2017-03-01 19:10:26 -0300 2017-03-01 19:10:26 -0300
anduzerandu Anderson Alves

Registro de finalizações - Mighty Flip Champs

Zerado dia 01/03/17

É com muito pesar que anuncio que desisti de terminar um jogo. Esse jogo foi Beyond the Labyrinth (Labyrinth no Katana) de 3DS. Comecei o jogo semana retrasada, gastei umas horas e desisti completamente. Primeiro pelo jogo ser bem lento, mas principalmente porque a dificuldade ficou irritante, a aventura ficou repetitiva e de quebra eu travei em uma parte que pra qualquer lado que fosse, perdia o jogo.

Enfim, fiquei meio bolado com isso, até porque estou com outro jogo parado no Wii graças ao HD USB dele ter dado problema e meu técnico nem ter dado as caras ainda, mas me forcei a começar algo e não me desmotivar, até porquê já estamos em Março e os dois primeiros meses do ano foram bem lentos em relação a fechar jogos.

O escolhido da vez foi Mighty Flip Champs, jogo original de DsiWare da WayForward, empresa indie que também criou Shantae e Mighty Switch Force.

Na verdade eu descobri sobre a existência de MFC quando pesquisava sobre o meu adorado Mighty Switch Force, que joguei no 3DS anos atrás. Jogos de DSiWare nunca foram o meu forte, até porquê nunca tive um e nem me preocupava em ler notícias de jogos da loja virtual do portátil na época. MPC e outros entraram pra lista de jogos mas logo caíram no esquecimento e eu só lembrei de sua existência por agora quando esbarrei no ícone de download na freeshop do 3DS.

Esse título não é lá muito relevante, embora seja bem legal e meio que caiu no esquecimento, mesmo ganhando versões mais robustas para utras plataformas.

A prova desse esquecimento é a dificuldade de achar imagens e em tamanhos decentes no Google, por isso devo postar também das versões HD (DX).

Bom, o visual do jogo é bem o das Shantae mais antigas mesmo, mas o gameplay lembra um pouco o de MSF

A sua personagem só anda, sobe escada e troca a tela de cima com a tela de baixo (ação que pode ser feita com qualquer botão). A tela de baixo age como um universo paralelo e com um design semelhante ao da tela principal. A personagem principal se move do mesmo jeito em ambas as telas, mas ignora paredes, buracos e demais armadilhas na tela secundária. Aliás, isso foi meio confuso pra mim aqui e ali pois estou acostumado com jogos que usam mecânicas parecidas, mas que ambas as telas valem e você deve ter cuidado com as duas.

Como uma tela pode não ter obstáculos que a outra tem, devemos troca para os evitar. O conceito é bem simples, mas o cérebro buga de vez em quando, até porque a tela inferior fica de cabeça para baixo e eu diria que a minha atenção se concentrava mais nela do que na principal.

Um dos maiores desafios em MFC é em relação as quedas. Quando nos agarramos a escadas e grades e ao sair da sua área, a personagem cai. As vezes é por conta de um descuido que pode nos ser fatal, mas essa mecânica é obrigatória em muitas partes para alcançar novas localidades do outro mapa. Basta cair e apertar o botão de troca de tela na hora exata. Timing é um elemento muito importante no jogo.

Já das coisas que podem ser frustrantes, temos o descuido e olhar apenas para uma tela e trocar pra outra quando a personagem está dentro de uma parede, ou mesmo quando calculamos e trocamos mas o jogo reconheceu que você ficou um pixel a mais num obstáculo, resultando em morte e ter que reiniciar todo o estágio.

Pra dificultar as coisas, devemos coletar animais em quase todos os estágios antes de chegar ao seu ponto final. Pois é, o que normalmente seria coletáveis opcionais aqui é obrigatório, ou sapo (?) não te transporta pra fora da fase. Coletar esses bichos e chegar o final quase sempre faz com que exploremos bem as fases e suas mecânicas, que cabem completamente dentro da tela.

Essa tarefa, entretanto, está longe de ser simples, principalmente porque cada estágio é como um grande puzzle. Esqueci ainda de mencionar que as fases dificilmente contam com apenas dois cenários que intercalamos ao apertar o botão, mas facilmente passam de 3, chegando a 7 de vez em quando e até mais! Essas cenas nas fases segue sempre uma ordem e exigem paciência e lógica muitas vezes para alcançar um ponto desejado.

Vendo essa versão acima, talvez de PS3, imagino como deve ser ainda mais difícil, já que eles estão espelhados horizontalmente.

Cada estágio marca seu tempo constantemente com um relógio e o número de vezes que você fez uso do poder de troca de telas. Essas estatísticas geram no final um rank de D (o pior) a S (o melhor). Mesmo decorando alguns estágios eu consegui A ou B enquanto algumas fases que tive alguma dificuldade eu obtive S. Enfim, só melhoraria isso se eu me importasse mais com esse jogo u não tivesse mais nada para fazer.

A aventura tem 5 mundos, sendo que cada tem cerca de 7 estágios mais um desafio final, que são fases em que o seu poder fica se ativando de tempos em tempos automaticamente. A fase final é bem divertida também, valeu o jogo.

Resumindo: Mighty Flip Champs é um jogo simples em seus comandos mas muito inteligente em relação ao uso dessa jogabilidade dentro dos puzzles, que são as fases em si. Como primeira jogatina, foi o título mais fraco da WayFoward, mas eu ainda o jogaria novamente, coisa que eu não faria com o primeiro jogo da Shantae, por exemplo.

De bom: fases que duram poucos minutos, no máximo, mesmo você morrendo algumas vezes ou quebrando a cabeça pra tentar entender como chegar a algum lugar. Visual e animação interessantes, o que deve ser muito legal nas outras plataformas. Comandos simples e curva de aprendizado excelente, mesmo as vezes tendo fases bem fáceis entre duas difíceis. Alguns estágios são bem diferentes e mais pra se divertir do que ficar pensando.

De ruim: pode ser meio frustrante se for jogar tudo de uma vez. Não tem estória nem nada compensador entre os níveis quando os completamos. Morri algumas vezes por pixels terem sobrado em uma parede quando troquei de tela. Sem checkpoint, mesmo em fases mais longas + tempinho pra fase ir pra tela de "Game Over" + tempinho pra recarregar a fase depois que apertamos Retry. Isso é meio chato e freava um pouco as coisas. Visual datado, coisa que acontece bastante com jogos da época, mas que bizarramente não acontece com jogo de GBA.

No geral, é um jogo curto e muito divertido, pra se jogar no metrô e afins, mas nada pra se levar muito a sério, como qualquer jogo de DSiWare mesmo. Divertido, mas nada perto do excelente Mighty Switch Force!

Mighty Flip Champs!

Platform: Nintendo DS
6 Players
8 Check-ins

4
  • Micro picture
    yon · over 2 years ago · 2 pontos

    Nossa. Direto aparece algum jogo de DSiware interessante.. Eu não acompanhava nada nessa época, preciso tirar um momento pra ir atrás dos jogos que saíram nele..

    2 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...