You aren't following augus.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2020-10-13 09:17:41 -0300 Thumb picture

    Desafio: Como se fosse a primeira vez

    A @miss_dani criou um @desafio bem legal e gostaria de deixar aqui minhas escolhas para três jogos que me marcaram de alguma forma. 

    Primeiro as regras :

    - Citar pelo menos 3 jogos em que a primeira experiência foi muito impactante, devido à descobertas ou emoções que despertaram e que se você fosse jogar de novo, não teria a mesma surpresa de antes (é aquele jogo que dá até vontade de esquecer só pra ter a primeira experiência de novo).

    The Last of Us:

    Apesar de sempre ter jogado videogame, o ps3 foi o primeiro que eu tinha maturidade suficiente para jogar/entender jogos mais pesados em história, entender suas nuances, compreender os personagens, dentre outros.

    Ao jogar The Last of Us lá em 2014, um ano depois do seu lançamento, recebi um baque fortíssimo. Eu estava totalmente envolvido com Joel, Ellie e todos os outros personagens que aparecem na narrativa. É impressionante o quanto os diálogos desse jogo conseguem passar tanta informação, a relação do Joel e da Ellie é muito bem desenvolvida e as situações que eles se encontram só pioram com o passar da campanha.

    Existe um ponto da campanha, lá para os seus 65~75% que depois de um acontecimento impactante, eu simplesmente não conseguia mais parar de jogar, porque estava totalmente imerso na experiência e estava temendo muito pela vida de todos os personagens.

    Trilogia Mass Effect:

    É difícil falar de Mass Effect sem citar toda a trilogia. O meu primeiro contato com qualquer produto da Bioware foi em Dragon Age Inquisition, eu adorei DA:I, muito por conta de seus companions, e logo corri para jogar outros títulos da Bioware.

    O universo que a Bioware montou nesses três jogos é ótimo, as raças são interessantes e os companions que entram no seu time também. Poderia passar alguns minutos citando todos, horas falando o quanto eles acrescentam muito para a construção do universo e defendendo o Mass Effect 3, também, não o final que é realmente apressado, mas o jogo como todo.

    É justamente por essas interações que o jogo cresce tanto, cada personagem não tem só sua própria visão do que ocorre, mas também uma forma de pensar distinta por ser uma raça alienígena diferente. Garrus, Liara, Tali, Wrex, Thane, Mordin, todos os personagens fazem jus a grandiosidade desse título, menos você James Vega. E que venha esse remaster aí porque eu quero rejogar a trilogia toda pela quarta vez.

    Só queria deixar aqui um parêntese que nada vai tirar o pódio da Tali como a best girl e do Garrus como o best boy.

    Chrono Trigger:

    É engraçado o quanto eu tenho muitas memórias em diversas fases da minha vida de jogar Chrono Trigger. Comecei a jogar muito novo, sem entender o que ocorria e só jogava porque adorava os bonequinhos, e por lembrarem Dragon Ball, e quanto mais envelhecia, mais conseguia captar o que ele queria propor. Até que joguei uma rom traduzida e aí começou a paixão pelos personagens e a história.

    Posso está roubando um pouco, mas não foi nem a minha primeira experiência que me impactou, mas sim o quanto Chrono Trigger ganhou cada vez mais significado com o passar do tempo. A cena do Robo no futuro e do Magos com o Frog são cenas que vão ficar guardadas na minha memória por toda a sua carga emocional. Frog é um dos meus personagens favoritos, o jeito que ele se comporta, a forma como ele fala, sua honra, torna ele um personagem interessantíssimo. 

    Sem contar que eu também adoro a trilha sonora, os combates, ataques em conjunto devia ser uma feature obrigatória em todo rpg, e todo o humor do jogo. É com toda certeza um dos melhores jogos de todos os tempos, como gostaria de ver outra pérola desse Dream Team, mas é melhor se contentar com o que já tem.

    Por sinal, tá com um tempinho que não rejogo ele, depois desse texto deu uma vontade de ir atrás e reviver a experiência.

    Para o desafio é isso, foi realmente deveras difícil escolher apenas 3 dele, mas fiquei bastante satisfeito com as escolhas.

    E quem não fez, está convidado a fazer ele. Até a próxima !

    11
    • Micro picture
      santz · 18 days ago · 2 pontos

      Eu tenho muita vontade de voltar ao Chrono Trigger, mas para a versão de NDS, com mapinha e uns extras.

      2 replies
    • Micro picture
      miss_dani · 18 days ago · 2 pontos

      Que bacana que você fez o desafio! Gostei muito das suas escolhas!
      Gosto bastante do The Last of Us e do Mass Effect. Tenho muita curiosidade sobre Chrono Trigger.

      1 reply
    • Micro picture
      felipecassettari · 6 days ago · 1 ponto

      Cara! Comigo foi mais ou menos parecido também o Chrono Trigger! Na primeira vez eu deixei passar e não me importei muito. Com o passar do tempo ele se tornou tudo aquilo que eu espero de um JRPG.

  • 2020-10-07 16:24:54 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>Já faz 8 dias desde meu último check-in do Gensh
    Genshin Impact

    Platform: PC
    25 Players
    18 Check-ins

    Já faz 8 dias desde meu último check-in do Genshin e muita coisa aconteceu. Primeiro que eu cheguei no AR28, quase 29, e demora bem mais para upar depois do 20.

    Primeiramente, já dei uma olhada muito boa em Liyue, abri todo o mapa e já xeretei 80% do que tem nele, e que mapa bonito viu.

    A história ainda tá bem legal, Liyue é lindíssima, bem maior que a primeira parte, ela reserva os locais mais bonitos do jogo. Indo um pouco mais para o "endgame" comecei a explorar as dungeons e abismos, apesar de achar ele ainda bem amigável com jogadores f2p, o leveling depende muito dos materiais de EXP, e depois do level 25~26 cada level pede muuuuuuuito exp, o meu time principal está todo level 50 e tive que investir um bocado de recurso para fazer isso acontecer e level é algo que dá muito status nesse jogo e as vezes, junto com as suas armas, o que define se você completa as dungeons ou desafios de tempo.

    Por sinal, essas dungeons com limite de tempo é ridículo, e nada mais, é que um sistema covarde de fazer o jogador ficar preso apenas porque não tem dano suficiente para bater nos bichos. Já me deparei duas vezes que mesmo com level abaixo consegue, com paciência e cura, derrota 90% dos inimigos e apenas pela falta de tempo eu falhei no objetivo, não porque eu realmente morri com todos os meus 4 personagens. Mas, fazer o que, né ? É um f2p gacha, eles querem fazer tu gastar e ir atrás das constelações, armas e cartõezinhos de exp.

    A trilha sonora ainda continua me surpreendendo de forma positiva, é impressionante o quanto as músicas mudaram ao chegar Liyue, o tema de combate é muito bom. E outra coisa, a trilha me lembra 200% de BoTW, não que o resto do jogo não lembre, mas é que existem temas muito parecidos.

    Por fim, tô quase "acabando" com o conteúdo de história do patch 1.0, espero que o 1.1 venha logo, quero conhecer Inazuma.

    Ah sim, dei bastante sorte nos banner e peguei um Venti, minha Xiangling tá com constelação 4 já e a Fischl 2.

    Algumas imagens aleatórias :

    10
    • Micro picture
      hanzy · 24 days ago · 2 pontos

      Se a DG com limite de tempo que tu tá falando é o Abismo ela é feita pra ser o late game do jogo mesmo. Na real não se trata nem de level mas de resonancia elemental os combos elementais e o time certo pra usar o buff do andar. A longo prazo vai ser ali o Farm de Primogems por isso eles dificultando tanto

      2 replies
    • Micro picture
      wilford_fernandes · 23 days ago · 2 pontos

      todo mundo pega op venti menos eu.... ;/

      5 replies
  • 2020-10-04 08:00:12 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>E finalmente derrotei o Fatalis. É uma luta comp
    Monster Hunter World

    Platform: PC
    103 Players
    230 Check-ins

    E finalmente derrotei o Fatalis. É uma luta complicadíssima, mais difícil que o Alatreon, mas foi mais outra excelente tradução para a nova geração de um monstro antigo.

    Fatalis é bizarramente forte, ele é muito poderoso, muito rápido e possui muitos golpes para o jogador ter que aprender. Talvez esse seja o principal ponto da luta, aprender a desviar das habilidades dele, apesar de diversos, é possível baitar alguns deles para controlar, mais ou menos, o comportamento do bicho. 

    A primeira run, derrotei ele com um amigo e juntei materiais suficiente para montar três peças. Acabou que me mandaram uma boa build de Switch Axe com as três peças que tinha, e a SA do Alatreon, e utilizei ela para sola-lo, finalmente.

    Para a run em grupo, recomendo o vídeo do Arekkz para aprender o roteiro de como jogar em grupo, utilizando bastante os canhões, as balistas e, o mais importante, a Dragonadora.

    No solo, também, usei um roteiro de Switch Axe que vou deixar linkado. Eu entendo que o limite de tempo de 30 minutos é um saco, muitas tentativas frustradas foram porque eu respeitei demais o Fatalis e acabei por esquecer de bater em uns momentos. Mas, é possível, tente encaixar danos em momentos certos, sempre use o SZD com os mantos.

    Links :

    Vídeo do Arekkz (Grupo) : 

    Vídeo de SA (Solo) : 

    É isso, vai ter mais alguns eventinhos, mas Monster Hunter World "acabou". Foram ótimos dois anos de atualizações, uma expansão fenomenal e finalmente o título que concedeu o reconhecimento para a franquia. Definitivamente, um dos melhores jogos dessa geração. 

    13
  • 2020-09-29 23:44:46 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>Meus últimos dias se resumiram nesse jogo. Falta
    Genshin Impact

    Platform: PC
    18 Players
    30 Check-ins

    Meus últimos dias se resumiram nesse jogo. Faltam 300 de EXP pro AR20, que venha a Barbara, e completei o prólogo. Que jogo bom, em ! Realmente ele tem bastante conteúdo e, mesmo sendo chatinho, o Gatcha nem atrapalha tanto.

    A exploração é muito boa, não levou muito tempo para termos um BoTW-Clone bom, o combate é, oh, uma maravilha. Até o momento  consegui poucos personagens, mas já tá dando para brincar com os combos elementais bastante, adorei o protagonista, Xangling, Fischl e o Kaeya, e esse é meu time até o momento. 

    Um ponto que achei mega interessante foi a história. Eu não tava esperando nada do enredo do jogo, contudo ele me surpreendeu e apesar de não ser primoroso cumpre o papel bem, é legal o quanto que o jogo dá foco nos personagens, com quests únicas para alguns com dublagem e tudo mais.

    Tá ai outra coisa boa, os personagens. Apesar de nunca fugirem do arquétipo, os personagens tem carisma suficiente para o jogador querer adquirir ele em um banner, estou aqui torcendo para pegar o Venti depois do que ocorreu no Ato 3 do prólogo. Espero que o jogo siga dando foco neles e nas regiões. 

    Por fim é isso, vou continuar jogando e me surpreendendo. Nem cheguei ainda no continente mais oriental ainda só brincando na primeira parte. Tem muito conteúdo de qualidade para ser um F2P e Gacha, uma baita surpresa. Segue agora umas screenshots aleatórias que eu tirei :

    12
  • 2020-09-19 15:10:03 -0300 Thumb picture

    Revolta da Natureza e Vigaristas Bonzinhos

    Mais um mês passou e gostaria de falar sobre o que andei lendo/assistindo durante esse tempo. Esse mês, não li tanta coisa assim de mangás, mas acabei assistindo um anime, ou metade dele. Os escolhidos da vez foram Nausicaä do Vale do Vento e Great Pretender.

    Nausicaä do Vale do Vento

    Eu adoro o estúdio Ghibli, já assisti quase tudo dele e praticamente tudo do Miyazaki. Entretanto, nunca havia visto Nausicaä com a promessa de um dia ler o mangá e, felizmente, a espera valeu a pena. Como disse, nunca assisti o anime, que já foi comentado por aqui pela a velha num link que vou deixar no final, e, por isso, não posso adentrar nas diferenças entre ambos. Apesar disso, os 7 volumes do mangá são muito bons.

    Primeiramente, gostaria muito de elogiar os desenhos do Miyazaki, não esperava que os desenhos fossem tão bonitos, as grandes naves, as criaturas, os trajes, em especial as suas páginas duplas, são tudo muito bem desenhados e detalhados, que se assimila muito ao Moebius, quadrinista francês de ficção científica, inclusive Miyazaki já disse que se inspirou nele em muito de sua obra. Outra coisa que o autor saber fazer muito bem é o ritmo narrativo, a história nunca perde o folego e, sempre que pode, apresenta novos elementos, ou situações, que deixam os personagens em situações de perigo e tensão. Os nomes podem ser meios confusos no começo, mas com o tempo todas as peças se encaixam.

    A história é incrível, a discursão envolvendo a natureza, e como o homem lida com o meio ambiente, é muito bem desenvolvida e muito interessante. A priori não havia curtido a personagem da Nausicaä e estava curtindo bem mais os outros personagens, entretanto, felizmente, ela cresce com o desenrolar do enredo e se torna um personagem interessantíssimo. O cast dos personagens, também, é muito bom, sendo minha favorita a Kushana. Ela é um dos pontos fortes e carrega muito dos capítulos nas costas, seus momentos são épicos e ela protagoniza muitas das melhores cenas.

    Portanto, Nausicaä do Vale do Vento merece ser lido. O tempo maturou a obra muito bem e ela continua deveras atual. Nausicaä é uma baita personagem e o elenco segue com o mesmo carisma. A JBC vai republicar ele aqui nas terras tupiniquins, foi anunciado esse ano, quero muito ver a qualidade da edição dela. Vendo as edições de Akira, sei que o mangá vai está em boas mãos.

    Great Pretender

    Quando descobri que o Wit Studio, mesmo estúdio de Shingeki no Kyojin, estaria lançando um novo anime, e ainda mais um original, fiquei mega empolgado. A Netflix está com essa mania de lançar seus produtos seriados pela metade e foi exatamente o que ocorreu com ele, está disponível no catálogo 14 de 23 episódios.

    Logo de cara já dá para ver a maior virtude do título, sua direção. Ela é estilosa, interessante e sempre procura o melhor jeito de contar a história. Os episódios possuem um ritmo excelente e sua estrutura de arcos se torna previsível, mas nunca ruim. A história segue a previsibilidade da estrutura e realmente não é o foco do anime, o roteiro está muito mais interessado em desenvolver os personagens e suas interações, para surpreender com alguns twists, que são legais, do que criar uma história complexa, cheios de acontecimentos marcantes.

    E é exatamente esse ponto que o anime tira suas maiores qualidades, os personagens possuem um carisma ímpar, que só crescem com o passar do tempo, a relação entre o grupo de protagonistas se desenvolve muito bem e a história de cada arco é muito bem contada.

    A animação, também, é muito bonita e a trilha sonora possuem ótimas músicas, tem até Freddie Mercury no repertório.

    Por esse mês é isso. Comecei a ler esses dias Kanata no Astra (Astra Lost in Space) e Sandman, espero termina-los até o próximo mês para trazer um texto sobre os dois.

    Link do post do O Arco da Velha:  http://alvanista.com/o_arco_da_velha/posts/3811248-nausicaa-do-vale-do-vento

    15
  • 2020-09-16 22:15:53 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>#img#[736004]</p><p>Após terminar o Resident Evi
    Devil may Cry 5

    Platform: PC
    139 Players
    76 Check-ins

    Após terminar o Resident Evil 7, fui resolver uma pendência. Comecei ontem e no momento estou na fase 10.

    Até agora tá tudo muito bom. Eu tive a oportunidade de jogar com o Nero e o V, ainda não com o Dante, e tô curtindo bastante a forma como o V joga. O lance dele atacar de longe com as invocações muda muito como jogar um hack'n'slash e achei bem criativo. Já o Nero, é o de sempre, mas os devil breakers variam bastante a gameplay, a minha favorita é Buster Arm que recria o braço demoníaco dele no 4.

    A performance no PC também tá excelente. Meu pc não é o master race e ele roda muito bem, alem do mais ele tá cheio de opções para customizar a performance. 

    Por enquanto, tô curtindo muito tudo o que ele tá trazendo, espero que essa qualidade se mantenha até o final. 

    9
  • 2020-09-10 21:20:00 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>#img#[734906]</p><p>Terminei ResidentEvil 7. Es
    Resident Evil 7 biohazard

    Platform: PC
    364 Players
    138 Check-ins

    Terminei ResidentEvil 7. Esse texto possui alguns spoilers, então esteja avisado.

    Das minhas 8h registradas (10h na steam), RE7 demostrou diversas qualidades que eu nunca esperaria vindo da série, e não é que o jogo é bonzão. Primeiramente, a decisão de transformar o game em FPS é muito acertada, que agonia de não ter a visão 360 do seu personagem para checar o que existe atrás de você. Esse novo estilo fortalece muito o horror e cria uma experiência bem assustadora, méritos da Capcom porque se adaptou muito bem para essa nova onda de jogos de survival horror, como Alien : Isolation.

    Apesar disso, a coisa que mais gostei do jogo é a sua primeira metade, ela é literalmente 10/10. Do momento que Ethan chega na casa até o encontro do soro, no final do “arco” do Lucas, a narrativa do jogo é magistralmente construída. Essa metade, que se passa toda no terreno dos Baker, possui os melhores momentos do jogo. Jack, o patriarca, é o meu personagem favorito, sádico e irônico, o patriarca dos Baker carrega boa parte das qualidades do título nas costas. Entretanto, Marguerite protagonizou a cena mais apavorante da campanha, seu confronto em forma de aranha, na casa abandonada, é bizarro, a sua estrutura corporal, a forma com que anda, os seus movimentos, até mesmo os jump scary que pode resultar de ser agarrado desprevenido, tudo naquela boss fight é muito bem-feito.

    Infelizmente, a segunda outra metade do jogo não se sustenta tanto. Não que eu não tenha gostado do barco, acho o plot twist envolvendo a Mia muito interessante, contudo o potencial para ser algo melhor está lá. O jogo perde aquele aspecto mais de sobrevivência e abraça o lado de ação até nos seus cenários mais tenebrosos, meu problema é realmente com o último local, as minas. Por mais, novamente, que tenha curtido bastante as revelações mostradas nas minas, e porcaria aquele plot twist da Eveline foi muito bem construído, o local é altamente desinteressante e abraça totalmente os tiroteios, não que seja ruim ter tiroteios o problema é como eles foram feitos, e tudo isso culmina em uma boss fight que tem uma ideia boa, mas fica só nisso, na ideia.

    Por fim, diferente de outros jogos da série, ao terminar ResidentEvil 7, eu senti uma vontade de quero mais, jogaria facilmente mais 15~20 horas da jornada de Ethan. E, por causa disso, apesar de achar ResidentEvil 2 Remake o melhor ResidentEvil tecnicamente, o meu favorito em especial é o 7. A atmosfera, roteiro, vilões e revelações foram feitos com carinho, e o consumidor consegue perceber o quanto de carinho esse projeto tem. ResidentEvil 7 ainda volta com minha análise que vou entrar com pontos técnicos mais pertinentes, contudo já adianto que ele é ótimo. 

    (Eu sou um fracasso em tirar fotos para meu check-in, sempre fico imerso nos acontecimentos e acabo que não aperto o botão de print da steam.)

    7
  • 2020-09-07 22:13:55 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>#img#[734310]</p><p>Continuando minhas aventuras
    Resident Evil 7 biohazard

    Platform: PC
    364 Players
    138 Check-ins

    Continuando minhas aventuras na mansão dos Baker. Enfrentei e, espero ter matado, o papai maluco e a mamãe aranha, tive um encontro creepy com a Eveline e diversos encontros mais creepys ainda com a senhora de cadeira de rodas.

    Tô com 4 horas in-game e 5 registradas na steam.  Eu tô achando ele bem mais complicadinho que o RE2R, principalmente no lance do gerenciamento de munições. O combate é muito bom, a exploração é fantástica e o terror também. 

    Apesar disso, a variedade de inimigos não é das melhores, mesmo gostando bastante do que eles fizeram com cada membro da família ser o seu principal inimigo em um certo ponto, por sinal, as boss fights são bem construídas. 

    Entretanto, o que está mais me deixando empolgado é a história, ela não é nada de especial, contudo é muito bem contada e tem umas sets pieces muito boas. Pesquisando um pouco, acabei por descobrir que ele teve mão do escritor de Spec Ops : The Line, que tem uma boa história. 

    Por enquanto é isso, tentar jogar mais amanhã e conhecer os joguinhos que o Lucas preparou para o Ethan.

    7
  • 2020-09-06 00:22:56 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>#img#[733918]</p><p>Hoje comecei a jogar RE7 e n
    Resident Evil 7 biohazard

    Platform: PC
    364 Players
    138 Check-ins

    Hoje comecei a jogar RE7 e nossa que começo foi esse. Joguei até um pouco depois de encontrar a querida família dos Baker e esse começo foi realmente amedrontador. Eu fui um dos que ficaram com pé atrás pelo RE7 ser FPS, mas num é que eu tava errado, felizmente.

    O FPS ajuda muito a dar uma sensação de incerteza e insegurança principalmente do que ocorre nas suas costas e é justamente o que RE7 mais faz nesses 40 primeiros minutos, toda a sequência com a Mia ganha um ar especial justamente por ser em primeira pessoa.

    Estou curtindo demais do pouco que joguei e espero que ele continue tão bom quanto é esse começo porque tem tudo para ser um dos melhores, se não o melhor. 

    5
  • 2020-09-04 12:51:18 -0300 Thumb picture
    augus checked-in to:
    Post by augus: <p>#img#[733680]</p><p>Me deixei levar pela nova on
    Fall Guys: Ultimate Knockout

    Platform: Playstation 4
    66 Players
    24 Check-ins

    Me deixei levar pela nova onda da internet e comprei Fall Guys no PC, inclusive notei que essa versão não está cadastra aqui, ou está e sou cego ? Joguei umas 6 horas e uma parte delas em dupla, com um amigo, e é deveras divertido, ainda não ganhei nenhuma, mas tô melhorando aos poucos nos mini-games. 

    Eu gostei bastante do carisma dos feijõezinhos  e das skins, os mapinhas são divertidos e têm muito espaço para explorar nas próximas temporadas. 

    Por fim, é realmente um jogo deveras divertido que vale os 37 reais ainda mais com outras temporadas vindo por ai.

    12
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...