2017-04-23 13:28:56 -0300 2017-04-23 13:28:56 -0300
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações: Halo: Reach

Zerado dia 22/04/17

Queria fechar Halo: Reach antes do 5, mas não rolou. Comecei a jogar esse jogo com meu primo na casa dele e fizemos o jogo quase todo numa só sentada, mas ficamos um tempo sem jogar e eu tive que pedir pra ele pra gente voltar a ligar o Xbox 360 pois a aventura já estava no finalzão.

Lembro de ter jogado uma boa parte de Reach uns anos atrás com um amigo e sua namorada e eles jogaram bem além de mim depois. Ela virou fã do jogo e na minha memória esse título era espetacular.

Bom, quando colocamos o DVD no videogame agora eu achei o jogo MEGA datado. Primeiramente achei que fosse o efeito de ter zerado o 5 agora e o fato  de o 4 ter sido também um espetáculo a visão, mas quando comparamos Reach a outros jogos da série, ele não tem carisma nenhum! Até o 2 que joguei a pouco tempo envelheceu melhor.

Halo: Reach mal parece um Halo pra dizer a verdade.

É engraçado dizer isso, pois as armas estão todas lá, as cinemáticas, que não são épicas, estão lá também, os inimigos e os veículos: ghosts, banshees e outros.

Acho que um ponto que influenciou na visão que fiquei sobre o jogo foram os cenários: florestas, cânions, dentro de prédios ou no meio do nada. É tão genérico que me senti jogando outra coisa. Cadê os robôs, guerras, construções gigantes, batalhas em veículos em movimento. Cadê o futurismo? Ah, houveram algumas pouquíssimas partes com essas coisas, mas no geral é um grupo de guerrilheiros fazendo "broderagens" e piadinhas aqui e ali.

O combate é similar ao de sempre, mas não tem aquela mira aproximada com o olho (geralmente ativada ao segurar o gatilho da esquerda). Nunca senti tanta falta disso num FPS, pqp!

Os membros do esquadrão Noble também são super sem graça e de personalidade genérica, assim como eu achei o jogo inteiro, na verdade. Tem o Master Chief de outra cor, o Master Chief bombadão, o Master Chief com caveira no capacete e afins.

A estória também é super confusa, a ponto de eu não entender quase nada e o final é quase uma lástima! Mas forçaram a barra para fechar o jogo com a morte de um personagem que ficou até legal, apesar de nada demais. Halo sendo Call of Duty...

No enredo, o seu personagem tem um papel não muito importante, mas a estória sempre foca em você. O bizarro é que eu terminei o jogo no co-op e ambos usam o mesmo personagem, como se ele tivesse um clone.

Na moral, quando subiu os créditos e meu primo me olhou com a cara de "a gente perdeu tempo com isso?", eu fiquei até com vergonha.

Pior que o jogo tá mais bonito nessas imagens do que na TV de 42'' dele. Ainda lembro das texturas horríveis de chão e mato.

Por outro lado o jogo tem suas boas características, apesar de não serem o bastante para eu o recomendar a alguém.

Dirigir veículos, ainda mais com amigos, é sempre muito divertido! Além do mais, existem novas armas, que meio que são fusões de armas já conhecidas (incluindo o próprio design, como na segunda imagem desse post) que são bem fortes, apesar de não muito comuns.

O fato de você renascer se seu parceiro estiver num local seguro também faz com que a experiência com Reach seja bem mais tragável e me lembra que eu provavelmente estaria odiando o jogo se tivesse jogado sozinho.

Uma coisa curiosa, é que você pode coletar itens que trocam a sua habilidade de correr, que é a padrão, por fazer escudos e até mesmo usar um jetpack.  É um diferencial bem interessante e que poderia ter sido mantido nos jogos futuros.

Outra bizarrice é que o jogo nem tem vilão e eu mal sabia o que estava fazendo nas missões, como eu já disse. Eu só matava inimigos e fazia o que era mandado.

O lado bom? O jogo não é numerado. Deram o nome Reach pra você realmente saber que é uma coisa aparte, diferente. Gosto da ideia tanto do nome diferente quanto fazerem um jogo diferente, mesmo não tendo curtido muito um dos jogos mais verde-cinza que já joguei. Tenho fé que gostarei mais do Wars.

Resumindo: Halo: Reach é passável, mas interessante pra quem gosta de Halo (como é o meu caso). É mais um jogo com a possibilidade de ser terminado em co-op, o que já dá mais algum valor ao título. No entanto, até o jogaria novamente, coisa que não faria com o Combat Evolved (1) ou ODST.

De bom: controles familiares da série. Adição de jetpacks e outras habilidades, além de novas armas. Alguns personagens bacaninhas. Divertido de se jogar com um amigo. Veículos e fases bem abertas que chegam a ser divertidas. Deixaram o Master Chief de lado um tiquinho.

De ruim: estória confusa. Estágios semelhantes e sem carisma como o jogo quase todo. Tudo muito cinza ou quase isso. Pouca variação de inimigos e os diferentões mal aparecem. Texturas toscas e jogo travado que nem parece um Halo. Ideal pra se jogar antes do 3! Cadê vilão? Cade gratificação por ter zerado (embora a sequencia final tenha sido legal).

Ainda bem que acabei não esperando esse pra jogar o 5. Acredito que Reach tenha sido o jogo mais fraco da série pra uma geração tão recente. Me decepcionei um pouco e não recomendo a experiência (pra quem espera um FPS diferenciado e único).

Halo: Reach

Platform: XBOX 360
2784 Players
114 Check-ins

4
  • Micro picture
    lordsearj · over 2 years ago · 2 pontos

    Tem gente que até o considera o melhor da serie. Quanto aos gráficos a série foi criada pela Bungie, mas a verdade é que a 343 em gráficos é mais competente. Tudo bem que pegaram o escopo pronto, mas seus dois jogos para o 360 (CE Aniversary e 4) são 720p, coisa que a Bungie nunca conseguiu. Aliás, nisso ela tomou um pau da Epic em todos os lançamentos. Os GOW do 360 são belos até hoje. Mas Heach é um prequel e ODST uma estória paralela. Eu curti mais pelo enredo. O meu favorito é o 2, e olha que joguei no PC.

    1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...