2019-09-07 18:29:09 -0300 2019-09-07 18:29:09 -0300
solidrenan Jaime Padilla

Life is Strange 2 me fez apreciar muito mais The Banner Saga

Faz muito tempo que não escrevo nada elaborado por aqui (e também já faz tempo que mantenho qualquer frequência por aqui), já que o desanimo de postar na alva é enorme (postar algo pra receber só curtida automática não é nada incentivador). 

Mas tava com vontade de desabafar um negócio que não cabe muito bem como um artigo pra Arkade (que também já não posto mais aqui pq né, like automático eu recebo, mas acesso que é bom...), e também tava querendo escrever algo por aqui pra pelo menos ter algo novo no meu perfil.

O negócio é, eu não tô gostando nada de Life is Strange 2, em parte pq não simpatizei com os protagonistas, em parte pq não simpatizei com a história, e principalmente pq as escolhas que você faz parecem não ter peso nenhum.

Foram 4 episódios até agora e só no episódio 4 que eu senti que minhas escolhas realmente valiam de alguma coisa. E curiosamente é o episódio em que o irmão menor Jedi não está presente.

Meu problema com o jogo é: seu objetivo, controlando o irmão mais velho, é tomar decisões que afetam o desenvolvimento do irmão mais novo, para que no final sua personalidade seja definida de acordo com essas escolhas. No primeiro Life is Strange a Max era uma personagem que, apesar de superficialmente, a gente moldava ao longo do caminho. Quando a Chloe fazia algo, o jogo nos apresentava opções de reações e etc, e a história era tocada de acordo.

O problema aqui é, não importa as decisões que se tome, porque na cutscene seguinte o irmão mais novo vai te desobedecer e o irmão mais velho vai agir feito cuzando xingando o menino e falando merda. Então todos os diálogos em que você falava "desculpe por ficar bravo com você/estarei do seu lado independente de tudo/eu tô tentando fazer o melhor pra te proteger e aproximar a gente" vai por água abaixo na cutscene seguinte.

Não que as decisões não tenham realmente um impacto na narrativa, tem, mas a sensação que o jogo me dá é a de falso poder de decisão. De que independente das escolhas que eu faça, o jogo vai me colocar num caminho linear pra agir de acordo com um "script".

E só pra que fique claro, não tenho problema nenhum com isso, vários outros jogos são desse jeito, Dark Souls, Final Fantasy e etc, mas o marketing deles não é "suas escolhas vão afetar sua narrativa". Parte da decepção dos jogadores com a Telltale foi isso, apesar de eu não ter jogado nada deles foram os episódios 1 e 2 de TWD, sei que rolava muito disso, suas decisões não valiam nada no final do jogo, o que deixou muita gente de saco cheio.

E é aí que entra The Banner Saga, que é sem dúvidas o melhor jogo que já joguei em que cada decisão sua realmente tem consequências reais. Já escrevi há tempos aqui um "guia" sobre o sistema de combate de The Banner Saga, mas não falei muito sobre como funciona o sistema de escolhas do jogo.

The Banner Saga conta uma única história dividida em 3 jogos, cada jogo contando duas histórias paralelas que se interligam a todo momento. O objetivo do jogo é guiar as caravanas do ponto A ao B, enquanto você toma várias decisões ao longo do caminho.

São decisões de todos os tipos, desde eventos ao estilo RPG de mesa, "Você encontrou um grupo de sobreviventes, o que vai fazer? 1-Convida eles pra caravana. 2-compartilha suprimentos e deixa eles pra trás. 3-ignora eles e vai embora. 4-ataca eles. E etc. Além é claro dos eventos de história, com vários diálogos com vários personagens.

Cada um desses diálogos apresenta opções de respostas. Seja opções simples de fazer várias perguntas pra algum personagem até tomar decisões importantes. E TUDO TEM UM PESO AQUI.

Um exemplo, no primeiro jogo a caravana chega numa cidade que fechou seus portões, deixando os nobres e soldados pra dentro e os camponeses pra fora. Você precisa intervir pois você precisa re-estocar suprimentos nessa cidade. Aqui você é apresentado a diversas opções: Ficar a favor do povo e pedir a abertura das muralhas, ficar do lado dos soldados e deixar a população à própria sorte, ou algumas outras opções diferentes. Dependendo das suas ações, o seu relacionamento com alguns personagens será afetado. Desde o óbvio, ajude o povo, seja visto como herói, mas o lider dos soldados vai te odiar; ajude os soldados e o povo te odiará e não confiará em você. A questão não é o efeito imediato, mas o que vai acontecer a longo prazo.

Eu escolhi ajudar o povo e prender o líder dos soldados, mas levar ele comigo, pois ele era perigoso, mas eu não queria deixar ele morrer. Ao longo do caminho, graças a minhas decisões, um pequeno grupo da minha caravana ficou irritado comigo, pois eu tentava ajudar o máximo de pessoas possível e eles achavam que eu devia cuidar apenas da caravana e ninguém mais. Resultado, perto do fim do segundo jogo, esse grupo libertou o soldado que iniciou um motim e tentou matar o protagonista, mas felizmente consegui impedir todos. PORÉM, ao impedir esse soldado, fiz inimizade com outro personagem que conheci mais adiante, que achou que minhas decisões me tornavam um líder fraco. Esse personagem, eu posso me aliar a ele, antagonizá-lo, mata-lo preventivamente e etc, são muitas opções.

Cada decisão tem uma consequência imediata e uma a longo prazo, e o final do terceiro jogo leva tudo isso a prova.

O jogo oferece 3 opções de finais, que não vou spoilar quais são. No fim do game há um diálogo final, em que um personagem te fará diversas perguntas sobre várias coisas, desde o primeiro game, e você precisa justificar suas escolhas para que esse personagem confie em você, para que VOCÊ tome a decisão final. Do contrário, o personagem não confiará em você e não irá te ouvir.

E aí ainda entram mais elementos! Personagens que você conheceu no caminho podem interferir nessa hora. Digamos que o personagem confia em você, mas você decide traí-lo, você pode matá-lo e ser bem sucedido, ou pode ser morto no processo por um terceiro personagem que prometeu te parar caso você faça algo errado. Muitas coisas podem acontecer. Inclusive, é possível chegar ao fim do jogo com todos (ou quase todos) os personagens principais vivos ou mortos.

A questão é que o final de The Banner Saga, apesar de possuir apenas 3 opções, possui muitas variações diferentes dependendo do que o jogador fez ao longo de toda a aventura. Essa é uma série em que as decisões do jogador realmente tem valor.

Todo jogo baseado em decisões precisa ter eventos scriptados pra dar seguimento na narrativa, é impossível fazer um jogo 100% baseado em decisões (ou não, vai saber). Meu problema é que, enquanto The Banner Saga te apresenta esses eventos, você sabe que ou são eventos causados por causa de suas escolhas, ou são eventos que estão muito além de suas escolhas e te obrigam a se adaptar para seguir adiante.

Enquanto isso, Life is Strange 2 coloca eventos scriptados que simplesmente ignoram as escolhas do jogador. Com o ponto mais baixo da narrativa sendo uma cena em particular do episódio 2. Não vou spoilar, mas acontece assim: Um personagem é apresentado no fim do episódio 1. O personagem entra no seu grupo independente de dua vontade. E no começo do episódio 2 o personagem sai do grupo e não tem absolutamente nada que você possa fazer a respeito disso.

Um paralelo seria com a personagem Kate do primeiro Life is Strange. A sensação que a cena de Life is Strange 2 passa era como se não fosse possível salvar a Kate no primeiro jogo, ela é forçada dentro da história só pra morrer depois. Num jogo que mostra a mensagem "suas decisões afetarão o mundo" no início de cada episódio, isso é muito frustrante.

Agora só falta o episódio final pro jogo. E após um excelente episódio 4, espero que o final seja ainda melhor. Porém, o potencial do jogo já foi desperdiçado pra mim, pois fazer valer as escolhas somente no final, quando a jornada parece ignorar, não é legal.

Só reiterando, não tô querendo dizer que Life is Strange 2 ignora tudo o que o jogador escolhe, muitos diálogos e eventos acontecem baseados em escolhas, mas o andamento da narrativa, os eventos scriptados que dão seguimento na história transmitem uma sensação muito forte de ignorar tudo o que o jogador faz. A sensação que eu tenho é: Você faz de tudo pra ser um bom irmão pro mini Jedi, tenta ser amigável e aconselhá-lo da forma certa a todo momento, até que o jogo e chega e fala "BELEZA, AGORA OS 2 VÃO TRETAR FEIO E O MINI-JEDI VAI FICAR 300% FULL PISTOLA COM O IRMÃO MAIS VELHO. SE FODE AE".

Existem muitos outros jogos com excelente sistemas de escolhas, como os da Quantic Dreams e Divinity: Original Sin 2, um dos melhores RPGs que já joguei e que também tem um excelente sistema de decisões e consequências. Mas no nível de The Banner Saga, até agora não joguei nenhum outro parecido (talvez Heavy Rain, mas os estilos de cada um os diferenciam muito pra mim).

E bom, é isso, escrevi bastante mas desabafei e tô livre desse engasgo de falar bem de The Banner Saga e de como Life is Strange 2 me decepcionou. Se você leu tudo até aqui, tem meu agradecimento, mas honestamente no fim das contas não importa se vão ou não ler isso. E é só o/

The Banner Saga 3

Platform: Playstation 4
4 Players
4 Check-ins

26
  • Micro picture
    kleber7777 · 5 months ago · 1 ponto

    Eu parei de ler no começo do texto por medo de spoiler de Life is Strange 2. rs
    Mas entendo seu ponto inicial. Pra mim, o mais bacana do Alva é comentar. Tentar criar uma discussão. Também acho só curtir bem vazio.
    Mas isso vai de pessoa pra pessoa.

    1 reply
  • Micro picture
    ridan · 5 months ago · 1 ponto

    Eu ainda tenho interesse em pegar pra jogar algum dia, mas pelo que eu vi do jogo, acabei não dando muita atenção. Gostei do Life is Strange mas perto do final o jogo meio que "dispensou" tudo que eu tinha decidido e eu fiquei um pouco P da vida com isso. Ainda assim terminei, mas não consigo entender as escolhas de final porque, ao meu ver, só existe uma escolha que faz sentido e a outra parecia só estar lá por estar mesmo.

    4 replies
  • Micro picture
    aranha96 · 5 months ago · 1 ponto

    The banner saga é realmente impressionante, eu sentia muito o peso das minhas decisões, um exemplo foi quando teve um incêndio na caravana e eu escolhi salvar um menino, isso aumentou a moral, mas em consequência eu perdi muitos suprimentos pro fogo e vários membros da caravana morreram devido a fome.

    3 replies
  • Micro picture
    onai_onai · 5 months ago · 1 ponto

    Comecei a jogar The Banner Saga recentemente e um que achei semelhante, ao menos no caso em que nossas escolhas definem os rumos que os eventos vão tomar é o This War of Mine, apesar de seu foco ser a sobrevivência de civis em meio a guerras. E eu acho que a maioria das pessoas não gostam de ler textos grandes no PC. Eu leio livros aos montes sem problema mas ficar lendo no PC me cansa a vista e ocasionalmente me dar dor de cabeça, as vezes é só preguiça também. Hehe...

    1 reply
  • Micro picture
    gennosuke6 · 5 months ago · 1 ponto

    Bom, mais um belo motivo pra me deixar atraído por The Banner Saga. kkkkkk.

    1 reply
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · 5 months ago · 1 ponto

    Ouço / leio geral informar que o primeiro é mais interessante...

    2 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...