2018-12-26 15:04:42 -0200 2018-12-26 15:04:42 -0200
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Tales from the Borderlands

Zerado dia 26/12/18

Fim do ano na escola e zero coisas pra fazer, peguei o The Walking Dead Season 2 pra jogar numa boa e acabei me prendendo mais do que nunca num jogo da Telltale Games, zerando a aventura em uns 2 ou 3 dias. Com alguns dias pela frente até o recesso, resolvi continuar jogando algo similar e o @msvalle recomendou o Tales from the Borderlands. Pareceu uma boa ideia (e foi mesmo).

Antes de falar sobre TftB eu tenho que dizer que meu contato com a série Borderlands é muito pequeno. Joguei apenas algumas das missões iniciais do 2 no meu notebook com amigos mas fomos largando após o segundo chefe. No meu PC, com placa de video onboard, a experiência não foi muito boa e eu achei o jogo em si meio chato e eu ficava caindo o tempo todo, esperando alguém me levantar (não sei se joguei errado ou sou ruim pra caramba mesmo nesse jogo haha). O fato é que eu planejo jogar a série um dia desde o 1, mas não sei quando. Além disso, com certeza eu perdi muita coisa em TftB justamente por não estar familiarizado com Borderlands.

Pra quem está acostumado com jogos da Telltale, TftB parece bem familiar com a engine antiga, escolhas e a forma como tudo é apresentado e a progressão dos diálogos, da estória e do jogo em si. Por outro lado, esse daqui é bem mais "upbeat" que as minhas outras experiências com a falida desenvolvedora (Wolf Among Us e 2 Walking Deads), ou seja, é um jogo bem mais feliz e colorido.

Eu vou resumir esse jogo como um filme de classificação Livre daqueles que você vê no cinema com os amigos e sai de lá falando: "É, foi legal. Algumas partes foram engraçadas." e depois assiste novamente em casa no domingo quando passa na Temperatura Máxima dublado.

O enredo começa como uma superprodução hollywoodiana já com o protagonista sendo apresentado e sofrendo uma crise e bolando um jeito de se vingar de um colega de trabalho bem resolvido. Logo veem os personagens determinados, otimistas e muitas confusões.

Nesse título, jogamos com dois protagonistas, Rhys e Fiona. Ele, um funcionário de uma corporação gigante que fica numa estação espacial fora do planeta, Hyperion. Ela, uma pobre tentando de qualquer forma fazer dinheiro no planeta onde tudo é deserto e bandidos (meio que no estilo Mad Max).

Logo se juntam equipes de ambos os lados (e mais tarde pessoas de fora) e você tem um bom grupo, com o mocinho, a mocinha, o bandido do bem, o nerd, o robô de guerra, o robô pequeno etc. Definitivamente não tem como não curtir os personagens.

É interessante saber que as escolhas e interações no geral nesse jogo são geralmente muito mais trabalhadas e muitas coisas você só vai perceber quando chegar ao final da aventura e descobrir que poderia ter feito coisas diferentes, como ter salvado um personagem  ou recrutado outro que parecia ser bem secundário.

Além de andar e fazer escolhas que pareceram tem mais importância que qualquer outro jogo da Telltale, as vezes tem até mini puzzles e formas diferentes de interagir com algo. Alguns exemplos:

-Uma vez no início, um robô vem nos salvar e há a opção de equipá-lo de diferentes formas, com metralhadoras ou mísseis, poe exemplo. Não tenho certeza qual diferença isso faz;

-Várias vezes temos que atirar com a pistola de Fiona, que tem três canos de munição diferentes: fogo, eletricidade e radiação (?). Na hora de destruir as coisas, o jogo manda você escolher qual munição usar;

-É possível trocar roupas, acessórios e mesmo o braço biônico de Rhys para outros mais modernos e todos essas trocas são permanentes (ou pelo menos até você poder trocar de novo). O jogo pede para que mude as roupas com base em algum lugar que você vai visitar para se disfarçar, mas não sei o que acontece se eu não fizer nada.

Apesar dessas incertezas, é sempre bom ter a sensação de que você está fazendo as coisas do seu jeito e que elas estão tendo seus efeitos.

Outra coisa legal é que explorar os cenários as vezes faz com que achemos dinheiro. Dinheiro pode ser usado para se equipar melhor, pagar subornos e até recrutar pessoas pra te ajudar no final do jogo. Você vai perceber que essas coisas opcionais deixam o jogo bem mais livre e menos linear. Em outra situação eu tinha uma bala pra minha arma e o jogo me deu várias oportunidades de usá-la, mas eu fui guardando até achar qual seria a melhor hora de usá-la (e me arrependi).

TftB, como eu já disse, é um jogo bem aos moldes dos filmes família de Hollywood, e isso é legal. Gosto como ele tem início, meio e fim (apesar de terminar com algo que me pareceu um cliffhanger para o que seria uma continuação).

Mas por esse motivo, é o tipo de estória que eu tenho um pouco de dificuldade de absorver. Toda hora eles estão em um lugar diferente! O fato de 90% do jogo ser os personagens no presente contando o passado (você está jogando algo que "já aconteceu") e a jogabilidade ficar trocando de presente para passado recente e de um personagem em um lugar para outro em outro lugar, me deixa meio confuso as vezes.

Uma das primeiras escolhas cruciais do jogo foi agir contra um personagem: "break his heart" ou "blow his mind". Escolhi a primeira e o personagem enfiou a mão no peito e arrancou seu coração! Vi mais tarde a outra no Youtube e ele só pedia ajoelhado por um favor. Mas depois disso, o personagem que supostamente matei, ainda estava de boas no jogo (mais tarde descobri que algumas opções são como se você estivesse exagerando/mentindo sobre o que aconteceu de verdade.

Resumindo: Tales from the Borderlands é um jogo divertido e feliz, um pouco diferente de outros jogos da Telltale. Sinceramente, antes eu recomendaria conhecer a desenvolvedora pelo The Wolf Among Us, mas agora eu vou ter que perguntar se ela quer algo mais "ação" ou algo mais "sério". Foram 5 episódio e cerca de 10 horas muito bacanas e só não acabei antes porque em casa eu me dedico mais aos consoles e esqueço de jogos no celular.

De bom: visual colorido e humor estilo Borderlands muito legal, sem muito exagero. As escolhas e ações nunca pareceram ter tanta consequência. Exploração te abre mais possibilidades dentro do jogo com recompensas. Muitos personagens originalmente únicos. A estória é boa, mas fica demais no final!

De ruim: algumas escolhas eram confusas e eu interpretava de um jeito para descobrir o que eles queriam dizer só depois de executá-las. O jogo travou uma vez e eu tive que refazer um capítulo inteiro de um episódio porque não colocaram um checkpoint numa transição de partes. Muitos nomes e terminologias parecidas ou raramente usadas me deixavam meio perdido.

No geral, adorei o jogo e como ele não cai na monotonia. No início de cada episódio rola uma recapitulação que só me fazia pensar: "cara, como essa história está se desenvolvendo! Quanta coisa já aconteceu"! Recomendo o jogo sim, ainda mais se você gosta de filmes e jogos mais despojados e descompromissados, mas tenha em mente que se você está cansado de jogos da Telltale, talvez seja melhor esperar mais uns tempos.

Tales from the Borderlands

Platform: Android
4 Players
1 Check-in

18
  • Micro picture
    filipessoa · 12 months ago · 2 pontos

    Parabéns! Pôxa muito interessante saber que o jogo tem mais opções de escolhas do que os demais da Telltale, esse negócio dos dinheiros no cenários eu nem sabia que tinha haha

    Você disse que o TftB é mais colorido e feliz que o The Wolf Among Us, e realmente parece mais feliz só que acho que ele também tem muitas cores, o negócio é que ele é muito escurão enquanto esse aí é claro como o Sol pra expôr a ação de melhor maneira.

    Como sempre: ótimo registro! Caso mais pra frente você decida executar seu plano de zerar os Borderlands começando pelo 1 e se for PC, não hesite em me chamar por que eu também quero fazer a mesma coisa algum dia kkk

    2 replies
  • Micro picture
    msvalle · 12 months ago · 2 pontos

    Parabéns pela finalização! Que bom que gostou da minha sugestão, eu mesmo ainda tenho que jogá-lo rs

  • Micro picture
    gus_sander · 12 months ago · 2 pontos

    Interessante, acho que vou dar uma olhada nele depois, parece realmente bom. E parabéns pela conclusão!! ^^

  • Micro picture
    andre_andricopoulos · 12 months ago · 2 pontos

    Amo BORDERLANDS e adorei esse TELLTALE. A robozinha é uma graça.

    4 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...