2018-06-18 18:44:58 -0300 2018-06-18 18:44:58 -0300
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Peggle Blast

Zerado dia 15/06/18

E aí, pessoal! Lembram de mim? Pois é, continuo na rotina de muito estudo e um pouco de Battle Royale aqui e ali à noite e jogatinas multiplayer casuais com os amigos em fins de semana ou ocasiões especiais e doido pra voltar ao que eu sempre fiz com fervor: jogar de verdade!

Quem já ouviu falar em Peggle? Esse jogo já tem uns bons anos. Lembro que quando finalmente entrei na geração HD há vários anos atrás com o Xbox 360, eu acessava a Live à procura de coisas gratuitas e sempre via os Hexic e Bejeweled da vida e me perguntava se jogos do tipo me agradariam (isso foi na era antes dos Smartphones e os milhares de jogos do tipo irem pra eles), mas nada me interessava. Um dia, testei o tal do Peggle e achei bem viciante, mas como foi na casa de um amigo, acabei não dando continuidade  e esquecendo de sua existência.

Recentemente, quase 4 anos depois, estava vendo um vídeo do Pewdiepie sobre vexames de E3 passadas e entre eles estava a apresentação do Peggle 2! Eu nem sabia que existia isso, mas me interessei e fui atrás de jogar aquilo de novo. Arrisquei na Play Store e não é que tinha lá?

A ideia de Peggle é simples: você mira um "canhão" e atira uma bola naquela direção. Com a força, a esfera quica e destrói as pequenas partes que toca. Seu objetivo varia um pouco de fase pra fase, mas acho que posso dizer que o mais comum é destruir 25 blocos laranja do cenário (ou seja, todos os laranjados). Os azuis servirão tanto para ajudar, criando rotas pra bola rolar ou quicar e te dar pontos quanto para atrapalhar ficando na sua frente etc. Há um número limitado de bolas a serem usadas em cada fase, sendo que você pode ganhar outras extras ao executar combos de destruição em massa ou no caso delas caírem na cesta que fica indo e vindo abaixo da tela.

Esse é definitivamente um título baseado em cálculos/previsões de trajetória e um bocado de sorte em casos em que a fase contem mais elementos e menos controle da física da bola.

A coisa toda é simples, mas fica bem difícil conforme você avança os estágios. Há ainda uma limitação de retries com base nos seus corações e no caso de perder a todos, terá que esperar 30 minutos para recuperar 1 deles (o máximo sendo 5). Percebi que meu tempo de jogo foi cerca de 6 meses, mas sendo algo casual e rápido a cada vez que eu o abria.

Não vou mentir, o jogo é bom! Mantém um visual original em relação a 95% do inferno FTP de celular. Você pode jogar com apenas uma mão e pode jogar no ritmo que desejar, tentando mirar melhor, explorar novas ideias ou esperar que a cesta fique numa posição melhor pra ver se a bola cai dentro depois da próxima jogada. Não ter um timer é definitivamente um grande ponto positivo.

O início consiste em te mostrar como se joga, desde os simples controles até as ajudas que você pode opcionalmente usar.

As fases incluem os objetivos:

-Destruir todos os blocos laranjas.

-Destruir absolutamente todos os blocos.

-Derrubar todas as joias (elas não fica grudadas no background, mas em cima de blocos normais e você terá que abrir caminho para que caiam).

-Chocar todos os ovos (como as joias, ficam em cima de blocos, mas são maiores e 3 toques de bolas quebram o ovo e chocam uma fênix que sobe verticalmente, quebrando blocos e chocando ovos acima). A dificuldade desse modo é que se um ovo cair no buraco, você perde na hora.

-Pontuar mais do que o vilão do jogo. Nesse tipo de fase, cada um joga uma vez e há um limite pequeno de bolas. Quem pontuar mais, vence.

Em relação a mecânicas que variam e te ajudam, Peggle Blast é dividido em mundos (de 15 estágios cada) e cada um deles conta com um animal parceiro. Você aciona essas ajudas nas fases quando a bola toca um bloco verde. Depois de feito, a próxima jogada terá o auxilio do bônus:

-Unicórnio: o mais inútil, mas é o do primeiro mundo e serve mais pra ensinar mesmo. Seu poder revela a rota que a bola tomará conforme você mira.

-Esquilo: ativa assim que a bola tocar um bloco verde. A esfera se multiplica em várias outras, destruindo mais blocos e andando por espaços diferentes.

-Polvo: dois canhões auxiliares aparecem dos lados da fase e se a bola tocá-los, poderá mirar e atirar novamente.

-Morcega: cria uma onda de som entre o canhão e a cesta e quando você atirar, tudo o que estiver dentro dessa rota será destruído.

-Caracol: sua bola derreterá tudo o que ele encostar, e tudo o que for derretido pinga e derrete o que estiver abaixo.

-Pavão: destrói tudo o que estiver a um pequeno raio de distância dos blocos azuis que tocar.

-Abelha: seu próximo tiro irá atirar diversas bolas que ainda destroem blocos especiais e ovo em apenas um toque.

-Flor: atira a bola em câmera lenta e com uma demarcação em um grande raio em sua volta. Quando você tocar na tela, tudo dentro daquele raio será destruído.

-Guaxinim: atira uma lata de refrigerante que cresce a cada contado com blocos. Quando chegar ao limite, explodirá e destruirá tudo em sua volta.

-Tartaruga: cria uma carrinho no fundo da tela (no lugar da cesta automática) que você move como quiser. Caso salve uma bola com ele, o carrinho atirará um rojão para cima, destruindo tudo e seu caminho.

-Unicórnio do mal: atira uma bola de fogo que destrói tudo que toca e ao seu redor por todo o trajeto.

Pra ajudar ainda mais, você pode ativar certas ajudas antes e outras durante a partida. Essas ajudas podem ser compradas com dinheiro ou assistindo propagandas de 30 segundos (apesar que há um limite de cerca de 10 por dia ou algo assim). Antes de entrar na fase, você pode ativar: adicionar mais um bloco verde à próxima fase, ter mais uma bola ou mais um bloco roxo, que vale muitos pontos que podem resultar em mais bolas ou mesmo pra ajudar em chegar a pontuação mínima de um estágio mais chato.

Durante a fase, você pode ativar a bola de fogo, que destrói e choca tudo o que estiver por perto, um marcador de trajetória, que ajuda muito na hora de mirar, ou a nuvem, que se eu vi alguma vez, deve ter sido no tutorial (chuto que destrua tudo na fase).

Por outro lado, o jogo impõe uma dificuldade relativamente alta em certas fases e pode deixar você jogando nela por dias: aranhas cospem teia e e gnomos pintam blocos aleatórios. Um bloco com teia não pode ser destruído com uma bola normal e você terá que atirar uma bola nele só pra tirá-la. Um bloco com tinta, além de não poder ser destruído com apenas um toque, impede que a bola quique, fazendo-a deslizar. Aranhas podem ser atordoadas ao tomar uma bolada e gnomos são destruídos com uma bolada. 

Há ainda blocos que automaticamente tem gelo ou algo do tipo, precisando de 2 ou 3 toques para serem destruídos.

Poucas bolas pra muitos pinos, fases com três estágios seguidos e que se você perder, volta pro primeiro e cestas que parecem fugir da bola, paredes indestrutíveis que você tem que acertar um botão pra abrir e quando o faz, a bola quica e volta a ativando novamente ajudam muito a ficar frustrado também e muitas vezes, impaciente assistindo propagandas rezando pra ganhar os bônus necessários. Sem vidas? Vamos assistir mais 30 segundos de propaganda impacientemente pra rodar a roleta e ganhar 3, ou 2 ou uma vida. E quando acabam as bolas, vidas, propagandas e todo o clima que você está terá que esperar possivelmente até amanhã? Tenso!

Perdi tantas partidas porque uma bola bateu um pouco forte demais sem querer num ovo e o jogou no buraco ou calculei errado a minha última bola e chance depois de uma semana com o jogo parado na mesma fase!

Por outro lado, nunca achei o jogo impossível sem gastar dinheiro. Pra dizer a verdade, lá pela metade e umas fases pingadas do final foram difíceis, mas o final foi bem tranquilo e rápido. Joguei a segundo metade das 208 fases muito mais rápido que a primeira.

Resumindo: Peggle Blast é um ótimo passatempo casual. Ótimo pra jogar em viagens não muito longas de ônibus ou metrô, mesmo offline. Infelizmente, os fatores FTP impedem um progresso contínuo e o jogo já me deixou muito na mão em situações mais demoradas, como filas maiores de banco ou à espera do dentista, mas quebrou muito o galho em diversas outras situações (ainda mais porque não sou adepto de internet 3G).

De bom: colorido, traduzido e uma excelente e rara ideia que funciona muito bem na tela de toque do celular. Raramente desafiador o bastante pra te fazer pensar em gastar dinheiro. Os animais em cada mundo diversificam bastante o gameplay.

De ruim: poucas vidas pra perder (5) e depois disso, só com ajuda das propagandas assistidas. Aliás, notei uma dependência chata disso pois não gastaria dinheiro com esse tipo de jogo. Algumas fases são bem injustas: além do alto desafio pra se conseguir fazer o que é pedido, você perde por não ter chegado a pontuação necessária pra ganhar ao menos uma estrela. Senti falta de um zeramento mais bacana.

No geral, a experiência foi legal, mas poderia ter sido melhor. Daí já considero jogar as versões de console, que não me pedem dinheiro e espero que elas me deixem mais livre pra jogar quantas vezes quiser e me preocupar apenas com a estratégia. Se você curte esse gênero de puzzle com física de objetos e tem paciência pra jogar regularmente, é um jogo muito bacana.

Peggle Blast

Platform: Android
12 Players
7 Check-ins

9
Keep reading → Collapse ←
Loading...