crossanimation

Mais que diversão, inovando o novo conceito de amizades.

You aren't following crossanimation.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2018-12-13 21:55:19 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Eu dito as regras

    Medium 3690966 featured image

    Salve, Salve meus caros Talkers…

    Eis eu aqui de novo, lhe escrevendo mais algo que acabei de esquecer se é realmente importante, se é ou não, tenho a mínima ideia kkk…

    Em ritmo de final de ano (2018 está no fim e que venha minha folga para jogar na virada para 2019), trago algo que ocorre muito desde a geração passada de videogames e games…

    Acompanho vários fóruns, comunidades de games, comentários que a galera vem passando de uns tempos para cá, é meio que cancerígeno...sério mesmo, cancerígeno é a palavra que utilizo.

    Você simplismente compra um game que está muito afim de jogar com os seus amigos, ter aquele momento de descontração, e eis que aparece o primeiro indivíduo, você o nunca viu na vida, e começa a proferir palavras a sua pessoa, dizendo que este não é o modo correto de jogar.

    Ué? Não é assim que se joga? Não entendi isso?

    Chega a ser engraçado, porque comprei o jogo para a minha diversão, a forma como eu jogo, sou eu mesmo quem determina, assim como todos pensam...mas vamos lá ao grande choro que muitos fazem na internet.

    Se você joga FIFA, tem uma modalidade Ultimate Team, no qual você compra um booster pack de cartas, e dentro dele vem os jogadores de forma randômica, você pode tirar uma carta “Ultra Rara” como também pode tirar uma carta “Comum”, o que ocorre muito das vezes. Você tem vários fatores do time para ter uma classificação.

    Vamos ao teste, uma partida online, e o que ocorre, depois de uma chuva de chutes ao gol, não consegue sequer abrir o placar, e tem “os melhores jogadores” que seu adversário não possui. A frustração, você toma um gol de um time que é considerado pior que o seu. Como me defender, você começa a proferir palavras de forma a denegrir seu adversário, tentando ter uma justificativa para aquele placar, até mesmo xingar em comunidades, mostrar prints, informar que o jogo está todo errado e por aí vai.

    Uma outra parte, é os comentários que alguns fazem, quando você está jogando online, “As Regras do Além” aparecem do nada, e o mais engraçado, você revirar um manual de instruções do jogo, ver em sites oficiais, e isso não existe…

    Uma das coisas mais claras que ocorre em quem está querendo um PvP, Dark Souls é um destes jogos, se você quer jogar online, terá ajuda de outros jogadores que tiveram uma certa dificuldade, como terão pessoas que apenas querem enfrentar aquele boss novamente, aumentar as almas para upgrade. Como estará propenso a “Invasões” durante o jogo, aquele cara que atrapalha sua jogatina, e que faz parte do jogo, pois dá uma pitada maior de dificuldade no jogo.

    Agora “A Regra do jogo” é: fazer reverência ao adversário, não tomar estus para recuperar life, não ir para os inimigos da fase pois é um duelo injusto…Na boa, respeito demais a todos que fazem isso, até que é muito legal, mas tem partes onde você faz isso, tem até mesmo clube da luta para isto. Mas pensando como muitos fazem, eu estou invadindo seu mundo, eu vou te matar ou morrerei tentando, se tenho itens no qual pode me favorecer dentro do jogo, o porque não irei fazer isso?

    Em jogos de FPS, se você não souber jogar da forma que eles esperam, prepare para ser bombardeado por comentários do pessoal “Pro” que está no jogo a mais tempo que você.

    Ainda mais se você pega uma classe no qual o outro quer tanto, e depois fica dando quit game no meio de uma partida, ferrando a todos que querem apenas se divertir.

    Alguns mesmos se intitulam como “Jogador Raiz” porque está a mais tempo no jogo, e outros que estão chegando é o famoso “Jogador Nutella”, e para sair desta condição, chega ser totalmente ridículo.

    Outro dia estava conversando com um amigo meu, e logo de alguns meses lançado o Fortnite, um jogo no qual baseia em construção, coletar recursos e muitos tiros, game muito divertido e viciante. Ele iniciou a jogar desde que lançaram o jogo, depois ficou um tempo sem jogar ele, ao voltar e conversar em uma party do jogo, muitos já o chamavam de Nutella, porque ele estava ali naquele momento jogando o game, não começou a jogar quando lançou, porque ele (a pessoa intitulada Raiz) está desde o começo…

    Pera amigo? Não entendi nada do que você disse? Só porque estou jogando agora sou considerado Nutella aos seus olhos???

    Muitos players querem impor uma condição de como você jogar, sendo que quem comprou o jogo foi você, quem terá a experiência de diversão, de como você irá se divertir, isso é determinado a você mesmo.

    Algumas pessoas das antigas, Old Gamers, falam que eles são gamers de verdade, que já finalizou Battletoads sem morrer 1 vez sequer, e quer ditar na geração nova como eles devem jogar.

    A geração nova também quer falar para você como deve jogar, se divertir, que gráficos X tá uma M@#$%, que o Remaster daquele jogo poderia ser melhor, que jogo Y tá cheio de bugs que estragam, que console Z não roda a 1080p e 60FPS...

    Na boa galera, isso é totalmente chato, assim como você que acha que isso é excelente nos jogos, tem pessoas que estão nem aí pra saber se vai rodar Full HD, se durante uma batalha durante um PvP é justo não usar itens cura, ou se a pessoa irá usar.

    Na realidade isso não importa para o momento de diversão que você precisa.

    Um amigo meu mesmo me disse, que se eu não zerar um jogo X sozinho, não necessitando de ajuda de outras pessoas online não tem graça. Porque ele já fechou X jogos sozinho, sem precisar de coop, pois ele se sente que o desafio é maior, já na minha opinião isso é um desafio que você próprio se adestrou a fazer, e por isso a “primeira viagem, jogatina” no game ir sozinho é legal também, por outro lado prefiro ter aquele modo cooperativo para chamar a galera, conhecer outras pessoas e prosseguir com a história do jogo, se isso vai me atrapalhar ou não, só eu mesmo para dizer.

    É isso galera, o que vocês pensam sobre essa galera que querem ditar certas regras de como você deverá jogar um determinado game?

    Ano de 2018 está acabando e eu vou me internar de novo na virada jogando mais alguns games para não perder a minha tradição.

    Um grande abraço a todos e que venha 2019…

    @armkng

    Donkey Kong Country

    Platform: SNES
    19919 Players
    204 Check-ins

    32
    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 3 pontos

      Tem como ditar regras e ainda ficar divertido. Ser desafiado em um jogo simples a jogar sem usar o mais básico que ele possui, tipo, sem pegar nenhuma moeda, sem atacar, etc.

      3 replies
    • Micro picture
      blacksunray · 5 months ago · 3 pontos

      gostei do seu texto, sou gamer da época do atari e passei por vários sistemas e convivi com uma dos melhores rivalidades da historia, o mega vs snes, e eu, meu irmão e meus amigos jogávamos e nos divertíamos juntos, hoje essa geração gosta de cagar regras, por isso essa geração são todos nutellas, os games em geral foi feito para divertir, se um jogo, sistema, fizer isso por vc, ele já valeu o investimento.

      2 replies
    • Micro picture
      saraiva · 5 months ago · 3 pontos

      Eu não tenho muita paciência, então quando alguém vem cagando regras simplesmente digo "O jogo permitr, Então pode".
      Em relação a dificuldade eu sempre fui apreciador das histórias dos jogos, eu jogo em maioria das vezes para viver a a experiência de estar dentro de uma história que não é possível vivenciar e tomar decisões na vida real, e quero jogar pra me divertir e quando o jogo é muito difícil deixa de ser divertido (para mim, meu estilo de jogo, sei que tem jogadores que adora Desafios). Com isso acabou jogando a maioria dos jogos no nível fácil.
      Em relação a ser Nutela ou não, sei lá. Jogo vídeo game desde o Atari, passei por praticamente todas as gerações, estou sempre informado sobre a indústria (por amar games), se só por que jogo no fácil sou Nutela, ok então, procuro não me importa muito com isso.
      Ótimo artigo.

      1 reply
  • 2018-12-13 15:34:57 -0200 Thumb picture
    Thumb picture
    43
    • Micro picture
      sophos · 5 months ago · 2 pontos

      esse joguineo é bem legal

    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 2 pontos

      Olha aí. Quase que perco.

  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2018-12-13 16:20:32 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Valve passa a banir jogos adultos

    Com personagens que remetam a menores de idade

    A Valve vem passando por uma pequena crise no que se diz a forma de como disponibiliza títulos no Steam. Neste ano, a empresa resolveu liberar todo e qualquer tipo de jogo na loja, inclusive aqueles que eram barrados por terem conteúdo sexual explícito. Só que agora a Valve resolveu segurar um pouco a galera, começando a banir jogos de conteúdo adulto que exploram a imagem de personagens que parecem menores de idade.

    A Valve começou a enviar um aviso para desenvolvedores que têm jogos na loja que envolvem "exploração infantil" e que, por isso, o título seria removido do Steam. O Top Hat Studio, responsável pelo jogo Cross Love, usou suas redes sociais para criticar a atitude da Valve, afirmando que seu game deixa claro que suas personagens têm mais de 18 anos. Uma pequena pesquisa mostra que, além de ser um jogo aparentemente mal feito, as personagens de Cross Love ainda parecem adolescentes de 15 anos.

    Outros desenvolvedores, como o pessoal por trás do game Hello Goodbye, uma visual novel que se passa em uma escola católica, afirmou que deve fazer alterações no seu jogo para remover o conteúdo adulto e poder ser comercializada normalmente no Steam.

    Anteriormente, a Valve havia afirmado que liberaria todo e qualquer tipo de jogo no Steam, desde que não quebrassem alguma lei. Isso vem gerando críticas frente a nova onda de banimentos, já que se os títulos deixam especificados que os personagens são maiores de idade, o fato de eles parecerem mais jovens não deveria ser impeditivo para sua comercialização, mesmo sendo bem esquisito.

    21
    • Micro picture
      manoelnsn · 5 months ago · 4 pontos

      De tanto os japas exagerarem e colocarem "moe" em tudo quanto é lugar, os ocidentais tão notando isso e essa atitude da Steam é só o começo, acredito.

      Personagens com cara de criança, voz de criança, atitude de criança e idade avançada o suficiente para que se alguém se excitar com elas não se sentir psicologicamente culpado sempre vão existir, independente das proibições. O problema é que, graças a essa caralhada de jogos assim muita coisa que não tem esse tipo de intuito pode se sentir prejudicada.

    • Micro picture
      armkng · 5 months ago · 1 ponto

      já tem alguns jogos nesse teor que já estão saindo da steam, o porém e que as empresas não estão sendo comunicadas, e eles pedem explicações o pq seu game foi removido da lista da steam...
      algumas outras informam que os personagens tem a maioridade que é de 18 anos para muitos países, porém até o prezado momento a steam não se pronunciou ou deu explicações...apenas deu o ban mesmo xD

  • 2018-10-23 11:43:08 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Desenvolvimento de games: ferramentas e cursos

    Medium 3680614 featured image

    Desenvolver o próprio game pode parecer uma tarefa complicada, um trabalho para grandes empresas. Mas não é. Para quem é amante dos jogos, essa pode ser uma realização em muitos sentidos, como a de assumir o papel de criador e jogador, ao mesmo tempo. Construir seu próprio jogo é mais fácil do que você imagina.

    Acesse o curso completo sobre Unity, a engine que possibilita a criação de jogos.

    Geralmente o processo de desenvolvimento de um jogo passa pela mão de muitos profissionais. Programadores são responsáveis pela funcionalidade do jogo e por gerar um código-fonte; designers são responsáveis por projetá-lo; redatores criam a história do game; entre muitos outros cargos e funções. Mas se você quer desenvolver um projeto por conta própria, pode incorporar a função de todos eles. Na verdade, durante o processo de criação do primeiro jogo, o ideal é meter a mão na massa em todas essas etapas e aprender sobre cada uma delas.

    O próximo passo, portanto, é saber quais são as ferramentas certas para desenvolver seu jogo; aqui, vamos falar sobre três. Uma delas é uma game engine que permite a criação de jogos, a Unity; a outra, é uma ferramenta que permite a criação visual de um jogo old school, a Pixel Art; e, por último, um bônus: a ferramenta Raspberry, que permite a criação de uma central de jogos. Conheça mais sobre cada uma delas abaixo!

    Unity

    Unity é uma ferramenta de criação de jogos. Aliás, a maioria dos jogos tridimensionais produzidos para navegadores são feitos através da Unity. Não se preocupe se você não possui grandes conhecimentos em programação: para desenvolver seu game com este programa, é possível usar opções avançadas que realizam essas tarefas.

    É uma ferramenta paga, mas pode ser acessada de forma gratuita com algumas limitações de gráfico e licenças. A única exigência para rodá-la é uma máquina que tenha uma placa de vídeo potente e uma memoŕia RAM expandida.

    Para aprender tudo sobre o que é necessário sobre o funcionamento da Unity, indicamos o curso Aprenda Unity programando 7 jogos. Com ele, você conhece o editor do Unity, entende as principais funcionalidades e componentes, aprende o básico da linguagem de programação C# e cria projetos em 2D e 3D inspirados em jogos famosos como Angry Birds, Candy Crush e Fruit Ninja.

    Pixel Art

    Se você é fã de jogos do Atari ou Super Nintendo, também é fã da Pixel Art. Este é o termo usado para definir o design de jogos antigos, que usavam o pixel como elemento básico para a criação de artes digitais. O pixel é o menor elemento a constituir uma imagem digital e ao qual se pode atribuir uma cor. Isso significa que milhares de pixels formam o que se considera uma imagem completa ou inteira.

    A pixel art ganhou popularidade com a criação de jogos 2D. Apesar de ser um trabalho que demanda tempo e disposição para ser realizado, a criação de imagens em pixel art pode ser feita usando programas simples, como o Paint.

    Se interessou? Então se liga nessa indicação: o curso Pixel Arte para Games ensina os fundamentos desta técnica, além da criação de cenários, objetos e personagens animados. E ainda tem mais: você aprende a montar as cenas criadas para o seu projeto de game na Unity (a game engine que citamos anteriormente).

    Bônus: crie o seu próprio vídeo game!

    Você já viu que é possível criar um jogo por conta própria, mas é possível fazer o mesmo com um vídeo game? A resposta é sim, com a ajuda do Raspberry Pi. Essa ferramenta é um mini-computador, que cabe na palma da sua mão, e que permite conexões com computadores e televisores. Além disso, também é possível usá-lo para rodar sistemas operacionais baseados em GNU/Linux.

    Todas essas características permitem o uso do Raspberry Pi para a criação de uma central de jogos. Para fazer isso, é preciso ter uma versão específica da ferramenta e instalar programas como o Retropie ou Recalbox, que são configurados para exibir interfaces de emuladores, jogos e computadores antigos. Esses programas disponibilizam os principais games do Atari, Super Nintendo, Mega Drive, Game Boy, Nintendo 64 e até da primeira versão do Playstation.

    Com o Raspberry Pi, você cria o seu próprio console retrô de games! E o melhor: seu projeto final de vídeo game vai sair por um custo menor do que R$300. Para quem não tem familiaridade com o Raspberry PI, mas quer muito fazer a própria central de jogos, é indicado que assista um curso para conhecer todas as possibilidades da ferramenta. Afinal, é possível usar o microprocessador para desenvolver muitos outros programas.

    Agora que você tem todas as informações e ferramentas para criar o seu próprio império de games, é hora de colocar a mão na massa! Acesse os cursos, conheça as ferramentas e boa aventura! 

    33
    • Micro picture
      artigos · 7 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      jack234 · 7 months ago · 1 ponto

      Mto bom artigo! Parabéns e obrigado pelas informações! Enriquecendo a comunidade gamística!

    • Micro picture
      venomsnake · 7 months ago · 1 ponto

      Só mencionando que você ainda pode usar algumas IDE´s conhecidas pra desenvolver jogos, Visual Studio da MS por exemplo suporta programar em algumas linguagens, utilizar o Unity, e ainda criar UWP, versões mais antigas davam suporta a criação de jogos pro Xbox 360. Netbeans pode ser usado pra se programar jogos em JAVA e etc. Da pra explorar essas IDE´s, baixar plugins e brincar com diversas bibliotecas.

  • _gustavo Luis Gustavo Da Luz
    2018-06-27 13:30:49 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    Post by _gustavo: <p>#img#[562767]</p><p>A melhor coisa que já saiu d

    A melhor coisa que já saiu da Coréia desde as Coreanas do K-Pop ( ͡° ͜ʖ ͡°)

    FIFA 18

    Platform: PC
    31 Players
    4 Check-ins

    30
    • Micro picture
      mateusfv · 11 months ago · 2 pontos

      Saiu mas alguma coisa da Coréia além dessas duas coisas uhsahuash?, as únicas duas coisa que me lembro de lá é StarCraft e agr Overwatch, mas os dois jogos não foram feitos lá :v, mas a Blizzard é da da Coréia do sul em certa parte suhsaashu

      2 replies
  • 2018-06-27 08:27:01 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Os jogos de sexo para o Atari 2600

    Medium 3645143 featured image

    Antes de falarmos dos jogos para o Atari 2600, vamos conhecer a origem dos games eróticos. O primeiro jogo voltado para o público adulto foi o Softporn Adventure, lançado pela Sierra On-Line em 1981 para o Apple II. Se tratava de um adventure de texto onde tínhamos que conquistar uma das 3 belas mulheres através de itens específicos. Mas foi apenas em 1982 que tivemos o primeiro jogo com imagens, o Night Life, lançado pela Koei para os computadores japoneses PC-8801. Aqui, controlamos a vida de um casal e durante a noite, eles fazem sexo em várias posições diferentes, desenhadas através de linhas e contornos simples.

     A companhia Mystique surge a partir de uma famosa companhia da indústria pornográfica, a Cabellero Control, com o objetivo de trazer jogos adultos para a plataforma da Atari. Em 1982, ela lança 3 jogos. Um deles se chama Bachelor Party, uma espécie de clone de Breakout, só que na horizontal. A bola é substituído por um homem nu e os tijolos por várias mulheres peladas. Beat ‘Em & Eat ‘Em é um dos jogos mais nojentos da história. Você controla duas mulheres na rua que deve engolir espermas de um homem no topo de um prédio, com uma jogabilidade muito similar a Kaboom!. Posteriormente, o jogo foi relançado com os papéis trocados, Philly Flasher, onde controlamos 2 homens na rua que devem engolir as gotas de leite que saem dos peitos de uma bruxa no topo de um prédio.

     Em Custer’s Revenge, você controla um general de guerra pelado em um deserto e deve desviar das flechas que vem do alto para chegar em um nativa americana amarrada no poste e estuprá-la. Devido a essa violência, o jogo foi alvo de crítica pela mídia especializada e por movimentos feministas por simular um estupro, sendo marcado como primeiro jogo a conter uma cena de violência sexual. A Mystique alegava que a índia pede ajuda ao general e que ela não está amarrada no poste. Devido a baixa nas vendas, a Mystique fechou as portas e se tornou PlayAround, que continuaria a produzir jogos pornográficos. Mas agora, os cartuchos agora teriam 2 jogos inclusos, sendo apenas o mesmo jogo com os papéis trocados.

     Foram 5 jogo relançados. Em Burning Desire, o homem nu deve salvar a mulher, também nua, de uma plataforma em chamas, ejaculando em cima do fogo. Jungle Fever só troca os papéis e o disparo é leite do peito. Em Knight on the Town ou Lady in Wading, devemos montar uma ponte para salvar o parceiro do alto de uma torre, desviando dos inimigos. Em Cathouse Blues, controlamos uma prostituta que deve entrar em 7 casas e fazer sexo para ganhar pontos. Há um minigame com o casal no quarto em posições diferentes. A versão trocada é chamada Gigolo. A empresa Universal Gamex, lança o seu único jogo, X-Man, onde controlamos um homem pelado que deve percorrer o labirinto, fugindo de tesouras, dentaduras e carrapatos e chegar na mulher, daí, é mostrada uma cena de sexo.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    28
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 11 months ago · 3 pontos

      kkkkkkkkk...engolir as gotas de leite... adoro!
      Essa não conhecia...
      ---
      Mano...muito sem noção esse CUSTER'S REVENGE...não? pqp... kkkkkkkkk
      Apesar de famoso e clássico...nunca o joguei...

      2 replies
    • Micro picture
      porlock · 11 months ago · 2 pontos

      eu joguei muuuuuito o custers revenge

      8 replies
    • Micro picture
      volstag · 11 months ago · 2 pontos

      A mulher gemendo no X-Man era bizarro!!

      3 replies
  • jesspras Jessica
    2018-06-08 15:30:06 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Rodar jogos de PS2 pelo pendrive/HD externo

    Estou jogando os clássicos do PS2 pelo pendrive e gostaria de compartilhar com vocês o tutorial. No link abaixo está um arquivo rar com tudo que precisamos para rodar os games dessa forma e um arquivo txt com o passo a passo!

    Google Drive com os arquivos

    As isos dos games eu costumo baixar do link

    Joguinhos de PS2

    55
    • Micro picture
      manoelnsn · 12 months ago · 4 pontos

      Boa! Preciso configurar o meu pra rodar do cabo de rede, aliás

      12 replies
    • Micro picture
      volstag · 12 months ago · 3 pontos

      Legal, estou com o meu parado aqui em casa porque ele não tá lendo direito os jogos em CD/DVD mais.

    • Micro picture
      mateusfv · 12 months ago · 3 pontos

      Recomendo fazer bem mais por rede, pq além de vc ter o espaço do pc que é bem maior, tbm n vai travar mais nas cgs e.e

      3 replies
  • 2018-06-22 01:23:17 -0300 Thumb picture

    Decepção ou Odeio nos games...

    Fala galera que acompanha a Crossanimation...

    Vi que o @desafio lançou uma brincadeira, onde consiste marcar a galera e em 10 dias ela trazer os games que mais marcaram sua vida (acho que é mais ou menos assim)...bom entrando no espírito ao contrário, resolvi marcar 10 pessoas aqui da persona, e elas irão me dizer:

    Me diga 1 o jogo o decepcionou, ou, você odeia?

    Diga o porque escolheu este game, o que te decepcionou, o que o broxou, o que fez passar raiva...

    E escolham 5 amigos e veja a reação deles...lembrando que se forem comentar, respeitem o que a pessoa disse galera...

    Valendo então, as 10 pessoas que escolhi para iniciar são:

    @carlos_gamer115, @marcusmatheus, @deulag, @_marcos_, @minerv4_, @chronos13, @volstag, @jailsonbraga, @doctorlarry, @dublue

    Marquem a persona para eu ver as respostas galera...xD

    God of War II

    Platform: Playstation 2
    18482 Players
    78 Check-ins

    27
    • Micro picture
      volstag · 11 months ago · 2 pontos

      Hahahaha, esse desafio vai dar o que falar hein?

    • Micro picture
      crossanimation · 11 months ago · 2 pontos

      e esta a minha intenção xD

    • Micro picture
      jailsonbraga · 11 months ago · 2 pontos

      Interesting...

      A noite quando tiver em casa eu faço... fazer desafio via tablet não dá.

  • 2018-06-20 14:32:10 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    LUMINES REMASTERED

    ...USUÁRIOS QUE COMPRAREM O JOGO NAS PRIMEIRAS DUAS SEMANAS RECEBERÃO TEMA, AVATARES E TRILHA SONORA.

    A Enhance anunciou que os usuários que adquirirem Lumines Remastered nas primeiras duas semanas (entre 26 de junho e 9 de julho) receberão, além do jogo, um pacote com extras sem custo adicional.

    Esses extras são avatares da PSN, um tema dinâmico para o PS4 e uma amostra da trilha sonora.

    Por fim, relacionado ao próprio jogo, foi revelado que haverá um modo rumble extra para o controle chamado Trance Vibration.

    =====================================

    FONTE: PLAYSTATION.BLOG.BRPSXBRASIL

    =====================================

    Lumines Remastered

    Platform: Nintendo Switch
    3 Players
    1 Check-in

    12
  • jonomaia João Gabriel Maia
    2018-06-08 02:33:03 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Erros e negligências comuns na montagem e utilização do "PC GAMER"

    Medium 3636704 featured image

    ERROS COMUNS AO MONTAR SEU PC

    Este artigo tem a finalidade de informar e alertar os futuros gamers que venham aventurar-se no mundo do PC gaming e os já usuários sobre erros e negligências comuns que podem comprometer sua experiência ou vir a te dar dores de cabeça em um futuro próximo. A partir da experiência e dos erros passados cometidos por este que vos escreve, espero poder ajudar essa parcela dos jogadores que hoje volta a crescer e a ocupar espaço significativo nos olhos da grande indústria, tanto os novatos quanto os velhos de guerra.

    [DISCLAIMER: tenha em mente que algumas das dicas dadas ao longo do artigo devem ser lidas e realizadas com cuidado e sempre atento aos riscos. Consulte sempre os manuais e fóruns em caso de dúvidas e eventualidades. Sinta-se livre para comentar também]

    [D2: recomendação de softwares ao final do artigo]

    1 - Unidades de armazenamento – HDD e SSD.

    Há uns anos atrás e, até hoje para alguns, o HD não parecia ter muita importância quando o assunto é Gaming, afinal, estes apenas tem a finalidade de armazenar dados, não é mesmo?

    Certo e errado. Sim, o HD é essencialmente responsável pelo armazenamento e transferência de dados através dos dispositivos conectados no PC. Porém, um HD de procedência ruim ou lento demais pode sim vir a ser um fator de perda de desempenho em jogos, especialmente quando o assunto é STUTTERING – ou microstuttering – as pequenas travadas que ocorrem durante o jogo em momentos chave.

    O stuttering em si é algo que pode ser causado por outros fatores também, mas no caso do HD, este acontece comumente em jogos que dependem massivamente do carregamento de texturas novas a todo momento – jogos em mundo aberto por exemplo. Estes jogos, para não sobrecarregar a memória física instalada com informações que podem ser manuseadas por outros meios, carregam diretamente do HD algumas das texturas que compõe o cenário ou então são pré-programados para utilizarem o arquivo de paginação do sistema – Memória virtual – para funcões similares e diminuir o uso da RAM.

    Por estes fatores, jogos como PUBG, Forza Horizon e outros Open Worlds podem ter desempenhos muito superiores quando instalados em um SSD, melhorando não só os tempos de carregamento mas também reduzindo drasticamente os stuttering.

    DICA: Caso o SSD não seja uma opção viável pelo seu espaço de armazenamento limitado, busque por um HD com um número maior de rotações – 7200 rpm por exemplo – e uma taxa de transferência maior. Outra alternativa são os “SSHD”, díscos rigidos híbridos que tem uma performance consideravelmente superior.

    2 – Placa-Mãe.

     A placa-mãe, como o nome sugere é o componente que permite a comunicação e funcionamento em sincronia de todos os demais. Ainda que, no caso do PC gaming, a placa de vídeo e o processador sejam os maiores limitadores, a placa mãe pode vir a ter um papel importante no desempenho destes, principalmente ao discutirmos o famoso “Overclocking”.

    No caso do processador, uma placa mãe que esteja a operar muito próximo do limite das suas especificações técnicas – como o TDP máximo informado nesta e no CPU – ou então tenha problemas de superaquecimento pode reduzir consideravelmente a performance do chip para não ultrapassar o limite seguro de operação.

    Quando o assunto é Overclocking, esse é um fator ainda mais problemático, pois os problemas acima podem ser levados ao extremo, até mesmo no caso do “turbo boost” - uma feature de overclock automático oferecido em grande parte dos processadores, pois este apenas poderá chegar limite estabelecido se as margens térmicas do CPU e placa-mãe permitirem.

    DICA: Não é preciso gastar demais, não também não economize demais. Busque por uma placa que mantenha uma margem de TDP segura do TDP máximo exigido pelo processador e que tenha boa reputação em análises e fóruns. Em casos de overclock, busque uma que possua um Power Phase maior – como 8 + 2) por exemplo – pois esse diminui o stress causado por maiores voltagens que terá de suportar.

    3 - Fontes:

    Este é outro fator que pode ser compreendido em conjunto com o anterior, pois, se a placa-mãe é o cérebro, a fonte é o coração. As fontes, de modo geral, possuem uma curva de desempenho. Nesta, é notável que operam melhor num meio termo, ou seja, com uma margem segura do limite anunciado.

    Se tal limite é frequentemente alcançando, isso pode gerar consideravel instabilidade no sistema, pelo fato de que qualquer oscilação comprometerá todo o conjunto. Uma boa fonte, portanto, além da segurança que pode proporcionar ao seu pc – pois muitas possuem proteção contra mudanças bruscas e picos de energia – são fundamentais para o funcionamento ideal do restante dos componentes.

    Placas de vídeo e seus overclocks automáticos também podem ser afetados, pois, essa feature que é implementada em muitos produtos da Nvidia por exemplo, alcançam números maiores dependendo da margem de energia e resfriamento que tem a disposição.

    DICA: Sempre busque uma fonte que ultrapasse com certa margem o consumo total de sua máquina. Os cálculos do quando seu PC utilizará e qual fonte recomendada podem ser feitos aqui:

    http://www.coolermaster.com/power-supply-calculato...

    Os selos de bronze, platinum e etc ajudam a ter uma ideia da qualidade e eficiencia do produto.

    4 - Refrigeração adequada:

    Como dito em alguns dos exemplos desse artigo, o aquecimento excessivo em alguns componentes é um fator limitador quando discutimos a performance máxima destes. A refrigeração do sistema então deve ser feita de forma consciente e planejada para obter maior eficiência. O ideal é que o gabinete possua espaço para as ventoinhas produzirem um fluxo constante de entrada e saída de ar, ou seja, jogar o ar frio para dentro e o ar quente para fora.

    Escolher um bom gabinete também pode contribuir significativamente para tal. Algumas das dicas são: torres que possuem a fonte posicionada na parte de baixo, pois esta não estará recebendo o ar quente a todo momento já que a tendência do ar quente é subir. Entradas de ar frontais ou laterais para instalar as ventoinhas que jogarão o ar frio para dentro e saidas de ar superiores e traseiras para a exalação do ar quente.

    Sobre as ventoinhas, procure sempre se atentar ao “fluxo maximo de ar” anunciado e não necessariamente a velocidade de rotação. Busque também prestar atenção na direção do fluxo indicado no produto na hora da instalação.

    O mesmo vale para placas de vídeo e processadores. Placas em modelos “mini” ou com menos ventoinhas dissiparão menos calor e podem diminuir os limites da mesma. Para processadores, os coolers padrão geralmente possuem eficiência consideravelmente baixa, algo que pode ser compensado por coolers avulsos de maior qualidade – e até tamanho, pois possuem mais área para dissipar o calor.

    5 – Equilíbrio é a chave.

    Este é um tópico que pode ser associado a todo o resto. A ideia do equilíbrio é montar um setup que não possua tamanha disparidade entre seus componente, pois isso diminuirá a chance de ocasionais problemas de performance grandes.

    O desempenho da placa de vídeo deve equiparar-se, de certa forma, ao do processador, a quantidade de memória instalada deve ser suficiente para suportar os jogos aos quais os outros dois estarão a par de jogar e assim por diante, pois, se não, em quase todas as situações haverá algum fator deficitário – o famoso “Bottleneck” (“gargalo”).

    Alguns jogos exigem mais da GPU, jogos online geralmente se utilizam mais dos CPU, jogos de mundo aberto se utilizam de mais memória de vídeo e RAM. É sempre mais eficiente montar um sistema que esteja a par de desempenho que um que apenas terá um bom desempenho em algumas ocasiões.

    DICA: para medir de forma simplificada a quantidade de bottleneck de sua configuração, acesse o link: http://thebottlenecker.com/

    6 – Configurando o Software e o Hardware

    O principal diferenciador da plataforma do PC é a liberdade de poder configurar da melhor forma de acordo com suas preferencias seus programas e hardware para levar ao máximo posivel a performance disponível.

    Mas para isso, é preciso gastar um tempo xeretando em todas as opções que o sistema operacional, os jogos e a BIOS oferece. Então vamos por parte:

    o Windows (seja qual for a versão) é, no final das contas a principal plataforma para gaming pela convencionalidade, compatibilidade e o número de apps e programas disponíveis. Porém, muitas features inseridas no sistema acabam por limitar a experiência se não configurados adequadamente. Um exemplo são os perfis de energia e performance que podem ser encontrados no painel de controle. Nas configurações avançadas de cada perfil podem ser encontradas opções de desligamento automático de portas USB (que pode ocasionalmente dificultar o uso de algumas das entradas), limite de uso do CPU e desligamento automático do HD que é recomendado que seja desativado para evitar a constante mudança de estado do disco.

    Há também um grande conjunto de tarefas que podem ser desabilitados para reduzir o uso de recursos como serviços de telemetria, cortana e outros. Uma ferramenta que auxilia neste passo é o Ultimate Windows Tweaker, disponivel em: http://www.thewindowsclub.com/ultimate-windows-tweaker-4-windows-10

    Com relação direta ao hardware, as mudanças devem ser feitas na BIOS, que é o sistema da placa-mãe acessado ao pressionar a tecla DEL ou DELETE durante o processo de boot do PC. Aos já familiarizados com tal, algumas alterações que podem aprimorar a performance de modo geral é o desligamento de features de economia de energia como C1E state e Cool n’ quiet para o CPU, o ajuste dos timings das memórias de acordo com as especificações de fábrica do seu kit de RAM e assim por diante.

    O último passo são os softwares de gerenciamento da NVIDIA e AMD disponíveis nos drivers. Nestes, é possível escolher as prioridades na renderização do jogo – Qualidade ou Desempenho – economia de energia, forçar o desligamento de opões como sincronização vertical ou o inverso – ativar efeitos como Antialiasing em jogos que não o possuem por padrão – e até mesmo resoluções personalizadas. No caso da NVIDIA, a opção de “shader cache” é um setting que se utiliza diretamente do HD para armazenar momentaneamente shaders e reutiliza-los quando necessário.

    Conclusão:

    Somando todas as dicas e com tempo e dedicação para buscar e pesquisar a mais informações e tutoriais em fóruns e vídeos, é possível melhorar consideravelmente sua máquina ou então montar a ideal diminuindo o máximo as falhas e compromentimentos.

    DICAS DE SOFTWARES:

    DFX Audio Enhancer: aumentar o volume para além do limite que o sistema permite.

    HWMonitor: Monitoramento de temperaturas e clocks do hardware.

    Coretemp: Monitoramento da temperatura do CPU de forma mais compacta.

    CPU-z: Informação completa das especificações do hardware.

    IBT AVX: Stress tester para CPU – ideal para testar estabilidade de overclocks rapidamente.

    NovaBench: app de benchmark para medir desempenho do PC de forma simplificada .

    MSI AfterBurner: monitoramento e overclock de GPU.

    Glary Utilities: limpeza do sistema e uma diversidade de recursos diversos.

    Ultimate Windows Tweaker 4: ideal para modificar e aprimorar o Windows para melhor performance.

    53
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...