque houve momentos em que a única opção era um corredor à frente. Na minha opinião, isso quebra um pouco a sensação de "predador das sombras" que faz a série ficar tão famosa. O jogo tem muito mais a se beneficiar de um level design que permita que o jogador tenha diferentes rotas pra realizar suas escolhas, reforçando a sensação de submarino, em que seu poder é muito maior quando furtivo em relação à sua fragilidade quando exposto. Enfim, divago. Voltando...

A última fase, apesar disso, tem umas escolhas interessantes e um final que coloca a série num caminho diferente dos outros três jogos. Talvez fosse hora, já que a trilogia inicial quase pode ser jogada em ordem diferente (talvez aqui e ali haja uma referência, mas o todo permanece o mesmo entre o começo e o final).

Há vários anos eu jogava as três fases iniciais, sem entender inglês e me frustrando ao querer zerar mas não tendo as ferramentas necessárias. Foi muito interessante, depois desses anos todos, finalmente entender o que eu não entendia e poder agir de acordo, fazendo dessa experiência muito mais pessoal pra mim. Meu eu de 12 anos ficaria feliz!

Então eu fui jogar a versão de PC.

Após o sucesso que foi esse post, no qual o @sergiotecnico me forneceu um excelente suporte técnico (hahaha) para fazer com que funcionasse a versão de PC, consegui fazer as missões iniciais e de cara já notei as diferenças entre as versões das 7a (PC, PlayStaion 3 e Xbox 360) e 6a (Xbox, PlayStation 2, GameCube e o penetra da sétima, o Wii) gerações (denominadas, respectivamente, de Versão 1 e 2 de acordo com a Wikipedia do Splinter Cell). O foco na narrativa é muito maior na Versão 1, com mais cutscenes e interações. A discrepância entre orçamentos entre as versões fica ainda mais clara, já que todo o foco publicitário foi pra ela, por exemplo. As missões de Quartel General da JBA são muito mais críticas, visto que agora você não tá com a touca ninja, mas com o rosto à mostra e correndo risco de perder confiança caso seja visto espreitando onde não devia. Agora, também, Emile tem uma presença muito maior, aparecendo e te olhando nos olhos enquanto espera que você tome uma decisão difícil. Achei muito legal!

O problema com a versão de PC parece totalmente arbitrário  (como sabemos, máquinas já possuem personalidade e é uma questão de tempo até a Boston Dynamics nos dominar) e por vezes a missão carrega, por vezes não. Outra coisa que percebi que ajuda é ligar uma tela na entrada HDMI e deixar o Task Manager aberto enquanto o jogo carrega, o que não faz sentido nenhum, mas funciona.

Já quero continuar! Obrigado @sergiotecnico!

11
  • Micro picture
    sergiotecnico · about 1 year ago · 2 pontos

    Precisando, estamos aí... o importante é nunca parar a jogatina!

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...