2016-12-15 13:01:04 -0200 2016-12-15 13:01:04 -0200
marcusmatheus Rodrigo Campos

Podemos confiar em Opiniões e críticas?

Single 3429745 featured image

Após responder em uma postagem de um brother aqui da rede (não vou marca-lo para não parecer que estou obrigando ele à ler essa montanha de texto, kkkk) me veio a ideia de escrever sobre este tema. E ironicamente, apesar de eu mesmo ler muitas críticas – sempre evitando os spoilers – minha opinião é bem mais profunda do que poderia expressar em um único comentário. Sendo assim: Vai um artigo! ^_^

A crítica é uma das capacidades inerentes dos jogadores. Ela nos permite avaliar minuciosamente um jogo e, com isso, ter uma opinião sobre o que é bom ou ruim, aquilo que é certo ou errado, quando está bonito ou feio. Ela nos permite tomar decisões sobre uma série de coisas.

Essa capacidade de criticar também é importante para nossa vida em grupo. Por vezes, somos ajudados com críticas de outras pessoas, que nos dão sua opinião sobre o que fizemos ou deixamos de fazer. Muitas vezes também sentimos vontade de colaborar, criticando comportamentos dos nossos familiares e amigos – seja na rede ou na vida real.

Portanto, ao contrário do que parece à primeira vista, a crítica em si não é ruim. O problema está na dificuldade em fazê-la corretamente. É muito fácil uma crítica se virar contra a pessoa que a está fazendo. No lugar de contribuir com outro player você prejudica a si mesmo.

Eu não sei se todos vocês sabem mas o Pensamento crítico é uma habilidade – e não uma característica humana (e obviamente nem todos possuem!): É a maneira pela qual podemos nos libertar de ideias pré-fabricadas às quais estamos sujeitos o tempo todo, e finalmente pensar por contra própria.

Isso porém não significa se isolar e tacar foda-se para a opinião dos outros (isso é outra característica da nossa espécie que, de certo modo, não convém mencionar neste artigo!). Na verdade, ter pensamento crítico significa saber absorver importantes informações e ser capaz de usá-las para formar a sua própria opinião sobre determinado assunto – em vez de apenas reproduzir um discurso pronto que se lê na internet e nas redes, que se ouve na escola ou na igreja ou que é propagado por outras pessoas.

Esta não é uma capacidade com a qual nascemos pois, na verdade, o mundo busca de nós exatamente o oposto: somos treinados basicamente para não desenvolver muito bem o pensamento crítico e, desta forma, não sermos muito contestadores.

Vou dar um exemplo super – mega – hyper simples, que é muito comum de se encontrar na rede. Observo porém que aqui nem expresso um ponto de vista, e sim uma realidade estudada e comprovada pela ciência. Textos e artigos sobre o assunto podem ser facilmente encontrados na internet, caso você duvide disso. Well, lets go:

O preconceito que se auto-confirma:

Acho que quase todo mundo por aqui já ouviu falar de psicologia reversa e de efeito placebo, certo? Mas vocês sabiam que essas técnicas muito usadas no mundo da ciência têm como base falhas do pensamento humano? E de maneira nenhuma pense que você é especial e está imune à elas: Esses problemas acontecem com todos, independentemente de idade, sexo ou nível educacional (sabe aquelas pessoas que adoram jogar o diploma na sua cara quando você tem uma opinião contrária? :) ).

Esses “preconceitos” apenas confirmam atitudes que fazem parte de nós. Eles acabam causando constatações que provocam o resultado previsto. Quer um exemplo? Que tal se eu mesmo me analisar e me colocar na linha de fogo?

Quando eu penso “eu odeio jogos de esporte, simplesmente não consigo entender como alguém consegue gostar disso...” sou automaticamente desestimulado a jogar jogos de esporte por meus próprios pensamentos e, as chances de achar um jogo de futebol horrível, ou um jogo de corrida por exemplo, aumentam consideravelmente! Essa é uma tática muito usada pelos assim chamados “videntes”: Você vai à cartomante e ela diz que há uma pessoa muito próxima querendo o seu mal – logo você começa a ficar mais atento e receoso com qualquer pessoa que conhece e seu comportamento alterado pode até levá-lo a fazer um novo inimigo – basta uma discussão ou uma briga com um conhecido para que você acredite ter encontrado a pessoa da previsão.

Eu por exemplo: Iria jogar jogos de esporte procurando erros e falhas técnicas, problemas no gameplay, e quaisquer outros tipos de empecilhos que pudesse achar. E sabem o que eu faria depois de anotar a lista de defeitos? Escreveria uma crítica destruidora do jogo, apontando e enaltecendo todos os defeitos dele – dando muito maior ênfase aos defeitos do que às qualidades, alias!

Se você vai ler uma crítica Preste atenção nos detalhes certos:

Uma das partes mais importantes de pensar criticamente ao ler uma crítica é aprender quais detalhes são, de fato, importantes. Estamos expostos a tanta informação e opiniões diferentes que fica muito fácil se perder nos detalhes. O que eu gosto mais de aconselhar é: Comece confiando na sua intuição! Se algo não soa verdadeiro para você, eis aí o primeiro sinal para não considerar aquela opinião.

Na sequência, uma boa dica é refletir sobre quem está te dando a informação ou opinião. Se há uma discussão acalorada sobre, digamos, um novo jogo lançado ou se a qualidade da água da torneira é adequada ou não para consumo, preste atenção se dentre as partes envolvidas não está alguém que particularmente não gosta do jogo ou uma indústria de garrafinhas de plástico.

Estejam avisados: Se eu escrever uma crítica de jogos de esporte, por favor, é melhor não levar a sério, kkkkkk.

E todas essas ideias nos traz ao segundo ponto: questione a sua fonte. Principalmente após a grande disseminação da internet nas últimas décadas, as fontes nem sempre são imediatamente confiáveis. Portanto, se algo parece meio duvidoso, rastreie de onde veio antes de formar uma opinião. E se uma ideia geral parece estar de acordo com a maioria das opiniões e críticas apresentadas, provavelmente essa ideia é verdadeira.

Compartilhei a crítica de um brother esses dias aqui no Alva pois, após leitura, notei que os pontos que ele levantou eram muito bem explicados e não senti em nenhum momentos que ele estava falando mal do jogo propositalmente. Outro ponto que contou, foi que a ideia levantada por ele e a nota final apresentada, não fugiu fugiram de tudo o que eu havia lido em diversos sites e fóruns (a ideia geral foi mantida).

O mesmo vale para os meios de comunicação. Cada publicação ou veículo tem uma vertente – esquerda, direita -, e não é que é impossível acreditar em matéria alguma de política por conta do posicionamento desses meios, mas para o bem do seu pensamento crítico, é bom ter um pé atrás e analisar se o texto traz alguma informação nova (e isenta) ao leitor, ou se serve apenas para reafirmar as convicções da empresa ou da pessoa que escreveu.

Outro ponto importante: Cuidado com “achismos”:

Quando estamos lendo uma crítica o que buscamos na verdade é saber pequenos detalhes que podem nos motivar a comprar ou não um jogo. Resumidamente queremos saber se os gráficos do game são bonitos, se o gameplay dele flui naturalmente, se as músicas são boas e bem produzidas, se a história é interessante e... Bem, basicamente mais nada!

Devemos treinar nossa leitura para notar pequenas palavras e frases que servem como sinais de alerta. Sabemos que é impossível prestar atenção em tudo, por isso, conhecer algumas frases que tendem a vir antes de um argumento fraco é realmente útil!

São os, assim definidos, “achismos”. Mesmo que de forma sutil, essas expressões entregam que a opinião que vem a seguir muito provavelmente não é bem embasada. Uma vez vi num documentário que existe uma lista oficial de frases que grandes pensadores se concentram na hora de descartar uma opinião. Dentre elas, destacam-se, além da famosa “eu acho que”, expressões como “para dizer a verdade”, “só quero que você saiba que” e “só estou querendo dizer que”.

Numa crítica técnica e impessoal, ou seja, numa crítica que irá te passar exatamente aquilo que você precisa saber sobre um jogo, essas expressões podem sinalizar o momento exato em que a questão deixou e ser técnica para se tornar pessoal. E é justamente por isso que eu NUNCA considero a opinião das pessoas em relação a história de um jogo!

Existem pessoas que odeiam a história de Dark Souls – existem outras que amam.

Existem pessoas que odeiam contos de fadas – existem outras que amam.

Existem pessoas que odeiam montar quebra-cabeças – existem outras que amam.

Existem pessoas que odeiam romances – existem outras que amam.

Existem pessoas que odeiam clichês – existem outras que amam.

Não adianta: A questão da história é um dos fatores mais subjetivos numa análise e esta é uma parte que eu sempre recomendo ao leitor interpretar de forma pessoal

Obs: Salvo raras exceções, na qual você conhece a pessoa que está fazendo a crítica e sabe que ela tem um gosto parecido com o seu. Ainda assim, mesmo nestes casos, várias opiniões diferentes aparecem de jogo pra jogo.

E basicamente é isso!

Agora sim, consegui me explicar de forma clara sobre o que acho de críticas e avaliações de jogos. É um tema bem complexo que é difícil definir em poucas palavras, kkkk.

Para vocês que tiveram paciência de ler até aqui, obrigado. Um abraço!

The Last of Us

Platform: Playstation 3
11415 Players
1136 Check-ins

73
  • Micro picture
    lica · over 2 years ago · 6 pontos

    Muito bom o seu texto! Só destacaria algumas coisas interessantes para um debate com as suas ideias:
    - Sobre a crítica se voltar contra a pessoa, acho que a vida é assim. Se alguém se propõe a falar publicamente sobre algo, terá que aguentar as consequências disso. Claro que nunca defendo açoites em praça pública, mas apresentar ideias e viver em livre expressão significa se responsabilizar por tudo que você fala/escreve.
    - Quando você fala em imparcialidade fica evidente que você está destacando aspectos técnicos, entretanto o próprio campo de críticas e análises dos games tem pouco conhecimento dos aspectos técnicos ou ainda não sabe quais aspectos técnicos devemos destacar para aí sim analisar, Por exemplo, quando você fala em história de um jogo digital a primeira coisa que vem na cabeça de muita gente, inclusiva no seu texto, é o gosto pessoal. Quando analisamos a história de um jogo o que a gente se propõe a destacar: a construção da narrativa ou o seu gênero? a forma como ela se desenvolve ao longo do gameplay? se é profunda ou superficial? se tem coerência e coesão? se apresenta furos lógicos? ou a gente vê tudo isso e chama de história? Os critérios para as análises não são claros. Outro problema é a questão dos gráficos, que as pessoas confundem com a arte do jogo, achado que gráfico é todo jogo que se pretende realista. Quando analisam som, só pensam nas músicas e esquecem da sonoplastia, dos sons do ambiente... Percebe que os próprios critérios para as análises não são claro? Por isso não dá para ser imparcial.
    Outro ponto que ajuda na imparcialidade a "bagagem" anterior que nos temos interfere sim na sua experiência de imersão. Você pode estar diante de um jogo incrível, mas a sua bagagem anterior pode fazer com que você não curta por vários motivos. Jogar um jogo em Inglês quando você não entende muita coisa pode ter um impacto diferente do que teria se o jogador fosse fluente ou entendesse bem. Jogar sozinho um game que se propõem multiplayer pode também mudar seu conceito sobre ele. Nem sempre temos as condições ideais para desfrutar de um jogo a partir de sua real proposição. Isso tudo impede a imparcialidade.
    O que fazemos diante disso? Eu acho que deveríamos desencanar, ao menos por hora da imparcialidade e assumirmos opiniões, experiências e gostos nas análises. Ser sincero, não analisar um jogo, mas relatar a experiência de jogar. Inclusive nossa experiência de jogar muda com o tempo, o que traz para as análises sua condição efêmera.
    Particularmente não leio nenhuma crítica, mal assisto trailer porque odeio spoiler hahaha. Mas entendo que precisamos de outro posicionamento quanto a elas. Menos hype, conceitos soltos, palavras vagas que são usadas em todas as críticas e não dizem nada. Mais concretude, sinceridade, experiência e opinião embasada.
    ;)

    1 reply
  • Micro picture
    jorgegt · over 2 years ago · 3 pontos

    Comentando pra ler mais tarde.

    1 reply
  • Micro picture
    armkng · over 2 years ago · 3 pontos

    Excelente artigo, os caras do T3H são feras demais hehehe...
    Quando se fala em crítica, muitos atrelam em forma no qual não vai incentivar, não irá agregar algo de bom. Que está ali apenas para diminuir, difamar e etc.
    O grande problema de construir uma crítica, e saber aceitar a critica, absorver a informação que ela possua, e não ser uma de forma destrutiva, como muitos fazem hoje em dia.
    A crítica bem construida, trazendo seus prós e contras de forma objetiva e clara, todos irão ter uma leitura agradável.
    Lendo os vários comentários de nossos amigos que acompanham a persona, a de nossa amica @lica trouxe vários pontos e em destaque é, se ao escrever sua crítica e expor ela, ainda mais na internet, você tem que estar preparado para receber o ponto de vista da galera, e saber absorver de forma positiva, sem agredir verbalmente a pessoa que comentou.
    Nosso amigo @marcusmatheus também levantou pontos que devemos levar sempre em consideração, relevar e ser imparcial também em alguns pontos.
    O que acaba ocorrendo, que muitos acham que a crítica dele está correta e ponto, e quem resolve expor sua "opinião", e errado em sua história também.
    A própria persona Talk to the Hand foi criada para termos discussões sádias, no qual todos podem ter seu ponto de vista, e é claro, sempre e mais importante, respeitar a pessoa que está adicionando, agregando sua visão, opinião e critica também.

    1 reply
  • Micro picture
    caramatur · over 2 years ago · 2 pontos

    Li e concordo com vc cara, principalmente sobre críticas referente a história de um jogo, livro, etc.
    Sinceramente, se vc não gostou, é mais motivo para incentivar alguém a jogar/ler/assistir e a tirar a própria conclusão; nada mais enriquecedor do que colocar estes tipos de experiência em paralelo. Inclusive já deixei de seguir aqui várias pessoas por fazer justamente o contrário...
    Ótimo texto!

    1 reply
  • Micro picture
    tiagotrigger · over 2 years ago · 2 pontos

    Uma das coisas que falam muito é que quem faz a crítica tem que ser imparcial, mas isso é impossível. O bom crítico tem que falar bem claramente o que é opinião e gosto pessoal dele, para o leitor saber que a informação é enviesada. Por exemplo, se a pessoa não gosta de jogos de esporte, ela tem que falar sobre seu possível enviesamento e que a informação que vai passar não será verdade para todos.

    1 reply
  • Micro picture
    darthpetry · over 2 years ago · 2 pontos

    Melhor post que li sobre criticas, esclarece bem. E realmente, alguns "entendedores" críticos de jogos, nem finalizou o jogo para fazer uma critica geral da experiência..

    2 replies
  • Micro picture
    lukazz · over 2 years ago · 2 pontos

    tive que compartilhar! artigo muito bom parabéns! :)

    1 reply
  • Micro picture
    xualexandre · over 2 years ago · 2 pontos

    Boa análise do ofício de analisar.
    Pelamor, eu corro das análises que tentam ser técnicas e imparciais.
    Outra coisa, conheço as pessoas das quais vou levar em consideração nas reviews, assim como vc meio que fala no texto, acho isso importante.

    Tenho tb uma lista de palavras que me fazem desacreditar de uma análise na hora, a maioria sendo , nego começa com "essa obra de arte" e começa a distribuir "incrível" por ai, já me desanima. Mas mesmo assim são mais divertidas de se ler, mesmo que dificilmente vou levar essas opiniões em conta.

    1 reply
  • Micro picture
    thiago911hc · over 2 years ago · 2 pontos

    Muito bom o texto.. Sempre que vou ler uma crítica descarto o fator história pq realmente eh muito relativo,até mesmo gráficos.eu descarto pq muita gente confunde ainda qualidade gráfica com desing de arte... costumo dar mais valor, a jogabilidade, modos de jogo e som.. Costumo também sempre prestar atenção nos pontos positivos do jogo caso a análise seje negativa... Pq se a pessoa q fez a crítica não gostou do jogo e colocou pontos positivos quer dizer q aquilo realmente chamou atenção e de fato eh bom...

    1 reply
  • Micro picture
    mattbewolf · over 2 years ago · 1 ponto

    Boas dicas. Lembra do nome desse documentário sobre as frases "achismo"?

  • Micro picture
    melks · over 2 years ago · 1 ponto

    Adorei a matéria. Eu particularmente, tenho um costume de sempre abrir o Metacritic pra ler críticas, mas de abrir os links e ler mesmo, não passar o olho aqui e ali (isso mais com filmes e séries, com jogos nem tanto). Evidentemente, gosto das análises técnicas e mais objetivas, contudo não sei se é apenas comigo, mas costumo gostar bem mais das críticas com opinião e desenvolvimento mais forte. Não sei se me estimula a pensar mais sobre meu ponto de vista, ou considerar outras perspectivas pra que eu possa dar o veredito final sobre o que encontrei. Se o conteúdo for bom, gosto de ver acima de tudo o aplauso e a razão dos elogios, e mais ainda, gosto de ver cada pedra que foi atirada se for ruim (sabe aquelas pessoas que torcem por uma desgraça global daquilo que não gostou? kkkkkkkkkk).

  • Micro picture
    laumiramos · over 2 years ago · 1 ponto

    Excelente texto, muito bom mesmo o artigo. Realmente é complicado ler sobre um critica e isso não é de agora, encontrar criticas imparciais é muito difícil tem que ter paciência e procurar com muita atenção isso tanto para jogos, filmes, séries,animes . . . isso por que geralmente não é uma critica onde deveria ter os pontos positivos e negativos e o que poderia ser melhorado /sugestões, e o que vemos são "opiniões" muitas vezes apenas com pontos negativos detonando tudo (muitas vezes haters, que se dão ao trabalho mal feito de fazer isso com algo que não gosta). Outra coisa que infelizmente acontece com frequência o é que muitos não pesquisam ou conferem as fontes e saem espalhando uma coisa que nem tem certeza, muitas vezes apenas lendo o titulo sem ler a matéria. (Muitos desses olham para esse artigo e dizem: WALL, walltext). Os seus artigos sempre são muito bons e sempre movimentando o alva, parabéns ^^

  • Micro picture
    batatadark · almost 2 years ago · 1 ponto

    Critica serve para você ler e vê se bate mais ou menos com o seu gosto , eu costumo ler critica ( como tu disse acima ) de you uber e sites que geralmente os redatores bate com meu gosto , ai leio La se bate mais ou menos com o que eu gosto e vejo umas avaliações e confiro haha .

Keep reading → Collapse ←
Loading...