You aren't following carolino.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2018-01-29 07:32:20 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Os vinte anos da origem do Bleu Dragon

    Em 1995, quando a Sega produzia seus primeiros games após a decisão precipitada de apressar o lançamento do console e seus jogos em 1994 e após seis meses, estava se preparando para o longo embate de mercado com o mais novo aparelho da Sony, o Playstation, onde chegou com mais cautela ao mundo das vendas de jogos eletrônicos com produtos bem acabados mesmo com um hardware “tecnicamente” inferior a concorrência. Onde seu plano inicialmente consistia em lançar uma versão retrabalhada do primeiro Virtua Fighter para disputar em qualidade gráfica com o Battle Arena Toshinden, exclusivo do PS1 na época junto com novos lançamentos como Clockwork Knight e Bug!, ambos jogos de exploração e plataforma.

    Contudo um dos jogos a qual chamou a atenção foi um game ao estilo Rail Shooter, onde o protagonista guiava montado um dragão por ruínas num oceano onde atirava em criaturas voadoras. Jogo criado pela Team Andromeda, empresa fundada em 1994 com parte do departamento de Software tornou-se uma equipe de desenvolvimento interno separada, onde fora a desenvolvedora da trilogia Panzer Dragoon no sistema Sega Saturn. Sendo que há meses a Sega dava de graça uma cópia da demonstração do jogo para seus clientes pelo correio com a primeira fase do game já concluída e totalmente jogável. O lançamento fora em Março daquele ano.

    O nome da franquia é originária de seus designers de conceito referindo-se a ele como “armoured dragon” ou "dragão blindado" no nosso português. Mas os produtores acharam o nome muito trivial e decidindo transliterá-lo para o alemão onde o nome soava melhor. As cutscenes dos jogos da série apresentam sua próprio idioma chamada de "Panzerese", que é amalgama de grego clássico, espanhol e russo. As palavras nessas línguas eram fluentes para Yukio Futatsugi, um dos principais criadores do primeiro jogo. Yukio antes de ser programador de games, ele pensava em ser cineasta mas seu maior pelos jogos era maior, após mandar seu portfólio para a Konami, Capcom e a Sega, fora nessa ultima onde ele decidiu ficar. Ele trabalhou por dois anos em outros games como o Shinobi 2 para o Mega Drive até lhe darem uma oportunidade para criar seu próprio game. A Sega gostaria de um jogo de ace shooter (jogo de navinha) em 3D para seu console de 32 bits, mas Futatsugi não queria isso. Ele propôs algo diferente, que ao invés do piloto guiar uma nave, ele poderia estar montado num dragão. Onde seria mais chamativo para os jogadores e mostraria um pouco do poder gráfico do console com o dragão mostrando cada articulação das criaturas se movendo e fazendo acrobacias em pleno ar. Isso num ano quando os programadores, inclusive veteranos no ramo ainda não compreendiam como fazer um jogo em 3D decentemente no Sega Saturn. (e essa dificuldade permaneceu até o seu crepúsculo, sejamos sinceros aqui) os executivos da empresa aprovaram a ideia ousada e assim Panzer Dragoon nasceu.

    O enredo nos apresenta um planeta onde numa época longínqua já fora verde e repleto de fartura. centenas de anos depois convertido num deserto causado por tecnologias bastante avançadas. A humanidade vive num Continente sem um nome específico como se fosse uma Pangéia é obrigada a viver como nômades e sempre alertas com as criaturas biológicas de um passado antigo espalhadas pelo mundo.

                    Um enxame de criaturas antigas cruzando o oceano

    A civilização tenta se reconstruir ao explorar as antigas tecnologias para uso de seu benefício ou mesmo por curiosidade histórica, onde algumas dessas aldeias evoluíram tanto a ponto de criar naves com a tecnologia encontrada assim como armamentos de destruição e massa e se autoproclamaram ditadores onde são conhecidos como o Império e os que não concordavam em usar as relíquias para subjugar, mas para a reconstrução do planeta eram denominados Seekers. Contudo, os imperiais ávidos por qualquer conhecimentos onde poderia ser convertido em poder, descobrem uma torre onde segundo as lendas, haveriam várias torres que controlavam os eventos no mundo e supostamente eram capaz de gerar vida. Enquanto o império tentava configurar a estrutura para seus próprios fins quando a IA do Obelisco já tinha seus próprios objetivos, revelados em futuros jogos, um dragão surge com um piloto montado surge para a mesma não ser reativada...

    Anos depois, precisamente no ano imperial 89, um jovem Hunter dessas criaturas chamado Keil Fluge estava viajando no deserto com seus companheiros, avistam uma Shelcoof (nave imperial) por ali e em seguida são atacados por criaturas, Keil persegue um dos monstros até uma entrada onde é surpreendido e encurralado, mas por sorte uma estrutura rochosa caí em cima da criatura e o jovem avista dois dragões trocarem ataques lasers até um deles atingir o cavaleiro em cima da criatura alada e causar o desabamento. O jovem tenta auxiliar, mas ele apenas acata as ultimas palavras do moribundo e monta em cima do Blue Dragon/Heresy Dragon para cumprir a sua tarefa de deter o Dark Dragon. Na trilogia original, antes de Panzer Dragoon Orta, esse seria a segunda estória na cronologia da franquia.

                                A icônica primeira fase nas ruínas de Uru

    Em Rail Shooters, é comum a visão estar atrás do personagem enquanto os inimigos e chefes aparecem do fundo da tela para a frente do jogador enquanto sempre o personagem sempre segue em frente, não importando a situação como exemplos os games Space Harrier, Night Striker, Star Fox, After Burner, algumas fases de bônus da franquia Sonic entre outros e Panzer Dragoon não foge dessa premissa, Mas o game possui uma câmera tridimensional onde é possível mudar o ângulo de visão com os botões L e R do controle para atirar de quase todos as direções para acertar as criaturas e naves. O Jogo contem 6 estágios sem contar a fase final e uma extra onde era possível acessa-la através de um código. há os três níveis de dificuldade. contudo jogando no modo Easy, o game acabaria no fim da quarta fase.

    Mesmo sendo um game de curta duração, possui um enredo bem desenvolvido onde teria uma maior profundidade em jogos futuros do console ao verem seu potencial. O jogo foi muito bem recebido e tornou-se um dos clássicos do Saturn junto com a sua trilha sonora de qualidade exacerbada sendo a primeira musica de fase “Flight” se tornou-se icônica. A dificuldade chega a ser implacável em algumas trechos de fase, “PD” é um daqueles games onde decorar a localização de cada inimigo na fase é importante para se manter vivo com apenas cinco escassos continues.

    Panzer Dragoon OST:

    Em 1997, o game acabou ganhando um port para os Pcs e em 2002 houve uma versão para o sistema Sony Playstation 2 no Sega Ages 2500, onde houve retoques na textura dos gráficos graças ao poder dos 128 bits, contudo é possível jogar o game como na versão do Sega Saturn.

    Panzer Dragoon II Zwei fora lançado em 22 de março 1996 no Japão. O “II” do título é sumariamente ignorado pela maioria dos jogadores e o “Zwei” é incluído. O jogo passa ser a origem de toda a série em sua storyline onde ocorre no ano imperial de 71, teve a sua concepção para a biblioteca Sega Saturn onde trouxe melhorias sonoras e gráficas. A trama traz um pouco mais de profundidade, onde Hunters tem a obrigação de exterminar todos os filhotes de coolia (animal doméstico usado para transporte e pecuária) onde tivessem como característica um brilho azulado na região no pescoço,onde esse poderia evoluir para um dragão futuramente. Sendo um pouco contraditório devido os Hunters terem os dragões quase como algo sagrado, mas temem em não controlar a criatura quando adulta. Contudo, um jovem de nome Jean Luc-Lundi guarda um filhote onde esse possui o brilho característico. Um ano se passa e a cria de coolia desenvolveu-se rapidamente e recebeu o nome de Lagi e junto com o seu jovem mestre, foram caçar e um tempo depois, quando ambos estão voltando a vila, uma nave imperial devasta o local com um pilar de luz enquanto Lundi e seu companheiro assistem a cena. Com isso, ele parte junto de seu dragão para vingar os aldeões mortos.

                                  Lundi destruindo uma fortaleza do império

    Inicialmente Lagi é incapaz de voar e conforme o seu desempenho nos capítulos, o filhote crescerá numa nova evolução de mais forte e conforme seu ranking num capitulo determinado, abrirá caminhos alternativos em tais fases. Um detalhe interessante é que ao terminar o game, abre uma opção chamado Pandra Box, onde pode configurar a dificuldade, seleção de fases, ver artes do jogo entre outros cheats. O detalhe é se houver um arquivo salvo do Panzer Dragoon Saga, tudo será habilitado no mesmo instante. No game, o dragão adquire o Berserker Mode onde é um ataque de múltiplos lasers onde causa um dano considerado em chefes de fases e o deixando temporariamente invencível. O jogo foi até mais aclamado que o game anterior pela melhoria gráfica, aprofundamento no enredo e pela dificuldade ter sido consideravelmente reduzida para atrair mais jogadores.

    Panzer Dragoon Zwei OST:

    No fim daquele ano, o Game Gear ganharia a sua versão da série chamada Panzer Dragoon Mini. Onde é o único da franquia a não ter um piloto como herói. Se pode escolher entre três dragões de cores distintas: azul, vermelho e preto para enfrentar as fases do Panzer Dragoon 1 e Zwei. O jogo tenta emular o 3D num 2D com as limitações do portátil e o game não possui enredo algum, apenas para fazer pontos.

    Panzer Dragoon Mini Longplay:

    O próximo jogo levaria 24 meses para ser produzido, onde chegou no inicio do crepúsculo do sistema Sega Saturn em 29 de Janeiro de 1998 para os japoneses e para o resto mundo, o game somente apareciam em alguns meses depois em quatro Cds, devido a ter muitas cenas em Cgs e pela dublagem. Arrisco dizer ser o game a conter mais minutos em vídeo do console. Onde devido os planos da Sega a investir no próximo console, o Sega Dreamcast, fez o game ter uma baixa tiragem de um pouco mais de cinco mil cópias. Os jogadores esperavam mais do estilo anterior, onde esse fora idealizado para um JRPG inserido no universo da série e completamente em 3D, um feito impressionante para a época chamado de Azel: Panzer Dragoon Saga no Japão, mas o título mais famoso é a da versão ocidental onde retiram o nome da protagonista sendo apenas Panzer Dragoon Saga. Onde em 2018, faz 20 anos da sua criação.

    A epopeia se inicia num sitio de escavações, onde o protagonista denominado Edge parece estar pensando sobre se vale a pena estar ali com Rhua, um conhecido onde alerta o jovem a não fazer muitas perguntas ao tratar de serviços ao império. Enquanto os dois divagam sobre quais assuntos secretos o império estaria interessado no local, alguém alerta sobre uma criatura da era antiga encontrada no local. Edge tenta se livrar da criatura armado com um equipamento a lembrar uma bazuca e encontra uma garota de penteado excêntrico, nomeada Azel onde parece estar em estado de hibernação numa placa das paredes do sitio arqueológico. Enquanto isso, uma nave do império se aproxima do local onde o comandante Craymen e seus asseclas buscam um “tesouro” específico nas escavações. E Após os mineradores derrubarem a criatura, o exercito resolve não deixar testemunhas para coletar o que vieram pegar. O jovem entra em desespero e chega a atacar um dos capitães da guarda do chefe, mas ele leva um tiro de uma arma de fogo a lembrar uma espingarda e caí para a morte. Contudo algo milagrosamente o revive e encontra um dragão que o salva da queda do abismo e ambos alcançam a superfície e ao ouvir as ultimas palavras de um dos escavadores, Egde parte para acabar com o comandante e seu exercito e saber o paradeiro da garota a qual abduziram.

    As ilustrações do Katsumi Yokota que adornavam o epílogo de cada um dos quatro Cds são de uma qualidade impar.

    Ao iniciar, o jogador tendo terminado os jogos anteriores, terá de acostumar a controlar o protagonista ao andar em vilarejos e outros cenários onde há um certo movimento de NPCs conforme manhã,tarde e a noite e alguns somente aparecerem em horário específico para a realização de objetivos. Para poder interagir com NPCs e objetos é preciso acionar um “alvo” onde deve ser direcionado para a pessoa ou objeto onde seja interação, como um point and click com o botão C + direcional. Uma novidade é poder sincronizar o alcance espiritual do seu dragão, onde consiste em fazer carinho nele ou deixa-lo bravo para alterar o humor dele para ter mais chance de evoluí-lo, mas há outras maneiras de fazer o dragão alcançar o seu potencial mais elevado. Essa opção é possível em certos pontos de salvamento como em acampamentos, podendo influenciar no epílogo do game.

    Edge e Lagi (Base Wing Form) em batalha contra uma nave imperial

    A exploração nas fases geralmente são montado no dragão em pleno vôo em áreas livres onde haja caminhos lineares como vales, há locais mais abertos como as ruínas de Uru e alguns trechos aquáticos. Controlar a criatura voadora é simples e prazeroso. É incrível sobrevoar planícies, rios, quedas de cachoeiras e sentir a inércia no seus movimentos. Durante a viagem, o dragão pode acionar com seus tiros lasers onde é usado para destruir obstáculos, acionar dispositivos (Inclusive pontos de save entre as dungeons) e para entrar em cavernas e estruturas. O mapa mundi do game é totalmente 3D onde é possível ver o avanço das tropas do império pelo mundo, nada muito relevante a estória, mas é um detalhe interessante. Ao encontrar um inimigo uma batalha em turno acontece em tempo real,seu personagem pode se mover ao redor do alvo para atingi-lo numa parte específica do corpo para causar mais dano. Em combate se pode usar os tiros da arma do Edge onde você pode comprar peças para evoluir a arma inicial ou comprar novas nas lojas. ataques variados de laser da criatura conforme o nível de experiencia onde MP é gasto com mais de 30 tipos de habilidades que o seu dragão pode desenvolver enquanto evoluí. Há três barras de ATB onde são gastas dependendo do tipo de ação que o jogador irá selecionar na batalha. Após vencer uma luta, dependendo se quanto tempo ela durou ou se sofreu dano, um ranking lhe é dado onde pode ganhar mais experiência e dinheiro. As lutas contra os chefes são de um visual fantástico, tanto quanto a forma das criaturas enormes quanto dos gráficos e iluminação dos ataques mágicos.

    Como o game deu o pontapé para expandir o vasto universo, há vários livros,cartas, algumas fotos e manuscritos e livros para serem encontrados para explicar a história daquele mundo e a origem das criaturas biológicas e o proposito de Lagi entre os três games, incluindo até bíblias onde veneram os dragões. Os gráficos do game são lindos e com detalhes nas pequenas cidades inspirada nas artes do falecido Moebius (assim como os jogos anteriores da série seguem o mesmo estilo artístico), principalmente nas dungeons onde em algumas se percebe que a tecnologia antiga a qual os Seekers e o império buscam nas paredes dos templos e ruínas. mas servem ao seu proposito, mas o blue dragon é bastante detalhado em cada um de suas transformações.

    Lagi possui quatro tipo de transformação onde consiste em ataque, defesa, velocidade e espiritual/magia. Onde além do nível das barras de status, a aparência do dragão irá modificar a forma selecionada Saber qual usar ao enfrentar os chefes de fase é essencial, onde podem ser alterado ao apertar Start. Além de modificar o Lagi nas transformações, na parte dos itens, há um glossário sobre as criaturas e naves imperiais encontradas no jogo sendo bem explicado. Desde altura, peso, o tipo de habitat onde esse costuma aparecer, separada em classificações como Mutante, Forma pura, Forças imperiais e o Exercito de Craymen. Alguns desses são raros de encontrar onde estão em lugares específicos e em diferentes horários, derrotar esses é possível ganha desde bastante EXP a armas ou itens raros.

    A duração do game pode variar entre 30 horas (se a pessoa for atrás de todas as side-quests e segredos esse tempo pode dobrar), A dificuldade do game é equilibrada entre fácil e mediana. Há pouquíssimas batalhas onde requer estratégias elaboradas e para evoluir o dragão para atingir níveis mais altos não necessita de muitas horas. O jogo assim como os anteriores, recebeu elogios da mídia e geralmente consta em muitas listas de melhores jogos de todos os tempos.

    Panzer Dragoon Saga OST:

    Arte do relançamento da trilha sonora ilustrada por Katsumi Yokota

    Em 12 de dezembro de 2017, a Brave Wave Productions anuncia o relançamento da trilha sonora do Panzer Dragoon Saga com o subtítulo “Resurrection” para Cds, Vinil e por meio digital e a distribuidora será a própria Sega com vinte musicas compostas pela Saori Kobayashi, onde ela fez as musicas no jogo originalmente. O lançamento oficial será (Pasmem) no mesmo dia quando “PDSaga” veio ser lançado no Japão, em 29 de Janeiro de 2018.

    PDSaga foi um ponto fora da curva na série, do primeiro jogo onde consistia em atirar em criaturas onde o seu enredo tinha profundidade e haveria potencial para um maior desenvolvimento, para um RPG onde abriu aquele universo para o entusiasta descobrir e explorar a sua vontade. Após o fim do ano de 1998, a Team Andromeda fora dissolvida e muitos dos integrantes da software foram para a SmileBit Devolpement Studio onde pela Sega, foram encarregados em reviver a franquia para a nova geração. Preferindo a zona segura voltando as origens, como um Rail Shooter, o gênero que consagrou a franquia. e na sexta geração de consoles, o Xbox original tinha como um de seus exclusivos a continuação da epopeia de Edge e Azel: Panzer Dragoon Orta, lançado em 2002.

    Décadas se passam após os eventos da aventura dos dois protagonistas anteriores. O império fora derrotado, mas há aqueles que pretendem reavivar a glória tirânica do passado, esses são os Acadêmicos Imperiais, onde aguardam nas sombras para retomar o mundo e se reerguerem. Quando estabeleceram uma ilha isolada no Continente, esse local foi tomado por guerra civil para quem iria para o trono. O oitavo rei conseguiram a tecnologia para criarem seus próprios dragões, onde os denominam de Dragonmares e com a ajuda da Drone (Demi Human/meio-humana na termologia japonesa) encontrada de nome Ababd, As criaturas retomam o poder de outrora para o império entre os quatro cantos do Continente. Longe dali, uma jovem chamada Orta vive aprisionada numa torre numa cidade em Yelico Valley, isolada nas montanhas pelos Seekers quando os dragões do império atacam o local, possivelmente a procurando. Mas antes de ser capturada, ela é salva por Lagi, desaparecido a mais de 40 anos e estando no auge da sua maturidade de dragão. Agora livre, Orta voa junto do novo amigo para saber mais sobre si mesma e que o império quer deseja dela.

    Uma das primeiras screenshots do Panzer Dragoon Orta liberadas para a mídia

    O jogo é como reviver o charme do primeiro jogo com as mecânicas do “PDZwei” e tendo algumas referências ao “PDSaga”, como mudar a forma do dragão ainda em batalha para novos ataques mágicos, mas o Berserk Attack ainda permanece e os efeitos de luz para cada magia são impressionantes. Antigas criaturas ou fases retornam aqui e para ajudar a Orta nas fases, um personagem chamado Mobo a auxiliará nas fases como um “side kick” indicando os pontos fracos dos chefes e serve de alívio cômico. “PDOrta” fora elogiado por muitas revistas como o melhor do gênero já feito e ainda se jogado atualmente, game mostrou-se envelhecer bem e por um bom tempo, a Sega não mexeu na franquia após o primeiro Xbox...mas não impediu outros jogos a pegarem a sua inspiração.

    Panzer Dragoon Orta OST:

    Em 2011, na Tokyo Game Show fora solto um vídeo de demo chamado “Project Draco” que seria um futuro jogo para o X360 em fevereiro de 2012. contudo, por dificuldades e atrasos, o game foi lançado três anos depois com o nome de Crimson Dragon para X360 e XONE sendo que o criador de PaRappa The Rapper, Masaya Matsuura e o próprio Goichi Suda/AKA Suda51 teriam contribuído para a sua criação. Onde o jogo era inspirado na franquia de outrora da Sega e Team Andromeda como um sucessor espiritual. Ele fora idealizado para ser algo jogável para o Kinect, mas é possível utilizar controle do console. Mas pelas criticas especializadas, o game fora considerado mediano e não se espera uma sequência do game tão cedo, infelizmente.

    Apesar das criticas, fãs saudosistas ainda aguardam um Crimson Dragon 2.

    Trailer de Crimson Dragon para o Kinect

    Mesmo com o desempenho do Crimson Dragon nas vendas, jogadores não desistiram de estarem novamente aquele universo. E meses atrás, houve uma petição em redes sociais para idealizar um novo jogo da franquia de mundo aberto denominado Panzer Dragoon World tendo o Yukio Futatsugi e outros desenvolvedores a frente do projeto onde seria um leve reboot da história mas alterando o minimo possível da cronologia. Ainda não há noticias se caso esse projeto saia do papel, seja pelo Kickstarter, Newgrounds ou outros sites de financiamento ou mesmo se alguma grande empresa de games ou a própria Sega banque o jogo, Esperemos pelo melhor.

    Link de Petição:

    https://www.change.org/p/yukio-futatsugi-re-explore-panzer-dragoon-world-in-a-rpg-game

    Panzer Dragoon Revival:

    http://www.panzerdragoonrevival.com/

    Twitter:

    https://mobile.twitter.com/PanzDragWorld

    O Blue/Heresy Dragon em confronto com o Dark Dragon.

    A Franquia mantém o seu charme para aqueles onde não jogaram os três jogos originais. Os produtores dos Panzer Dragoon seguintes conseguiram dar a vida a um mundo onde mesmo apocalíptico, não possui uma sensação pesada de opressão, mas uma realidade iluminada e mágica na maior parte e nas palavras do criador do game:

    Se você tem uma boa equipe de pessoas ao seu redor, você pode fazer qualquer coisa", diz ele. "Eu costumava querer fazer todo tipo de coisas sozinho, mas aprendi que é melhor aproveitar os talentos das pessoas ao seu redor e criar algo que seja igual à soma de suas partes”

    Yukio Futatsugi.

    Panzer Dragoon e suas continuações ainda merecem ser jogadas apreciadas mesmo nessa geração 4K Full HD sendo da maneira como for, faz parte da história dos jogos eletrônicos e para quem deseja conhecer o gênero Rail Shooter, seria como entrar com pé direito...e talvez sempre retornar ao Continente para voar em cânions, planícies e templos tecnológicos nas costas de um dragão.

    Humildemente me despeço e boa semana a todos!

    Panzer Dragoon Saga

    Platform: Sega Saturn
    154 Players
    7 Check-ins

    20
    • Micro picture
      dencospai · almost 2 years ago · 2 pontos

      Belíssimo post de uma das franquia da Sega que mais adoro!!!!
      Tirando aquele do R-Zone da Tiger, tenho todos os PD, só que em jap.
      Dos citados, tou devendo jogar o Crinsom Dragon, mas o Side Story joguei quando ainda tinha um Windows Phone.

      A petição acabei de assinar, espero um dia sair um remake de encher os olhos de PDS *_*
      Parabéns pelo post!!!!!!

      1 reply
  • 2017-11-07 10:53:18 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Existe um movimento no Twitter pedindo um reboot de Panzer Dragoon

    "Panzer Dragoon Saga é um daqueles games que ficam marcados por algumas injustiças. O competente RPG da Sega, que ampliava o universo dos shooters que o antecederam, foi lançado em 1998, um ano de despedida para o Saturn, que já andava bem fraco nesta época. Isso fez com que poucas pessoas na época pudessem conferir seus quatro CDs com uma história bem escrita, trabalho artístico impecável e uma qualidade poligonal raramente encontrada no 32 bit da Sega.

    Mesmo com Panzer Dragoon Orta, lançado para o Xbox original em 2002, e que manteve a série viva no mundo dos 128 bits também com uma versão do clássico do Saturn para Playstation 2, a verdade é que os fãs da série se uniram aos admiradores de Streets of Rage, Shinobi e Alex Kidd, que há tempos sonham com uma versão nova destes games. Para tentar trazer de volta a aventura com dragões e com isso, fazer com que mais pessoas possam conhecer esta franquia tão bacana da Sega, um grupo de fãs se uniu e está com uma petição pedindo o reboot de Panzer Dragoon Saga.

    Para o grupo, o game tem que sofrer um reboot para se adaptar às tecnologias atuais, que permitiriam, por exemplo, um game de mundo aberto. Com o nome sugerido de Panzer Dragoon World, a proposta dos fãs é a de manter a história a mais intacta possível, evoluindo o gameplay, aumentando suas possibilidades no mundo aberto. Eles alegam que, o rico universo do jogo, o trabalho artístico de qualidade, e a trilha sonora, muito boa por sinal, são razões suficientes para que o game possa voltar.

    Para apoiar o projeto, e conhecê-lo melhor, basta visitar o link da petição, e assinar. Também há uma conta no Twitter para informar os fãs sobre a iniciativa, com Yukio Futatsugi, principal nome de Panzer Dragoon, entre os seus seguidores. Também há outros projetos buscando o retorno de Panzer Dragoon, como o Panzer Dragoon Revival, e o Panzer Dragoon Legacy."

    Fonte: http://www.arkade.com.br/existe-movimento-twitter-...

    Panzer Dragoon

    Platform: Sega Saturn
    242 Players
    6 Check-ins

    25
    • Micro picture
      mastershadow · about 2 years ago · 2 pontos

      Por coincidência, eu tava lendo isso esses dias,pois estava lendo mais sobre o Panzer Dragon Saga,que pretendo jogar ano que vem,pois desde que comprei meu Saturn em 2015, fui deixando pra depois haha

      1 reply
    • Micro picture
      dencospai · about 2 years ago · 2 pontos

      Seria um sonho realizado caso houvesse um remake do PDS ou outro RPG da franquia

      1 reply
    • Micro picture
      carolino · about 2 years ago · 2 pontos

      Nem tenho tanta necessidade de um jogo novo, já me daria por satisfeito com uma tetralogia com gráficos refeitos.

      2 replies
  • 2017-06-21 12:07:59 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Off: Sega Forever: pretensão de jogar Saturn nos dispositivos moveis

    A empresa Sega pretende lançar uma coleção de jogos para dispositivos moveis como Android e IOS denominado Sega Forever, amanhã dia 22 de junho. onde os jogos iniciais serão alguns clássicos do Mega Drive/Sega Genesis como Sonic the Hedgehog, Comix Zone, a série Phantasy Star e de outros consoles saudosos da empresa a cada duas semanas

    Há a possibilidades de lançar clássicos dos consoles de outrora da empresa, incluindo o Saturn e ainda o Dreamcast.

    Imagino como seria jogar a franquia Panzer Dragoon (incluindo o RPG "Saga" ) Nights into Dreams, Daytona Usa, Dragon Force e outros em qualquer lugar nos nossos celulares....onde talvez seja possível joga-los em "emuladores" estruturados e de confiança?

    aqui está um vídeo do canal Warpzone, onde eles explicam melhor como vai ser esse Sega Forever

    Deixemos claro novamente que é apenas especulação de trazer vários jogos do Saturn além dos jogos mais consagrados para mobiles. restemos a torcer, quanto mais jogos do Saturn, Dreamcast, Master System, Mega Drive ou mesmo Game Gear, melhor para  nós.

    Panzer Dragoon

    Platform: Sega Saturn
    242 Players
    6 Check-ins

    22
    • Micro picture
      colt47 · over 2 years ago · 4 pontos

      Já to baixando o comix zone

      1 reply
    • Micro picture
      carolino · over 2 years ago · 3 pontos

      Adorei essa notícia, mas fica uma birra minha: se conseguem lançar para mobile, pq não lançam logo para PC? Seria um sonho jogar jogos do Saturn no PC. Panzer Dragoon e Daytona já tiveram pra PC, pq não lançam como remaster? O Xbox e o PS3 têm Daytona...

      1 reply
    • Micro picture
      santz · over 2 years ago · 2 pontos

      Vou tentar jogar todos e curti a ideia de ir lançando devagarinho. Achei meio paia terem lançado só Mega Drive nessa primeira leva. Ao menos o Phantasy Star deveria ser o primeiro do Master, mas ok. O próximo que esta vindo ai é o Virtua Tennis de Dreamcast?

      2 replies
  • 2017-03-22 01:27:07 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Emulação de Breath of the Wild tem incrível progresso

    Um novo vídeo da próxima versão do Cemu (1.7.4) mostra que muitos dos principais problemas já estão corrigidos.

    Essa nova nova versão do emulador chegará aos assinantes do Patreon em 2 de abril (lançamento geral em 9 de abril).

    Parece que em breve o jogo estará estável o suficiente para jogá-lo e terminá-lo.

    Matéria completa aqui.

    @carolino

    The Legend of Zelda: Breath of The Wild

    Platform: Wii U
    762 Players
    517 Check-ins

    36
  • 2017-02-27 08:13:58 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Qual o Jogo mais raro do Saturn?

    O Sega Saturn e seus jogos embora tenham enfrentado uma crise que durou um pouco mais de 3 anos, e seus jogos não serem tão preteridos pela maioria em relação a concorrência da Sony e a Nintendo na época, o tempo acabou valorizando seus jogos para colecionadores. já que poucos foram vendidos (exceto alguns do mais clássicos como Daytona Usa ou Sonic R) ou não teve relançamento para consoles atuais. O preço de cada game, sendo um jogo clássico ou não, poderá variar de acordo com o vendedor ou site de vendas e conforme anos se seguem, o preço pode haver uma leve mudança. Veremos alguns dos jogos mais raros e ostensivos do sistema.

     10-Dragon Force : entre $183 a 200 dólares

    Dragon Force fora aclamado como o melhor jogo em 1996 pela EGM graças ao seu estilo original de conduzir as lutas entre exércitos, onde cada batalha se transforma em algo épico. Contudo a baixa tiragem por ser um jogo de nicho por ser um jogo tático estratégico em tempo real. Mas com o desejo de colecionadores retrogamers, o preço na época ascendia com continuidade. porém com relançamentos para o sistema rival, o Sony Playstation 2, diminuiu um pouco a sua procura assim como seu preço.

     9-Burning Rangers: $379 dólares

    Mesmo o jogo dos bombeiros futuristas seja um dos grandes clássicos do sistema e sendo reconhecido com excelência no ultimo ano do Saturn, Burning Rangers fez o que pôde para espalhar o seu sucesso. Contudo, era tarde para a Sega lucrar com o jogo gerando continuações.

     Versões em inglês para o game são raras e ostensivas em relação a versão japonesa onde podem ser encontradas se a pessoa interessada saber onde procurar o produto.

     8- Radiant Silvergun: $350 dólares

     Conhecido como um dos “cálices sagrados” dos Shumps embora se o jogo faz parte dos clássicos do Sega Saturn seja discutível em alguma rodas de discussões. Mesmo o game seja raro por essa parte do mundo, no Japão não está na lista de raridades (por Radiant Silvergunt ser japonês, é obvio chegar a essa constatação) mas os lojistas e colecionadores já aumentam o preço dele em suas vendagens pela sua fama atual. Um pouco desonesto na minha opinião

     7- Shining Force 3 Scenario 2: Child God: $750 dólares

     RPG tático famoso pelos fãs do gênero pela Sega de outrora nos tempos do Mega Drive, dividido por 3 Cds onde deveria ser jogado na ordem, para no fim do terceiro jogo, os 3 heróis Synbios, Medion e Julian confrontarem o boss final. Da trilogia, o segundo CD é mais custoso de encontrar, mesmo até do que o Shining Force 3 Premium Disk. E mesmo sendo lançado meses depois do primeiro jogo, era levemente melhorado em vários aspectos gráficos e sonoros. possui a melhor trilha sonora e é considerado o mais fácil da trilogia.

     6-Magic Knight Rayearth: $456 dólares

    O jogo de um dos mangás mais famosos da CLAMP, publicada e traduzida pela Working Desing onde apenas teve 15,000 unidades de tiragem batendo a época da derrocada do Saturn, daria mais prejuízo do que lucro a empresa onde já vendia o console a 80 doláres. Mas a Sega por consideração aos fãs onde aguardaram ansiosos desde muito tempo, decidiu lançar o jogo mesmo assim.

     5- Albert Oddysey-Legend of Eldean: $580 a $800 doláres

    RPG que originalmente seria para o SNES, mas fora cancelado e portado para o Saturn. “Legend of Eldean” é o ultimo jogo da série ou quem considere um spin-off da série para aqueles que jogaram os títulos no Super Nintendo. Por originalmente o game ser do gênero tático. Mas considerado o melhor da série por fãs antigos e um bom jogo para quem não acompanhou a saga desde o seu inicio.

     4- Panzer Dragoon Saga: $945 a $2900 doláres

     O JRPG mais famoso do sistema Sega Saturn. Sendo projetado após o primeiro Panzer Dragoon. (Grandia e Shining Force 3, vem em seguida.) Devido a ser produzido a poucos meses da SEGA descontinuar o console, apenas 6000 cópias do game foram feitas. Onde esse é um otimo exemplo de um gênero de jogo como Rail Shooter pode expandir seu universo embarcando em algo mais complexo como um Rpg, sair consagrado e torna-se atemporal.

     3- Psychic Killer Taohmaru:  $400 doláres

    Aqui está um jogo extremamente raro, feito em 1996 pela Time Warner a pegar elementos de Shinobi com Alisia Dragoon. Por ter feito apenas 7.500 cópias conforme rumores e devido curta tiragem, é realmente uma pena que um game tão bem feito possa ser apreciado por poucos jogadores abastados ou ter a sorte de achar o game por um bom preço

     2- Daytona Usa Championship Netlink Edition: $1100 dólares

     Daytona USA, um dos jogos de corrida mais aclamados do Saturn, onde ganhou uma versão para desafiar outros fãs do game pela NET. Considerado o jogo ocidental mais raro do Sega Saturn, que fora originalmente lançado para Europa e Estados Unidos, com leves modificações em relação a versão japonesa. Com mais frame-rates e o jogo é compatível com o controle 3D analógico (originalmente feito para o game Nights in the Dreams) e controles Arcade de direção e a conexão com a net era disponível pelo loja online da Sega.

     E o primeiro e mais raro jogo do sistema Sega Saturn...

    1- Eyeful Home/Waltz: $1500 a $12,400 dólares

    Esse é o mais curioso CD do Saturn, onde tecnicamente não foi produzido para ser um jogo comercial. Fora produzido para ser um software promocional para promover a empresa imobiliária a quem dá o título do CD. Dizem que apenas 20 a 50 cópias feitas para comércio. Dentro do disco, há comerciais sobre a corretora e inclusive fazer um “tour” numa das casas. Esse Eyeful Home é tão incomum, onde até encontrar uma ISO para jogar num emulador é difícil de encontrar ou adquirir em edição física.  

    Humildemente me despeço e boa semana.

    Albert Odyssey: Legend of Eldean

    Platform: Sega Saturn
    95 Players
    22 Check-ins

    47
    • Micro picture
      tecnomaniac · over 2 years ago · 4 pontos

      Eu tenho mais de 300 ISOs para o Saturn incluindo todos esses jogos raros acima, exceto este último.

      3 replies
    • Micro picture
      sophos · over 2 years ago · 3 pontos

      o saturn foi um console maravilhoso. uma pena que eu nao consigo emular ele.

      8 replies
    • Micro picture
      tassio · over 2 years ago · 3 pontos

      Hora de baixar uns joguinhos novos pra conferir hehe!! Valeu @saturnsaga o/

      3 replies
  • 2017-01-31 06:16:30 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Panzer Dragoon-Blue Dragoon sculptures

    Mesmo após anos após o seu lançamento, Panzer Dragoon ainda agrega novos fãs. e há adeptos em fazer esculturas de personagens icônicos da franquia. como essas feitas por japonês que atende como UMR

    e ainda ele fez o Prototype Dragon (não me recordo em qual game da série essa raça aparece), onde se vê o dragão com mais detalhes.

      O olhar do Prototype Dragon confronta o Blue Dragon na mesa do UMR

    Blog UMR Okame:  http://nashinokiya.blogspot.com.br/

    humildemente me despeço.

    Panzer Dragoon

    Platform: Sega Saturn
    242 Players
    6 Check-ins

    30
    • Micro picture
      vinirimar · almost 3 years ago · 3 pontos

      tenho muita curiosidade de jogar esse jogo depois que ouvi elogios em um podcast

      2 replies
    • Micro picture
      jack234 · over 2 years ago · 3 pontos

      Mto mto dahora... Ô jogo bom esse... Que ambientação fanstástica.

    • Micro picture
      ogawara · almost 3 years ago · 2 pontos

      Lindões! Panzer Dragoon rules!
      O de baixo ACHO que é do Saga (faz tempo que não jogo)...

      2 replies
  • 2016-12-11 23:32:14 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    PANZER DRAGOON – UMA PEQUENA OBRA DE ARTE!

    Ao longo dos anos, a SEGA mostrou-se capaz de fazer quaisquer tipos de jogos, desde puzzles (Columns), passando por jogos de aventura (Sonic, The Hedgehog), indo para corrida (OutRun) e até RPG estratégico (Shining Force). Esta versatilidade da empresa se deu por vários motivos, entre eles, a falta de apoio de softhouses em algumas de suas plataformas (como foi o caso do Master System, 32X e Sega Saturn), sendo necessário criar os próprios títulos para suprir a demanda dos consumidores.

    Com esta necessidade, uma empresa do tamanho da SEGA precisava criar estúdios para organizar melhor o desenvolvimento de jogos e outros projetos, resultando no aparecimento de estúdios internos famosos, como o AM2 e o Sonic Team. Foi a partir de um destes estúdios, no caso o TeamAndromeda, que veio a criação de um fantástico jogo conhecido como Panzer Dragoon.

    O título, por si só, é uma daquelas pérolas conhecidas por aqueles que tiveram, ou ainda tem, um SegaSaturn e que o cultuam como uma verdadeira relíquia por aquilo que ele é, um pequeno pedaço de arte gamística.

    Múltiplos ataques

    Mesmo após 21 anos de seu lançamento, Panzer Dragooné considerado por muitos gamers e especialistas no assunto, como um trabalho bem elaborado para um console até então desconhecido em terras americanas (1995).

    O jogo é uma espécie de “tiros sobre trilhos”, onde o jogador segue um caminho já determinado pela máquina e atira contra os inimigos que aparecem na tela, bem ao estilo Starfox (Super Nintendo) ou The House of The Dead(Arcade, Sega Saturn). Mas há um grande diferencial entre estes dois exemplos e o Panzer Dragoon: a possibilidade de controlar a visão do personagem em 360 graus no plano da câmera, podendo atacar os inimigos por quaisquer lados em que estiverem avançando.

    Outro elemento interessante é que ao segurar o botão de ataque e mirar nos inimigos, estes ficam marcados para levar uma saraivada de tiros e, assim, serem destruídos mais facilmente.

    Os controles são bem simples: atirar, desviar, mexer a câmera, desviar de outros tiros e matar a maior quantidade possível de monstros que vem em sua direção, mas não é por conta disto que o PanzerDragoon pode ser considerado um belo exemplo de jogo muito bem elaborado.

    Pequenos detalhes desta pérola

    Sabe-se que o Sega Saturn não era lá uma máquina das melhores para se programar jogos em três dimensões. A arquitetura na qual foi colocado o sistema dificultava de maneira monstruosa qualquer desenvolvedora a tirar o máximo do console, ainda por cima no começo de sua vida.

    O sistema era considerado bem fraco se comparado com o Sony Playstation, pois não oferecia as ferramentas necessárias para a criação de jogos da mesma forma que a plataforma da Sony, que era bem mais simplista. Ainda assim, alguns títulos para o console de 32bit da SEGA fizeram história justamente neste ponto fraco.

    A beleza em poucos detalhes. Trabalho do Team Andromeda no reflexo das construções, isto no primeiro ano de vida do Sega Saturn.

    Panzer Dragoon se passa num mundo onde uma civilização dominante está em completo declínio. Suas enormes construções agora afundam nos vastos oceanos do planeta. Antigos templos estão completamente vazios e apesar da cultura e a arquitetura desta civilização desvanecer, os sistemas de armas que ajudaram a trazer o fim desta civilização estão sendo reativados pelos seus inúmeros inimigos.

    Todo o conceito por detrás do jogo, artisticamente falando, tem como base o famoso artista francês Moebius. Entre seus muitos trabalhos, os quadrinhos Arzach influenciaram muito a criação do jogo, bem como a obra Nausicaa of the Valley of the Wind, de Hayao Miyazaki e o filme Duna, de DavidLynch – baseado no livro de um dos grandes mestres da Ficção Científica, Frank Herbert -, todos estes muito admirados por um dos criadores de Panzer Dragoon, Manabu Kusunoki. O nível de admiração para com Moebius era tanto que ele foi convidado a fazer parte da produção e desenhou a capa japonesa do jogo.

    Uma das artes de Moebius. Viu alguma semelhança com a imagem inicial? Pois é, foi ele que fez a capa da versão japonesa do título.

    Com todos estes elementos inerentes na produção do título, o Team Andromeda, mesmo sem conhecer muito o hardware do sistema, conseguiu mostrar de maneira brilhante, em cores e sombras, um pequeno pedaço daquele universo que estava sendo criado ali.

    Que se faça a música

    Um dos itens de maior destaque desta pequena obra de arte é sua trilha sonora. Todo e qualquer jogo pode ter personagens marcantes, uma história com uma premissa interessante e uma jogabilidadeque permita ao jogador ir tranquilo do começo ao fim do jogo, mas quando se tem uma trilha sonora bem executada, o título ganha um ar quase que magistral. Panzer Dragoon é uma reunião de muitos destes elementos, tornando-o peça importante da memorabilia do Sega Saturntrilha


    A trilha sonora foi composta por Yoshitaka Azuma que, para o tema de abertura, utilizou nada menos que a Filarmônica Tcheca em uma performance fora do comum. Da primeira à última fase, todas as músicas são memoráveis, ao ponto que, após jogar o título uma ou duas vezes, quando você pegar a capa do jogo, elas surgem na sua mente em poucos segundos.


    Seu legado

    Um dos primeiros títulos do Sega Saturn recebeu notas altíssimas nas mais diversas publicações da época. EGM dera a ele um 33,5/40, a Famitsu foi com uma nota boa, 30/40, a GamePro achou o título quase perfeito com uma nota 19/20, e sites como a IGN9 de 10 estrelas.

    Este é um daqueles jogos que, caso você nunca tenha jogado o Sega Saturn e quer conhecer o sistema, é necessário obtê-lo logo de cara. Assim como muitos outros, você também ficará boquiaberto com o que o sistema de 32bit da SEGA podia oferecer, mesmo em seu início.

    Panzer Dragoon envelheceu muito bem e até hoje é reverenciado por uma grande legião de jogadores, o que o faz um título digno de se ter numa coleção.

    Fonte: http://blogtectoy.com.br/panzer-dragoon-uma-pequen...

    Panzer Dragoon

    Platform: Sega Saturn
    242 Players
    6 Check-ins

    37
    • Micro picture
      santz · almost 3 years ago · 3 pontos

      Baixei um emulador ontem e vou ver se testo esse jogo ai. :)

      3 replies
    • Micro picture
      montanaro · almost 3 years ago · 3 pontos

      Jogo incrível... aluguei muito na época do meu Saturn.

    • Micro picture
      jefffvoigt · almost 3 years ago · 3 pontos

      Sempre quis jogar esse jogo.

      6 replies
  • 2016-12-05 07:20:49 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Noticia Rápida: trilha sonora de Panzer Dragoon e outros clássicos da

    A empresa Data Discs, sendo uma companhia especializada em trilhas sonoras de jogos inseridas em Vinyl, há algumas semanas, anunciaram mais alguns dos jogos, onde sua trilha sonora fez parte das lembranças tenras de muitos fãs da Sega, um desse lançamentos seria o “Original Soundtrack” de Panzer Dragoon remasterizado em edição limitada. A sua venda começa a partir do dia 3 de dezembro de 2016.

                          capa do vinyl da edição limitada da OST do game

    Trilha sonora composta do genial Yoshikata Azuma, Panzer Dragoon consegue ter uma seleção de musicas memoráveis a quem jogou, como “Flight” “Final Decision” “Main Theme” e outras onde ficam na nossa mente após muito o termino da aventura, onde a sua trilha influenciou os jogos subsequentes, Panzer Dragoon Zwei e Panzer Dragoon Saga.

     O vinyl do Panzer Dragoon é apresentado como um duplo LP, cortado e alojado em um único kit, Esta edição apresenta as 17 musicas clássicas do game, com mais 3 de bônus adicionais (todos com preço de £ 22,99 Libras ou R$ 101,71 reais aproximadamente):

    Informações Adicionais dos Vinyls:

    CD de 180g 2xLP em vinil transparente fosco, azul celeste e cinza (edição limitada, disponível exclusivamente a partir do site Data Discs)

    CD de 180g 2xLP no vinil azul celeste.

    CD de 180g 2xLP em vinil preto clássico.

    Link da página do “Bolachão” do Panzer Dragoon: http://data-discs.com/products/panzerdragoon

    Inclusive, a Data Discs não se limita a lançar trilha sonoras apenas do Sega Saturn, ela fez outros Lps de tesouros inestimáveis da SEGA como Golden Axe, Street of Rage, Shinobi 3, Shenmue e outros mais. Se estiver interessado, o site pede a sua inscrição primeiramente antes de efetuar qualquer compra. (de praxe)

    Link dos lançamentos de OST da Sega : http://data-discs.com/collections/all

    Humildemente me despeço e boa semana.

    Capas de alguns outros jogos da SEGA:

                                                        Golden Axe

                                                 Streets of Rage

                                                               Shenmue

    Novamente, boa semana a quem ler esse post.

    Panzer Dragoon

    Platform: Sega Saturn
    242 Players
    6 Check-ins

    23
  • 2016-11-16 06:27:31 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Psychic Killer Taohmaru

    Próximo ao fim do ano de 1996, a Sega estava convencida a se dedicar mais ao publico oriental, onde graças ao marketing e a figura icônica do Segata Sanshiro, ajudou muito as vendas do console. E na mesma época no Ocidente, precisamente em Los Angeles, o CEO da Sega, Bernard Stolar disse a famosa frase na E3 meses depois: “O Saturn não é o nosso futuro”.

    E entre muitas empresa onde já haviam desistido de produzir jogos para o sistema Sega Saturn, no Japão, estava nascendo um excelente game de 2D e plataforma, onde nos foi negado pela Sega americana.

                  Uma das mais bonitas  tela de título que já presenciei

    Shinrei Jusatsushi Taomaru, traduzido como Psychic Killer Taomaru seria feito para os fliperamas da Sega, mas optaram lançar para o console. A divisão japonesa da Time Warner Interactive fora responsável pela programação do jogo. Inicialmente, seria lançado no ano de 1996, mas resolveram adiar o lançamento para fevereiro do ano seguinte, onde mesmo a Sega fazendo promoções generosas na época das festas de fim de ano de consoles e games, onde além de disputar o terreno com a Sony e seu Playstation, teria ainda de confrontar a Nintendo com o N64.

    A empresa pretendia lançar uma versão traduzida do jogo para o publico ocidental, mas não foi possível. devido a nova politica da filial americana da Sega valorizar os grandes lançamentos da empresa ao invés pela quantidade de jogos e suspeito a dizer pelo game em si, pois como a série Keio Flying Squadron, o game é muito japonês para os padrões americanos.

    Taomaru é um jogo linear em 2D, com alguns cenários com detalhes em 3D . A sua jogabilidade nos remete a clássicos do Mega Drive, como Shinobi, Alissia Dragoon , Mystic Defender e outros do gênero ação-plataforma.

    O enredo do game basicamente resume a: princesa de tal província feudal do Japão fora abduzida e o herói Taomaru é encarregado de resgata-la., onde suas habilidades são fora do comum, por não utilizar espadas, kunais e Jutsus para atacar os oponentes, mas poderes mentais. Na sua busca , ele encontra um monge com poderes semelhantes chamado Enkai e ambos parte para salvar a jovem indefesa. Talvez pelo enredo fraco tenha sido resquício do jogo ter sido para ser originalmente para Arcades.

                  Taomaru utilizando um inimigo para confrontar um boss

    O gameplay do jogo se resume a apenas 4 botões de ação: ataque elétrico (ou psíquico) onde esse funciona com um sistema de mira semi-automática. Dependendo de como seu personagem está posicionado na tela, o alvo apontará para o inimigo mais próximo. Porém é meio irritante as vezes pôr a mira, devido a mira priorizar um inimigo distante ao invés daquele próximo ao jogador, principalmente em alguns chefes onde tem de atingir um ponto específico para causar-lhe dano. Mas basta utilizar os botões L ou R do controle para selecionar o alvo preterido, mas até o jogador se acostumar, haverá umas pequenas frustrações.

         o primeiro chefe de fase é simples e pode-se derrota-lo em segundos

    Além do botão para saltar, um botão para defesa e o ultimo para se utilizar perto de algum inimigo para controla-lo por um período de tempo. Os protagonistas tem uma generosa barra de energia, onde pode ser reposta se matar os ninjas azuis onde deixam algum alimento como bolinhos de arroz, um bentô ou sushi ou encontrados em certos pontos de determinada fase. E as “Vidas”, onde é classicamente representada por um boneco do personagem escolhido são muito escassas. Não há nenhuma mudança na jogabilidade ao selecionar Taomaru ou Enkai, além de seu visual.

    As fases são divididas em capítulos. O mais incrível é entre elas não haver nenhum loading, seguindo ininterrupto na ação por todo o jogo e há constante mudança de cenários. começando numa vila sob ataque, segundo para o porto a bordo de um barco onde no fundo a cidade portuária é atacada por um esqueleto colossal, indo em seguida para uma floresta, depois para um templo xintoísta e assim segue até o fim do jogo. O game é baseado na era feudal do Japão, e seus inimigos variam de shinobis, monges e kunouchis malignos a criaturas malignas de características nipônicas, como Onis, sapos gigantes, Tengus, Marionetes de porcelanas e outras criaturas bizarras. Os inimigos tem uma IA de mediana para medíocre, como não há uma grande variedade de inimigos (excluindo os chefes) não perdura muito ao jogador decorar as táticas de ataque de cada um e como desviar e contra-atacar. Eles sentem e gemem/gritam aos golpes aplicados e jorra bastante sangue ao serem atingidos ou mortos.

    Os gráficos são bonitos, porém meio rústicos para a época. Mas pode ser esse o seu charme, mas ouve jogos mais antigos onde trabalharam com mais assiduidade essa area, como Astal tomado como exemplo.

      Há muitos chefes no game e dificilmente o esquema que funciona num, irá ser válido no próximo.

    A dificuldade do game é mediana e com o personagem tem 5 vidas e apenas 3 continues para chegar até o final, faz que o trabalho de zerar Shinrei Taomaru parecer penoso. mas com algumas jogadas, é possível decorar a movimentação de cada inimigo e chefes, onde são 25 chefes de fase ao todo. a maioria tem um visual único e alguns deles são memoráveis pelo modo de enfrenta-los, mas decorando seus movimentos, não serão um empecilho, incluindo o chefe final. Ponto positivo aqui ao Hiroshi Iuchi, onde ele criou os chefões e seus padrões de ataque, onde nenhuma delas é parecida com a anterior. A duração do game pode levar 30 a 45 minutos se o jogador já decorou boa parte do jogo.

    Um ponto negativo do game é dele ser linear. isso é esperado num game em 2D e meio, mas como sendo esperado de um console de 32 bits, se imaginava alguns caminhos alternativos para chegar ao final do cenário. Outro seria onde seria alvo de muitas reclamações do jogo é necessitar esmigalhar o botão de ataque. podem achar irrelevante esse detalhe, mas mesmo metralhando o botão em desespero, o ataque costuma falhar, dando a chance do inimigo contra-atacar. Seria recomendado um controle turbo, todavia penso ser desnecessário para concluir o game. Sem falar do personagem não poder se mexer enquanto dispara os ataques psíquicos. E não há um grande fator replay para aqueles onde não descansam até destrinchar 100% de algum título, pois apenas um modo “Survival” é destravado após terminar o game.

                            é necessário se acostumar ao sistema de mira

     A trilha sonora composta por Kenji Yokoyama e Shunichi Hanawa, é típicas musicas ao estilo japonês feudal, acrescentando um toque sombrio aos acordes e o dialogo das criaturas a ameaçar o jogador lhe darão calafrios. No mais, produz o clima necessário para o jogador se sentir incluido no game.

    Shinrei Jusatsushi Taomaru é um jogos mais caros da biblioteca do Saturn, mesmo se comparado a medalhões do console como Panzer Dragoon Saga, Shining Force 3, Radiant Silvergun e outras perolas do console, chegando a sair por 200 a 400 dólares por um exemplar em leilões pela internet. Para colecionadores abastados, é um item a se ter na coleção.

    No fim, Esse game é um caso de um jogo onde não foi aclamado na época, para anos mais tarde ser agraciado como Cult. assim como uma espada Hanzo: exótica de beleza estonteante e algo sem preço.

    Humildemente me despeço.

    Psychic Killer Taromaru

    Platform: Sega Saturn
    20 Players
    1 Check-in

    21
    • Micro picture
      santz · almost 3 years ago · 2 pontos

      A maioria dos jogos de Saturn são meio desconhecidos mesmo. Mas é uma plataforma que quero muito conhecer. Vendo esses seus posts me dá ainda mais vontade de jogar :)
      Vou até instalar o uoYabause no meu Android. Que jogo você indica para iniciar a plataforma, sem ser Sonic, pois ele estou jogando em sequência cada jogo.

      2 replies
    • Micro picture
      carolino · almost 3 years ago · 2 pontos

      Hoje em dia esse é um dos, senão o mais, caro jogo do Sega Saturn, juntamente com Panzer Dragoon Saga, devido a raridade destes jogos. Parece que foram produzidos poucos na época.

      Nem estou certo de que continua assim, pois já faz um tempo que li um post num blog gringo sobre jogos raros do Sega Saturn.

      3 replies
    • Micro picture
      mastershadow · almost 3 years ago · 2 pontos

      Nossa eu não tinha visto, parece maneiro mesmo!

      1 reply
  • 2016-06-09 10:48:29 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    CEMU 1.5.2 já emula Smash Bros porcamente! Mas emula!

    O único jogo que quero jogar do Wii U finalmente está começando a funcionar!

    Por mais que seja impossível jogar ainda (ele roda a 9 de FPS), nas próximas versões é certo que ele vá funcionar perfeito! O lado bom que apesar de estar rodando mal, está sem glitches visuais, o que é um ótimo sinal!

    Super Smash Bros. for Wii U

    Platform: Wii U
    1453 Players
    460 Check-ins

    18
    • Micro picture
      _italoandrade · over 3 years ago · 2 pontos

      9 FPS é ótimo, vc sente aquela sensação cinematográfica enquanto ta jogando xD

    • Micro picture
      colt47 · over 3 years ago · 1 ponto

      É engraçado ler os comentários dos nintendistas, reclamando do emulador

      1 reply
    • Micro picture
      santz · over 3 years ago · 1 ponto

      9 frame por segundo? Bom...

      2 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...