2019-08-09 20:16:43 -0300 2019-08-09 20:16:43 -0300

Vacas, alienígenas e diálogos rimados são parte da mágica desse jogo

Boa noite! Eu vou tentando aos poucos falar sobre os jogos que eu andei zerando nas férias, mas hoje eu trago uma das pérolas que eu tive a sorte de achar por esses dias.

Milkmaid of the Milky Way é um Adventure feito por Mattis Folkestad. Possui um plot e personagens cativantes . Quando eu comecei a jogar ele, não consegui desgrudar da tela até zerar.

Seus gráficos são simples, mas ao mesmo tempo consegue ter uma beleza toda exclusiva e animações que você olha e acha no mínimo adoráveis. Os personagens e cenários são bem únicos, e tudo parece compor um ambiente ideal para esse jogo.

Ruth, a personagem principal, mora sozinha com suas vacas e nutre grande afeto por elas. Cuida dos animais e tira seus leites para fazer mantega, queijo e vender para ter sua fonte de renda.

Mas, Ruth não é apenas isso, claro. No inventário do jogo podemos ter acesso ao diário da personagem, e nele ela desabafa e narra acontecimentos marcantes de sua vida, e como ela chegou onde ela está hoje; e sua história não é o que eu chamaria de clichê; a personagem tem medo de altura, e o motivo não é o que se espera.

Ela está vivendo tranquilamente a vida; quando estranhas ocorrências tomam conta de sua fazenda, uma a cada dia; até que uma hora é revelado de uma vez o que está causando todo o rebuliço, e é ai que o conflito do jogo realmente começa. Uma jornada onde Ruth queria apenas recuperar o que foi tomado dela, acaba tomando proporções bem maiores, onde muito foi tirado não apenas dela.

Uma das coisas que mais me marcou nesse jogo foi os personagens e o plot bem construído que casa  com essas personalidades que encontramos. Todos eles falam quase o tempo todo em rimas, inclusive a protagonista, e isso deu um toque no jogo que eu só consigo descrever como sendo “fofo”, ou que faz parecer que você está lendo algum conto de fadas. Foi um toque realmente único. Mas, apesar do jogo parecer fofo e engraçado (realmente é), ele é bem mais do que isso, pois mexe com outras emoções dos personagens. 

Todos os personagens do jogo são super bem aproveitados, mesmo que eles apareçam pouco, o jogo consegue transmitir para a gente a essência desses personagens; fazendo com que você simpatize ou entenda todos eles, gostando deles ou não. 

As músicas são bem calmas no geral, e elas combinam com o jogo e as cenas. É um Adventure point and click com uma  jogabilidade já esperada pro gênero: conversar, escolher o que vai dizer, pegar objetos e achar onde usá-los. Algo interessante desse jogo, é que a personagem sempre faz algum comentário quando você clica em algo ou tenta usar um objeto; e a maioria deles tem um toque humorístico ou moral.

Eu recomendo demais esse jogo; foi um dos melhores de PC que eu joguei nas férias. E com certeza indispensável para todo mundo que adora um Adventure. 

36
  • Micro picture
    denis_lisboadosreis · 10 days ago · 2 pontos

    Esse jogo parece excelente, conheci um pouco dele no BIG Festival de 2017, foi um dos finalistas de melhor narrativa. Pena que nesse tipo de evento não dá pra jogar muito um jogo desse tipo. Nunca tinha visto antes um jogo norueguês.

    1 reply
  • Micro picture
    lucas_jiro · 9 days ago · 2 pontos

    Me interessou bastante, já coloquei na lista

    1 reply
  • Micro picture
    wilford_fernandes · 9 days ago · 2 pontos

    parece mto massa ;p

    1 reply
  • Micro picture
    gucarneiro · 8 days ago · 2 pontos

    Claudia, esse teu post ta sensacional, além do jogo parecer ser bem interessante (vou até dar uma testada :p), tu poderia postar também lá na https://pyre.com.br/, somos uma comunidade que ama escrever sobre games e seria foda se tu viesse compartilhar com a gente a tua visão sobre games. Abração, e parabéns pelo texto!

    1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...