2019-01-23 18:13:11 -0200 2019-01-23 18:13:11 -0200
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: The Walking Dead: Michonne

Zerado dia 23/01/19

As imagens desse post podem corresponder à várias plataformas.

Quem vê eu zerando esses The Walking Dead deve achar que ou eu sou fã da série ou dos jogos da Telltale, mas o fato é que eu dou aula de inglês e no início do ano todos os alunos estão de férias e eu fazendo sei lá o quê por lá. Pra ser mais discreto, acabo dando preferência para jogar no celular, mesmo não curtindo muito a plataforma pra isso. O resultado é que tenho adiantado todos os jogos da falida dev assim que posso (ou os da engine que ainda rodam no meu Moto G4 Plus).

Baixei TWD: Michonne semana passada, depois de voltar do recesso assim que percebi que faria nada por umas semanas da mesma forma como foi no final do ano. Joguei o começo e tive uma semana surpreendentemente cheia graças a uma maratona de aulas complementares para alunos de recuperação. Com outras coisas pra fazer até ontem, lembrei do jogo hoje e já retornei, indo até o final.

Pois é, quando eu estava pesquisando sobre qual jogo da Telltale começar, acabei me inclinando a voltar ao mundo de The Walking Dead, pois gosto muito da experiência que tive com os dois primeiros jogos da Clementine (não joguei os outros ainda). Já sabia que esse daqui era um jogo singular, sem continuações e tal, mas a certeza de jogá-lo veio com os comentários dos jogadores dizendo que a aventura durava menos de 3 horas. Não vou mentir que o subtítulo "mini-series" me atraiu bastante também, pois geralmente os jogos dessa produtora se arrastam um pouco e em situações de sono na escola pela manhã, acabo até dando umas pescadas.

TWD: Michonne conta a estória da personagem que ficou famosa no meio geek graças às HQs e seriado por sua personalidade séria, ter zumbis "de estimação" para manter os outros a distância e carregar uma katana, que usa para cortar cabeças fora. Ela é demais!

A versão dela no jogo não ficou por desejar, o que eu já esperava da Telltale. Seus personagens são sempre muito bem feitos.

O jogo em si não tem muita novidade pra quem já jogou títulos similares. Ainda há um monte de opções para responder às conversas ou reagir às situações e que muitas vezes não parecem importar muito. Há um bocado de personagens, incluindo o seu grupinho pequeno do bem, e há também o grupão do mal comandado por um babaca que ameaça a sua paz.

Um diferencial é que justamente pelo jogo ser único, ele tem um ritmo mais acelerado e um enredo menor, mas não rola um sentimento de estar sendo corrido. Basicamente a estória se passa em 3 cenários: um navio (inclusive há muita água nesse jogo. Se segura IGN!), uma base à beira d'água e um casarão, como partes menores entre elas, como caminhos na floresta etc.

Há ainda poucos personagens, ou deveria dizer o bastante? Ao invés daquela quantidade gigante de gente morrendo e outras aparecendo no lugar, aqui há um número menor de pessoas e cada uma é importante e participa bem do jogo. Quando alguém morria, eu sentia mais do que o normal ou me surpreendia mais. Basicamente são duas facções lutando o jogo inteiro.

Outro diferencial maneiro é que a Michonne é bem badass. Ela mata mesmo quem ela acha que deve matar, enfrenta a todos e não tem dó ou drama. Em várias cenas de luta contra muitos inimigos, como zumbis, ela sai usando sua machete e arrancando partes pra todo lado (sendo que nos jogos da "série principal" as pessoas teriam dado a volta e evitado confronto ou morrido aos montes, o que sempre me deixa meio puto). Várias das ações dela pareciam aquelas interações com os cenários dos lutadores em Injustice (haha).

O drama do jogo se dá pelas memórias passadas e confusas da protagonista com suas filhas, que ela aparentemente perdeu. Esses flashs acontecem frequentemente em partes que são semelhantes à experiências que ela teve com sua família.

Pessoalmente, eu achei esse jogo muito fácil. Ou até fácil demais.

A sensação é que eu joguei menos do que os outros e assisti mais e que a maior interação foi em fazer escolhas de texto. Há um bocado de QTE, mas a grande maioria nem se importa em que parte da tela você os executar.

Por exemplo, normalmente você teria que tocar num símbolo na cabeça de um zumbi para golpeá-lo, agora basta tocar em absolutamente qualquer lugar da tela, mesmo o símbolo estando lá, na cabeça dele. Eu chutei que fizeram isso possivelmente pelas pessoas terem tocado no lugar exato em jogos passados e o jogo não reconhecer por qualquer motivo e agora você, mesmo errando ao tocar nas proximidades, acertaria o comando e nem perceberia.

Os checkpoints também são bem frequentes, então perder ou errar um comando não quer dizer muita coisa. Por conta dessas características, eu tava sempre pensando no sentido de jogar esse jogo. A jogabilidade é simplória mesmo quando comparado com outros Telltale. A estória não é envolvente. Se fosse um filme, seria um bem "ok".

Resumindo: The Walking Dead: Michonne é só mais um jogo da Telltale. Não há nada de novo, nada revolucionário de qualquer forma. Por seu um jogo único, ele começa e acaba dentro de suas 3 horas de jogatina, e é isso. Início, meio e fim. Não achei a experiência ruim, mas não vi muito motivo para justificar a sua existência ou para jogá-lo. Pela sua duração, talvez seja um título legal para começar a conhecer a Telltale ou recomendar pra pessoas mais casuais, embora The Wolf Among Us ainda seja a minha aposta pra essa posição, pois o enredo é muito melhor.

De bom: visual bacana da produtora, apesar da simplicidade aqui e falta de originalidade dos cenários. Personagens legais. Jogabilidade simples. Todos os episódios tem uma abertura estilo seriado da Netflix, e com uma música legal (apesar de eu não entender muito essa moda de músicas "cult" no universo The Walking Dead e em séries em geral. Aqui parece bem fora de contexto).

De ruim: estória bem curta e nada imersiva. Uma das maiores problemáticas e mistérios que te instigam pela aventura, não é bem resolvida no final e nem há cliffhanger para um próximo jogo. Isso me deixou pensando se eu tenho que ler a HQ pra entender melhor os problemas da Michonne (o que não farei). O jogo acaba bem sem graça, nem parece ser um final.

No geral, foi uma experiência legal e que FELIZMENTE durou muito pouco, pois se o jogo fosse longo e na mesma pegada, eu diria pra passar longe. Então, vale a pena jogar. Pensando em começar outro deles, Minecraft ou Game of Thrones. Alguma recomendação?

The Walking Dead: Michonne

Platform: Android
5 Players

11
  • Micro picture
    jcelove · 7 months ago · 2 pontos

    Game of thrones eu gostei bastante. Pena q nunca havera a segunda temp.
    Minecraft fica bom se vc gostar do minecraft original, senao vai parecer meio bobo. Ah, aparentemente relançaram ele em forma de video interativo na netflix tbm...

    2 replies
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · 7 months ago · 2 pontos

    MICHONNE realmente é uma puta. personagem badass.

Keep reading → Collapse ←
Loading...