You aren't following colonel.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • colonel Filipi Garcia
    2020-07-07 14:39:24 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>Resolvi pegar essa coletânea para conferir o seg

    Resolvi pegar essa coletânea para conferir o segundo, já que o primeiro eu conferi lááááá pelos idos de 2013. 

    Claro, quis rejogar o primeiro e tive uma percepção até então inédita em relação aos controles: usar o teclado e o mouse é muito melhor que o controle.

    Pela agilidade necessária e mudança no campo de ataque do personagem, usar o analógico faz perder instantes preciosos que são a diferença entre o sucesso e mais uma morte. Mesmo pegando prática, continua sendo muito mais penoso que jogar no PC.

    Mesmo assim, já cheguei no final do arco do maluco de jaqueta, então logo vou testar o segundo pra ver se é bacana como este.

    Em tempo: o "logo" pode demorar também, já que a noiva tá internada no Stardew Valley haha

    Hotline Miami Collection

    Platform: Nintendo Switch
    5 Players
    5 Check-ins

    6
  • colonel Filipi Garcia
    2020-07-02 11:40:28 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>Resolvi pegar esse na eshop pois coincidiu de te

    Resolvi pegar esse na eshop pois coincidiu de ter a rara combinação: indicação de um conhecido/desenvolvedor brasileiro/promoção na loja virtual.

    A jornada tem uma série de facilidade como baixo dano, vidas aqui e ali e a possibilidade de iniciar no começo de cada fase. No fim, duas telas de game over, apenas, e finalizei o game.

    Finalmente me senti um bom jogador de game “estilo Contra” hahaha

    Enfim, fica aqui o registro. Baita homenagem aos games e cultura dos anos 80, vale adquirir se conseguir numa promoção ou se o orçamento estiver folgado.

    Biolab Wars

    Platform: Nintendo Switch
    4 Players
    1 Check-in

    8
    • Micro picture
      fonsaca · 8 days ago · 2 pontos

      Interessante!

  • colonel Filipi Garcia
    2020-06-26 11:04:13 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>Finalizado! Liberei as fases secretas e obtive t

    Finalizado! Liberei as fases secretas e obtive todos os pedaços de quebra-cabeça.

    Senti que esse Tropical Freeze teve um aperfeiçoamento no level design, além de diversas partes com mais criatividade que o Returns. E claro: se você quiser fazer 100%, vai ter bastante dor de cabeça com algumas fases.

    Dito isso, considerei o uso dos kongs auxiliares um desperdício de oportunidade. Mais que isso: mesmo entre eles acabei usando praticamente só a Dixie por ser muito melhor que Diddy e o Cranky.

    Falando em “Kongs”, continuo achando estranho ignorarem o Kiddy Kong nos jogos. Seria algum problema com direitos autorais como com o K. Rool, ou ele é um pária perante o público, aí os desenvolvedores ignoram personagem?

    Nem vou adentrar em comparações técnicas com os games do SNES. Apenas queria ressaltar que excetuando um ou dois temas musicais das fases, todas as demais são esquecíveis. Menciono isso pois considero a trilha dos games do SNES brilhantes.

    Concluo pensando que o game me divertiu bastante, mas fiquei pensando no leque de possibilidades desperdiçadas pelos criadores. 

    Quem sabe num jogo futuro?

    Donkey Kong Country: Tropical Freeze

    Platform: Nintendo Switch
    201 Players
    9 Check-ins

    23
    • Micro picture
      fonsaca · 13 days ago · 3 pontos

      Parabéns, hein? Eu to levando anos! Hahahaha!
      Kiddy Kong! verdade, eu curtia muito ele e desapareceu.
      Outra coisa é a questão "atmosférica". Esse gráfico cartunesco não dá aquela sensação louca dos do SNES. Sem falar na trilha, que aí quase sempre puxa para uma aventura genérica ao invés de ser um "reflexo" do cenário, como as trilhas da neve nos do SNES.

      2 replies
    • Micro picture
      gicba · 13 days ago · 2 pontos

      Boa, boa. Sinceramente os outros macacos serem só power ups e por algum motivo controlávies só no co-op é a maior furada desse jogo pra mim, mas fora isso, eu adoro.
      O Kiddy kong admito que não sinto falta, acho ele mt feio, preferia era que trouxessem o Lanky do 64

      1 reply
    • Micro picture
      jefffvoigt · 13 days ago · 2 pontos

      Tentei começar esse jogo umas duas vezes, não me empolgou, quem sabe um dia eu ainda dê outra chance. Eu amo a trilogia do SNES e esse jogo não conseguiu me cativar.

      1 reply
  • colonel Filipi Garcia
    2020-06-15 11:06:31 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>Minha noiva percebeu que eu estava me batendo jo

    Minha noiva percebeu que eu estava me batendo jogando o “Zelda do trem” no 3DS, e ainda estando ela explorando o Zelda Bafo do Selvagem, resolveu me presentear com esse Donkey Kong que sempre quis conhecer.

    Bom, ela também sabe como curto jogos de plataforma com nível de dificuldade elevado. Em resumo, “causa ganha”: jogo está fluindo bastante para mim, já tendo chegado no 5° mundo e tendo pego todas as “letras kong”. Deixei apenas os quebra-cabeças para uma replay.

    Por outro lado, estou achando o game muito mais do mesmo do DK Returns. Se estou gostando mais, certamente é por jogar na TV, com o conforto do sofá. O DK Returns joguei no meu 3DS (primeiro modelo) e isso prejudica demais para um jogo de plataforma, tendo eu mãos GG haha.

    Como sempre, quando finalizar venho aqui concluir algo sobre o game.

    Donkey Kong Country: Tropical Freeze

    Platform: Nintendo Switch
    201 Players
    9 Check-ins

    6
    • Micro picture
      fonsaca · 24 days ago · 2 pontos

      Eu curti bastante, apesar de ter largado. Com vc jogando, talvez me anime em pegar para zerar ao menos.
      Pior que eu não joguei nada de DK desde o SNES antes desse Tropical Freeze, logo achei muito bacana uma "atualização" da série. Todavia imagino que chega uma hora que deve cansar jogar "mais do mesmo". Senti isso com o New Super Mario Bros. U. E olhas que eu só tinha jogado um ou outro Mario do GBA/DS depois dos clássicos. preferi muito mais o Super Mario 3D World que misturou a jogabilidade "de ladinho" com a poligonal.

      2 replies
  • colonel Filipi Garcia
    2020-06-08 13:06:28 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>Considerando que a noiva decidiu catalogar todas

    Considerando que a noiva decidiu catalogar todas as korok seeds em Breath of The Wild, resolvi começar esse que é o único cartucho de

    3DS que tenho aqui e não joguei ainda.

    Apesar de ser uma continuação de Phantom Hourglass, que por sua vez é continuação de The Wind Waker, já de cara gostei muito mais de andar de trem. Já que você tema  limitação de andar com um "veículo" usando uma caneta, melhor que seja bem restrito mesmo via trilho de trem.

    Paralelo a isso, gostei muito mais da parceria do Link com o Zelda.  Achava o Linebeck bem chatinho, então foi uma grata surpresa conferir uma maior participação da Zelda num game da franquia.

    Único problema até agora é ficar assoprando o console pra usar o instrumento musical. Acho que sou ruim nessa parada, ou o sensor não é muito bom.

    Finalizando esse, também mando aqui o que achei.

     

    The Legend of Zelda: Spirit Tracks

    Platform: Nintendo DS
    2984 Players
    122 Check-ins

    6
    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 2 pontos

      Sem falar q essa Zelda é a mais carismatica ever.hehe mas achei cansativas as viagens de trem

      2 replies
    • Micro picture
      fonsaca · about 1 month ago · 2 pontos

      Tá com o pulmão fraco... vai fazer uns exercícios!

      2 replies
  • colonel Filipi Garcia
    2020-06-05 17:24:17 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>Curioso que da atualização do Switch Online, fal

    Curioso que da atualização do Switch Online, falaram muito do Wild Guns , mas esse Logic Bomb é que jogava quando era novo. Parece um "Contra com visão aérea". Finalizar sem save state demandaria muita paciência e diversas telas de "game over". To de boas, jogando só pra relembrar, mesmo...

    Operation: Logic Bomb

    Platform: SNES
    45 Players
    2 Check-ins

    4
    • Micro picture
      fonsaca · about 1 month ago · 2 pontos

      Esse eu não manjava. Mas Wild Guns sim! Hahaha!

      1 reply
  • colonel Filipi Garcia
    2020-04-30 14:45:38 -0300 Thumb picture
    Post by colonel: <p>A pedidos seguidos do @fonsaca, revivi o perfil

    A pedidos seguidos do @fonsaca, revivi o perfil aqui no Alvanista pra fazer registro da minha jogatina atual, Zelda - Breath of The Wild.

    Inicialmente, creio interessante contextualizar contando minha experiência com a série Zelda. Sempre tive um vínculo afetivo maior com os jogos 2D da série, jogando praticamente todos que saíram até agora, até mesmo os do DS com o controle com a “caneta” do portátil. Games da série 3D sempre me chamaram a atenção pela beleza dos cenários e expansão da jogabilidade no comparativo aos games 2D. Porém, sempre tive problemas em controlar o Link nas batalhas, além de ter grandes problemas de localização espacial, em especial nas dungeons. Dito isso, vamos às minhas impressões do game, até aqui.

    Primeira coisa a dizer, e certamente é “chover no molhado”, é que o esquema “mundo aberto” traz seus prós e contras: Se por um lado o game te permite seguir seu próprio caminho no mapa – e que possivelmente irá diferir de seu amigo que também está jogando/jogou – por outro você irá perder longos tempos escalando montanhas, caminhando e caçando, sem fazer nada que realmente desenvolva a narrativa preestabelecida.

    Já que toquei no tema narrativa, devo dizer que até aqui ela me chamou a atenção pelo esquema de recuperar as memórias, servindo como motivação para explorar o mapa. Mas ao conseguir metade delas, estou achando meio “mé” o draminha da Zelda, que parece ser o plot do jogo. Apesar de que a narrativa nunca foi o forte da franquia, mesmo...

    No começo tive sérias dificuldades para me acostumar a fazer coisas como caçar um javali, pois como mencionei no começo, tenho uma baita dificuldade nos controles nos Zeldas 3D. Agora que me adaptei melhor, posso dizer que é um game com dificuldade bem baixa. Você encontra aquelas fadas que fortalecem as armaduras, aí soma aos poderes ganho nas bestas divinas e corações via shrines, e o game fica bem suave. Mesmo não dominando o esquema de esquiva e defesa com escudo, até aqui dá pra passar por quase qualquer inimigo na boa.

    Nesse aspecto, minha noiva que está curtindo muito o jogo e explorando o mapa para mim. A maior parte dos inimigos ela derrota “na paulada” mesmo, sem muita estratégia. Isso reforça minha percepção quando a baixa dificuldade do game. Aliás, agradecimentos a ela por ficar horas explorando uma mesma área procurando pequenos segredos. Estivesse somente eu jogando, já teria passado reto por um monte de coisa nesse mundo extenso, e meio vazio (desconsidero as seeds ou baús com flechas como atrativo para exploração).

    Por fim, digo que tanto as shrines quanto as bestas divinas me pareceram com baixa complexidade. Não empaquei em nenhum puzzle até aqui, e muito menos nos chefes das bestas divinas, que foram ridiculamente fáceis.

    Acho que é isso, estou com duas bestas divinas finalizadas e metade do mapa. Quando terminar o game, faço uma postagem dando uma opinião definitiva

    The Legend of Zelda: Breath of the Wild

    Platform: Nintendo Switch
    894 Players
    398 Check-ins

    15
    • Micro picture
      fonsaca · 2 months ago · 3 pontos

      Aí sim, voltando das cinzas para as postagens (pq, olhar e comentar às vezes é coisa que tu ainda fazia). Hahahaha!
      Boas colocações. Compartilho de grande parte do que disse sobre esse Zelda e, inclusive, algumas coisas que disse eu nunca notei ninguém falando.
      Realmente o jogo é "aberto e complicado", mas afinal tudo depende de "saber o que fazer". Realmente, se pegar upgrades principais, dá pra avançar de boas.
      Os templos de upgrades são meio méh e mais do mesmo (apesar de até terem uns difíceis onde vc precisa arremessar bombas e o escambau). Lembro que achei as bestas divinas legais (por serem lineares), mas realmente eu só empaquei em um único puzzle. E era pra ser comum e constante os "empacamentos" num Zelda, não?

      6 replies
    • Micro picture
      blinkn · 2 months ago · 2 pontos

      A história do jogo é exatamente o que você está pensando, o jogo é bom no gameplay mesmo, tenho nhenhentas horas nesse jogo e curti demais :D.

      1 reply
  • 2016-10-31 11:23:19 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    E aí, querem um Mega Drive original novinho de fábrica?

    A Tectoy, empresa responsável por lançar produtos da Sega no Brasil,  anunciou a pré venda de um Mega Drive com a carcaça original, 22 jogos na memória, saída para fone de ouvido, entradas para cartão SD e fitas!

    Tudo isso por R$399,00.
    Ou R$379,05 no boleto.

    De ressalva, tem o fato de não existir saída HDMI igual ao NES Mini. *
    Quem sabe, entradas USB e controles sem fio tbm seriam uma boa.
    Sonhando demais, opção de salvamento instantâneo (ok, aqui forcei a barra, 16-bits não é tão impossível de se jogar sem save state).
    A Tectoy justifica com o aumento de preço do produto final algumas dessas não inclusões  segundo o site Tecmundo.

    http://www.tecmundo.com.br/video-game-e-jogos/1111...


    Todavia, o console parece compensar para retrogamers que se interessam, por exemplo, em ter um Mega Drive original + Mega Everdrive (periférico que permite colocar jogos via SD em Megas antigos). Possivelmente, será só colocarmos roms no cartão que dará pra jogar toda biblioteca.

    Outra importante informação: "Mas a melhor notícia é que o Mega Drive é de fato, um console legítimo. Os componentes, embora não sejam os mesmos do console original, pela óbvia razão de que tais peças não são mais fabricadas, cumprem o papel de fazer o console funcionar, aceitar fitas e nos levar de volta aos inesquecíveis anos 90, a época em que os videogames conheceram muitos clássicos, que são queridos e jogados até hoje. O esforço da Tec Toy ter desenvolvido um console deste padrão é digno sim de aplausos, por colocar no mercado nacional uma ótima opção de jogatina retrô, facilitando na questão de logística e atendimento. Na prática, não é só o Mega Drive que retorna, a Tec Toy (em separado, mesmo, tal como era nos anos 90) também está em ótima forma, oferecendo o mesmo suporte e atendimento que a fez sinônimo de Sega no Brasil nos anos 90." **

    O console será enviado por volta de junho de 2017.


    * Essa ressalva e parte do texto são referências ao text do usuário @tiagoandrade.

    ** Fonte: http://www.arkade.com.br/mega-lancamento-tectoy/

    Visualizem a pré-venda do console em:
    http://www.tectoy.com.br/pre-venda-mega-drive-edic...

    Post por: @fonsaca

    Turbo OutRun

    Platform: Genesis
    148 Players
    1 Check-in

    35
  • colonel Filipi Garcia
    2016-10-30 11:31:12 -0200 Thumb picture
    colonel checked-in to:
    Post by colonel: <p>#img#[359020]</p><p>Incentivado pelo brother @fo
    The Legend of Zelda: Twilight Princess

    Platform: Nintendo Wii
    6203 Players
    365 Check-ins

    Incentivado pelo brother @fonsaca a registrar minhas impressões sobre Twilight Princess (Wii) que terminei a cerca de dois meses atrás, surgiu um tempo livre e resolvi postar aqui. Então seguem minhas observações, para o caso de alguém ter paciência de ler:

    Inicialmente, cabe o registro de que sou jogador de Zelda acostumado com os jogos 2D. Joguei e finalizei praticamente todos os jogos da série, passando por The Legend of Zelda do NES atéA Link Between Worlds (3DS). Apenas não joguei ainda o mais recente Triforce Heroes (3DS) e o famigerado Four Swords Adventures (GC). Aliás, @fonsaca agora não temos desculpa mais, vai ter que rolar a jogatina desse aí hehe.

    De jogos 3D da série, tenho pouca experiência: apenas finalizei Ocarina of Time (64). Joguei duas vezes Majora’s Mask e larguei pois me deu dor de cabeça a loucura de voltar no tempo e nisso perder algum item e ter que fazer tudo novamente.

    Enfim, o fato é que sou essencialmente um jogador retrô que nunca se adaptou plenamente a jogos 3D, talvez por isso o jogo me deu mais dor de cabeça do que deveria.

    Optei por jogar Twilight Princess antes de The Wind Waker pelo medo de estranhar o visual cartunesco deste. Achei que as chances de seguir em frente com um game com pegada “realista” seria maior. E de fato, eu estava certo. O game tem uma atmosfera bem pesada com alguns momentos que lembram filme de terror. Curiosamente, é justamente a atmosfera e o enredo em si o que mais me agradaram, A dinâmica do Link com a Midna é cativante e me fez querer continuar com o jogo mesmo em alguns momentos de cansaço. Outros personagens têm algum destaque como Telma, Renado e Colin mas nada realmente impactante. Em geral servem apenas como pano de fundo para alguma situação envolvendo alguma quest da jornada do Link o que é o padrão nos Zeldas que joguei.

    O que me trás à parte que não gostei do jogo: achei o jogo pouco inovador, quase um Ocarina of Time requentando.

    Por exemplo, a estrutura do enredo é esquemática e por demais semelhante à Ocarina e mesmo outros games da série. A mesma ideia de ”estamos de boa, rola treta, 3 dungeons pra resolver a parada, resolvido? Nããããão, reviravolta pois deu merda e fomos enganados, vamos começar tudo novamente, mais algumas dungeons e agora vai! Batalha final!”

    Sem grandes novidades nas armas ou coletáveis. Ah, o mapa é maior, o que só torna mais cansativo a procura por mais pedaços de coração em espaços maiores e vazios.

    A jogabilidade também me incomodou em alguns pontos. Achei o Link “lobo” mal aproveitado, depois de um primeiro momento de novidade se torna uma experiência limitada e repetitiva. Uma pena.

    Também não gostei do uso do Wiimote. Embora você possa fazer alguns movimentos com a espada, em geral você pode ficar repetindo o mesmo golpe básico pra derrotar 90% dos inimigos. Como jogador conservador, prefiro o bom e velho controle clássico de botões.

    Por fim, as dungeons são um primor como todos os games da série. Gostei em especial do mapa da Forest Temple, puzzles da Lakebed Temple e dinâmica da Temple of Time. Visualmente, achei a City in the Sky belíssima, porém provavelmente minha inaptidão com jogos 3D mencionada anteriormente somada ao uso de clawshots nos Zeldas 3D (que acho uma bosta) me fizeram demorar o triplo do tempo. Não vou entrar em detalhes, mas uma parte em específico dessa dungeon quase me fez receber a tela de “game over”, o que seria um prodígio em um jogo essencialmente fácil, como este Twilight Princess.

    Creio que estes pontos que se destacaram para bem ou para mal na minha experência gamística. Talvez pareça que gostei pouco do game, o que não é verdade. Achei The Legend of Zelda: Twilight Princess um game bonito, com uma temática que me agradou muito e uma dinâmica entre os personagens principais que vale a jornada. Mas é pouco inovador, bastante repetitivo e em alguns pontos realmente cansativo.

    Sei que muitos gamers adoram este jogo mas minha experiência foi essa, um tanto “dividida”. Por favor não me joguem pedradas por isso.

    22
    • Micro picture
      fonsaca · over 3 years ago · 2 pontos

      Check-in? Poxa, isso podia ser um "artigo" ou "crítica", kkkk!
      Muito bom, fico feliz que tenha feito.
      Temos mesmo que jogar o Zelda do GC!

      Vamos aos comentários, tentarei resumir...
      Com esse seu texto maior, fico mais aliviado em estar claro que o jogo não é ruim e parece ser o que espero, rsrs. Aliás, qual sua nota pra ele? Entra na sua lista de "favoritos"?
      Lembro dos seus comentários "negativos" referentes as similaridades com o Ocarina e tal. Afinal, a série está precisando se reinventar mesmo. Quem sabe o novo Breath of the Wild sope novas brisas pra série (A Nintendo está vendendo ele como um "sucessor" do Zelda do NES).
      Nesse ponto reforço: cuidado com o Wind Waker! Apesar de mtos elogiarem e dizerem que é "diferente" do Ocarina (o cenário e o mar, meio que são).
      Resumidamente, acho que dá pra falar só isso.
      Lembrando de mais coisas, comento novamente, rsrs!

      Acho que é isso, bora para os outros Zeldas. Vamos zerar toooooooodos!
      Muawawawawawawaa!

    • Micro picture
      colonel · over 3 years ago · 2 pontos

      huahuahauhauha acabei me empolgando e escrevendo mais do que deveria. E nem me lembrava que tinha a parada de "crítica" aqui. O Alvanista deu uma mudada desde a última vez que postei algo.

      Cara, eu daria um 7,5 ou 8 pois é um jogo visualmente muito bem trabalhado. É um bom jogo, só perdeu o fôlego comigo, experiência pessoal mesmo. Não chega a ser um jogo favorito para mim.

      Acho que todo jogo pós Ocarina tenta ser "o jogo que vai superar Ocarina of Time". Ocarina parece um paradigma, um "padrão de qualidade" que todos os jogos seguintes tentam copiar e superar. Quem sabe o Breath of The Wild consegue se desvincular no clássico e criar uma coisa totalmente nova pro universo da série. É torcer.

      Teste The Wind Waker aqui no Wii essa semana e curiosamente não me pareceu com muita queda na qualidade de imagem na TV de plasma. De qualquer forma vou aguardar chegar um cabo video componente pra ver qual é a diferença.

      E vamos jogar e zerar rodos sim huehueheuheueheuhee

    • Micro picture
      fonsaca · almost 3 years ago · 2 pontos

      Relendo aqui, concordo com várias questões: lobo mal aproveitado e espaços vazios muito grandes pra procurar os corações e outras coisas.
      Wii mote deve ser pq esse jogo foi feito pro Game Cube, mas portado de última hora. Acho que só o Skyward Sword pode dizer se realmente é chato usar o controle diferente ou não.
      Já sobre inovação eu me pergunto: qual Zelda inova?
      A série costuma inovar com alguns conservadorismos, sempre.
      Apesar do Ocarina ter migrado tudo pro 3D, mesmo esquema de DGs.
      Esse novo Breath of Wild mudou mta coisa, mas no cerne tem mta coisa igual (a mecânica de cavalgar é quase a mesma, a lógica das DGs meio parecida). Tem várias inovações em questões de mecânicas e tal, mas eu desgostei bastante do mundo aberto. Suas "possibilidades infinitas", geraram várias limitações para a série.
      Enfim, um dia quero q vc jogue e me diga o que acha.

  • fonsaca Adriano Luís Fonsaca
    2015-08-23 13:28:27 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    fonsaca checked-in to:
    Post by fonsaca: <p>Sunset Riders, Knights of the Round,&nbsp;Teenag
    Mario Kart 64

    Platform: N64
    10881 Players
    61 Check-ins

    Sunset Riders, Knights of the Round, Teenage Mutant Ninja Turtle, International Superstar Soccer Deluxe, Street Racer e, por fim, Mario Kart 64. Todos jogados em 3 pessoas.
    Reafirmando: nada como jogar multiplayer pessoas de verdade ao seu lado. 

    17
    • Micro picture
      luansilva2000 · almost 5 years ago · 3 pontos

      Com certeza, multiplayer local sempre será melhor!

      1 reply
    • Micro picture
      artoriasblack · almost 5 years ago · 2 pontos

      podem ter outros Mario Kart mais modernos, mas esse é o melhor de todos

      4 replies
    • Micro picture
      onai_onai · almost 5 years ago · 2 pontos

      Acho ele legal também, mas acho que ficaria mais interessante se desse pra participar dos campeonatos com mais de um jogador, assim como no Super Nintendo.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...