You aren't following daugust.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • daugust D.August
    2016-07-31 02:58:07 -0300 Thumb picture
    daugust checked-in to:
    Post by daugust: <p>A 2 dias atrás eu comecei e acabei de terminar,
    Senran Kagura Burst: Guren no Shoujotachi

    Platform: Nintendo 3DS
    101 Players
    8 Check-ins

    A 2 dias atrás eu comecei e acabei de terminar, é bem medíocre, mas divertido. Os 2 maiores problemas do jogo são a Framerate terrivelmente baixia, o número de missões que ela fica do inicio ao fim alta foram umas 4 no máximo, e o desbalanceamento das personagens.

    2
    • Micro picture
      tassio · about 2 years ago · 1 ponto

      O framerate desses jogos do 3DS realmente chateiam um pouco.

  • daugust D.August
    2016-07-30 14:31:17 -0300 Thumb picture
    daugust checked-in to:
    Post by daugust: <p>Comecei a 2 dias atrás, a framerate é uma atroci
    Senran Kagura Burst: Guren no Shoujotachi

    Platform: Nintendo 3DS
    101 Players
    8 Check-ins

    Comecei a 2 dias atrás, a framerate é uma atrocidade, mas não chega a atrapalhar, os inimigos são repetitivos, porém estranhamente tem mais variedade que o Shinovi Versus, o desafio é pequeno, a jogabilidade é ok (dá para melhorar), fanservice desnecessário, e como o Shinovi Versus é bastante divertido, a pouco tempo terminei a campanha da academia Hanzo e comecei a da Academia Hebijo, a qual já terminei o primeiro capitulo.

    0
  • daugust D.August
    2016-07-30 14:26:50 -0300 Thumb picture
    daugust checked-in to:
    Post by daugust: <p>Terminei a alguns dias atrás, a história é ruim,
    SENRAN KAGURA SHINOVI VERSUS

    Platform: PC
    52 Players
    14 Check-ins

    Terminei a alguns dias atrás, a história é ruim, o fanservise desnecessário, a jogabilidade é decente (pode melhorar), mas a diversão é estranhamente grande.

    0
  • daugust D.August
    2016-04-25 19:04:42 -0300 Thumb picture
    daugust checked-in to:
    Post by daugust: <p>Comecei Bloodborne nesse sábado, e já derrotei 3
    Bloodborne

    Platform: Playstation 4
    2820 Players
    1140 Check-ins

    Comecei Bloodborne nesse sábado, e já derrotei 3 chefes :D

    Tudo gravado ao vivo no meu canal...

    1
  • flaviometal Flavio Venturini
    2016-01-21 18:19:53 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    TUTO: ATALHOS PARA EMULADORES NO STEAM

    Medium 3243340 featured image

    Taí uma dica bacana, que nem é novidade pra ninguém, porém muito útil pra quem joga no PC e usa o Steam, principalmente no modo Grid ou Big Picture. Trata-se de criar um atalho para ROMS ou ISOS de seus jogos preferidos, para que eles fiquem como se fossem jogos da própria plataforma Steam, seja no visual da interface ou na execução. O resultado é pra lá de legal, pois dá pra colocar a imagem de grid que você bem entender, além de executar o jogo automaticamente, sem aquele percalço todo de ter que executar o emulador, carregar o jogo pelo menu, colocar em tela cheia, etc. Vamos lá?

    Basicamente, serão três processos:

    - CRIAR O ÍCONE DO JOGO NO STEAM;

    - ALTERAR AS PROPRIEDADES DO ÍCONE;

    - MUDAR A IMAGEM DE GRID DO STEAM;

    Lembrando que, para cada jogo adicionado, os 3 processos deverão ser repetidos, beleza?

    CRIANDO O ÍCONE DO JOGO NO STEAM

    Primeiramente vamos criar o ícone em si. Basta já ter em mente o jogo e seu respectivo emulador que você quer colocar (usaremos como exemplo o jogo Dragon Quest VIII, de PS2), e claro, ter o emulador já pré-configurado antes. Aí é só aplicar os seguintes passos:

    1. Com o Steam aberto, vá lá em cima, no menu JOGOS, e selecione ADICIONAR JOGO NÃO STEAM À BIBLIOTECA:

    2. Na tela que se segue (Adicionar Jogo), procure o executável do emulador em questão. Vamos utilizar à exemplo o PCSX2, emulador de PS2, que está atualmente na versão 1.4.0. Basta ir em "Procurar" e selecionar o executável do emu. Após selecionado, o executável aparece no topo da lista, basta então clicar em ADICIONAR SELECIONADOS.

    3. Pronto! Nosso novo atalho vai aparecer no Steam, seja no modo Grid, Detalhes ou Lista:


    ALTERANDO AS PROPRIEDADES DO ÍCONE

    Agora, precisamos alterar as propriedades do ícone para que o jogo entre diretamente, além de inserir as linhas de comando de cada emulador. As linhas de comando nada mais são do que pequenos "gatilhos" (ou comandos) que fazem o emulador funcionar sem usar um GUI (aquela janela de configurações do emulador). Os comando são diversos, e cada emulador tem os seus próprios comando. Aqui, usaremos os comandos para fazer que o jogo/emulador abra corretamente assim que o ícone for executado no Steam, como se fosse um jogo da própria plataforma mesmo. Bom, nada melhor do que colocar a mão na massa pra entender, não é? Então aí vamos nós:

    1. No ícone que foi criado no passo anterior, clique com o botão direito do mouse e selecione PROPRIEDADES:

    2. Na nova janela que se abriu, serão feitas duas alterações. A primeira é trocar o nome do executável do atalho para o jogo em questão (no caso, mudar de pcsx2 para Dragon Quest VIII). Esse é o nome do jogo que vai aparecer para seus amigos quando você estiver online e jogando, além de fazer com que os jogos fiquem em ordem alfabética:

    3. A segunda alteração será na linha Destino. Aqui, vamos "mostrar" pro Steam onde se encontra o emulador, o jogo e também as linhas de comandos que contem algumas opções do emulador, tudo escrito na mesma linha, com aspas, e separado por espaços. Para o emulador que estamos usando (PCSX2), vamos usar o seguinte padrão:

    "X:\CAMINHO_DO_EMU.exe" "X:\CAMINHO_DO_JOGO.iso" --fullboot --fullscreen

    Basta trocar o X pela letra da unidade do seu HD onde se encontra o emulador ou jogo em questão, CAMINHO_DO_EMU.exe pelo diretório onde se encontra o executável do emulador e CAMINHO_DO_JOGO pelo diretório da rom/iso do jogo. O --fullboot é uma dos comandos do emulador, e colocando ele significa que toda vez que carregarmos o jogo, a BIOS do PS2 será carregada, e você ouvirá aquele som clássico do boot do console (eu acho legal, mas se quiser tirar, fique à vontade). Já o comando --fullscreen é autoexplicativo: o jogo já entra em tela cheia. É importante também NÃO REMOVER AS ASPAS, senão não funciona. Ah, e claro, tudo deve ser inserido nessa única linha de Destino.

    Para entenderem melhor, para o atalho do DQVIII, o meu aqui ficou assim:

    "E:\GAMES\EMULADORES\PS2\pcsx2-1.4.0\pcsx2.exe" "E:\GAMES\PS2_ISO\Dragon Quest VIII.iso" --fullboot --fullscreen

    ONDE:

    Existem outros comandos para o emulador em questão, mas não vou entrar em detalhes pois existem vários e a maioria não é necessário. Um exemplo é o comando "--nogui" que vejo o pessoal usar bastante. Ele faz com que o GUI (janela de configurações do emulador) não apareça ao carregar o jogo, mas no meu caso prefiro deixar sem esse comando, já que ele impede você se usar as funções do emulador (como Save States, e configurações gerais). Pode ficar tranquilo, pois mesmo com o GUI ativado, o jogo é carregado em tela cheia sem que você nem perceba que o GUI está lá.

    Outra dica: perceba que, no fim da linha Destino existe um pequeno quadrado com o símbolo "PT" nele, impedindo você de ver a linha de comando inteira. Basta clicar no símbolo "PT" com o botão direito do mouse, selecionar a opção Idioma e mudar para o inglês, assim o "PT" some e torna mais fácil a edição.

    Para outros emuladores, como já dito, cada um possui suas próprias linhas de comando, ou seja, os comandos mudam entre um emulador e outro. Não dá pra usar o comando --fullboot no emulador de Gamecube, por exemplo, pois não funcionará. Ah, e a ordem dos comandos também é importante. Vamos aos exemplos: 

    GAME CUBE/WII: Vejam como fica com o emulador Dolphin (GC/WII):

    "E:\GAMES\EMULADORES\GC-WII\dolphin-4.0-5416-64\Dolphin.exe" /e "E:\GAMES\GC_ISO\STARFOX ADVENTURES.iso" /b

    Nesse caso, o comando /e serve para carregar a iso em questão, e o /b no final serve para que o GUI do emulador não fique na frente do jogo ao ser carregado, além de fazer com que o emulador feche automaticamente ao sair do jogo. No caso do Dolphin, a configuração de tela cheia deve ser feita no próprio emulador, já que ele não possui tal linha de comando para isso.

    SUPER NINTENDO: agora com o emulador de Super Nintendo (ZSNES):

    "E:\GAMES\EMULADORES\SNES\zsnesw.exe" "E:\GAMES\_EMULADORES_\SNES\Zsnesw151\roms\Donkey Kong Country.zip"

    Para SNES, não é necessário linha de comando alguma, só os caminhos do emu e da rom. A opção de tela cheia também deve ser feita no próprio emulador.

    DREAMCAST: E finalmente, para quem quiser colocar atalhos de ISO's de Dreamcast:

    -config ImageReader:DefaultImage="E:\GAMES\_Dreamcast_ISO_\Shenmue\shenD1.cdi"

    No caso do Dreamcast, além da configuração feita no atalho do Steam como acima (lembrando novamente: tudo na mesma linha), algumas alterações devem deve ser feitas no ini do emulador (estou usando o nullDC, que pra mim ainda é o que roda melhor, não curto muito Demul). Basta abrir o arquivo nullDC.cfg com qualquer editor de texto (como o bloco de notas do próprio Windows), localizar os parâmetros a seguir e mudá-los conforme abaixo:

    Emulator.AutoStart=1

    AutoHideMenu=1

    Fullscreen=1

    LoadDefaultImage=1

    DefaultImage=E:\GAMES\_Dreamcast_ISO_\Shenmue\shenD1.cdi 

    (exemplo de caminho onde está a ISO do jogo, deve ser mudado conforme seu diretório/nome da ISO)

    NINTENDO DS: À pedidos do camarada @s4nn1n (e com a ajuda dele), vou deixar aqui também um exemplo de configuração para o emulador Desmume. Infelizmente, o emulador de Nintendo DS em questão não possui nenhuma linha de comando para que o jogo seja executado em tela cheia, portanto temos que apelar para outros métodos, como a criação de um script. O AutoIt seria uma opção, mas depois de pesquisar em alguns fóruns, encontrei no NGEmu um tópico onde o usuário yeshuachrist ( LINK ) criou um script em VBS, que faz com que o emulador seja executado, abrir o jogo que você definir no script, e entrar em tela cheia, tudo de forma automática. Aí, foi só adicionar o caminho do script no Steam e voilá! Basta fazer então 1 script para cada jogo que você quiser adicionar no Steam, mudando apenas o caminho do jogo para cada um deles. Segue o script de exemplo:

    ----------------------------------------------------------------------------------------

    Set objShell = WScript.CreateObject("WScript.Shell")

    objShell.Run "DeSmuME_x64.exe ––cpu-mode=15"

    Wscript.Sleep 60

    objShell.SendKeys "%"

    Wscript.Sleep 60

    objShell.SendKeys "F"

    Wscript.Sleep 60

    objShell.SendKeys "O"

    Wscript.Sleep 60 

    objShell.SendKeys "G:\Roms DS\0056 - Super Mario 64 DS V1 1

    Wscript.Sleep 60

    objShell.SendKeys "{ENTER}"

    Wscript.Sleep 60

    objShell.SendKeys "%{ENTER}"

    ----------------------------------------------------------------------------------------

    Basta copiar o conteúdo que está entre o traçado (não copiar o traçado), colar num arquivo TXT novo, e renomear a extensão .TXT para .VBS. É válido lembrar também que se necessário, você deverá mudar o nome do executável que está no script conforme sua versão do Desmume, bem como o caminho onde se encontra o jogo (ambos em negrito).

    Depois de criado, salve esse arquivo .VBS dentro da pasta onde está o executável do emulador, e teste para ver se funciona. Se rodar o jogo e entrar em tela cheia, é porque deu certo. Aí é só adicionar esse arquivo VBS no Steam (ao invés do executável do emulador) e pronto! Nem é necessário mudar as propriedades do atalho, o atalho já está pronto!

    Para sair do jogo/emulador e voltar ao Steam, infelizmente somente com ALT+F4...

    (valeu pelos testes e pela mãozinha, @s4nn1n!)

    4. Com as duas configurações feitas, basta clicar em FECHAR e pronto: é só executar o jogo pelo Steam pra ver se deu tudo certo!

    Mas e a imagem/banner do jogo?

    MUDANDO A IMAGEM DE GRID DO STEAM

    Finalmente, a cereja do bolo: vamos mudar a imagem de grid do jogo. Existem alguns sites por aí dedicados a criar essas imagens para jogos do Steam, porém vou indicar o melhor deles na minha opinião: o Steam Banners ( LINK: http://steambanners.booru.org/ ).

    Lá tem imagem de tudo: jogo de SNES, PS2, WII, e tudo quanto é emulador no geral. Inclusive versões diferentes dos próprios jogos do Steam. Basta procurar pelo nome do jogo em questão, abrir a imagem desejada, salvar em alguma pasta e depois carregá-la no Steam. As imagens já são do tamanho exato para uso no Steam, então não é necessário edição alguma. qui, eu deixo uma pasta ÍCONES em algum lugar do PC e salvo tudo lá dentro, pra ficar mais fácil a localização. 

    Após baixar as imagens desejadas, vamos inseri-las no atalho do jogo do Steam da seguinte forma:

    1. Clique com o botão direito e escolha a opção DEFINIR IMAGEM PERSONALIZADA

    2. Agora basta clicar em PROCURAR, selecionar a imagem que baixamos anteriormente, clicar em DEFINIR IMAGEM e pronto!

    Taí, atalho criado. Agora o Steam ficou mais atrativo ainda com emuladores e roms espalhadas entre os jogos. É possível até criar categorias (ex. EMULADORES, SNES, PS2, etc) e mover os jogos pra lá.

    E é isso, pessoal. Tentei deixar tudo bem explicado e da maneira mais simples possível pra que não haja dúvidas. Parece ser complicado, mas é só fazer uma vez pra ver que não é difícil. A dica que dou é guardar um arquivo TXT com uma linha de exemplo para cada emulador, assim fica mais fácil na hora de criar novos atalhos, pois é só usar CTRL+C / CTRL+V.

    Se quiser colocar vários jogos de uma só vez, existe ainda uma maneira bem mais simples, que faz tudo de forma automática: um programa chamado Ice. Consiste apenas na edição de um arquivo inf, onde basta você colocar todos os caminhos dos emuladores e ROMS/ISOS que você quer que apareçam no Steam, executar o programa e pronto. Até as imagens de grid já são automaticamente baixadas e inseridas, tudo bem prático. Não vou cobrir o Ice nesse tutorial pois não o uso no momento, mas pelo pouco que mexi, parece ser bem simples. Só não o uso pois tenho preferência de colocar poucos jogos emulados no Steam por vez (só os que estou jogando ou pretendo jogar), mas é uma boa pedida pra quem quer colocar várias roms de SNES, por exemplo, e criar categorias no Steam, sem ter muito trabalho. Segue o link para baixar o programa: http://scottrice.github.io/Ice/

    Uma terceira opção ainda é criar um arquivo bat para cada jogo. É um pouco mais complicado por ter algumas linhas de comando de DOS a mais, mas a vantagem é que dá pra usar esse bat não só no Steam, mas em outro frontend ou programa gerenciador de jogos. Opções é o que não faltam!

    Pra quem se interessar, o pessoal do @emula já fez tutoriais parecidos (inclusive em vídeos), bem como nosso amigo @iremar, que tem alguns tutoriais bem legais e detalhados no Youtube, onde ele usa um método um pouco diferente ( como esse, por exemplo, usando o SNES9x:  ). Quis deixar meu registro aqui também, pra ficar mais fácil até pra eu passar para alguns amigos quando precisar. Qualquer dúvida, responderei aqui no tópico mesmo se precisarem, e conforme meu tempo estiver disponível. Se tiver algo a acrescentar ou alguma sugestão, sinta-se à vontade and let me know! ;)

    Forte abraço à todos!

    276
    • Micro picture
      flaviometal · about 5 years ago · 10 pontos

      EDITADO 23/01/2016: galera, editei e adicionei também Nintendo DS à lista, pra quem se interessar...

      3 replies
    • Micro picture
      jaquearan · about 5 years ago · 6 pontos

      Parabéns pelo post, muito bem explicado! Sei todo o trabalho que você teve pra fazer esse post.

    • Micro picture
      leocarvalho · about 5 years ago · 4 pontos

      Show de bola! Muita nem gente nem sabe que existe essa opção de colocar atalhos para jogos não-steam na biblioteca. E é uma ótima dica com relação aos emuladores. Parabéns pela ideia!

      1 reply
  • 2015-05-01 13:05:47 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Imagem inédita do segundo episódio de D4

    Medium 3061170 featured image

    Em uma entrevista com o Swery65, criador do jogo, com a Kotaku foi revelada uma screenshot do próximo episódio de Dark Dreams Don't Die. Nós podemos ver Olivia Jones amarrada, dentro de uma espécie de cabana, e um taco de Hockey, provavelmente segurado por alguém que está na direção para onde ela está olhando.

    Confira o pedaço da entrevista em questão:

    "Kotaku: Você pode garantir aos seus fãs que haverá um novo episódio de D4? Você está trabalhando nele atualmente?

    Sweary65: Não existe algo como "garantia absoluta" nesse mundo. Mas eu posso mostrar uma prova de que estou tentando o meu melhor agora mesmo.
    Então? Quer ver mais?

    Desculpe, mas é tudo que posso mostrar por enquanto."

    Apesar de não haver uma data para a chegada da segunda temporada, é esperado que ela surja em algum momento desse ano. Talvez durante a E3 ou a Gamescom nós tenhamos mais notícias, ou os próprios episódios já para baixar.

    D4: Dark Dreams Don’t Die

    Platform: Xbox One
    309 Players
    31 Check-ins

    12
    • Micro picture
      thiiixd · almost 6 years ago · 2 pontos

      Caramba, curti muito D4. Jogo investigativo com todas as características bacanas dos animes. Enfim, quero o epi 2 pra ontem :)

    • Micro picture
      niveabarbosa · almost 6 years ago · 1 ponto

      Boa notícia!

    • Micro picture
      juninhowii360 · almost 6 years ago · 1 ponto

      Eles não podem abandonar o jogo sem um fim... >.<

  • kawens ^__^
    2015-04-02 15:42:36 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by kawens: <p>#img#[98182]</p><p>Alternativamente...</p><p>#im

    Alternativamente...

    Super Smash Bros. for Wii U

    Platform: Wii U
    1495 Players
    462 Check-ins

    22
  • 2015-04-16 21:16:27 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Odeio quando isso acontece...

    Dropar pra 59 FPS? NÃO! AQUI NÃO.

    37
  • junichan Juni Chan
    2015-02-12 02:40:57 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    A riqueza simbólica de Persona 4

    Medium 2994073 featured image

    Enfim voltando com mais um texto aqui, mas dessa vez, não falarei de game design em si, mas de aspectos da narrativa de um dos jogos que tratam seu enredo com um grande cuidado e com bem mais seriedade que pode parecer. Decidi aproveitar esse momento de trailer novo de Persona 5 (vão checar, está incrível) e toda essa hype pra escrever esse texto sobre alguns aspectos que eu adoro de Persona 4. Talvez seja desnecessário dizer que esse texto contém spoilers, mas é sempre bom avisar. De qualquer modo, evitei falar de revelações e fatos mais importantes e imprevisíveis (porque tem umas coisas que dá pra ver chegando de longe quando se joga) para o enredo, não só para que todos possam ler mais tranquilamente, como para evitar que o texto fique muito maior do que ele já está.  Para os que se incomodam com as mínimas revelações, vale o aviso, de qualquer modo.

    Gostaria de começar mencionando brevemente uma das coisas que eu mais gosto, não só em toda a série Persona, como em qualquer Megami Tensei, que é a ambientação. Não há uma construção de um mundo vasto... Os jogos se passam no nosso mundo e na era contemporânea, e Megami Tensei foi, pelo menos, um dos primeiros RPGs a fazer isso, ainda no NES. Enquanto várias séries seguiam e continuando seguindo por um mundo essencialmente fantasioso (e não há nada de errado com isso), Megami Tensei, para mim, se destaca em apresentar o “mundo real” como um mundo que também pode ter muito a se explorar, e isso acaba por gerar personagens e situações que acabam parecendo mais próximas ao jogador, e ao menos comigo, funcionam muito bem em criar uma empatia entre o jogador e o jogo. Também não é só como Megami Tensei e Persona fizessem isso. Temos também alguns ótimos exemplos de Earthbound e The World Ends with You, que fazem coisas semelhantes, mas o que pra mim acaba se destacando em Megami Tensei, e muito especialmente em toda a série Persona é a riqueza da narrativa em termos de representação de personagens e de conflitos, que é o que abordarei pelo resto do texto.

    Primeiro, Shin Megami Tensei: Persona 4, é um RPG para Playstation 2 produzido pela Atlus, lançado em Julho de 2008. No jogo, você está no papel de Yuu, que se muda para passar um ano na cidade do interior de Inaba com seu tio e prima por causa do trabalho dos seus pais, e é surpreendido por um uma série de assassinatos, que se desenrola de forma a crer que apenas você e seus amigos são realmente capazes de resolver o caso. Persona também é um termo da psicologia analítica, que se refere a uma função psíquica voltada ao mundo externo, mas eu prefiro deixar para abordar isso um pouco depois, já chegaremos lá ;)

    O jogo se divide entre mecânicas mais convencionais de RPGs eletrônicos, com vários cenários que seguem num estilo de dungeon crawling e segmentos mais parecidos com uma visual novel, onde pequenas escolhas e determinados diálogos com personagens irão afetar seu jogo de determinada forma, principalmente elevando seu social link com as outras personagens do jogo. 



    Os social links nada mais são que níveis de “amizade” que o protagonista tem com outras personagens, cada um representado por uma arcana maior do Tarot. O Tarot não está no jogo apenas como uma alegoria, mas ele se relaciona com cada personagem de forma extremamente forte e significativa, definindo seus arquétipos. Deixe-me exemplificar com algumas das principais personagens do jogo:

    - Yosuke é um jovem que veio de um centro urbano para viver na cidade do interior, constantemente ele é o primeiro a se engajar nas atividades e demonstra ser bastante energético, servindo inclusive de alívio cômico pro jogo por causa disso. Sua arcana relacionada é o Mago, carta que pode ser lida como símbolo de autoconfiança, atividade e vigor, porém também de violência, dispersão e mau uso do poder.

    - Chie é uma garota com um jeito mais tomboyish. Extremamente atlética, demonstrado inclusive em batalha, onde ela tem grande ataque físico, aficcionada por filmes de artes marciais e de personalidade forte, que acaba levando a brigas com Yosuke, além de demonstrar uma necessidade de ser protetora. A Arcana de Chie é o Carro, que simboliza o vigor físico e a vitória, mas também o autoritarismo e dominação por meio dessa força.

    - Yukiko é uma grande amiga de Chie, mas com personalidade menos forte, ela acaba se impondo menos, apesar de demonstrar muitas vezes ter mais discernimento que os outros. Razoavelmente popular na escola pela beleza, Yukiko também é herdeira da pousada da cidade onde se passa o jogo. A Arcana de Yukiko é a Sacerdotisa, símbolo de sabedoria e feminilidade, porém também de passividade e da responsabilidade encarada como peso.


    -Ryotaro Dojima é o tio que recebe Yuu e também é detetive da polícia de Inaba, e acaba estando muitas vezes ausente de casa e da vida de sua filha por causa dos assassinatos. Apesar de amigável, acaba entrando em conflito com Yuu em alguns momentos por causa de seus aparentes e constantes envolvimentos paralelos com a investigação. Ryotaro é representado pela arcana do Hierofante, que simboliza o dever, a lógica, a lei e inspiração, porém também é símbolo do “professor autoritário”, da negligência e da falta de sentido prático.

    -Nanako Dojima é filha de Ryotaro e prima de Yuu. Perdeu sua mãe em um atropelamento, e acaba se tornando muito solitária em razão disso, o que acaba se agravando com a maior ausência do pai por causa do trabalho. Nanako sempre tenta diminuir os conflitos entre Yuu e Ryotaro e se alegrar apesar de todas as situações adversas. Sua arcana é a Justiça, que simboliza a harmonia, justiça (duh) e reabilitação, tendo, porém, como lado negativo a perda e o processo com castigo injusto e separação.


    Eu poderia fazer essa análise com todas as demais personagens, mas acho que já deu pra chegar ao ponto que eu queria de como essa relação entre as personagens e suas respectivas arcanas são significantes sem revelar muito do que o jogo mostra. Outro ponto importante é a arcana do protagonista, o Tolo, que simboliza justamente a jornada e um potencial infinito, que é mais claramente demonstrado no protagonista a possibilidade de invocar diferentes Personas. Personas, na série, são manifestações físicas do próprio conceito de Persona da Psicologia Analítica. As personagens que se juntam a sua equipe tem personas específicas com uma forte relação significativa que as ligam, e que evoluem ao final dos respectivos social links. Também vale citar que Persona 4 usa figuras mitológicas japonesas para as personas das personagens principais (em contraste ao Persona 3, que usa figuras da mitologia greco-romana).

    Por exemplo, Yosuke tem como seu primeiro persona, Jiraiya. Jiraiya é uma figura de uma lenda japonesa que seria um herdeiro de um poderoso clã que se muda de província por motivos financeiros ligados a sua família. Nessa nova província, Jiraya aprende a magia dos sapos e conhece Tsunade, uma jovem praticante da magia das lesmas, e apesar dos tipos de magia serem incompatíveis, ele se apaixona por Tsunade. É fácil traçar um paralelo entre a história de Jiraya e a de Yosuke, que se muda para Inaba por causa de um emprego de gerência dado a seu pai em uma grande loja (Everyday’s great at your Junes) e a forma como Yosuke se apaixona pela filha de um dos comerciantes que estão tendo seus negócios arruinados pela loja onde o pai de Yosuke trabalha.


    No caso de Chie, sua persona é Tomoe Gozen. Tomoe foi uma samurai mítica do Japão cuja existência nunca chegou a ser provada, mas que ainda é conhecida por ter sido uma guerreira corajosa e habilidosa que valia por mil em uma batalha, lenda que é referenciada diretamente pelas qualidades físicas de Chie. Tomoe Gozen evolui ao final do Social Link para Suzuka Gongen, uma outra figura mítica referenciada vezes como bruxa, vezes como demônio ou ladra, que em certo momento simpatiza com os humanos e passa a lutar por causas justas, simbolizando, no jogo, a vontade de Chie em usar sua habilidade para proteger os outros.


    Yukiko tem como primeira persona Konohana Sakuya, uma princesa lendária que a ao ser questionada sobre sua fidelidade, ateou fogo em torno de si e disse que o fogo não a tocaria caso ela fosse fiel, o que teria acontecido de acordo com a lenda. Konohana no jogo acaba por se referir tanto ao status de “princesa” de Yukiko, quanto sua fidelidade a tradição da família. Também vale citar a relação com o fogo, que é a magia ofensiva que Yukiko domina no jogo.


    Todas as personagens (exceto o protagonista) só podem invocar suas Personas depois de entrar em contato com suas sombras, que também são manifestações físicas do mesmo conceito da psicologia, que seria o conjunto de aspectos da personalidade ocultados pelo indivíduo. Apesar de não referenciarem diretamente a figuras mitológicas, as sombras carregam uma grande significância em sua própria concepção, como a sombra de Chie, que reflete a sua dominância, que não é física, mas emocional, em sua relação com Yukiko, que se torna dependente a ela. Já a sombra de Yukiko acaba por refletir seu desejo interior de se libertar do peso característico de sua arcana, que seria para ela a pousada, e sair da cidade para seguir outros sonhos, embora a gaiola esteja aberta, o que também seria um símbolo para sua passividade e sua necessidade de ser salva.


    Também temos personagens que não apresentam Sombra ou Persona durante o jogo, mas que tem toda sua significância dentro da sua própria arcana e das Personas que o protagonista obtém com seu Social Link. Também temos o caso especial de Nanako, onde, apesar de não ter idade e maturidade para desenvolver fisicamente uma sombra, apresenta todas suas características e angústias ocultas através de sua música tema, “Heaven”, que fala da sua solidão, perda da mãe e da sua busca pela felicidade em pequenas coisas. A própria trilha sonora, além de ser musicalmente excelente, também possui um significado forte em suas letras, especialmente em sua abertura, que acaba por introduzir muito bem todo o tema de “blissfull ignorance” que permeia o jogo.


    Também temos como outros diversos símbolos no jogo: o Midnight Channel e o mundo da TV que representam o inconsciente coletivo, onde estão não apenas as sombras das personagens principais, como sombras indomadas que representam desejos selvagens inerentes a humanidade. Também temos a Velvet Room como uma representação do inconsciente do protagonista. A névoa que apesar de ser física, como os outros elementos, também tem sua função simbólica como algo que distorce e impede a visão, como algo que se encontra entre o protagonista e a verdade. Toda essa riqueza de símbolos e interpretações (e isso porque eu deixei de falar de várias personagens e outras coisas para evitar spoilers maiores e para não prolongar mais ainda o texto) acaba por conferir ao jogo uma profundidade que acrescenta muito a narrativa e a experiência, sendo pra mim um dos principais atrativos desse jogo, que tem tantos elementos excelentes.

    And get hyped for Persona 5. :D

    Shin Megami Tensei: Persona 4

    Platform: Playstation 2
    1659 Players
    233 Check-ins

    69
    • Micro picture
      blacksagres · about 6 years ago · 3 pontos

      Juni/10
      Excelente. Serio.

      Confesso que fiquei triste por o texto acabar tao rapido. Tava curtindo. Also, tambem deixou o melhor personagem de fora. XD

      1 reply
    • Micro picture
      juninhonash · about 6 years ago · 3 pontos

      @tony56 Pronto, eu li o artigo, e ficou muitíssimo bem escrito, só que não era nenhuma novidade pra mim porque como jogador de SMT/Persona de longa data, eu já tinha pesquisado e lido sobre tudo isso.

      Mas parabéns pelo artigo @junichan. Algum dia gostaria de te ver falando do Persona 2 ^^

      1 reply
    • Micro picture
      bruno · about 6 years ago · 2 pontos

      Dá uma olhada nisso, @rurounikz!

      1 reply
  • 2014-12-02 17:34:42 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Promoções na Xbox Live dessa semana

    Os descontos são válidos até o dia 08 de dezembro, apenas para membros gold.

    A disponibilidade pode variar de acordo com a região.

    Fonte: Major Nelson

    * Para Xbox 360 clique aqui.

    Metro Redux

    Platform: Xbox One
    140 Players
    12 Check-ins

    5
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...