bahamut

I never quite realized... how beautiful this world is.

You aren't following bahamut.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2020-01-15 21:43:20 -0200 Thumb picture
    bahamut checked-in to:
    Post by bahamut: <p>Primeiro check-in neste RPG de estratégia bem de
    Tears to Tiara II: Heir of the Overlord

    Platform: Playstation 3
    37 Players
    23 Check-ins

    Primeiro check-in neste RPG de estratégia bem desconhecido, mas muito bom.

    Coloquei na minha lista após recomendação do Erick Landon, um youtuber que não sei se é conhecido do pessoal daqui, mas é certamente uma das pessoas com maior conhecimento sobre JRPG que existe.

    Outro dia falo melhor sobre ele. Por enquanto acho que estou chegando na metade do jogo e já posso dizer que é um jogo obrigatório para quem gosta de RPGs táticos e de estratégia.

    20
    • Micro picture
      rax · 10 days ago · 2 pontos

      Eu fico vendo quase todos os vídeos dele kkkkkk.

      Esse jogou já vi ele falando várias vezes mas desconheço

      3 replies
    • Micro picture
      reasel · 10 days ago · 2 pontos

      gostei da capa

    • Micro picture
      speedhunter · 9 days ago · 2 pontos

      O canal do Erick é muito bom para quem gosta de JRPG. Foi por lá que conheci alguns tbm!

      1 reply
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2020-01-13 13:00:20 -0200 Thumb picture
    bahamut checked-in to:
    Post by bahamut: <p>Após 3287 quests AC Odyssey finalizado, platinad
    Assassin's Creed Odyssey

    Platform: Playstation 4
    186 Players
    138 Check-ins

    Após 3287 quests AC Odyssey finalizado, platinado e cemporcentado.

    Como foram muitas horas de jogo sem um check-in, vou fazer uma breve análise do jogo. E já vou começar logo dando o meu veredito: AC Odyssey é um jogo muito bom, maaaaaaaaaaas com muitas ressalvas. Como vou focar mais nelas, só queria deixar claro que não é um jogo ruim. Eu gostei do jogo.

    Eu nunca fui muito fã da franquia. Gostei do AC II e só. O que mais me afastava era o combate. Horrível, na minha opinião. Como ouvi que haviam melhorado o combate e o jogo tinha virado um RPG, resolvi dar nova chance à série.

    Odyssey tentou copiar The Witcher 3 e ficou devendo em todos os aspectos, com exceção dos técnicos. A história é longa, possui muitas quests e sidequests, com muitos personagens, mas não traz emoção. O jogo não empolga em nenhum momento.

    Joguei The Witcher por mais tempo e aproveitei cada linha de diálogo. Aqui, depois de um tempo, comecei a acelerar os diálogos das sidequests, em sua maioria genéricas e repetitivas. Simpatizei com poucos personagens. Falta carisma a eles.

    A jogabilidade está melhor, sem dúvida. O combate é divertido, mas faço duas ressalvas aqui. A primeira fica com os chefes. Poucos exigem uma estratégia diferente. Você luta como contra qualquer outro inimigo. Destaque positivo para a batalha contra a Medusa, uma das raras exceções. Outro ponto é a árvore de habilidades. Depois de um certo ponto, passei a utilizar apenas duas ou três skills. Testei algumas, mas não senti necessidade de usá-las. O jogo não coloca inimigos que te estimulem a usar todas, como Spider-Man faz, por exemplo.

    A exploração continua sendo um ponto forte. Uma das coisas que mais me estimularam a prosseguir foi a descoberta de novos locais, alguns com histórias interessantes. No entanto, a parte naval não acrescenta nada pra mim. Podia ser substituída por uma cutscene que estava bom. Vagar pelos continentes e ilhas é muito melhor.

    Além do navio, outras partes extras são os mercenários, copiada de Shadow of Mordor, totalmente irrelevante, e o Cult of Kosmos. Este último sim, muito legal. Eu praticamente abandonei a história em dado momento e passei a só investigar pistas para encontrar o próximo cultista.

    Talvez o maior problema pra mim tenha sido a duração. Não costumo achar isso ruim, afinal de contas sou jogador de JRPG, mas acho que o jogo tem que ter a duração necessária para passar a sua mensagem ou proporcionar diversão. E AC Odyssey é desnecessariamente longo. Quests e mais quests idênticas que não acrescentam nada além de horas ao jogo. Como já disse, o que me animou a buscar a platina, além da platina em si, foi a exploração e a caça aos cultistas. A Main Quest ficou totalmente em segundo plano.

    O jogo ainda conta com duas DLCs: Legacy of First Blade e The Fate of Atlantis. A primeira é muito boa e tenta passar a emoção que faltou ao jogo base, mas talvez eu já não estivesse mais me importando muito com o personagem. E a segunda já entra mais na parte mitológica, o que achei um erro, além de concluir a história dos tempos atuais.

    É isso! Um bom jogo, mas que não me empolgou a retomar a série. Penso que a Ubisoft deveria focar mais seus esforços em roteiristas capazes de criar uma boa história, sem enrolação e com personagens mais carismáticos.

    Platina 101 na conta. Segunda centena iniciada!

    12
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 12 days ago · 2 pontos

      Essas duas últimas imagens... são espetaculares.

      2 replies
    • Micro picture
      hanzy · 13 days ago · 1 ponto

      Quanto tempo de jogo mano? A Main Quest é tão desinteressante que eu dropei o jogo. Vou ver se tenho forçar pra voltar e terminar ele

      3 replies
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2020-01-04 12:48:24 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltavam para 2020

    E vamos para o último dia desse nobre @desafio, que consiste em selecionar um filme, um jogo, uma animação e uma menção honrosa para cada um dos temas diários.

    .

    .

    .

    .

    .

    CONTÉM SPOILERS

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.


    Jogo

    Nier Automata

    E Nier Automata aparece novamente, desta vez com seu genial encerramento. Após chegarmos ao final D, vamos para os créditos finais jogáveis, impossíveis de vencer se não aceitarmos a ajuda de outros jogadores. E mesmo nisso, assim como nas várias perguntas nas quais devemos responder sim ou não, temos mais da filosofia de Nietzsche, como ocorre durante o jogo. Isso nos leva ao final E, com mais filosofia, uma ponta de esperança (incomum nos jogos do Taro) e a certeza de termos jogado algo único.

    Filme

    The Godfather (sempre me nego a escrever o título nacional tosco)

    Nunca um filme soube usar metáforas tão bem quanto esse e o final não poderia ser diferente. Cena icônica, com um diálogo forte, mas que o que a cena realmente passa não é dito, fica nas entrelinhas. E a porta se fechando no final encerra com maestria essa grande obra-prima do cinema.

    Animação

    Monstros S/A

    Ah! Existem vários outros finais mais elaborados ou mais impactantes que eu poderia colocar aqui, mas eu adoro essa cena. Ela me deixa com os olhos cheios de lágrimas e com um sorriso no rosto ao mesmo tempo, daquele jeito que só a Pixar sabe fazer.

    Menção Honrosa 1

    Bioshock Infinite

    Como fã de teorias a respeito de física quântica, universos paralelos e paradoxos temporais, não poderia deixar de citar esse final incrível.

    Menção Honrosa 2

    Journey

    Difícil descrever a sensação de chegar nesse final. Um jogo sem fala e que te deixa com um turbilhão de emoções passando pela cabeça.


    Menção Honrosa 3

    Os Suspeitos

    Final mind blowing total, extremamente bem elaborado. Se você nunca assistiu esse filme, assista! Sem ver o vídeo acima, obviamente.


    Menção Honrosa 4

    Amnésia

    Christopher Nolan é um diretor e roteirista habituado a fazer grandes finais. A Origem, O Cavaleiro das Trevas e o Grande Truque são ótimos exemplos disso, mas nenhum deles é tão impactante quanto o do seu primeiro filme de sucesso. Simplesmente genial.

    Desafio concluído. Agradeço aos que acompanharam e especialmente ao @mastermune por ter me marcado para realizar esse desafio tão legal de se fazer, em que pude relembrar grandes momentos vividos nos jogos e no cinema.

    NieR: Automata

    Platform: Playstation 4
    559 Players
    161 Check-ins

    19
    • Micro picture
      speedhunter · 22 days ago · 2 pontos

      O final de Nier Automata é um dos mais memoráveis da história. Me marcou muito.

    • Micro picture
      gennosuke6 · 21 days ago · 2 pontos

      Caramba, tá aprovadíssima a lista com Godfather, Bioshock Infinite, Usual Suspects e Memento tudo junto! *o*. kkkkkkkk.

      1 reply
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2020-01-03 12:15:16 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltavam para 2020

    E vamos para mais um dia desse nobre @desafio, que consiste em selecionar um filme, um jogo, uma animação e uma menção honrosa para cada um dos temas diários.

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    CONTÉM SPOILERS

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Jogo

    Metal Gear Solid 3 – Snake Vs The Boss

    Acredito que essa deva aparecer em muitas listas. Momento épico, não só pela luta em si, mas por tudo o que representa.

    Filme

    Era Uma Vez no Oeste – O Duelo Final

    Essa cena me emociona até hoje. Na obra-prima de Sergio Leone um duelo final com uma carga dramática pesadíssima, onde nós descobrimos a motivação do protagonista Harmonica, enquanto os dois se encaram até finalmente sacarem suas armas. Tudo regado à belíssima trilha do mestre Ennio Morricone.

    Animação

    O Rei Leão – Simba Vs Scar

    Mais uma vingança na minha lista. Duelo clássico da Disney.

    Menção Honrosa

    Gladiador – Maximus Vs Commodus

    Segundo filme que mais assisti na vida, somente atrás de Coração Valente. Essa cena tinha que ser citada.

    Dia 6 concluído. Falta um!

    Metal Gear Solid 3: Snake Eater

    Platform: Playstation 2
    4381 Players
    66 Check-ins

    14
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2020-01-02 15:33:01 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltavam para 2020

    Segunda postagem do dia desse @desafio, que consiste em selecionar um filme, um jogo, uma animação e uma menção honrosa para cada um dos temas diários.

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    CONTÉM SPOILERS

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.


    Dia 5 - Cena mais triste


    Jogo

    Valkyria Chronicles

    Uma soldado no túmulo de uma amiga se despedindo com uma canção que ela havia prometido antes do pior acontecer, enquanto as imagens vão mostrando cenas da personagem durante o jogo. Típica cena forçada só para provocar emoção no jogador. Bom… pra mim funcionou. O que pode ser uma cena clichê para alguns, para mim é um dos momentos mais fortes e emocionantes do jogo.


    Filme

    À Espera de um Milagre

    Se você assistiu todo o filme e não chorou nessa cena, você não é humano. Simples assim.


    Animação

    Divertida Mente

    Mais do que uma cena propriamente triste é uma cena que fala sobre a importância da tristeza em nossas vidas, tema principal desse que para mim é o melhor filme da Pixar. Um filme que obviamente tem seus momentos que divertem as crianças, mas que é o filme mais adulto da produtora, com uma mensagem mais forte que outras de suas obras-primas como Toy Story, Up, Wall-e ou Monstros S/A.


    Menção Honrosa

    Kingdom Hearts 358/2 Days

    Coloquei como menção honrosa porque nunca cheguei a jogar o jogo, apenas assisti na sua versão HD para o PS3. Uma pena que KH III tenha diminuído o peso dessa cena.

    Dia 5 concluído. Acho que agora já está meio tarde para desafiar alguém.

    Valkyria Chronicles

    Platform: Playstation 3
    517 Players
    142 Check-ins

    14
    • Micro picture
      hanzy · 24 days ago · 3 pontos

      A morte da Xion acho que foi a parada que mais me deixou sad no KH.

    • Micro picture
      bahamut · 23 days ago · 2 pontos
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2020-01-02 12:14:30 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltavam para 2020

    Primeira postagem do ano. Gostaria de desejar um feliz 2020 ao pessoal do Alvanista! Muita saúde, paz e jogos a todos!

    Não consegui aparecer ontem. Então, o @desafio que já estava atrasado, ficou mais ainda. Vou ter que compensar fazendo dois hoje, começando pelo dia 4.

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    CONTÉM SPOILERS

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Jogo

    Nier Automata – 9S Vs A2

    O que falar desse momento ímpar da história dos videogames? Depois de subir a imensa torre, jogando alternadamente com os dois personagens enfrentando Ko-Shi e Ro-Shi, ao som de Bipolar Nightmare, numa união perfeita entre narrativa, jogabilidade e trilha sonora, chegamos à conclusão mais do que épica da rota C.

    Filme

    O Tigre e o Dragão – Melhor luta de espadas da história do cinema

    O Tigre e o Dragão é um ótimo filme. O primeiro de muitos do gênero que vieram ao ocidente depois. E só por essa cena já vale a pena assisti-lo.

    Animação

    Final Fantasy Advent Children – Cloud contra Sephiroth

    Como já disse, não assisto muitos animes. Então, deixo essa animação para representar Final Fantasy, já que os jogos até agora não apareceram nas minhas listas.

    Menção Honrosa 1

    Kill Bill – A luta da Noiva contra os Crazy 88

    Não é bem um duelo, é um massacre. Tarantino em um dos seus melhores momentos.

    Menção Honrosa 2

    Tróia - Aquiles Vs Heitor

    A luta começa com lanças, mas termina com espadas, então vale para menção honrosa. Luta mais aguardada do filme. Lembro de quando assisti no cinema. Muito bacana.

    Menção Honrosa 3

    Kingdom Hearts 2 - Luta contra Lingering Will

    Aqui já é uma trapaceada, porque eles não usam espadas, usam keyblades, mas é a minha boss fight favorita e não poderia ficar de fora.

    Dia 4 concluído. Se houver alguém que leu até aqui, ainda não fez e achou legal, sinta-se desafiado.

    NieR: Automata

    Platform: Playstation 4
    559 Players
    161 Check-ins

    16
    • Micro picture
      mastermune · 24 days ago · 2 pontos

      Nier eu ainda não terminei nem a rota A ainda, mas jogando na Raid do FF 14, sei que o 9s é treta kkkkkkkkkkkkk. Coloquei a mesma opção do filme xD.
      Kill bill é um ótimo filme, a crítica odiou, mas o que importa são os fãs que pagam pra assistir, auahuahsua

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 22 days ago · 2 pontos

      Belas menções...

  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2019-12-31 12:15:03 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltam para 2020

    E vamos para mais um dia desse nobre @desafio, que consiste em selecionar um filme, um jogo, uma animação e uma menção honrosa para cada um dos temas diários.

    .

    PODE HAVER SPOILERS NOS VÍDEOS

    .

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.

    Dia 3 - Melhor luta

    Esse tema é meio genérico. Então, como temos um duelo de espadas no dia 4, busquei lutas em que fossem usadas as mãos ou outras armas.

    Jogo

    Metal Gear Solid 4 – Última luta entre Snake e Ocelot

    Essa luta é pura nostalgia! Nos diversos estágios da luta o HUD e a música vão passando pelos quatro jogos da saga. Brilhante!

    Filme

    Oldboy – A luta no corredor

    Cena clássica desse filmaço, extremamente bem dirigida, com uma coreografia realista e filmada em um único take.

    Animação

    Dragon Ball Z – Goku contra Frieza

    Não assisto muitos animes, então fico com essa clássica. A primeira vez que Goku se transforma em Super Saiyajin. Para mim, a melhor luta de Dragon Ball.

    Menção Honrosa 1

    Valkyria Chronicles – O encontro entre as duas valkyrias

    Essa não chega a ser propriamente uma luta, é mais uma esculachada que a Alicia dá na Selvaria, mas é uma cena épica.

    Menção Honrosa 2

    Matrix – Neo contra Smith

    Matrix aparecendo de novo por aqui. Uma clássica para fechar.

    Dia 3 concluído. Se houver alguém que leu até aqui, ainda não fez e achou legal, sinta-se desafiado.

    Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots

    Platform: Playstation 3
    5201 Players
    311 Check-ins

    15
  • jusiscleisson Jusiscleisson
    2019-12-30 04:42:31 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    Melhores jogos que joguei esse ano

    2019 é um ano em que eu tentei conhecer um pouco mais das mídias que sou pouco habituado ou que já tinha interesse, como quadrinhos ou videogames. Apesar de tudo, não joguei tanta coisa quanto eu quis, ainda assim, publicarei o texto sobre os dez melhores jogos que joguei esse ano. 

    Ainda é o primeiro texto que publico nesse site, então espero que gostem e sirvam de interação para nós de alguma maneira. Lembrando que conto apenas os que zerei.

    10.Kingdom Hearts Final Mix

    Jogado por mim através da coletânea Kingdom Hearts 1.5 + 2.5  Final Mix, o primeiro título da franquia foi uma experiência extremamente peculiar para mim independente dos aspectos, seja narrativa, gameplay ou level design.

    Primariamente, tenho alguns problemas narrativos com o game, não gosto tanto da inclusão do "Ansem" no final do jogo, mas acho ele uma representação temática bastante interessante, por exemplo, e isso se repete com outros personagens como Malévola ou Riku (ele, principalmente). O jogo é focado muito mais em mensagem do que caracterização essencialmente profunda, com os personagens tendo uma caracterização interessante e com algumas poucas camadas, porém, pela visão narrativa unilateral do protagonista Sora, alguns elementos acabam não sendo tão bem transpostos. 

    Apesar de tudo, a caracterização é interessante o suficiente para se acompanhar e, tematicamente, funciona muito bem pelo modo como o jogo é redondinho narrativamente, e essa é a principal característica positiva. Absolutamente todos os mundos complementam a discussão da narrativa sobre a natureza do coração, tornando todos os trechos da história suficientemente relevante, dando mais força para os momentos catárticos envolvendo os temas do jogo (como o final) e para a própria mensagem em si. Realmente há um planejamento para esse trecho funcionar.

    A gameplay não é muito variada, sendo em básico apertar x, entretanto, o que a faz ser interessante não é a quantidade de botões do controle, mas o que cerca a parte de ação no jogo. Os elementos como o sistema de AP, as magias, os itens e os shortcuts (não lembro se é esse o nome, perdão) são o que realmente dão mais foça a jogabilidade. Trazendo mais elementos interessantes na hora de jogar, variação e realmente sendo bom sempre revisar esses elementos, tornando-os úteis, divertidos e interessantes.

    Entretanto, ele ainda cai em uma série de problemas por algumas má aplicações desses elementos por essência. Coisas simples e quase essenciais como esquivar e defender acabam caindo no sistema de AP (que você precisa de pontos para ativar) serem bastante desanimadoras. A mecânica flui de maneira meio travada também, e isso é intensificado em alguns mundos, principalmente em Atlantis (pior mundo desse jogo).  Fora as magias, bastante visualmente desinteressantes e o sistema específico de equipar Keyblades, sendo bastante simples e tornando a escolha absolutamente fáceis.

    O level design também varia. No geral, ele é bastante simplista, entretanto, destaca-se por sua identidade e beleza, trazendo vida aos mundos da disney e conectando as diferenças estéticas dos dois elementos que compõem a franquia. Certas vezes funciona de maneira absurda (como é o caso de Hallowen Town) por sua grande identidade e inteligência de apresentação visual, e outros não (como Atlantis) geralmente por ser sem graça visualmente. No geral, acerta bastante.

    Outro elemento incrível é a trilha sonora. Traduzindo toda fantástica atmosfera envolvente do game ao jogador, transmitindo das mais diversas emoções aquele que consome, tendo um enorme senso de tom e sendo composta maravilhosamente.

    No geral, um bom triunfo perante a certos tropeços. Divertido, emocional e gratificante, sem dúvida, um dos meus favoritos em relação aos poucos jogos que consumi nesse ano.

    9.Street Fighter III: Fight for The Future

    Tudo bem, admito, isso talvez seja uma trapaça minha. Zerado casualmente na virada de ano novo, não tenho tantas memórias fortes sobre o game e nem testei a maioria dos personagens, zerando o modo arcade com um deles e usando dois ou três para me divertir mais casualmente ainda. 

    Entretanto, pelas minhas memórias não tão confiáveis Street Fighter III: Fight for The Future foi uma expêriencia ótima. O gameplay é divertido e variado, os lutadores são diferenciados e com mecânicas super intrigantes, fora toda a fluidez da jogabilidade. Tudo disponibiliza bastante tempo para conteúdo casual divertido e foi bastante legal se distrair jogando.

    Visualmente, provavelmente meu Street Fighter favorito. Com uma apresentação bonita, lotada de estilo e charme e que, ainda assim , consegue fazer o jogo fluir de uma ótima maneira. A trilha sonora também é ótima.

    No geral, foi uma das experiências mais divertidas que tive esse ano, e isso é essencialmente grande parte do que SF e a mídia representam para  mim, e esse jogo entrega muito bem.

    8.God of War III Remastered

    Novamente embarcando na minha jornada com a franquia que já via desde outras plataformas como Ps2 ou PsP, e foi uma experiência ótima.

    Os visuais são ótimos, captam muito bem todo o clima bastante violento e destrutivo do jogo. É sangrento, mas bastante intrigante e o jogo tem um trabalho muito interessante em demonstrar todo aquele cenário visualmente. Dá um impacto muito maior a tudo e o level design é suficientemente planejado geograficamente para a progressão do jogo.

    Trilha sonora é fenômenal. Traduz toda brutalidade do jogo de forma épica e absolutamente sensacional, tornando todas as batalhas ainda mais intrigantes e imersivas, raramente chatas ou desinteressantes graças ao maravilhoso trabalho sonoro.

    Se todos os elementos visuais e sonoros são feitos para carregar a gameplay, podemos dizer que ela honra tudo que fizeram, Divertida, com muita variação e cheia de mecânicas simples de entender, mas com bastante funcionalidade, mesmo sendo focada em transmitir a sensação de forma visual. Cada golpe é divertido e interessante de se usar, principalmente nas excelentes boss fight desse game.

    Seus pontos mais fracos acabam sendo os narrativos, que são essencialmente uma desculpa para a gameplay ótima, mas isso não a remove de problemas. As ideias de esperança são muito mal tematicamente apresentadas e é o que carrega grande parte dos temas do jogo, logo tudo perde força e fica meio vazio, seria melhor se esse elemento nem fosse usado ou se fosse apresentado mais cedo.

    De qualquer maneira, ótimo jogo. Uma experiência rasa, mas épica e bem difícil de esquecer.

    7.Kingdom Hearts II Final Mix

    Trazendo para um aspecto mais pessoal, a obra também consumida da coletânea lançado para o Playstation 4 estaria mais acima. Entretanto, esse lugar não é demérito algum, pois Kingdom Hearts II: Final Mix é ótimo e um fantástico complemento ao seu antecessor, apesar dos defeitos próprios.

    Falando em gameplay, esse jogo aprimora bastante do que o primeiro já fez.  A gameplay ganha uma fluidez absolutamente sensacional, tornando-a ainda mais divertida e trazendo mais interesse na aplicação de outras mecânicas.  A escolha das Keyblades ganham um peso maior, levando em conta que se expandem as possibilidades pelo modo diferente como se adiciona atributos a elas e as próprias habilidades e focos diferentes que cada uma tem.

    Também são adicionados outros sistemas como o Drive, que lhe dá modos diferentes de aumentar sua força temporariamente, sendo provavelmente minha mecânica favorita do jogo pelas diferentes variações e do risco que um uso errado pode causar, fora o aumento na fluidez da jogatina, o que a torna ainda mais interessante de ser usada. Também a mecânica do triângulo, uma espécie de quick time event utilizada como uma forma especifica de lidar com os inimigos dentro do jogo, e principalmente em algumas boss fight, o que eu acho um ótimo uso.

    O maior problema são alguns derivados do primeiro, como o sistema de AP com defesa e esquiva e a falta de um visual interessante para as magias, fora que, as próprias magias se tornam redundantes com as adições dos novos movimentos, tornando-as ainda menos interessantes de serem usadas.

    Sua trilha sonora continua fantástica. Repleta de louváveis soundtracks que refletem muito bem toda atmosfera sensacional do jogo, passando todas as emoções necessárias ao jogador.

    Em questão visual, a maioria dos mundos é ótimas. Maiores e ainda mais identificáveis e bonitos que o do primeiro, com apenas uma exceção ao todo charme visual da série (estou olhando para você, Caribbean).

    Entretanto, eu diria que todo o charme do jogo está na narrativa. Um excelente complemento ainda mais bem apresentado no primeiro. As representações temáticas através dos personagens melhorou muito pela sublime caracterização dada a alguns personagens, tanto novos quanto antigos. Roxas e Axel são exemplares, com relações compreensíveis, bonitas e excelentes, Riku recebeu mais profundidade e Xenmas é um reflexo muito bem feito dos temas do jogo, o próprio Sora melhorou muito na sequência, com o diálogo no Dark World exemplificando muito bem tudo isso. Os próprios membros mais secundários da Organization acabam sendo verdadeiramente interessantes.

    O maior peso acaba sendo não ser tão redondinho quanto o primeiro, em que tudo signifacava algo para narrativa. Nesse, os mundos são muito mais uma aventura do que algo a dizer, o que é incômodo principalmente quando algumas partes da aventura não são tão legais.

    Também devo dar um crédito a mais as boss fights do jogo. Apesar de algumas básicas, outras são grandiosas e carregadas de emoção, trazendo toda a grande carga do jogo e utilizando muito bem as mecânicas. Em especial, a de Roxas e a de Xenmas.

    No geral, uma grande sequência que aprimora e complementa ainda mais seus antecessores, Kingdom Hearts II: Final Mix é ótimo e uma das melhores coisas que joguei esse ano.

    6.The Last of Us Remaster

    Agora, o remaster de um dos jogos mais idolatrados do Playstation 3, o qual não tive contato. E eu tenho que concordar, ele é ótimo.

    A mecânica é simples e bastante funcional. Coletar itens pelo cenário, a baixa quantidade de munição e a construção das ferramentas dão uma sensação interessante ao jogo. Como sobrevivência, ele tem uma dificuldade funcional, mas não é tão desafiador e não têm uma sensação satisfatória ao passar de tantas partes (apesar de um grande alívio ao passar de outras). A mecânica de sniper em um jogo como esse me incomoda um pouco também, apesar de ser útil, parece-me um pouco destoante com o cenário da narrativa. Apesar de tudo, tem um bom desafio, tem variedade e a gameplay é relativamente divertida.

    Trilha sonora é um dos acertos mais fantásticos do game. Traz uma imersão inesquecível e complementa elementos sensacionais do jogo com grandes e melódicas soundtracks traze toda a sensação que a narrativa busca.

    Level design é bastante bom. Também um ótimo acréscimo a atmosfera do jogo e é bastante intuitivo e toda a apresentação.

    Entretanto, de todos os aspectos pelo qual esse jogo é tão elogiado é a narrativa. E tem bastante sentido. Trazendo uma ótima caracterização de personagens e desenvolvendo-os por ótimas e naturais interações através de suas personalidades cheias de humanidade, o jogo traz um brilho especial a toda aquela experiência. Tudo encaminhado em um tema muito bem trabalho de esperança, moralidade e realidade. Apesar de alguns tropeços nessa representação como os canibais, que são caricatos demais e não tem uma caracterização eficiente, o jogo se mantém excelente nesse aspecto.

    No geral, uma experiência única e bastante eficiente em basicamente todos os aspectos, verdadeiramente digna de elogio.

    5.Kingdom Hearts Birth By Sleep: Final Mix

    Sim, mais um Kingdom Hearts, mas prometo que é o último desse top. Mais um consumido por mim pela coletânea da franquia, e provavelmente o melhor deles, além de meu favorito.

    Primariamente, a gameplay para um jogo inicialmente de PSP é ótima. A simplificação da mecânica da franquia ajudou muito aqui e além de trazer muito mais personalidade para esse título específico, também adiciona muito mais fluidez e intuitividade para toda a mecânica do jogo. Novos sistemas foram adicionados ao jogo dando muito mais importâncias a elementos como a magia pela ativação de modos que intensificam o estilo de gameplay e  dão muitas melhorias a algum aspecto do combate, dando variação e a necessidade de uso de mais elementos. Também existe um sistema de atingir seu oponente por uma técnica através de mira (que infelizmente não lembro o nome) pelo Focus, pelo qual é utilizado o Ether nesse jogo. Por sinal, nesse você esquiva e defende sem AP.  A mirage arena é meio méh.

    A trilha sonora brilha novamente aqui, com mais e mais OSTs que te inserem no fantástico feeling de Kingdom Hearts: Birth By Sleep através de melodias emocionantes, agradáveis e melódicas.

    Visualmente, também é ótimo. Level design visualmente belo que traduz toda a atmosfera de cada um daqueles mundos através de todos os belíssimos polígonos colocados naquele mundo, trazendo muito bem todos os mundos da Disney ao jogador.

    E narrativamente falando, foi o melhor Kingdom Hearts que joguei até o momento. Com o melhor trio de protagonista da franquia recebendo uma excepcional caracterização e verdadeiramente ótimas relações, trazendo muitos sentimentos a tona e uma profundidade muito digna de todos os temas passados ali. Todos tem suas características e passam por conflitos emocionais e dramáticos fantásticos pela natureza de seu coração. Tematicamente, a discussão flui muito bem através das três campanhas e tem a melhor abordagem, juntando a profundidade da caracterização de Kingdom Hearts II e o modo como Kingdom Hearts era tão redondinho. Raramente é tão desinteressante pelas campanhas repetidas pelo grande trabalho no jogo, mas certas vezes podem se tornar.

    No geral, um jogo ótimo, que une tudo de bom de seus antecessores, complementando seus temas através de uma escrita ainda melhor. Provavelmente, o mais recomendado da franquia por mim.

    4.Marvel's Spider-Man

    Sinceramente, eu não esperava literalmente nada disso. Mas meu deus, como é incrível.

    A gameplay é ótima, pode não ser tão brilhantemente variada quanto a de Batman: Arkham City, mas toda sua fluidez garante algumas lutas incrivelmente divertidas. Tudo é tão estiloso e bem apresentado que cobre o que perde para seu concorrente, e mesmo com a fluidez sendo o principal ponto, a jogabilidade conta com algumas variações muito interessantes pelos specials. O problema acaba sendo alguns combates com mecânicas de inimigos meio chatas, tornando o combate em si meio entendiante, mas geramente ótimo.

    A trilha sonora é ótima e, sinceramente, absolutamente épica e marcante. Bastante icônica, assim como toda a apresentação desse jogo. Visualmente bastante bonito também, tem uma certa individualidade estranha, mesmo sendo padrão, pelo seu grande estilo.

    Em narrativa, bastante grandioso e ambicioso. Os dramas e temas do Homem-Aranha funcionam muito bem aqui, cheia de passagens emocionais fantásticas e alguns momentos épicos e cheios de tensão, mas geralmente não deixando de serem bem escritos. A  caracterização dos personagens é um dos elementos mais atrelados a isso também, bastante competente e trazendo relações e conflitos muito narrativamente impactantes. Apesar de tudo, possui alguns exageros em sua concepção, como as partes do Miles e eu também acho a decadência  e volta da cidade meio rápida, mas inegavelmente ótimo.

    Na prática, uma adaptação incrível do Spidey para essa mídia tão intrigante. Ás vezes tropeça, mas sempre se levanta ainda mais forte.

    3.God of War (2018)

    Outro jogo da franquia aparecendo aqui, entretanto, esse completamente diferente do último.

    Narrativamente, uma implacável subversão de seu antecessor. Trazendo a tona temas muito interessantes pela lente de novos personagens surpreendentemente bem caracterizados e uma progressão narrativa bastante natural e com um domínio atmosférico exemplar. O modo como ele busca a identidade dos antigos games e toma pra si como um modo de a traduzir de uma maneira muito mais profunda e interessante com interações e com um ótimo desenvolvimento de personagens.

    Visualmente incrível. Visuais ótimos que complementam muito bem a atmosfera da narrativa e da gameplay, geralmente muito bonito e bastante contemplativo, certas vezes.

    Trilha sonora também tem méritos absolutos. Traduz toda a contemplação de como aquele ambiente cerca aqueles personagens ao mesmo tempo que traz OSTs épicas e bastante empolgantes, lidando muito bem com os contrastes atmosféricos do jogo.

    A gameplay é um ponto muito forte aqui. Com ideias bastante interessantes, uma variação sensacional pelo quão grandes são as possibilidades de lidar com os inimigos, fora toda a diversão que as utilizar nos traz dentro do game, além de toda a fluidez que possui mesmo com um estilo mais lento. O que me incomoda é a pouca variedade de inimigos, em certas vezes.

    No geral, foi uma experiência absolutamente fantástica. Uma subversão de tudo feito na franquia através de uma narrativa bela e emocionante.

    2.Devil May Cry 3 Special Edition: Dante's Awakening HD (PS4)

    Meu deus, que experiência. Faltam-me palavras para descrever isso. Por sinal, joguei na HD Collection do Playstation 4.

    Iniciando pela gameplay, qualquer coisa abaixo de genial seria uma ofensa. Uma quantidade absurda de variações, cheio de estilos e armas diferentes para se usar de diferentes maneiras, todas com particularidades interessantes muito bem feitas. Cheio de combos visualmente estilosos, uma incrível utilização dos rankings como maneira de inspirar o jogador, todos os aspectos de jogabilidade do jogo são quase perfeitos.

    Trilha sonora absolutamente espetacular. Um misto de estilos fantásticos representando toda a brilhante atmosfera de Devil May Cry 3 através de diversas músicas brilhantes, com o misto de músicas empolgantes, épicas, cool e emocionais, todas absolutamente bem feitas;

    Visualmente incrível. Dotado de um estilo sem igual, com um character design incrível, level design visualmente ótimo e uma destreza grande na representação impecável da gameplay visualmente.

    Entretanto, o ponto mais surpreendente desse jogo é a narrativa. Toda a caracterização espetacular de personagens geram grandes momentos atmosfericamente fantásticos através de suas interações incríveis e relações relativamente complexas, criando conflitos de personagens simplesmente inesquecíveis enquanto você ainda tem um cara surfando em um míssil. Os temas de amor e poder são apresentados de maneira gloriosa, sútil e ao mesmo tempo épicas e emocionais, com grandiosos e belos momentos refletindo tudo que a narrativa tem a dizer. Uma narrativa de ritmo perfeito e de grande profundidade para um Hack and Slash veloz  e estiloso.

    1.Saya no Uta

    Provavelmente o menos conhecido daqui por conta de ser uma Visual Novel, mas, ainda assim, uma das coisas mais incríveis que consumi na vida.

    Visualmente se destaca por suas inúmeras artworks esplêndidas que trabalham para a imersão naquele mundo sombrio, nojento e destrutivo que Saya no Uta traz. Um complemento visual magnífico e absolutamente fenomenal para uma simples imagem estática.

    A trilha sonora é incrível, traz a abismal e incrível atmosfera de Saya no Uta ao jogador, trazendo uma força ainda mais incrível a cada uma das cenas. Perturbador, nauseante e emocional.

    Entretanto, independente de tudo, os principais acertos de Saya no Uta passam longe de apenas quesitos técninos. A narrativa é absolutamente sensacional. Com um conjunto de personagens interessantes e cheio de camadas, como um grande reflexo dos temas e cheio de grandes conflitos. Trazendo grandes cargas emocionais a VN, além de todo o impacto do horror da história, cheia de elementos absolutamente apavorantes. Um misto de uma empatia distorcida com um horro inesquecível e destrutivo. Tudo refletido nos temas absolutamente pessimistas da narrativa, com uma enorme carga pelo que Gen Urobuchi passa ao consumidor, a verdade sobre a vida comum, a natureza do amor e mesmo com todo o exagero quase impossível, parece uma das coisas mais absolutamente sinceras já escritas. Apenas não é uma viagem total ao inferno, pois o inferno tem uma razão, mas nossos sentimentos, nossa vida e a existência não, de acordo com Gen Urobuchi.

    Foi provavelmente a experiência mais forte que tive com um jogo.

    Bem, essa foi minha lista

    29
    • Micro picture
      bahamut · 27 days ago · 2 pontos

      Três Kingdom Hearts, TLOU, GOW e Spider-Man. Ótima lista!

      1 reply
    • Micro picture
      rax · 26 days ago · 2 pontos

      Boa lista.

      E realmente nunca ouvi falar de Saya no uta

      7 replies
    • Micro picture
      kratos1998 · 26 days ago · 2 pontos

      Coloquei o Birth by sleep e o God of war no meu top Tbm! Jogos muito fodas!

      1 reply
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2019-12-30 18:52:35 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltam para 2020

    E vamos para mais um dia desse nobre @desafio, que consiste em selecionar um filme, um jogo, uma animação e uma menção honrosa para cada um dos temas diários.

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.


    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra)


    Jogo

    Kingdom Hearts 2 – A batalha contra os 1000 heartless

    Enquanto o @hanzy colocou a batalha contra os 10000 heartless de KHIII eu fico com a batalha menor e mais antiga. Momento extremamente divertido de um dos meus jogos preferidos.


    Filme

    Coração Valente – Batalha de Stirling

    Não tem jeito, falou em batalha essa é a primeira que vem à minha mente. Quase 25 anos depois ela continua impressionante e insuperável.


    Animação

    Princesa Mononoke - O cerco dos samurais à Cidade de Ferro e o ataque dos homens de Lady Eboshi ao Espírito da Floresta.

    Melhor batalha vai para minha animação favorita: Princesa Mononoke, do gênio Hayao Miyasaki, com trilha do não menos gênio Joe Hisaishi. Infelizmente não achei um vídeo com cenas da batalha.

    Menção Honrosa

    Batalha de Kaer Morhen – The Witcher 3 Wild Hunt

    Fica como menção honrosa porque não chega a haver um exército envolvido, mas é uma grande batalha.

    Dia 2 concluído. Se houver alguém que leu até aqui, ainda não fez e achou legal, sinta-se desafiado.

    Kingdom Hearts II Final Mix+

    Platform: Playstation 2
    961 Players
    22 Check-ins

    20
    • Micro picture
      mastermune · 26 days ago · 2 pontos

      Caracaaaa, hoje sua lista tá top demais!!!! Braveheart tá na minha lista de filmes favoritos de guerra. LIBERDAAAAAAAADE!!!!! Me arrepio só de lembrar dessa cena :o

      1 reply
    • Micro picture
      jusiscleisson · 26 days ago · 2 pontos

      Infelizmente, ainda não vi Princesa mononoke. Adorei tudo que vi do Miyazaki até então e é provável que eu dê uma chance em 2020.

      2 replies
    • Micro picture
      hanzy · 26 days ago · 2 pontos

      KKKKK a primeira luta vesus um monte de heartless foi bem mais impactante que a segunda, vi que tu jogou o kh3 então sabe que não foi tão impressionante quanto a primeira experiencia.
      E eu tenho muito que ver Princesa Mononoke, de verdade não sei pq não vi até agora.

      1 reply
  • bahamut Vitor Henrique Batista
    2019-12-29 16:02:35 -0200 Thumb picture

    Desafio dos 7 dias que faltam para 2020

    Falta um pouco menos de 7 dias para 2020 mas, enfim... o @mastermune me marcou para realizar esse @desafio e eu vou tentar.

    Ele consiste em selecionar um filme, um jogo, uma animação e uma menção honrosa para cada um dos temas diários. Não sei se era para ser anime, mas como não assisto muitos, vou considerar filmes de animação. Partiu!

    TEMAS:

    Dia 1 - Melhor introdução.

    Dia 2 - Melhor batalha de larga escala (guerra).

    Dia 3 - Melhor luta.

    Dia 4 - Melhor duelo de espadas.

    Dia 5 - Cena mais triste.

    Dia 6 - Melhor duelo final.

    Dia 7 - Melhor encerramento.

    Dia 1 - Melhor introdução

    Jogo

    Ia colocar The Last of Us, mas como o @andre_andricopoulos roubou minha ideia, resolvi escolher outra:

    Abertura muito marcante, que ajuda a te colocar no clima do que será o jogo.

    Filme

    Pensei em pegar alguma dos meus diretores clássicos favoritos como a abertura de Os Bons Companheiros (Scorsese), Um Corpo que Cai (Hitchcock) ou ainda 2001, Laranja Mecânica ou o Iluminado (Kubrick), mas preferi ir com o meu diretor preferido de uma safra mais recente: Christopher Nolan e sua brilhante introdução de Batman O Cavaleiro das Trevas.

    Essa introdução, conhecida como Never Trust a Joker (Nunca Confie em um Coringa) faz uma brincadeira com a função da carta, onde um assaltante mata o outro até que o verdadeiro Coringa surge já disparando uma de suas icônicas frases: I believe that whatever doesn't kill you simply makes you stranger (Eu acredito que o aquilo que não te mata simplesmente te deixa mais estranho). Genial!

    Animação

    Uma introdução bem simples, mas que me marcou bastante. Akira é um filmaço!

    Menção Honrosa

    Como essa categoria é livre vou deixar a introdução de outro filme que marcou época e me deixou impressionado na primeira vez que assisti.

    Dia 1 concluído. Não vou marcar ninguém porque já está muito em cima. Então, se houver alguém que viu a minha e ainda não fez, sinta-se desafiado.

    BioShock

    Platform: Playstation 3
    1969 Players
    141 Check-ins

    14
    • Micro picture
      mastermune · 28 days ago · 2 pontos

      Boaaaaa, excelente lista bro! Pô, a intro de Matrix não pode mesmo ser esquecida!! xD
      Akira é um dos melhores animes de todos!!!!!! E nunca vamos esquecer do nosso querido coringa do Batman Dark knight! Gostei manolo :D

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...