crossanimation

Mais que diversão, inovando o novo conceito de amizades.

You aren't following crossanimation.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2019-02-22 15:19:53 -0300 Thumb picture

    A Historia da TecToy

    Um vídeo que conta sobre a grande empresa brasileira que nos proporcionou os consoles da SEGA aqui no Brasil.

    Vale a pena, mesmo sendo antigo, vale muito a pena.

    Alex Kidd in Miracle World

    Platform: Master System
    3245 Players
    60 Check-ins

    0
  • 2019-02-18 09:32:28 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    #130 - Super Mario Bros. 3 [NES] 1988

     Enquanto os americanos se deliciavam com Super Mario Bros. 2, o Japão recebe o terceiro jogo da série. A equipe liderada por Shigeru Miyamoto e Takashi Tezuka ficaram 2 anos trabalhando com o jogo e o seu lançamento foi um momento marcante na história. O jogo ampliou todas as possibilidades apresentada nos primeiros jogos, incluindo novos power-ups para Mario e Luigi, como o tanuki, que permite o vôo, a roupa de sapo, que possui maior agilidade na água e por aí vai. O jogo é dividido em 8 mundos com temas bem distintos, como deserto, mundo gigante, nuvem, e cada um conta uma quantidade bastante variada de fases. Para escolher a fase, Mario navega por um mapa que possui diferentes rotas e casas com mini-games, além Hammer Brothers, castelos e fases secretas.

     - O jogo é tão incrível e apresenta tanta novidade que nem cabe aqui no post. Temos um estoque de itens que podemos usar no mapa e iniciar a fase com ele. Os gráficos do jogo são extremamente variados e bem coloridos. A trilha sonora também está impecável, com diversos temas e efeitos que ficam marcado para sempre na memória. A jogabilidade está ainda mais precisa e bem trabalhada. O jogo trabalha muito bem a dificuldade, com níveis mais simples e abundantes em vida no começo a fases bem complicadas nas últimas. A final de cada mundo, temos que derrotar um dos filhos do Bowser para recuperar o cajado e restaurar a paz de volta ao reino. Sem sombra de dúvidas, é o melhor jogo que já apareceu aqui na persona e dificilmente será superado.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Super Mario Bros. 3

    Platform: NES
    11053 Players
    102 Check-ins

    61
    • Micro picture
      mardones · over 1 year ago · 4 pontos

      O jogo que representa a geração 8 bits.

      1 reply
    • Micro picture
      leandro · over 1 year ago · 3 pontos

      Ao meu ver um dos mais fantásticos de toda a série principal e uma aula de level design. Costumo dizer que Super Mario Bros revolucionou a indústria, mas quem impactou em termos de capricho foi Super Mario Bros 3 ( com todo respeito ao Super Mario World ). Coloco tanto Super Mario Bros 3 quanto Mario 64 como divisores de água no mundo 2D e 3D, respectivamente

      3 replies
    • Micro picture
      neilson1984 · over 1 year ago · 3 pontos

      O melhor Super Mario ever!

      3 replies
  • wild_dark_shadow Nuno Gomes
    2016-03-13 19:33:44 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Como fazer stream de ficheiros do computador no PS3 e PS4

    Medium 3281866 featured image

    O processo é simples e basta instalar um pequeno programa que fará toda a diferença, seja no PS3 como no PS4, Universal Media Server, que através da rede doméstica, partilhará o conteúdo do computador.

    Para isto basta seguir estes passos:

    1º Passo

    Download do programa Universal Media Server. Aconselho terem a versão mais recente do JAVA para tal, pois será necessário.

    2º Passo

    Instalação do UMS. Este já vem configurado de modo a funcionar corretamente, bastando unicamente aceitar toda a instalação e iniciar o mesmo.

    3º Passo

    Ligar o PS3/PS4. Assim que ligados o UMS identificará os mesmos.

    4º Passo

    Escolher nos sistemas o que reproduzir:

    PS3

    Seleccionar no XMB do PS3 o que quer reproduzir. Imagem/Musica/Vídeo. No sub-menu aparecerá a opção Universal Media Server.

    Por defeito serão apresentados os discos presentes no computador (C: e/ou D:), incluindo todas as pastas e subpastas presentes nestes. (Mais abaixo menciono como alterar essa opção)

    Através dos mesmos será possível adicionar o tipo de ficheiro que queremos reproduzir.

    Nota: No caso dos vídeos, se estes contiverem legendas, o mesmo fará a codificação certa para estas serem transmitidas, mesmo que estas se encontrem num ficheiro .sub ou .srt

    PS4

    Um pouco mais simples que no PS3, visto existir o Leitor de Multimédia, recentemente adicionado pela Sony. Este poderá ser adquirido de forma gratuita na PS Store.

    Depois de iniciado aparecerá o UMS

    Mais uma vez por defeito teremos todos os discos do computador acessíveis com as pastas e subpastas neles contidas. (Mais abaixo menciono como alterar essa opção)

    Podemos reproduzir os mesmos tipos de ficheiros, vídeos/imagens/música tal como no PS3, inclusive a opção de legendas nos vídeos.

    O melhor desta aplicação do PS4 é ter a possibilidade de fazer stream de música e conseguirmos jogar ao mesmo tempo que a ouvimos, sendo que podemos controlar o volume desta ao clicarmos no botão PS durante uns segundos.

    Como alteras as pastas que queremos visíveis no UMS

    Como será um pouco complicado navegar pelas pastas do nosso computador inicialmente pelo disco, tal como C:/User/Utilizador/Desktop/Filmes, fica aqui a dica de como configurar quais as que serão apresentadas pelo UMS:

    1º Passo

    No UMS clicar no separador Navegação/Definições de Partilha.

    2º Passo

    Na opção Pastas Partilhadas, clicar em <Todas as Unidades> e remover com o X vermelho

    3º Passo

    Clicar no ícone Pasta e escolher as pastas que queremos partilhadas, como por exemplo Videos, Imagens e Músicas. No entanto qualquer pasta em qualquer unidade pode ser selecionada.

    4º Passo

    Clicar no topo em Reiniciar Servidor e este será reiniciado de modo a aceder a estas novas pastas tanto no PS3 como no PS4.

    42
    • Micro picture
      msvalle · over 4 years ago · 2 pontos

      Ótimo tutorial! Se você tiver uma TV compatível com DLNA, não precisa do PS3 e PS4, o UMS executa diretamente na TV :)

      1 reply
    • Micro picture
      blackerhp · over 4 years ago · 2 pontos

      " O processo é simples" O processo é simples, muito, muito simples, você espera a mulher pegar no sono...
      Belo tutorial!

    • Micro picture
      marviiu · over 4 years ago · 2 pontos

      O Plex também funciona muito bem.

      5 replies
  • 2014-03-27 14:02:27 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    NPCs invasores (SPOILERS!!!)

    Respondendo a pergunta do @gradash:

    Esses são os NPCs (personagens não jogadores) que vão te invadir no jogo (se você estive VIVO) e suas localizações:

    Kirk, Knight of Thorns

    Te invade 3 vezes:

    The Depths - Na parte mais baixa, próximo a cachoeira

    Demon Ruins - Depois de derrotar Ceaseless Discharge e colocar o Lordvessel em Firelink Altar, basta seguir o caminho normal que ele aparece

    Lost Izalith - Na entrada para a Bed of Chaos

    Caso você o derrote 3 vezes você consegue todos os seus ítens:

    Barbed Straight Sword

    Spiked Shield

    Armadura completa Set of Thorns

    Maneater Mildred

    Blighttown - perto da bonfire do pântano

    Ao ser derrotá-la você ganha:

    3 Humanitys

    Butcher Knife

    Pode ser invocada na luta contra Quelaag.

    Marvellous Chester

    Oolacile Township - Próximo a ponte de madeira aonde tem um Mimic (Baú monstro)

    Pode ser encontrado como um vendedor em Royal Wood.

    Se for morto na forma humana (como vendedor) você ganha:

    Snickering Top Hat

    Chester's Long Coat

    Chester's Gloves

    Chester's Trousers

    Paladin Leeroy

    Tomb of Giants - Logo antes da batalha com Nito

    Pode ser invocado em Catacombs.

    Ao vencê-lo você ganha:

    2 Humanitys

    Grant

    Sanctus

    Xanthous King, Jeremiah


    Painted World of Ariamis - Perto do grupo de monstros Phalanx (escudos e lanças) à direita

    Ao matá-lo você ganha:

    1 Humanity

    Notched Whip

    - @waldircomdablio

    Dark Souls: Prepare to Die Edition

    Platform: PC
    1980 Players
    808 Check-ins

    15
    • Micro picture
      gakuma · over 6 years ago · 0 pontos

      Reza lenda que o Kirk é servo do caos e busca almas pra Fair Lady, Quelaan, irmã da Quelaag...

    • Micro picture
      gradash · over 6 years ago · 0 pontos

      O lado bom que é muito fácil de reconhecer eles.

    • Micro picture
      gakuma · over 6 years ago · 0 pontos

      Correção, Humanity, não almas..

  • 2018-12-30 01:05:52 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    scrub

    "A scrub is a player who is handicapped by self-imposed rules that the game knows nothing about. A scrub does not play to win."

    (...)

    "You will not see a classic scrub throw his opponent five times in a row. But why not? What if doing so is strategically the sequence of moves that optimizes his chances of winning? Here we’ve encountered our first clash: the scrub is only willing to play to win within his own made-up mental set of rules. These rules can be staggeringly arbitrary. If you beat a scrub by throwing projectile attacks at him, keeping your distance and preventing him from getting near you—that’s cheap. If you throw him repeatedly, that’s cheap, too. We’ve covered that one. If you block for fifty seconds doing no moves, that’s cheap. Nearly anything you do that ends up making you win is a prime candidate for being called cheap. Street Fighter was just one example; I could have picked any competitive game at all."

    (...)

    "The scrub has still more crutches. He talks a great deal about “skill” and how he has skill whereas other players—very much including the ones who beat him flat out—do not have skill." 

    http://www.sirlin.net/ptw-book/introducingthe-scru...

    (Pros malas que só choram pq os outros não jogam do jeito que eles querem)

    19
    • Micro picture
      tiagotrigger · over 1 year ago · 2 pontos

      Tem o clássico, "pô você só pula e chuta, ganhar assim não vale".
      Quando não conheço a pessoa só penso comigo, "o cara só pula e chuta e mesmo assim você não consegue prever os movimentos dele e vencer, tá de parabéns", kkkkkk.
      Ou também o "não vale bater enquanto eu estiver tonto". Confesso que via isso mais nos fliperamas, mas se no online tivesse chat de voz provavelmente ouviria isso.

      1 reply
  • carlospenajr Carlos Pena
    2018-12-15 11:30:02 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Jogos com viagem no tempo

    Medium 3691313 featured image

    Esses dias eu tava vendo sobre animes com viagem no tempo e como é um tema recorrente que eu curto nos jogos tb, decidi fazer uma pequena lista de jogos que utilizam esse tema.
    Já adiantando, a intenção é puxar jogos mais desconhecidos, então pode esquecer jogos famosos como Chrono Trigger (eu adoro, mas acho que até a minha mãe conhece esse jogo XD), Legend of Zelda: Ocarine of Time e Steins Gate (quem não conhece pelo jogo, deve conhecer pelo anime). Ah, apesar da capa estar o De volta pro futuro, tb não vou comentar dele, já que todo mundo já conhece a série em si :P

    Shadow of Destiny (PS2, PSP e PC)

    Esse é meio desconhecido, ao ponto de que na época dos piratões eu nunca achar ele pra vender na galeria pagé, esse foi o único que eu comprei original na época XD. Ele não é um RPG, diria mais que é um jogo de puzzle.
    A história gira em volta do Eike que morre esfaqueado no inicio do jogo e é "ressuscitado" pelo Homunculus. Após isso, você precisa viajar por varis pontos do tempo pra evitar morrer novamente nos capítulos subsequentes. O desenvolvimento é um pouco lento e confuso e ainda por cima tem vários finais, mas fazendo todos da um bom entendimento da história lá no finalzinho.
    Uma versão pro PSP foi lançada uns anos depois, aparentemente tem uns extras, mas como não joguei, não sei dizer exatamente quais são eles (parece que tem um final extra)

    Stories: The Path of Destinies (PS4 e PC)

    Esse foi dado na PLUS a um bom tempo atras e até saiu gratuito tb na steam. Esse é um RPG de ação.
    Seguindo Reynardo, que participa da resistência contra o imperador, você acaba entrando num loop temporal pra conseguir desvendar todos os mistérios da história. Tem diversos finais e precisa fechar pelo menos umas 5 vezes pra só dai conseguir chegar no final verdadeiro.
    Nessas jogadas, dependendo da suas decisões, varios caminhos são modificados, acaba ficando um pouco repetitivo se você for fazer todas as opções disponíveis (se você esta correndo atrás da platina / achievements, vai ter que fazer tudo :P), mas é divertido o modo que é contado a história, então acaba valendo a pena.

    Timespinner (PS4, VITA e PC)

    Um metroidvania com uma jogabilidade muito boa.
    Nesse você controla Lunais, uma garota que foi treinada pra servir como "Mensageira" da sua tribo, que precisa voltar no tempo pra protege-los, mas antes de conseguir fazer isso, eles são atacados, tento o "Timespinner" destruído. Apesar disso, ela acaba conseguindo voltar MUITO no passado e com isso, é possível mudar vários pontos da história do jogo. Existem pelo menos uns 4 finais diferentes, valendo muito a pena re-jogar pra ver todos.
    Como todo metroidvania, você vai precisar fazer MUITO backtrack pra conseguir fechar o jogo :P

    Série "Zero's Escape" (varios)


    Série de novel que mistura puzzles, quebrando assim a monotonia de só leitura. Ela é composta por 3 jogos:
    - 999: 9 hours 9 persons 9 doors (DS)
    - Virtue's Last Reward (3DS e VITA)
    - Zero Time Dilemma (3DS, VITA, PS4 e PC)

    Existe a coletania "Nonary Games" pro Vita, PS4 e PC, que tem o 999 e o VLR juntos.
    Esses eu não vou poder entrar em muitos detalhes da história pq senão da spoiler sem querer, mas resumidamente, nos 3 jogos acontece algo parecido com "Jogos Mortais" envolvendo sempre 9 participantes, aonde eles terão que resolver uns puzzles pra fugir das salas e depois se enfrentarem nuns jogos aonde muitos iram morrer. Mais que isso, te vira pra ver, as histórias são todas ligadas uma na outra, então não vou dar detalhe nenhum, a sequencia a ser jogada é a que eu coloquei logo acima :P

    Radiant Historia (DS e 3DS)

    Finalmente um RPG na lista XD Originalmente do DS, ele teve um remaster lançado recentemente pro 3DS com melhorias gráficas e bastante adições a história.
    Controlando Stocke, um espião do reino Alistel que está em guerra com Granorg por recursos naturais, já que o continente está sofrendo uma desertificação. Após alguns acontecimentos, ele adquire um livro mágico que o possibilita viajar no tempo e até numa realidade paralela. O interessante aqui é que alguns acontecimentos numa realidade afetam a outra linha temporal. As batalhas são por tuno com um pouco de estratégia embutido, já que você pode realizar combos jogando os inimigos de um lado pro outro na batalha.
    Na versão do 3DS, eles finalmente atacam a causa raiz do problema, dando uma finalização aos ocorridos de vez.

    Time Hollow (DS)

    Mais um novel, esse com elementos de investigação ao estilo Phoenix Wright.
    Nesse você segue Ethan Kairos, um adolescente que no seu aniversário de 17 anos tem sua vida totalmente mudada quando os seus pais simplesmente desaparecem, fazendo com que a sua história até aonde ele conhecia fosse totalmente alterada. Com isso ele começa a investigar os acontecimentos e começa a mudar mais ainda a história. Um ponto interessante é que em certo ponto da história, algumas coisas que ele muda são desfeitas, dando umas boas reviravoltas na história.

    Se conhecerem outros de viagem no tempo que não estão aqui, me deem um toque que eu gosto bastante do tema

    59
    • Micro picture
      srdeath · over 1 year ago · 2 pontos

      Chrono Trigger, The Silent Age, No time to Explain, Singularity , TimeSplitters , D4: Dark Dreams Don't Die (Aliás to jogando... to gostando muito), Darkest of Days... lembrei desses ... não sei se Eternal Darkness se encaixa aí...

      5 replies
    • Micro picture
      mastershadow · over 1 year ago · 2 pontos

      Shadow of Destiny é foda demais, eu zerei e fiz todos os finais, recomendo demais esse!

      1 reply
    • Micro picture
      filipessoa · over 1 year ago · 2 pontos

      Amei seu artigo @carlospenajr! Viagem no tempo é o meu tema de ficção científica favorito e você pegou um monte de jogo que eu não conhecia haha mas é bom descobrir novos. A galera dos comentários já apontaram outros games que ficaram de fora tipo o Príncipe da Pérsia, Braid e eu aproveito pra mencionar aqui o Life is Strange.

      3 replies
  • 2018-12-13 21:55:19 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Eu dito as regras

    Medium 3690966 featured image

    Salve, Salve meus caros Talkers…

    Eis eu aqui de novo, lhe escrevendo mais algo que acabei de esquecer se é realmente importante, se é ou não, tenho a mínima ideia kkk…

    Em ritmo de final de ano (2018 está no fim e que venha minha folga para jogar na virada para 2019), trago algo que ocorre muito desde a geração passada de videogames e games…

    Acompanho vários fóruns, comunidades de games, comentários que a galera vem passando de uns tempos para cá, é meio que cancerígeno...sério mesmo, cancerígeno é a palavra que utilizo.

    Você simplismente compra um game que está muito afim de jogar com os seus amigos, ter aquele momento de descontração, e eis que aparece o primeiro indivíduo, você o nunca viu na vida, e começa a proferir palavras a sua pessoa, dizendo que este não é o modo correto de jogar.

    Ué? Não é assim que se joga? Não entendi isso?

    Chega a ser engraçado, porque comprei o jogo para a minha diversão, a forma como eu jogo, sou eu mesmo quem determina, assim como todos pensam...mas vamos lá ao grande choro que muitos fazem na internet.

    Se você joga FIFA, tem uma modalidade Ultimate Team, no qual você compra um booster pack de cartas, e dentro dele vem os jogadores de forma randômica, você pode tirar uma carta “Ultra Rara” como também pode tirar uma carta “Comum”, o que ocorre muito das vezes. Você tem vários fatores do time para ter uma classificação.

    Vamos ao teste, uma partida online, e o que ocorre, depois de uma chuva de chutes ao gol, não consegue sequer abrir o placar, e tem “os melhores jogadores” que seu adversário não possui. A frustração, você toma um gol de um time que é considerado pior que o seu. Como me defender, você começa a proferir palavras de forma a denegrir seu adversário, tentando ter uma justificativa para aquele placar, até mesmo xingar em comunidades, mostrar prints, informar que o jogo está todo errado e por aí vai.

    Uma outra parte, é os comentários que alguns fazem, quando você está jogando online, “As Regras do Além” aparecem do nada, e o mais engraçado, você revirar um manual de instruções do jogo, ver em sites oficiais, e isso não existe…

    Uma das coisas mais claras que ocorre em quem está querendo um PvP, Dark Souls é um destes jogos, se você quer jogar online, terá ajuda de outros jogadores que tiveram uma certa dificuldade, como terão pessoas que apenas querem enfrentar aquele boss novamente, aumentar as almas para upgrade. Como estará propenso a “Invasões” durante o jogo, aquele cara que atrapalha sua jogatina, e que faz parte do jogo, pois dá uma pitada maior de dificuldade no jogo.

    Agora “A Regra do jogo” é: fazer reverência ao adversário, não tomar estus para recuperar life, não ir para os inimigos da fase pois é um duelo injusto…Na boa, respeito demais a todos que fazem isso, até que é muito legal, mas tem partes onde você faz isso, tem até mesmo clube da luta para isto. Mas pensando como muitos fazem, eu estou invadindo seu mundo, eu vou te matar ou morrerei tentando, se tenho itens no qual pode me favorecer dentro do jogo, o porque não irei fazer isso?

    Em jogos de FPS, se você não souber jogar da forma que eles esperam, prepare para ser bombardeado por comentários do pessoal “Pro” que está no jogo a mais tempo que você.

    Ainda mais se você pega uma classe no qual o outro quer tanto, e depois fica dando quit game no meio de uma partida, ferrando a todos que querem apenas se divertir.

    Alguns mesmos se intitulam como “Jogador Raiz” porque está a mais tempo no jogo, e outros que estão chegando é o famoso “Jogador Nutella”, e para sair desta condição, chega ser totalmente ridículo.

    Outro dia estava conversando com um amigo meu, e logo de alguns meses lançado o Fortnite, um jogo no qual baseia em construção, coletar recursos e muitos tiros, game muito divertido e viciante. Ele iniciou a jogar desde que lançaram o jogo, depois ficou um tempo sem jogar ele, ao voltar e conversar em uma party do jogo, muitos já o chamavam de Nutella, porque ele estava ali naquele momento jogando o game, não começou a jogar quando lançou, porque ele (a pessoa intitulada Raiz) está desde o começo…

    Pera amigo? Não entendi nada do que você disse? Só porque estou jogando agora sou considerado Nutella aos seus olhos???

    Muitos players querem impor uma condição de como você jogar, sendo que quem comprou o jogo foi você, quem terá a experiência de diversão, de como você irá se divertir, isso é determinado a você mesmo.

    Algumas pessoas das antigas, Old Gamers, falam que eles são gamers de verdade, que já finalizou Battletoads sem morrer 1 vez sequer, e quer ditar na geração nova como eles devem jogar.

    A geração nova também quer falar para você como deve jogar, se divertir, que gráficos X tá uma M@#$%, que o Remaster daquele jogo poderia ser melhor, que jogo Y tá cheio de bugs que estragam, que console Z não roda a 1080p e 60FPS...

    Na boa galera, isso é totalmente chato, assim como você que acha que isso é excelente nos jogos, tem pessoas que estão nem aí pra saber se vai rodar Full HD, se durante uma batalha durante um PvP é justo não usar itens cura, ou se a pessoa irá usar.

    Na realidade isso não importa para o momento de diversão que você precisa.

    Um amigo meu mesmo me disse, que se eu não zerar um jogo X sozinho, não necessitando de ajuda de outras pessoas online não tem graça. Porque ele já fechou X jogos sozinho, sem precisar de coop, pois ele se sente que o desafio é maior, já na minha opinião isso é um desafio que você próprio se adestrou a fazer, e por isso a “primeira viagem, jogatina” no game ir sozinho é legal também, por outro lado prefiro ter aquele modo cooperativo para chamar a galera, conhecer outras pessoas e prosseguir com a história do jogo, se isso vai me atrapalhar ou não, só eu mesmo para dizer.

    É isso galera, o que vocês pensam sobre essa galera que querem ditar certas regras de como você deverá jogar um determinado game?

    Ano de 2018 está acabando e eu vou me internar de novo na virada jogando mais alguns games para não perder a minha tradição.

    Um grande abraço a todos e que venha 2019…

    @armkng

    Donkey Kong Country

    Platform: SNES
    20471 Players
    217 Check-ins

    33
    • Micro picture
      santz · over 1 year ago · 3 pontos

      Tem como ditar regras e ainda ficar divertido. Ser desafiado em um jogo simples a jogar sem usar o mais básico que ele possui, tipo, sem pegar nenhuma moeda, sem atacar, etc.

      3 replies
    • Micro picture
      blacksunray · over 1 year ago · 3 pontos

      gostei do seu texto, sou gamer da época do atari e passei por vários sistemas e convivi com uma dos melhores rivalidades da historia, o mega vs snes, e eu, meu irmão e meus amigos jogávamos e nos divertíamos juntos, hoje essa geração gosta de cagar regras, por isso essa geração são todos nutellas, os games em geral foi feito para divertir, se um jogo, sistema, fizer isso por vc, ele já valeu o investimento.

      2 replies
    • Micro picture
      saraiva · over 1 year ago · 3 pontos

      Eu não tenho muita paciência, então quando alguém vem cagando regras simplesmente digo "O jogo permitr, Então pode".
      Em relação a dificuldade eu sempre fui apreciador das histórias dos jogos, eu jogo em maioria das vezes para viver a a experiência de estar dentro de uma história que não é possível vivenciar e tomar decisões na vida real, e quero jogar pra me divertir e quando o jogo é muito difícil deixa de ser divertido (para mim, meu estilo de jogo, sei que tem jogadores que adora Desafios). Com isso acabou jogando a maioria dos jogos no nível fácil.
      Em relação a ser Nutela ou não, sei lá. Jogo vídeo game desde o Atari, passei por praticamente todas as gerações, estou sempre informado sobre a indústria (por amar games), se só por que jogo no fácil sou Nutela, ok então, procuro não me importa muito com isso.
      Ótimo artigo.

      1 reply
  • 2018-12-13 15:34:57 -0200 Thumb picture
    Thumb picture
    43
    • Micro picture
      sophos · over 1 year ago · 2 pontos

      esse joguineo é bem legal

    • Micro picture
      santz · over 1 year ago · 2 pontos

      Olha aí. Quase que perco.

  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2018-12-13 16:20:32 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Valve passa a banir jogos adultos

    Com personagens que remetam a menores de idade

    A Valve vem passando por uma pequena crise no que se diz a forma de como disponibiliza títulos no Steam. Neste ano, a empresa resolveu liberar todo e qualquer tipo de jogo na loja, inclusive aqueles que eram barrados por terem conteúdo sexual explícito. Só que agora a Valve resolveu segurar um pouco a galera, começando a banir jogos de conteúdo adulto que exploram a imagem de personagens que parecem menores de idade.

    A Valve começou a enviar um aviso para desenvolvedores que têm jogos na loja que envolvem "exploração infantil" e que, por isso, o título seria removido do Steam. O Top Hat Studio, responsável pelo jogo Cross Love, usou suas redes sociais para criticar a atitude da Valve, afirmando que seu game deixa claro que suas personagens têm mais de 18 anos. Uma pequena pesquisa mostra que, além de ser um jogo aparentemente mal feito, as personagens de Cross Love ainda parecem adolescentes de 15 anos.

    Outros desenvolvedores, como o pessoal por trás do game Hello Goodbye, uma visual novel que se passa em uma escola católica, afirmou que deve fazer alterações no seu jogo para remover o conteúdo adulto e poder ser comercializada normalmente no Steam.

    Anteriormente, a Valve havia afirmado que liberaria todo e qualquer tipo de jogo no Steam, desde que não quebrassem alguma lei. Isso vem gerando críticas frente a nova onda de banimentos, já que se os títulos deixam especificados que os personagens são maiores de idade, o fato de eles parecerem mais jovens não deveria ser impeditivo para sua comercialização, mesmo sendo bem esquisito.

    21
    • Micro picture
      manoelnsn · over 1 year ago · 4 pontos

      De tanto os japas exagerarem e colocarem "moe" em tudo quanto é lugar, os ocidentais tão notando isso e essa atitude da Steam é só o começo, acredito.

      Personagens com cara de criança, voz de criança, atitude de criança e idade avançada o suficiente para que se alguém se excitar com elas não se sentir psicologicamente culpado sempre vão existir, independente das proibições. O problema é que, graças a essa caralhada de jogos assim muita coisa que não tem esse tipo de intuito pode se sentir prejudicada.

    • Micro picture
      armkng · over 1 year ago · 1 ponto

      já tem alguns jogos nesse teor que já estão saindo da steam, o porém e que as empresas não estão sendo comunicadas, e eles pedem explicações o pq seu game foi removido da lista da steam...
      algumas outras informam que os personagens tem a maioridade que é de 18 anos para muitos países, porém até o prezado momento a steam não se pronunciou ou deu explicações...apenas deu o ban mesmo xD

  • 2018-10-23 11:43:08 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Desenvolvimento de games: ferramentas e cursos

    Medium 3680614 featured image

    Desenvolver o próprio game pode parecer uma tarefa complicada, um trabalho para grandes empresas. Mas não é. Para quem é amante dos jogos, essa pode ser uma realização em muitos sentidos, como a de assumir o papel de criador e jogador, ao mesmo tempo. Construir seu próprio jogo é mais fácil do que você imagina.

    Acesse o curso completo sobre Unity, a engine que possibilita a criação de jogos.

    Geralmente o processo de desenvolvimento de um jogo passa pela mão de muitos profissionais. Programadores são responsáveis pela funcionalidade do jogo e por gerar um código-fonte; designers são responsáveis por projetá-lo; redatores criam a história do game; entre muitos outros cargos e funções. Mas se você quer desenvolver um projeto por conta própria, pode incorporar a função de todos eles. Na verdade, durante o processo de criação do primeiro jogo, o ideal é meter a mão na massa em todas essas etapas e aprender sobre cada uma delas.

    O próximo passo, portanto, é saber quais são as ferramentas certas para desenvolver seu jogo; aqui, vamos falar sobre três. Uma delas é uma game engine que permite a criação de jogos, a Unity; a outra, é uma ferramenta que permite a criação visual de um jogo old school, a Pixel Art; e, por último, um bônus: a ferramenta Raspberry, que permite a criação de uma central de jogos. Conheça mais sobre cada uma delas abaixo!

    Unity

    Unity é uma ferramenta de criação de jogos. Aliás, a maioria dos jogos tridimensionais produzidos para navegadores são feitos através da Unity. Não se preocupe se você não possui grandes conhecimentos em programação: para desenvolver seu game com este programa, é possível usar opções avançadas que realizam essas tarefas.

    É uma ferramenta paga, mas pode ser acessada de forma gratuita com algumas limitações de gráfico e licenças. A única exigência para rodá-la é uma máquina que tenha uma placa de vídeo potente e uma memoŕia RAM expandida.

    Para aprender tudo sobre o que é necessário sobre o funcionamento da Unity, indicamos o curso Aprenda Unity programando 7 jogos. Com ele, você conhece o editor do Unity, entende as principais funcionalidades e componentes, aprende o básico da linguagem de programação C# e cria projetos em 2D e 3D inspirados em jogos famosos como Angry Birds, Candy Crush e Fruit Ninja.

    Pixel Art

    Se você é fã de jogos do Atari ou Super Nintendo, também é fã da Pixel Art. Este é o termo usado para definir o design de jogos antigos, que usavam o pixel como elemento básico para a criação de artes digitais. O pixel é o menor elemento a constituir uma imagem digital e ao qual se pode atribuir uma cor. Isso significa que milhares de pixels formam o que se considera uma imagem completa ou inteira.

    A pixel art ganhou popularidade com a criação de jogos 2D. Apesar de ser um trabalho que demanda tempo e disposição para ser realizado, a criação de imagens em pixel art pode ser feita usando programas simples, como o Paint.

    Se interessou? Então se liga nessa indicação: o curso Pixel Arte para Games ensina os fundamentos desta técnica, além da criação de cenários, objetos e personagens animados. E ainda tem mais: você aprende a montar as cenas criadas para o seu projeto de game na Unity (a game engine que citamos anteriormente).

    Bônus: crie o seu próprio vídeo game!

    Você já viu que é possível criar um jogo por conta própria, mas é possível fazer o mesmo com um vídeo game? A resposta é sim, com a ajuda do Raspberry Pi. Essa ferramenta é um mini-computador, que cabe na palma da sua mão, e que permite conexões com computadores e televisores. Além disso, também é possível usá-lo para rodar sistemas operacionais baseados em GNU/Linux.

    Todas essas características permitem o uso do Raspberry Pi para a criação de uma central de jogos. Para fazer isso, é preciso ter uma versão específica da ferramenta e instalar programas como o Retropie ou Recalbox, que são configurados para exibir interfaces de emuladores, jogos e computadores antigos. Esses programas disponibilizam os principais games do Atari, Super Nintendo, Mega Drive, Game Boy, Nintendo 64 e até da primeira versão do Playstation.

    Com o Raspberry Pi, você cria o seu próprio console retrô de games! E o melhor: seu projeto final de vídeo game vai sair por um custo menor do que R$300. Para quem não tem familiaridade com o Raspberry PI, mas quer muito fazer a própria central de jogos, é indicado que assista um curso para conhecer todas as possibilidades da ferramenta. Afinal, é possível usar o microprocessador para desenvolver muitos outros programas.

    Agora que você tem todas as informações e ferramentas para criar o seu próprio império de games, é hora de colocar a mão na massa! Acesse os cursos, conheça as ferramentas e boa aventura! 

    33
    • Micro picture
      artigos · over 1 year ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      jack234 · over 1 year ago · 1 ponto

      Mto bom artigo! Parabéns e obrigado pelas informações! Enriquecendo a comunidade gamística!

    • Micro picture
      venomsnake · over 1 year ago · 1 ponto

      Só mencionando que você ainda pode usar algumas IDE´s conhecidas pra desenvolver jogos, Visual Studio da MS por exemplo suporta programar em algumas linguagens, utilizar o Unity, e ainda criar UWP, versões mais antigas davam suporta a criação de jogos pro Xbox 360. Netbeans pode ser usado pra se programar jogos em JAVA e etc. Da pra explorar essas IDE´s, baixar plugins e brincar com diversas bibliotecas.

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...