2018-02-18 12:14:15 -0300 2018-02-18 12:14:15 -0300
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Maniac Mansion

Zerado dia 17/02/18

Não queria jogar Maniac Mansion por agora, pois já é um point & click bem antigo, da época do NES/PC que tem fama de ser meio nonsense, mas eu deixei o Day of the Tentacle no PS Vita justamente por ter o jogo dentro de si e, bom, ele ocupa mais de 1GB de espaço no meu humilde cartão de 8GB.

Outra coisa que tenho que dizer é que cheguei a usar walkthrough algumas vezes durante a jogatina, coisa que odeio fazer, mas quando faço, já deixo bem claro nas minhas postagens. O fato é que MM é um jogo bizarro e cheio de dead ends, ou seja, partes em que algo acontece como resultado de uma ação sua (ou falta dela) e que impossibilitam a continuidade do jogo, e o pior é que isso quase nunca fica claro.

A aventura começa sem muita explicação: você escolhe um time de três adolescentes para que possam entrar numa mansão onde uma amiga foi sequestrada. Toda a coisa baseada numa missão noturna numa mansão com antagonistas azuis (?) cria uma atmosfera meio bizarra à narrativa. Uma mistura de terror com o "cool" do Day of the Tentacle, que viria depois.

Durante o jogo, cutscenes aparecem conforme certos pré-requisitos são alcançados. Eu ficava tentando entender os motivos do vilão ou se eles eram monstros ou pessoas normais ou assassinos cruéis ou o quê, mas fiquei só com a impressão que criei mesmo.

Vários desses personagens voltaram no DotT depois, mas mais humanos e lógicos.

Algumas das coisas que você vai perceber de cara e já torcer o nariz são:

-Os mil comandos na barra abaixo da tela. Qualquer ação com qualquer coisa demanda que você mova o cursos e clique no que deseja fazer, e depois com o que vai interagir, seja um objeto no cenário, uma pessoa ou coisas do seu inventário;

-A praticamente falta de som e que o jogo está quase sempre no mudo, com exceção de barulhos de campainha, portas e determinadas partes. Senti muita falta de uma música de fundo de de qualquer barulho quando as pessoas falavam;

-É muita fácil chegar a desfechos negativos, como a mansão ser explodida porque você não fez algo tosco e, principalmente, ser capturado porque um dos residentes do local te viram pela casa.

Nesse início você se depara com a mansão trancada e felizmente coisa pra interagir. Foi tranquilo descobrir que eu deveria puxar o tapete, pegar a chave embaixo e usá-la para abrir a porta. Mas dentro, o que fazer? Eu nem sabia porque eu tinha três personagens! Inclusive, a gente tem que suar o comando "New kid" para trocar para outro, onde quer que ele esteja.

A primeira porta que você provavelmente vai, é a logo na entrada da casa. Mas entrar nela resulta num encontro com a enfermeira bizarra (3ª imagem), que te jogará no calabouço. Essa parte, dependendo da sua idade ou gosto por jogos mais esquisitos, é bem esquisita e provavelmente já vai te fazer desistir de Maniac Mansion. Tem até sangue!

Eu mesmo nem sei se ser capturado tão cedo é uma situação que pode ser revertida. Melhor recomeçar logo.

Como eu ia dizendo, as possibilidades são muito vastas. Vários andares, portas, elementos para interagir e ações para serem executadas. É definitivamente um jogo para ser jogado por muito tempo, aprendendo com tentativa e erro. Mas de novo, por falta de aviso que o jogo não pode ser mais continuado, o que fazer e as variações dependendo de cada personagem escolhido, jogar esse tipo de coisa hoje em dia é quase impraticável.

Uma certa vez eu progredi bastante  e usei um removedor de tinta num lugar errado. Ao invés de ser avisado que aquilo não fazia sentido ou usar apenas um pouco da lata, o personagem usou tudo de uma vez e disse "what a waste"! Procurei na internet e descobri que eu tinha chegado num dead end e não havia nada que eu pudesse fazer.

Por outro lado, o jogo segue ainda alguma lógica e dificilmente viaja como em Grim Fandango, por exemplo, e a insistência com o mesmo time vai chegar em algum lugar alguma hora, pois você começa a aprender a casa e o que fazer para poder interagir com certas coisas.

A função de save do Day of the Tentacle ajudou muito também, pois eu saía do MM, salvava e caso chegasse a uma conclusão ruim, bastava dar load.

Pra fechar, um dos comandos permite que você verifique os nome de todas as coisas que pode interagir, evitando que itens pequenos e botões passem despercebidos, mesmo no escuro.

Resumindo: Maniac mansion é um jogo complicado, mas bacana. Um walkthrough me ajudou a avançar bem mais rápido e a gostar do jogo. É uma experiência diferente e importante para o gênero, e que pode durar semanas ou uma horinha se você já souber o que fazer (eu acabei meio que decorando de tantas vezes que joguei e fracassei em alguma parte).

De bom: existe alguma lógica e "puzzles" criativos. Muitas variações de acordo com seus personagens e ações.

De ruim: muitos dead ends. Fator "se vira aí e descubra o que fazer". Cada ação exige tem que ficar arrastando o cursor de uma palavra a outra e a outra e a outra e não há atalhos ou afins para facilitar. Necessidade de recomeçar o jogo com frequência e a constante pergunta: "por que estou jogando isso?"

No geral, é um jogo legal, mas de um minúsculo nicho e de um gênero que quase não existe hoje em dia. Comparado com outros jogos, esse fica bem atrás, justamente por ser o início de tudo. Se você acha jogos do gênero chatos ou difíceis, passe longe! Um grande clássico, que é melhor deixar no passado mesmo.

Maniac Mansion

Platform: PC
84 Players
2 Check-ins

14
  • Micro picture
    jcelove · almost 2 years ago · 2 pontos

    Show, esse é um clássico que queria terminar a muito tbm, mas é muito frustrante com o lance dos dead ends sem aviso, sempre largava quando alguem ia preso.hehe
    To com o Tdott aqui no pc justament epor causa dele. um dia desses pego um guia bacana e termino tbm.

    1 reply
  • Micro picture
    leopoldino · almost 2 years ago · 2 pontos

    Lembro que joguei muito isso no 486, cheguei a fazer todos os finais, até o final de decolar com o carro.

    1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...