djcoston

Tentando reunir os fãs de RPG/JRPG, Megaten e Tales of

You aren't following djcoston.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2016-06-15 15:13:26 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Persona 5: Novas Informações

    O Nome do nono membro da Party é Goro Akechi (provavelmente baseado no Sherlock japonês Kogoro Akechi

    Social Links serão chamados de Cooperation e trailer dos NPCs.

    Munehisa Iwai -Hanged Man-

    Sojiro Sakura (Pai da Futaba) -Hierophant-

    Tae Takemi -Death-

    Detalhes das novas mecânicas de combate:

    A acão do jogo se passará num mundo alternativo chamado de Palácio. Nesse lugar é possivel reformar adultos podres ao roubar o seu "tesouro"

    Uma variedade de ações novas como a de apertar o botão circulo para se esconder dos inimigos.

    Uma habilidade chamada de Terceiro Olho pode ser ativada em locais suspeitos para resolver puzzles ou encontrar itens.

    É possivel fazer um ataque surpresa se caso o inimigo não te ver.

    Ao pressionar o R1 em combate, um modo de assistência será ativado que automaticamente atacará os pontos fracos dos inimigos.

    Novos elementos foram adicionados para o combate como o "calor nuclear" e a "telecinese"

    Habilidades especificas utilizadas quando um inimigos é atingido com um efeito de status negativo vai dar mais dano.

    Calor Nuclear é eficaz contra inimigos queimados, congelados ou eletrocutados. Telecinese é eficaz contra um inimigo com status negativo do tipo mental.

    Mais informações

    Persona 5

    Platform: Playstation 4
    780 Players
    441 Check-ins

    15
    • Micro picture
      jcelove · almost 4 years ago · 3 pontos

      NECESSITO DESSE GAEM

    • Micro picture
      artoriasblack · almost 4 years ago · 2 pontos

      Ou seje: o Goro Akechi vai ser a "Naoto" desse Persona

    • Micro picture
      djcoston · almost 4 years ago · 2 pontos

      Excelente!

  • 2016-04-13 23:32:15 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Você deveria jogar: Koudelka

    Medium 3298178 featured image

    Em 1999 os donos do Playstation ainda tinham muitos motivos para sorrir com seu console: A plataforma de estreia da Sony no  mercado de games mantinha seu reinado de forma isolada mesmo com a eminete chegada de seu sucessor com uma biblioteca imensa de títulos.

    Dentre os muitos gêneros que despontaram nessa época podemos destacar 2 que marcaram muitos jogadores e continuam vivos na memória de muitos ainda hoje: o Survival Horror, representado por Resident Evil e o JRPG que só foi notado de verdade  pelos "senpais" ocidentais com Final Fantasy VII. 

    Dois gêneros bastante distintos mas que encontraram um ponto em comum nesse título, surpreendentemente publicado pela rainha dos arcades de luta, SNK.

    Capa japonesa do jogo

    Monstros & Monastério

    Koudelka foi desenvolvido pela desconhecida e já extinta Sacnoth, um pequeno estúdio criado por Hiroki Kikuta compositor, dentre outras coisas, da trilha de Seiken Densetsu 2 e 3 (as continuações do famoso Secret of Mana do Snes, nunca lançadas no ocidente), que resolveu sair da Sqauresoft pra realizar um sonho.

    Reza a lenda que Kikuta desejava fazer RPGs diferentes de Final Fantasy e decidiu sair da empresa após negarem a proposta de desenvolver seu projeto por lá.

    Empolgado ele achou abrigo na SNK e apostou tudo num jogo que apesar de não ser exatamente revolucionário, conseguiu realmente ser diferente de qualquer outro jogo até hoje.

    Trailer incluso na revista oficial Playstation inglesa na época

    Koudelka na maior parte do tempo um survivor horror nos moldes de Resident Evil: cenários (goticamente belos) e personagens com movimentação "tanque" presos numa enorme mansão (monastério na verdade) cheia de mistérios e horrores, muitos itens para serem coletados, backtrack e um ou outro puzzle simples. Seria um "clone vitoriano" de Resident Evil se não houvessem batalhas aleatórias enquanto anda pelo cenário  e combates por turnos num grid de RPG tático!

    Mistura um tanto estranha né? Concordo e devo confessar que essa estranheza me afastou por vários anos de jogar o game. Quando vi que toda hora podia ter batalhas por tuno "iguais" a Final Fantasy Tactics (todo RPG tático era igual e FFT pra mim na época, perdoem a ignorância juvenil), desisti do jogo imediatamente mesmo curtindo a premissa e visual. Eu tinha aversão por RPG tático por não fazer idéia de como jogava na época.^^

    Felizmente dei outra oportunidade ao game anos atrás e pude reparar esse grande erro (dei oportunidade a FFT tbm e hj amo TRPGS japas) e só então que percebi que o modo de combate dele não tinha nada de outro mundo e era bem simples até.

    Mas vamos falar primeiro do enredo:

    Koudelka se passa em 1898 na Inglaterra, num monastério situado em Aberystwyth. A história do jogo começa com uma bela CG mostrando a protagonista que da nome ao game invadindo o local,  aparentemente abandonado. Mais tarde se expplica que ela e uma medium e o motivo de invadir o lugar é devido a um pedido de socorro que ela recebeu de um espírito aprisionado de alguma forma no tal monastério.

    A primeira coisa que ela encontra ao chegar é um jovem gravemente ferido que a alerta do perigo eminente e lhe dá uma pistola para que se defenda. Em seguida a heroina é atacada por uma espécie de lobisomem e usa a arma para vence-lo.

    Após o combate o rapaz conta que seu nome é Edward. Ele assim como Koudelka também invadiu o monastério, mas por um motivo bem menos nobre: ávido por aventura ele ouviu na capital que o prédio tinha muitas riquezas e mulheres(?!) para se saquear e foi conferir, se dando mal na armadilha do monstro.

    Como forma de retribuir a ajuda que recebeu, Koudelka usa sua magia para curar os ferimentos de Edward e os dois resolvem seguir juntos na exploração do lugar. Pouco depois os dois Conhecem James, um padre mandado pelo Vaticano para investigar o monastério e a partir dai está formada a party e os três se veem presos num pedaço do inferno na terra, cheio de monstros bizarros, mistérios e ersonagens que não são o que aparentam e uma trama cheia de surpresas.

    O trio, apesar dos conflitos de temperamento e intenções, funciona de forma perfeitamente complementar nas batalhas: Edward, representado pelo cavalo do jogo de xadrez, é o tanque do grupo, com grande força física e resistência mas quase nenhuma habilidade mágica, James, o bispo é o mais balanceado dos 3, podendo se sair bem tanto no ataque físico quanto em magias (recomendo magias de ataque)  e Koudelka, a rainha, é a mais frágil fisicamente, mas com muita habilidade para o usos de magias tanto de cura quanto de ataque.

    O jogador pode usa-los e desenvolver habilidades da forma que quiser, mas é altamente recomendável seguir essa formação para se ter uma vantagem nas frequentes batalhas do jogo.

    Como já citado acima, o jogo tem o famigerado sistema de batalhas aleatórias que era tradição nos JRPGs, dai em quase todos os cenários Koudela pode ser "sugada" para uma batalha sem aviso. A grande diferença entre Koudelka e os outros JRPGs está na sua part survivor horror. Como no clássico Resident Evil, não se pode sair gastando suprimentos adoidado porque eles são escassos e se o jogador sair usando armas de fogo pra todos os inimigos que enfrentar rapidamente vai ficar sem munição alguma.

    Essa era uma das grandes falhas do jogo pra mim na época, afinal nos Survivor horror a escassez de  munição e itens te incentivava a EVITAR os confrontos enquanto a parte JRPG de Koudelka te empurrava pra eles a cada passo. NO entanto, se seguir uma formação eficiente, dificilmente vai ficar sem itens ou munição, basta usar com parcimônia nos combates e abusar das magias e golpes físicos também.

    O sistema de batalha não tem muitos segredos. ao iniciar o jogador tem um grid onde deve posicionar os personagens e move-los até o inimigo para que possa atacar. 

    Cada personagem tem seu turno e pode usa-lo para se mover ou fazer uma ação de ataque. Os personagens dependem de Magic Points para soltar magias e tem atributos padrão do gênero como SRT (força) MAG (magia) INT (inteligência) e por ai vai. 

    O trio ganha experiência a cada batalha vencida, tendo aumento de atributos e o jogador pode investir alguns pontos no atributos que mais quiser desenvolver também.

    As magias também ganham experiência conforme forem usadas podendo chegar ao máximo no terceiro nível.

    Fora das batalhas o jogo segue o esquema padrão dos survivor horrors. O jogador controla Koudelka e explora os cenários procurando por chaves e itens para poder avançar, 

    O enredo é bem interessante e diferente da pegada medieval ou futurista que reinava nos RPGs da época, cheio de conspirações , revelações sinistras e personagens camrismáticos como a pequena e diabólica Charllote, um fantasma vingativo que tenta matar o  grupo várias vezes, o simpático casal Hartman, que "recepciona" o trio e os próprios protagonistas, todos cheios de personalidade, brigando o tempo inteiro quando não estão prestes a morrer.

    O jogo conta com CGs que eram top de linha na época e ainda são legais hoje recheando os 4 discos e gráficos muito bons, com modelos redenizados em tempo real muito detalhados.

    A parte sonora é outro destaque, com músicas marcantes e envolventes compostas pelo próprio Kikuta, que ficam na memória deste que vos escreve até hoje, como o tema de batalha, Waterfall:

    O jogo tinha um desafio considerável muito por causa do gerenciamento das batalhas e também pelo fato de existirem alguns puzzles mais complicados e dois finais, sendo que para conseguir o melhor é preciso chegar no ultimo boss do jogo portando um certo item que a protagonista perde no meio da aventura e tem algumas oportunidades de resgata-lo, mas sem aviso do jogo.

    Como todo bom JRPG tem um super boss opcional muuuuuiiito mais dificil que o ultimo boss do jogo (que eu nunca consegui derrotar, diga-se de passagem, pelo nivel de grind que exige) e muitos itens pra se coletar no caminho.

    O game realmente cumpriu o desejo de seu criador, sendo uma mistura bem peculiar, que apesar de bem feita, infelizmente não agradou a massa. A verdade é que dificilmente um cara que jogava Resident Evil ou Silent Hill iria curtir as batalhas por tunos randômicas (e irritantes pela frequência as vezes) e um jogador de RPG poderia ter dificuldade pra se adaptar ao visual e mecânicas de survivor horror, dai o jogo entrou naquele esquema de ame-ou-odeie e teve uma recepção mista pela critica. 

    Parte da mídia especializada curtiu, outra parte acheou apenas mediano e as vendas foram bem modestas. O jogo foi um grande fracasso comercial e acabou arruinando a Sacnot financeiramente como todo bom cult...

    Não é um jogo pra todos, mas recompensa e conquista quem dá uma chance com certeza. O enredo é bacana, os personagens legais e o gameplay divertido e competente quando se acostuma.

    Apesar de vir em 4 CDs o jogo era relativamente curto para um RPG, podendo ser terminado em menos de 10 horas. O que tomava espaço nos discos eram as CGs mesmo.

    Legado

    Houve uma adaptação pra mangá escrita e  ilustrada por Yuji Iwahara no mesmo ano do jogo. Ela era uma espécie de prequel do jogo sem ligação direta contando o passado da protagonista e como ela descobriu seus poderes. O título conta com 15 capítulos e pode ser facilmente encontrada para leitura online hoje em dia:

    http://mangas.centraldemangas.com.br/koudelka/koud...

    Koudelka é predecessor  da série Shadow Hearts lançada no PS2. A trilogia que nasceu e morreu no Playstation 2  se passa no mesmo universo,tendo inclusive a participação (sutil) da própria Koudelka como mãe de um dos personagens do primeiro jogo. A série apesar de nunca ter tido grande destaque tem fãs fiéis e qualidade indiscutivel, mas traz um gameplay bem mais tradicional e bem diferente do primeiro trabalho da Sacnot.

    E então, jogou? Nunca ouviu falar? Jogou e achou ruim na época por não entender? Tem sugestões pra essa coluna? Conta ai nos comentários pra nos alegrar e mostrar que valeu a pena passar um tempão escrevendo isso.^^

    @jclove

    Koudelka

    Platform: Playstation
    204 Players
    10 Check-ins

    90
  • 2016-03-29 16:23:59 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Tradução lançada!!!!

    E mais um grande jogo tem a tradução finalizada!!! 7th Dragon 2020 é a sequência do primeiro 7th Dragon lançado para o Nintendo DS!  Esse é o segundo da série que contém duas partes que foram lançadas para o PSP. Diferente do primeiro game, esse se passa totalmente em Tóquio.

    Pra quem não conhece a série 7th Dragon, ela tem várias características do Etrian Odyssey, uma série famosa de dungeon crawler em primeira pessoa lançada para os portáteis mais atuais da Nintendo. A diferença nesse é que a exploração não é em primeira pessoa, somente a batalha.

    O maior charme da versão do 7th Dragon do PSP, é que ele possui a participação da Vocaloid Hatsune Miku, tanto como personagem, como para a opção de troca da trilha sonora toda cantada. A Miku faz até uma participação na abertura do jogo:

    Ainda não tenho muitas imagens da tradução, mas logo logo atualizo aqui. Quem quiser conferir aqui está o link para a dita tradução:

    http://www.romhacking.net/translations/2621/

    Nosso amigo @jvhazuki da @rpgcriticalhit que zerou o primeiro 7th Dragon do Nintendo DS a pouco tempo deverá gostar bastante da notícia! o/

    7th Dragon 2020

    Platform: PSP
    71 Players
    29 Check-ins

    29
  • 2016-03-05 12:16:09 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    5 indicações: Nintendo 64

    Medium 3275761 featured image

    Eu sei, deveria ter saido  na semana passada, mas dessa vez houve um motivo de força maior: burrice de continuar escrevendo textos imensos direto na Alva. 

    Estava terminando o artigo dias atrás e deu um tilt na página fazendo perder tudo e me deixar afim de não escrever mais nada por uns tempos XD

    Mas fazer o que né? Vamos de novo. Peço desculpas também por não poder cumprir com algumas regras (que eu mesmo impus a coluna) como ter a lista formada apenas por exclusivos. Achei que seria dificil fazer a lista do Xbox, mas não lembrava o quando o gênero é escasso no ultimo console de cartucho da Nintendo.

    Console que fez a infância de muita gente feliz, o 64 também marcou uma série de mudanças que tiraram a Big N da liderança do mercado, entre elas o rompimento com a parceira de longa data Squaresoft, que levou suas franquias de RPG pro novato Playstation e construiu uma geração de adoradores do gênero.

    Sem apoio da maioria das third parties a Nintendo até se esforçou e lançou grandes jogos pro console mas no quesito RPG chegava a ser deprimente. 

    Literalmente dá pra contar nos dedos os lançamentos ocidentais de JRPGs pra ele, isso se você considerar Legend Of Zelda e seus clones como Action Rpg. Se for daqueles que o veem só como jogo de aventura, a lista pode ser contada com a mão esquerda do ex-presidente Lula e ainda vão sobrar dedos U_U. 

    Olha aqui pra ter uma idéia:

     http://www.legendra.com/rpg/liste_compendium-sr-10...

    Repare que consideram jogos cancelados como Fire Emblem e Mother 3 e outros totalmente adventure (como o excelente Shadowgate 64) RPG e ainda assim a lista é minúscula.

    Mas vamos ao  que deu pra fazer: como sempre evitamos os títulos mais famosos (leia-se Paper Mario e Zelda, SE você considera Zelda RPG) e realmente ficou difícil. pra completar os 5 tivemos de apelar pra multiplataforma e jogo de ação com elementos de RPG, mas tem coisa boa.Vamos a lista:

    Ogre Battle 64: Person of Lordly Cliber (SRPG) - Atlus/Quest

    Um dos jogos mais caros do 64 no meio colecionista hoje em dia, OB 64 foi o terceiro título da série Ogre, mesma do aclamado Tactics Ogre: let us cling together "pai" de Final Fantasy Tactics..

    Desenvolvido pela antiga Quest, cujos membros foram assimilados pela Squaresoft  pouco depois o jogo é uma sequência do primeiro game da série, March of the black Queen, e traz  um enredo cheio de intrigas envolvendo jogo de poder, política, religião e muitas batalhas, dessa vez no controle do protagonista Magnus Gallant.

    O gameplay segue o mesmo padrão do original e é diferente do que se vê no gênero hoje em dia. 

    O jogador não controla unidades individuais mas "unions" formadas por até 5 unidades de classes variadas pelo mapa e ao se encontrar com unions inimigas o jogo entra em modo de batalha que apesar de ser em turnos não tem intervenção direta do jogador.

    O jogo manteve a qualidade da série, com visual bacana e excelente OSTsendo  bem recebido pela critica, sendo até hoje o melhor (não por ser o único, fique claro^^) RPG tático do console. 

    A versão em cartucho completa com caixa e manual alcança valores astronômicos em sites de leilão hoje em dia, mas a Nintendo lançou em versão digital no virtual console do Wii anos atrás também.

    Hybrid Heaven (Turnos) - Konami

    Esse talvez seja o mais obscuro da lista. HH é um jogo da Konami que mistura ação e exploração estilo Tomb Raider  com batalhas por turnos bem peculiares.

    O enredo se passa em um futuro próximo e tem uma ambientação mais contemporânea e dark. Existoa até uma lenda na época  de que seria uma versão de Metal Gear Solid pro 64, apesar de não haver ligação nenhuma do pessoal da produção com a equipe de Kojima.

    No jogo se controla o protagonista Jhonny Slater, um clone sem memórias  criado por Aliens  que se vira contra seus mestres ao matar um outro sintético que seria usado para substituir um dos guarda-costas do presidente dos EUA. Mirabolante? Isso é só o começo.

    O enredo envolve experimentos com clones e seres hibridos feitos por aliens que tem uma base gigantesca no subsolo da cidade de Manhatham. 

    Quando encontra um inimigo Slater entra em modo de batalha que lembra um jogo de luta estilo Tekken, só que apesar dos personagens poderem se movimentar, os golpes e ações são executados por turnos.Conforme avança e ganha experiência Jhonny aprende mais e mais golpes.

    O jogo teve certo hype mas quando lançou não agradou muita gente, chegando a ter notas abaixo de 5 em algumas publicações mas vale pala mistura curiosa de estilos e pelo sistema de batalha (que fica meio boring no final) mas é meio único.

    Mystical Ninja Starring Goemon (ARPG) - Konami

    Goemon e sua turma são bem conhecidos no Japãao e tem inúmeros jogos pra várias plataformas desde o Game Boy, porém a maioria ficou no Japão (provavelmente por ser um jogo extremamente japonês) e muita gente só conheceu os personagens no jogo do N64.

    Trata-se de um jogo de aventura/plataformas com elementos de RPG e muito humor e referências a cultura japonesa. Apesar da câmera ruim  é um game bem divertido que merece estar na biblioteca de quem curte o console.

    Megaman 64 (ARPG) - Capcom

    Bem, acabou os exclusivos e tivemos de improvisar. Megaman Legends, que  não é lá uma série obscura, apesar de muitos fãs ignorarem e até fez certo sucesso no Ps1. 

    O N64 só recebeu um port do primeiro jogo, quase um ano depois do console da Sony, mas é uma boa opção pra quem quer um dungeon crawl com visual colorido e piadinhas bacanas. A jogabilidade é meio problemática, mas dá pra relevar.

    Harvest Moon 64 (Simulação de fazendinharpg?) - Natsume

    Não tem muito o que se falar de Harvest moon. Mais um simulador de vida no campo que RPG, o jogador assume o papel de um jovem da cidade que herda a fazenda de seu avô e tem de se adaptar a vida no campo. Ao invés de batalhas randomicas, a luta é contra o tempo, pois é preciso administra-lo bem pra saber como cuidar da platação, comprar suprimentos, animais, vender tudo e ainda fazer amizades e quem sabe, uma pretendente que virará sua esposa.

    É um tipo de jogo em que você ama ou odeia. Mas pode ser legal pra relaxar em meio a jogatina de outros títulos mais hardore. Se bem que apesar de ser considerado um dos melhores jogos dessa enorme série, dizem que administrar o tempo e conseguir um perfect ending é extremamente difícil nesse.

    A versão do 64 é é bem similar a do PS1  com gráficos melhores e mesmo enredo (esse jogo  teve um port ainda melhor no GBA).

    Enfim, como sempre, diz ai o que achou da lista, se chegou a jogar algum RPG do N64 (só não vale Quest 64, please!!!hehe), o que acrescentaria a lista...comentem!!^^

    @jclove

    Hybrid Heaven

    Platform: N64
    167 Players
    1 Check-in

    22
    • Micro picture
      matheusps92 · about 4 years ago · 2 pontos

      Poxa, eu ia sugerir Quest 64 =P auhsuahsuahsuh era o único RPG além do Paper Mario que eu conhecia pra plataforma. O Nintendo 64 se sobressaiu muito nos jogos de plataforma 3D, mas no quesito RPG foi uma desgraça... Se bem que Paper Mario é um baita jogo.

      6 replies
    • Micro picture
      jrpgheroes · about 4 years ago · 2 pontos

      Uma pena que o Fire Emblem n64 foi cancelado

      2 replies
    • Micro picture
      seufi · about 4 years ago · 2 pontos

      Esse ogre battle 64 é o mesmo esquema do March of the black Queen do SNES?

      1 reply
  • 2016-03-08 18:58:40 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    2 Anos de JRPG Heroes!!!

    Hoje faz exatos 2 anos da criação do fórum JRPG Heroes! Pra quem não conhece essa persona aqui no Alvanista foi criada com a mesma intenção do fórum, e tem de ideia tentar juntar o pessoal que curte o gênero RPG e juntar o máximo de informação sobre o mesmo. O Título de "J"RPG foi na época criado pra ter um diferencial na hora de pesquisar, não queremos tratar somente de RPGs japoneses, e sim de RPGs em geral, de turno, ação, tiro, etc.  E o Jack Frost é um dos nossos mascotes, hee-ho! o/

    Lá no fórum um dos maiores sonhos nosso é o de montar uma database com todos os RPGs lançados e tentar montar um tópico informativo para cada um desses jogos e manter atualizado conforme vierem novos anúncios e lançamentos! Sei que isso vai dar uma trabalheira danada, mas com o esforço do pessoal estamos progredindo.  ^^

    http://jrpgheroes.boards.net/

    Agradeço todo o pessoal que fez o fórum crescer, a equipe que vem ajudando aqui no Alvanista, e todos os seguidores daqui. Muitíssimo obrigado! <3 ~@djcoston

      @jclove, @katsuragi, @kosmikhaos, @dantares

    Shin Megami Tensei: Persona 4 Golden

    Platform: Playstation Vita
    825 Players
    506 Check-ins

    38
    • Micro picture
      jrpgheroes · about 4 years ago · 3 pontos

      E continuaremos por muitos e muitos anos apreciando e apresentando para todos esse belissimo genero

    • Micro picture
      nakero · about 4 years ago · 2 pontos

      Aew aew!!! \o/

      1 reply
    • Micro picture
      tlink · about 4 years ago · 2 pontos

      Parabéns!! É uma das personas mais legais que eu sigo! (Y)

      2 replies
  • 2016-03-07 22:16:13 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    O primeiro Devil Summoner

    Shin Megami Tensei: Devil Summoner é um JRPG dungeon crawler da empresa Atlus,lançado em 25 de dezembro para o sistema Sega Saturn. uma das ramificações da série SMT, denominada “Devil Summoner” onde terá mais quatro jogo ao levar esse subtítulo futuramente em plataformas diversas.

     Originalmente esse game não fora para o ocidente devido a um “boato curioso” sobre o jogo: A Atlus japonesa queria levar o Devil Summoner para o publico ocidental e estava extasiada com a ideia da franquia expandir e ter fãs pelo mundo. mas a filial americana dispensou o game, por não acreditar que um Rpg japonês daquele nível não emplacaria no ocidente em 1995. então, a Atlus lançou o jogo apenas para o público nipônico.   Dois anos depois, após o fenômeno que foi Final Fantasy 7,(ainda a versão japonesa do jogo mais ilustre da Square) a Atlus americana procurou a filial japonesa para lançarem a continuação de Devil Summoner (o espetacular Soul Hackers) no mercado ocidental. Contudo, a Atlus nipônica, ressentida pelo passado, recusou a oferta de levar a série para longe de sua base patriacal. Conclusão da estória: Devido a uma dispensa de uma oportunidade, não temos infelizmente esses jogos traduzidos para o inglês no Saturn...prosseguindo.

    O enredo do game envolve um jovem mediocre leva a sua namorada Kumiko Hatano a biblioteca municipal e após sair com pressa para resolver um assunto em outro distrito da cidade, por um acaso de sorte/azar, acaba sendo salvo por Kyoji Kuzunoha, onde esse tem um trabalho exótico, ganha a vida caçando monstros. Após a pequena aventura com o homem de terno branco e com uma chamativa gravata amarela, resolve ir para casa. Mal sabe esse que ele estará mais envolvido na ocupação de “Devil Summoner” do que ele jamais pensou.

     O jogo lembra a franquia principal em muitos aspectos. Onde inicialmente, através de uma NPC , uma senhora com poderes de clarividência chamada Mary Kisaragi, lhe designa para locais onde estão havendo ataques de criaturas onde aparentemente não se sabe o porque dos personas surgirem nesses lugares. onde podem emergir num shopping local, num prédio de uma multinacional, nos esgotos,num plano astral até incluso um dos circulos do inferno entre outros. Como um dungeon crawler, o jogador enxerga pelos olhos do protagonista onde esse deve caminhar pelas fases em labirinto enfrentando os personas/monstros/seres mitológicos/celestiais com a sua espada, utilizando armas de fogo ou mesmo tentar conversar com as criaturas para com sorte, se unirem a você na sua busca. Onde pode ser fácil ou não convence-los a ir com você dependendo das fases da lua, onde numa “Full Moon” (Lua Cheia) os monstros não irão querer dialogar com o protagonista.    

     Nas dungeons, com o uso da COMP, o jogador pode utilizar o mapa onde grava o caminho trilhado por você pela fase ou usar a magia “Mapper” da sua assistente Rei Reiho, essa que antes auxilia Kyoji em seus casos para ver a planta da fase enquanto anda pelo cenário. A COMP permite a função clássica de evocar as personas para lutarem ao seu lado onde há quatro espaço para preencher em combate e mais 12 espaço onde mais monstros podem ser agregados. Esses gastam Macca (uma especie de mineral de cor esverdeada que é utilizado na invocação de personas) para serem convocados e a mesma se gasta durante o seu caminho pelas dungeons ou mesmo no Yarai Ginza.

     Em Devil Summoner, a cidade de Hirasaki é dividida em distritos. Mas a base principal de investigações de Kyoji se localiza em Yarai Ginza (um centro comercial) onde se pode comprar itens de cura e status, lojas de armas, uma loja de artigos incomuns que causam efeitos uteis como poder sair de uma dungeon não importando aonde você esteja ou salvar o seu progresso ainda na fase entre outros efeitos, um hospital incomum numa academia de boxe (???), o Hotel Goumaden onde se realiza a fusão dos monstros para criar um outro com mais força e poder e fazer a fusão de espadas encontradas no jogo. (Sobre os personas, desde que o seu nível se iguale ou maior ao invocado), bares, a danceteria “Innoncence” onde a dona do local, Madame Ginko lhe dará alguma informação se a encontrar em certas fases da lua...o banco de Macca, onde se pode trocar Macca por dinheiro e vice-versa.

     As criaturas se dividem em Neutral,Law e Chaos. Mas há ramificações dessas três classes como Neutral Chaos, Law Neutral, Chaos Chaotic entre outras váriações e quanto mais personas de tal classe o protagonista se sentir com mais afinidade, menos Macca para invocação ele gastará. E alguns personas de certas classes não se misturam a outros como um monstro Law não irá querer ser invocado com vários da classe Chaos no grupo e o contrário também é válido.

    A trilha sonora é oscilante, há musicas ok, boas e outras nem tanto. Sons de fases como Astral World ou Creatcious são bonitas e outras como o tema de batalha podem lhe irritar os timpanos, e o tema da batalha final, soa um pouco genérica, infelizmente.      

    Shin Megami Tensei: Devil Summoner poderia ter sido apresentado mais cedo para o ocidente, pena o jogo ter sido visto e apreciado pela maioria de fãs, num port 10 anos depois no portatil da Sony, após o sucesso de Raidou Kuzunoha. Esse é um Devil Summoner em estado bruto, mas para os fãs de Megami Tensei, tem suas qualidades onde se passou pelo umbral para o resto dessa ramificação da franquia principal.

    humildemente me despeço.

    Shin Megami Tensei: Devil Summoner

    Platform: Sega Saturn
    37 Players
    6 Check-ins

    34
    • Micro picture
      djcoston · about 4 years ago · 3 pontos
    • Micro picture
      katsuragi · about 4 years ago · 3 pontos

      EU QUERO JOGAR ESSA DROGA ATÉ HOJE, JOGAR PODENDO ENTENDER, DIGO!
      Demon talk mesmo já é meio complicado, em japonês então? AHHHHHHHHHH
      E a trilha sonora dele é excepcional. *-*
      Sem contar que o Kyouji é FODA, adoro esse design dele!
      Excelente post! Qualidade @megaten ! Demoníaco!

      7 replies
    • Micro picture
      nakero · about 4 years ago · 3 pontos

      Esse é um que espero para jogar ._.'

  • dantares Pedro
    2016-03-05 10:08:25 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Novo trailer de NiOh mostra gameplay da TGS 2015

    A Koei Tecmo divulgou a pouco um novo trailer de NiOh com gameplay mostrado a portas fechadas na Tokyo Game Show do ano passado.

    NiOh

    Platform: Playstation 4
    633 Players
    443 Check-ins

    11
    • Micro picture
      djcoston · about 4 years ago · 2 pontos

      Está foda demais!

    • Micro picture
      vine · about 4 years ago · 1 ponto

      Sai esse ano? É exclusivo de PS4?

      Eu to avaliando qual plataforma devo pegar primeiro (PC ou PS4) e to considerando os lançamentos desse ano pra isso, acho que esse jogo e Ys 8 me fariam pegar um PS4 primeiro; além do que já saiu, tipo Bloodborne.

      1 reply
  • 2016-03-03 03:39:11 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Primeiros detalhes e Scans do Artigo da Famitsu de Etrian Oddysey V

    Seguindo o post sobre o anúncio do jogo , informações contidas na próxima edição da Famitsu foram lançadas por Sokuho@hokako

    - Em adição a edição regular por 6998 Ienes (taxas inclusas) no dia 4 de Agosto, haverá uma Edição Limitada que custará 10778 Ienes.
    - As cópias de primeira leva irão incluir uma Trilha Sonora Preliminar enquanto as edições especiais contarão com um Artbook e DLC.

    - Staff:
     Diretor: Shigeo Komori
     Character Designer: Yuji Himukai
     Design de Monstros: Shin Nagasawa
     Compositor: Yuzo Koshiro

    - Há quarto raças nas terras de Arcadia:
     Aslan: Humanos
     Lunaria: Elfos
     Serian: Bestas
     Brani: Dwarfs

    - Classes anunciadas (E suas respectivas raças):
      Fencer (Aslan)
      Dragoon (Aslan)
      Cestus (Aslan)
      Reaper (Aslan)
      Necromancer (Lunaria)
      Warlock (Lunaria)
      Herbalist (Brani)
      Shaman (Brani)
      Hero (Serian)
      Hound (Serian)

    - Jogadores podem escolher um sexo, uma raça e a classe de seus personagens, combinando livremente as características (classes no entanto, são específicas de certas raças).
    - Há skills de raças específicas em adição de Skills de personagens
    - Pele, cabelo e cor dos olhos podem ser mudadas com um total de 10 diferentes paletas de cores disponíveis. Jogadores podem dar ao seus personagens um olho que é de uma coloração diferente do outro.

    - Há 40 diferentes tipos de vozes para escolher para os personagens entre diversos dubladores.
    - O jogo é completamente dublado com a opção de desligar as vozes.

    - Dungeons possuem símbolos de encontros aleatórios, similares a como os F.O.Es tem o seu próprio símbolo também. A mapeação convencional da série permanece sendo feita através da tela inferior do 3DS.

    - Dungeons e eventos foram evoluídos para o jogo ser ainda mais considerado como um TRPG (tablestop-style RPG).
    - O desenvolvimento do jogo está 60% completo, tendo chegado ao ponto onde ele já pode ser jogado do começo ao fim.

                                 Entrevista com os Desenvolvedores
    Via:
    Gematsu

    "A seguir, pequenos detalhes sobre a entrevista com o diretor Shigeo Komori.

     - O conceito para este novo jogo é a customização de personagens com um grande degrau de liberdade e exploração de Dungeons que fazem o seu espírito de aventureiro coçar, assim como também batalhas consistentes e o crescer da equipe.

    - Com raças novas nunca vista antes nos jogos anteriores, você pode fazer um personagem completamente novo.

    - Vozes também foram introduzidas ao jogo. No entanto, parecido com os jogos anteriores, pessoas que desejarem jogar sem elas, poderão escolher fazer isso.

    - A classe Hound é nomeada através dos mascotes que ela pode utilizar.

    - A exploração de Dungeons foram melhoradas.

    - O mapa na tela inferior, assim como os ícones foram todos melhorados também.

    - As sub-classes de Etrian Oddysey III e IV e Untold, faziam como que você pudesse criar uma Equipe sem pontos fracos. Este jogo está sendo criado de forma que seja mais difícil fazer uma equipe bem equilibrada; todas as classes tem seus papeis específicos, assim como no primeiro Etrian Oddysey.

    A Famitsu contará com as informações acima, assim como as Scans e ilustrações. As classes destacadas também possuem descrições.

    Fencer ----> Utiliza habilidosamente espadas pontiagudas
    Dragoon ----> Ostenta de uma defesa tão forte quanto a de um Dragão
    Cestus ----> Limpa batalhas com seus punhos temperados
    Reaper ----> Derrote seus inimigos com foices que trazem a morte
    Necromancer ----> Invocacores que comandam os espíritos dos mortos
    Warlock ----> Magos habilidosos com ataques elementais.
    Herbalist ----> Mestres da cura com ervas
    Shaman ----> Usa de poderes misteriosos para salvar seus aliados
    Masurao ----> Guerreiros que empunham quatro espadas
    Hound ----> Monstros que comandam falcões e cães

    Etrian Oddysey V: The End of the Long Myth será lançado para o Nintendo 3DS no dia 4 de Agosto deste ano no Japão.


     


    Etrian Oddysey V

    Platform: Nintendo 3DS
    55 Players
    24 Check-ins

    12
    • Micro picture
      jrpgheroes · about 4 years ago · 2 pontos

      Liberaram Etrian Odyssey V aqui no alva? Alguém por favor ppoderia pedir pra adicionarem Dragon Quest Heroes II e Dragon Quest Monsters: Joker 2 também?

      7 replies
    • Micro picture
      hilquias · about 4 years ago · 2 pontos

      caraca, esse jogo é meu detentor de hype no momento, super ansioso e queria pegar a edição deluxe dele kkkkk

      4 replies
  • 2016-02-29 15:13:54 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    60
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2016-03-02 03:33:26 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    PAAAAARRAAAAAAA TUDO

    E NAO É FAKE

    JESUS CRISTO

    FAZ PARTE DO NOVO PACK DE DLCS DO JOGO

    PUTA QUE PARIU HYYYYYYYYPPPEEEEEEEE

    @megaten @juninhonash @jclove @matsu 

    Shin Megami Tensei IV FINAL

    Platform: Nintendo 3DS
    132 Players
    56 Check-ins

    35
    • Micro picture
      lleogame · about 4 years ago · 6 pontos

      :3 nao faço idéia do que ta acontecendo mas to de boa

      1 reply
    • Micro picture
      artoriasblack · about 4 years ago · 2 pontos

      EITA $%$%%$¨&%&¨&!!!!!!!!

      ALEPH E KAZUYA ESTÃO NO JOGO?????

      HOLY FUCKING SHIT!!!

      6 replies
    • Micro picture
      kawens · about 4 years ago · 2 pontos

      Ah, essa mistura tem tudo pra ser boa hein? *sarcasmo

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...