brunothebigboss

Um gamer comum, com interesses incomuns e opiniões baseadas no senso crítico.

You aren't following brunothebigboss.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2020-01-04 18:21:32 -0200 Thumb picture
    brunothebigboss checked-in to:
    Post by brunothebigboss: <p>Passando aqui para dizer que zerei essa obra-pri
    The Last of Us Remastered

    Platform: Playstation 4
    3580 Players
    704 Check-ins

    Passando aqui para dizer que zerei essa obra-prima pela terceira vez. Mas em vez de falar minhas impressões (espero fazer minha review), eu quero dedicar este check-in a contar minha história com esse jogo

    Eu comprei TLOU na época do lançamento, em julho de 2013. Nessa época, o zerei duas vezes, joguei o multiplayer do jogo por uns meses apenas para largá-lo por quase sete anos. Não se trata de que não gosto do jogo -ainda tenho minha cópia de PS3, e não me desfaço por nada. Mas é que na época eu não tinha bagagem cultural e até profissional (como um aspirante a escritor e roteirista, fiquei admirado com algumas escolhas do Neil Druckmann durante o jogo principal e a DLC) para, além de dizer "a história é foda para caralho!!!", poder realmente apreciar a história.

    Eu resolvi pegar esse jogo novamente não para me preparar para a Parte II, e sim para ter alguma coisa para fazer mesmo nos jogos. Em meio a "eu lembro que era isso" (que não me impediu de morrer muitas vezes por ser um noob jogando no Difícil), o que me chama mais a atenção é tudo o que já falaram antes dele: o comovente roteiro (e direção) de Neil, que me pegou pelo pescoço em momentos que anos atrás eu era emocionalmente indiferente. Mais do que isso, no entanto, é perceber como a ausência - para mim, a verdadeira temática de TLOU - se reflete até mesmo no gameplay. Quantas vezes eu abri uma gaveta e não encontrei nada? Ou viver com a permanente escassez de recursos no inventário (munição, peças de montagem, suprimentos)? Isso eu acho ainda mais interessante e um dos aspectos mais subestimados do jogo

    Tô bem confiante pro que o Neil vai fazer esse ano com a sequência. Acho que tem outra obra prima no forno...

    15
    • Micro picture
      darleysantos676 · 13 days ago · 2 pontos

      Eu ainda não joguei a campanha desse jogo, acredita? Já fiz todos troféus online dele, e posso que era um dos melhores multiplayers já feitos. Acho que desse ano não passa, tenho experienciar esse game aclamado! Por ora, posso dizer que a jogabilidade me agradou bastante! Isso aliado ao enredo que tantos elogiam deve explicar o porquê de tanta gente ser apaixonada pelo jogo.

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 13 days ago · 2 pontos

      Altamente viciante...

    • Micro picture
      speedhunter · 13 days ago · 2 pontos

      Aguardando ansiosamente pela parte 2

  • msvalle Marcos
    2020-01-03 23:46:02 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    The Valle Awards 2019

    Como já é tradição (desde o ano passado hehe), temos aqui os dez jogos que eu mais gostei de jogar em 2019:

    10. Vikings: Wolves of Midgard (2017)

    Um Diablo-like com temática viking? Achei a ideia interessante, e apesar do jogo ter uma bela história (com direito a reinterpretação da lenda do Rei Artur) e locações e inimigos bem variados, a jogabilidade é um pouco travada. Mas para quem gosta do genêro e/ou da temática é uma bela pedida.

    9. République (2016)

    Um jogo intrigante, com um ar de "Admirável Mundo Novo" e com uma discussão interessante sobre controle e liberdade. Possui  uma jogabilidade curiosa onde a visão do jogo é toda dada por câmeras de segurança. Pena que o final fica aquém da jornada, muito aberto a interpretações.

    8. Tacoma (2018)

    Um mistério em uma estação espacial é o tema do novo jogo da Fullbright, que com Gone Home tinha entrado no meu radar. Esse "walking simulator" tem um gameplay bem bolado, onde você tem que recuperar memórias dos habitantes da estação para descobrir o que aconteceu.

    7. 11-11: Memories Retold (2018)

    Um belo (literalmente) jogo, com uma arte de aquarela impressionante, conta a dramática história de dois personagens em lados opostos durante a Primeira Guerra Mundial com vários desfechos e muita informação espalhada durante um jogo. Para quem curte drama de guerra é um prato cheio.

    6. Assassin's Creed Odyssey (2018)

    Ah, Ubisoft! Quando a gente acha que ela aprendeu, ela erra de novo! Depois do sucesso do Origins, ela nos leva dessa vez a Grécia, com um mapa maior, milhares de quests, uma parte naval (que eu não gosto) ainda maior que AC Black Flag, e infelizmente se perdeu no quesito que considero mais importante: a história. Se afastando de vez da fidelidade histórica - prepare-se para ver cavalos flamejantes, espadas cintilantes, unicórnios, etc. Uma pena. Espero que no próximo contratem os redatores da CD Projekt Red para ajudar hehe

    5. Spec Ops: The Line (2012)

    Um TPS de guerra que conta um história bem peculiar e impactante passada em Dubai após uma tempestade de areia. Eu gostei tanto desse jogo que resolvi platiná-lo, jogando na dificuldade FUBAR (Fucked Up Beyond All Recognition), imaginem =P Não dá para contar muito sem estragar a experiência, pois a história é o principal aqui, sendo o gameplay básico de TPS.

    4. inFamous: Festival of Blood (2011)

    Essa expansão deveria ser um jogo completo, de tão boa que é. A adição dos poderes vampirescos ao Cole deixou o jogo ainda mais divertido, e a história que rola é muito bem amarrada com o local do segundo jogo.

    3. Muramasa Rebirth (2013)

    Mais uma pérola do estúdio Vanillaware, com gráficos absurdos - tanto de personagens quanto de cenários - temos  dois protagonistas cujas histórias se entrelaçam durante a busca de cada um a seu objetivo. Com finais diferentes, é uma pena que exija jogar tudo novamente no nível de hit-kill: cheguei a começar mas desanimei.

    2. The Witcher 3: Wild Hunt (2015)

    Estava bem atrasado em relação a esse aqui, mas um jogo dessa qualidade não deixa a desejar em relação aos jogos mais novos. O que dizer desse jogo fantástico (mas não sem defeitos) que ainda não foi dito? A variedade e qualidade das missões? A história principal que, apesar de alguns tropeços, nos leva a momentos emocionantes? O mapa enorme que, ao contrário da Ubisoft, tem cada local com sua história, seus habitantes com seus problemas particulares. Em que jogo você enfrentaria a burocracia de um banco (na expansão Blood and Wine), ou uma entrevista com um coletor de impostos em relação aos seus ganhos? Esse jogo merece todo o mérito que tem, e por muito pouco não ficou em primeiro lugar.

    1. Spider-Man (2018)

    Ah, esse foi o jogo do Aranha! Nova Iorque está incrível, a movimentação com as teias é fluida e divertida, a história, apesar de seus altos e baixos, não deixa de entregar um bom momento do herói, e as missões secundárias são bem espaçadas de forma a não enjoar. Minha maior crítica são as missões da chata da Screwball. Não me lembro de um jogo onde uma expansão tem consequências sérias para os personagens como esse aqui. Foi o jogo mais divertido que joguei em 2019.

    Spider-Man

    Platform: Playstation 4
    742 Players
    370 Check-ins

    57
    • Micro picture
      leopoldino · 14 days ago · 1 ponto

      Esse prêmio tem credibilidade.

      1 reply
    • Micro picture
      _gustavo · 14 days ago · 1 ponto

      Excelente lista @msvalle, esse Republique ta na minha mira pra comprar, agora na sale tava 10,00 mas peguei tanta coisa q acabei deixando ele pra um futuro kkk

      1 reply
    • Micro picture
      wild_dark_shadow · 14 days ago · 1 ponto

      Excelente lista! Joguei vários dessa lista e pretendo jogar os restantes, principalmente o 11-11 que estou à espera de receber em casa. Destaco claro o Witcher e Assassin's Creed, juntamente com o InFamous que também adorei e só tive pena ser um standalone

      1 reply
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-12-31 18:30:19 -0200 Thumb picture

    O que espero para 2020?

    Em resumo, aplicar meu aprendizado

    Eu pretendia voltar em 2019 e de fato eu voltei (ainda que bem no final), mas eu aproveitei e tirei grande parte do ano para aprender mais sobre videogames e, por que não, sobre outras mídias

    Dessa forma, acho que poderei melhorar minha e a sua(s) experiência no Alva. Eu tentei fazer isso com o debate do streaming e com o artigo da sugestão dos jogos mais curtos, mas agora eu resolvi profissionalizar um pouco mais. Noções de roteiro, level e game design, cinema, literatura...

    E claro, trazer isso de forma acessível, seja por check-in ou artigo. E falando nestes, espero que eles fiquem bem melhores em 2020. Eu não me envergonho do que escrevi antes e até hoje me orgulho de alguns como o da TellTale (tenho certeza que foi o melhor que podia fazer na época), mas acho que tenho umas ideias muito bacanas que podem ser trazidas para cá.

    É isso. Espero que 2020 seja um bom ano e que os queridos joguinhos continuem presentes por aqui!

    10
    • Micro picture
      herics · 17 days ago · 2 pontos

      Feliz 2020 ^·^

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 17 days ago · 2 pontos

      Não devemos nos envergonhar do passado...
      Todas as experiências são sempre válidas...

      1 reply
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-12-31 18:25:14 -0200 Thumb picture
    Post by brunothebigboss: Ainda tô meio parado em Final Fantasy, mas acho que

    Ainda tô meio parado em Final Fantasy, mas acho que esse post me deu uma força...

    Uma fábula para adultos.

    Review by: @thecriticgames

    O Playstation foi um verdadeiro marco na história dos games, o console foi a porta de entrada da Sony para o mundo dos games e ...

    Keep Reading →
    9
    • Micro picture
      thecriticgames · 17 days ago · 1 ponto

      Que bom, qual Final Fantasy você tem jogado ou tentou jogar? Acho que nenhum é para todos.

      2 replies
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-12-30 16:03:03 -0200 Thumb picture
    brunothebigboss checked-in to:
    Post by brunothebigboss: <p>Último check-in do ano!</p><p>E esse jogo, PELO
    SOMA

    Platform: Playstation 4
    128 Players
    14 Check-ins

    Último check-in do ano!

    E esse jogo, PELO AMOR... QUE FODA!

    Como um amante de Sci-Fi, confesso que até o momento é uma das mais avançadas representações do gênero em uma mídia audiovisual, pois quem lê sabe que a literatura é anos-luz à frente de (quase) qualquer filme, jogo ou série já produzida a respeito. E esse jogo consegue ficar pau a pau!

    (Apesar que a óbvia inspiração em Philip K Dick ajuda bastante...)

    E por falar em PKD, quem leu sabe que são dois os eixos temáticos de sua obra: a desumanização e o questionamento à realidade. O jogo pega esses dois e arrasa à sua própria maneira. A história é de um cara que tem que fazer uns exames cerebrais, mas quando faz isso, é transportado em cem anos no futuro em uma estação subaquática (no início pensei que era no espaço, mas não é) abandonada em um futuro pós-apocalíptico. O que se segue a partir daí é algo cabuloso e verdadeiramente impressionante!

    Em contraste à jogabilidade, o jogo tem uma mecânica simples que sinceramente acho que foi o suficiente para curtir o jogo. O elemento survival horror é bem construído, sem jumpscares e com uma atmosfera à lá Dead Space (apesar que não sou muito familiar sequer com terror em geral, então sou suspeito para falar...)

    Me empolguei tanto que praticamente fiz uma review do jogo nesse check-in! Mas é muito bom, joguem que vale a pena!

    Agora só me falta uma última tarefa...

    10
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-12-26 10:10:13 -0200 Thumb picture
    brunothebigboss checked-in to:
    Post by brunothebigboss: <p>Feliz natal atrasado a todos os envolvidos!</p><
    Here they lie

    Platform: Playstation 4
    48 Players
    14 Check-ins

    Feliz natal atrasado a todos os envolvidos!

    E nada melhor do que comemorar com um jogo zerado! YYEEEEEYY!

    "Mas espera, esse jogo não tem sequer troféus de ouro, quanto mais platina..."

    Pois é, esse é Here They Lie, um jogo de terror que tava jogado por aí na minha biblioteca que dura só 3 horas e uns trocados. Mas foi uma experiência muito bacana.

    A história desse jogo é bem abstrata, o que não seria um problema se a narrativa fosse um pouco menos vaga. Ainda assim, tem alguns momentos bem interessantes nesse "Walking Simulator" - pois é, você não faz nada nesse jogo. Tanto que quando ele apresenta inimigos, o level design geralmente vai para a solução mais preguiçosa possível: cria um outro caminho que leva ao mesmo lugar que você ia, só que sem o monstro.

    Sério?!

    Mas o jogo ainda tem momentos brilhantes. A direção de arte, apesar de não muito esforçada em alguns momentos, é realmente caprichosa (e esconde bem os defeitos dos gráficos) e o que se entende por um enredo nesse jogo é realmente interessante.

    Talvez eu esteja falando demais e eu deva fazer uma review desse jogo (seria mais um exercício de presença nessa rede tão injustiçada e o qual estive ausente por tanto tempo). De qualquer forma, foi bacana

    Tem mais que eu queria pegar...

    10
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-12-09 18:18:57 -0200 Thumb picture
    brunothebigboss checked-in to:
    Post by brunothebigboss: <p>Ainda na vibe de pegar os jogos estacionados do
    Not a Hero

    Platform: Playstation 4
    69 Players
    7 Check-ins

    Ainda na vibe de pegar os jogos estacionados do passado para dar uma olhada, eu cheguei neste que foi anunciado faz um tempão na Plus e o pessoal teve uma reação bem negativa a esse indie publicado pela Devolver Digital. Sinceramente, quando eu joguei eu percebi que essa reação foi por puro preconceito.

    Esse joguinho MUITO carismático e irônico é sobre um coelho alien que quer ser eleito prefeito, e que se isso não acontecer, vai explodir tudo.

    Ah, e eu quase esqueci, como ele vai ser eleito?

    Acertou quem disse que é "repetir o que foi feito em Paraisópolis". Claro que isso é absurdo, e o próprio jogo sabe disso, porque é tanto sarcasmo que eu mesmo me senti compelido a aceitar!

    O jogo é de tiro side-scroller e tem vários personagens que são desbloqueados conforme a popularidade do amigo cueio aumenta. O jogo é muito dinâmico e tem um level design muito bom, ambientando cada cenário para certo personagem (embora todos sejam perfeitamente jogáveis com todos) e sendo bem curtos.

    Estou gostando bastante, mas ainda tenho assuntos a resolver...

    9
    • Micro picture
      lukenakama · about 1 month ago · 1 ponto

      Eu lembro desse joguinho, não sabia que era da Devolver kkkkk

  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-11-27 20:38:35 -0200 Thumb picture

    Considerações sobre o flop do Stadia

    Depois que as aulas acabaram e o ENEM veio, jurei que ia tá tudo certo para eu voltar aqui. Fazer os check-ins eu faço, mas os artigos do Stadia? Meio complicado. Sorte minha que eu percebi que isso não rendia (e nem daria para eu falar sobre durante) 4 artigos, e só dediquei 2, deixando os outros para o Streaming. No entanto, eu não deixei de acompanhar o mundo dos joguinhos (ainda que tenha ficado mais reservado ao PlayStation) e vi o fracasso do Stadia logo no lançamento. Má conexão, poucos jogos, chupa-internet, etc.

    Se você leu o segundo artigo, perceberá que todas as falhas que eu previ nele aconteceram (ainda que só no lançamento, mas aconteceram, exceto os poucos jogos). Claro que isso não quer dizer que vai flopar para sempre (tanto que sempre fui cauteloso quanto a um possível fracasso do formato de streaming, que ainda há de ser dissertado nesta rede), mas o fato do pessoal subitamente ter entrado no trem do hype negativo para o jogo me faz pensar que o Stadia não vai mesmo muito longe.

    Ainda assim, como eu já falei, não subestimo o streaming. Acredito que retornará, e também acho que devemos estar preparados para saber o que virá. Mas acho que já podemos dar adeus ao Stadia... 

    11
    • Micro picture
      santz · about 2 months ago · 2 pontos

      Os jogos por streaming tinha que ser mais simples, como RPGs de turno ou games com gráficos simples.

    • Micro picture
      brunothebigboss · about 2 months ago · 1 ponto

      Ainda estou bastante ocupado por um tempinho, mas acho que tenho tempo e disposição para voltar para valer.
      Agora é só superar essa preguiça de não desligar o Norton para eu escrever meus artigos...

  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-11-18 23:15:16 -0200 Thumb picture
    brunothebigboss checked-in to:
    Post by brunothebigboss: <p>Depois do ENEM e do terceiro ano, eu finalmente
    The Witness

    Platform: Playstation 4
    136 Players
    18 Check-ins

    Depois do ENEM e do terceiro ano, eu finalmente botei minhas mãos em um joguinho!

    Yey!...?

    Bom, eu retornei por esse jogo que poderia muito bem ter sido escrita por Clarice Lispector caso ela fosse uma game designer.

    Sim, essa foi uma comparação ridícula, mas é o melhor que consigo sintetizar a respeito de The Witness. Para quem não sabe, uma rápida apresentação

    The Witness, pelo mesmo criador de Braid, é um jogo de quebra-cabeça (e põe quebra-cabeça nisso) que se passa em uma ilha "deserta" recheada de enigmas para serem resolvidos. Aqui se guarda um grande mistério... que eu não sei qual é, pois eu ainda não zerei esse jogo.

    Ele parece ser o que eu idealizei como um "jogo-ideia". É um que aparentemente não tem história, mas que transmite uma mensagem tanto da forma audiovisual tradicional como pelo próprio gameplay. Isso porque os puzzles não são apenas os painéis que você encontra, mas sim o próprio ambiente, o que é uma ideia fascinante.

    Como dá pra perceber, todo esse jogo tá na ideia de perspectiva. Além dos puzzles, a direção de arte lindíssima também ajuda a contar a história e vários momentos só podem ser descritos como pura poesia. 

    Infelizmente, não conclui o jogo porque simplesmente é muito difícil pra mim (só consigo ser inteligente com um certo esforço, e eu perdi a paciência várias vezes nesse jogo...). Fora que todo o ponto pode ser entendido nos primeiros minutos de gameplay. Só zera quem for masoquista.

    Para comentários mais aprofundados, recomendo esse vídeo:

    OK, espero estar de volta MESMO...

    15
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 2 months ago · 1 ponto

      Apesar de bonito... ligeira sensação que eu também não iria curtir...
      Parece mesmo um game masoquista...(^^)(^^)(^^)

      1 reply
    • Micro picture
      santz · about 2 months ago · 1 ponto

      Eu cheguei a zerar o jogo, mas para tal, combinei de jogar com meu colega de serviço para a gente se apoiar nos puzzles mais cabeludos. A história dele é abstrata demais, não entendi nada.

    • Micro picture
      tiagotrigger · about 2 months ago · 1 ponto

      Não gostei muito dele, tem uns puzzles legais e mindblown, mas cheguei na metade do jogo e parei. As regras dos puzzles vão mudando demais e depois se misturam e você se confunde, uma regra que valia pra um não vale mais pro próximo. Gosto bastante de jogos de puzzle, mas esse ai não me segurou até o fim, não.

  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2019-10-25 17:10:53 -0200 Thumb picture
    9
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...