andre_hirosaki

Rumo aos 1000 jogos. Quando bater a meta, vamos dobrar a meta!

You aren't following andre_hirosaki.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2021-04-04 19:57:40 -0300 Thumb picture
    andre_hirosaki checked-in to:
    Post by andre_hirosaki: <p>Finalizado em 45h com o final Rompimento da Imor
    Sekiro: Shadows Die Twice

    Platform: Playstation 4
    242 Players
    114 Check-ins

    Finalizado em 45h com o final Rompimento da Imortalidade. 

    Eu já sabia q o jogo era foda e eu n me decepcionei em nenhum momento exceto, talvez, pela duração meio curta. O gameplay novo e agressivo, a ambientação desde os cenários até a OST 100% japonesa e a exploração um pouco mais complexa.

    Um refino incrível da fórmula souls-like.

    21
  • 2021-04-03 00:59:57 -0300 Thumb picture
    andre_hirosaki checked-in to:
    Post by andre_hirosaki: <p>Growlanser III é um interessante título da série
    Growlanser III: The Dual Darkness

    Platform: Playstation 2
    21 Players
    1 Check-in

    Growlanser III é um interessante título da série. Assim como em Langrisser III, a história se passa vários anos no passado para contar uma importante lacuna do mundo paralelo devastado pela inibição do sol (notei um padrão nos jogos da Careersoft?) ao mesmo tempo em q retorna para várias mecânicas consagradas no primeiro como a exploração livre de cidades e dungeons.

    Zerado em 31h e uma segunda vez em 11h36min no NG+ pelo PCSX 2 v.1.6.0.

    De um certo modo, eu gostei bem mais desse aqui do q o 2 por ele justamente ter permitido ao jogador voltar a explorar como quiser as cidades e dungeons do jogo como bem entender, mesmo q a quantidade seja bem inferior ao do primeiro. Essa mudança do 2 ao cortar a exploração livre foi bem difícil de aceitar, ainda mais vindo de um jogo tão incrível q foi o 1o.

    Mesmo assim, é bom demais falar à vontade com os npcs e pegar quests q impactam diretamente o ending, foi exatamente o fato de ele ser um ótimo híbrido entre o rpg clássico e o tático com elementos de rts q me conquistou bonito, inclusive está até ficando difícil aceitar jogar outros jogos do gênero q são lentos dps de tanta agilidade e velocidade no input de comandos e batalhas.

    Uma coisa q eu achei estranha foi a quantidade meio reduzida de cidades para poder visitar. O primeiro game tinha uma quantidade expressiva de cidades e mapas para poder andar fora a caralhada de dungeons para explorar.

    Talvez tenha sido a limitação da época ou a pressão do desenvolvimento já q entre o GL 2 e 3 temos uma diferença absurda de apenas 5 meses entre os lançamentos dos dois jogos.

    Na parte de exploração eu n tenho o q reclamar, as cidades têm os clássicos vendedores de armaduras e joias em q vc pode comprar a vontade e customizar a build dos personagens como desejar e se precisar de dinheiro basta caçar uns monstros no mapa para juntar a quantia necessária.

    A única coisa q eu realmente acho q poderiam tirar são as random battles quando vc anda no mapa maior (o do mundo) felizmente ainda existe a joia de diminuir a taxa de frequência e poder explorar com mais calma.

    A dificuldade em si é bem mediana tbm. Desde o início do jogo, existe uma joia q aumenta a pontuação de STR ganha.

    Ao contrário do q o nome possa parecer, STR não afeta somente o dano causado. STR nesse jogo governa diretamente o HP e DEF tbm. Ou seja, imagine-se no early game em q vc ganha níveis rapidamente, nesse cenário o personagem começa a acumular stat muito rápido a ponto de ficar mais forte do q o inimigo mesmo q ele tenha muita diferença entre os níveis. Combine com as joias STR Increase, DEX Increase e INT Increase, ele começa a ficar insuportavelmente forte muito rápido q começa a ficar até engraçado, especialmente o Slayn.

    Uma das mudanças meio estranhas nesse jogo é q vc só pode controlar 4 personagens da party. Dps q o GL 2 saiu com a possibilidade de ter controle de até 8 é muuuuuuuuuito esquisito vc só controlar 4 e o 5o ser controlado pela IA.

    O que abre uma chance para falar de duas outras mudanças expressivas tbm.

    ° Vc pode castar buff de ataque, defesa, def mágica e velocidade do ATW antes de entrar nas lutas;

    ° Agora as magias podem ser combinadas entre dois membros pelo comando Co-Op para usar as magias mais poderosas (Meteor, Quake, Thunderstorm, Tornado, Soul Force, Blizzard e Fireball).

    Os outros GLs não permitiam q vc se bufasse antes de iniciar uma batalha o q salva um tempo precioso especialmente nas missões de tempo limite em q vc livra os (poucos) magos de buffar a party e parte logo para o ataque.

    Apesar de ser bem legal vc usar dois personagens para combinar magias (bem roubadas por sinal) isso toma metade da equipe só para usar magias. Um inconveniente muito chato, boa parte do jogo eu só fiquei no combate corporal e usei magias bem poucas vezes apesar de no endgame aparecer inimigo adoidado e tds juntos um dos outros. Nessas horas era incrivelmente satisfatório vc simplesmente carregar uma magia ao máximo, usar co-op e simplesmente fazer todos os monstros sumirem ao mesmo tempo.

    A história em si achei legal e fechou uma lacuna importante q os outros dois jogos sempre deixavam meio q aberto. Pessoalmente falando eu gostei bem mais da história do primeiro por ser bem mais longa e com plot twists mais legais mas a história desse funcionou relativamente bem.

    Eu curti bastante q muita lore dos personagens estão por trás das conversinhas quando vc chega no hotel de Xironia. Em alguns momentos da história, a Reimy diz: "Puxa td mundo está muito cansado, que tal ir para o hotel para dormir e conversar com td mundo?".

    Nessas horas rolava muito diálogo importante, especialmente a fobia da Monika por água, a mãe da Annette ou como a Yayoi era no santuário da Lua, ou alguns mais descontraídos como as aulas de como contar piada do Hugh.

    Inclusive uma das partes bacana foi a inclusão do FBI em q vc solicitava uma investigação para encobrir alguns mistérios deixados principalmente entre as conversas dos NPCs ou dos personagens, alguns deles até mesmo afetando o ending dos personagens.

    Sobre o gameplay em si ele ainda continua ótimo e ágil assim como o 2o. Especialmente o mapeamento dos botões o q permite selecionar as ações sem necessariamente vc navegar pelos menus, ele agiliza muito os combates simples entre monstros das random battles ou nas batalhas das dungeons (q aí não são aleatórias e segue o mesmo modelo do GL 1).

    Os devs tbm diminuiram um pouco a quantidade de master points q ganha e aumentaram o preço das skills q libera além de criarem novas habilidades, confesso q em gameplay essa série está mais do q bem representada.

    Um dos grandes destaques aqui tbm é o modo Arena. A arena desse jogo é extremamente viciante, eu mesmo gastei um tempo horrendo brigando pelo rank S em todas as Free Battles além de ganhar excelentes recompensas q ia para ótimos aneis, excelentes joias, itens de stat boost, alguns key itens e por aí vai.

    Aqui é uma certa peculiaridade q eu vinha notando desde o primeiro jogo. TODOS os soldados inimigos quando morrem, soltam um comentário do tipo: "Droga, não queria morrer assim", "Mas...mas... eu tinha tanta coisa ainda para fazer...", "Diga para ele q eu o.... a...ma...va..." até para alguns comentários mais engraçados. É muito bacana como todos os inimigos soltam comentários assim, sem exceção alguma, e os criadores se esforçaram em colocar texto para todos eles.

    Aqui mais um parentêses sobre a emulação

    ______________________________________________________________________________

    Assim como o GL 2, esse jogo tbm buga quando salva então apenas siga os passos abaixo e evite dor de cabeça.

    OBS.: o patch abaixo refere-se a versão UNDUB

    1-Abra o bloco de notas;

    2-No campo em branco, dê um ctrl c+ ctrl v no seguinte texto:

    patch=1,EE,00114CBC,word,0C042618

    3- Dê um save e no nome, coloque o seguinte:

    4CD3663F.pnach

    4-Pegue esse arquivo e salve na pasta de cheats do emulador PCSX 2. Por padrão, essa pasta fica salva em Documentos->PCSX2->cheats.

    5-Abra o PCSX 2 e vá em System->Enable Cheats

    Se vc quiser jogar a versão com vozes em inglês o código CRC muda. Nesse caso, apenas mude o nome dado ao arquivo na hora de salvar:

    4AD529BB.pnach

    ______________________________________________________________________________


    Esse jogo tbm tem uma abertura mas ainda longe da qualidade excepcional do primeiro. É muito estranho, as vezes eu acho q eles se desentenderam com o Urushihara e não deixaram ele fazer uma abertura mais animada. Eu duvido seriamente q ele como um animador profissional e chefe supervisor de animação com quase 20 anos de experiência tenha decidido por essa abertura.

    A ost tbm sei lá. Eles trocaram de novo o compositor e eles acabaram reutilizando algumas do 2 com alguns pequenos remixes e soltaram assim msm, apesar desse jogo tbm ter algumas novas faixas. Na moral, desde q o Iwadare saiu da produção a série perdeu muita essência em termos de composições. Os compositores novos simplesmente não se comparam com o Iwadare quando o mesmo estava no comando.

    De um modo geral, eu achei o jogo legal ainda mais com o retorno da fórmula clássica de exploração mais livre e com muito segredo a ser descoberto, ainda q eu ache uma verdadeira droga o jogo ser curto para um rpg.

    Eu só gostaria q esse jogo fosse bem mais longo para aproveitar mais, apesar q eu sinto q terei uma grata surpresa em breve...

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    .

    27
    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · 17 days ago · 2 pontos

      Esse jogo não é o Wayfarer of Time disponível no PSP?

      1 reply
    • Micro picture
      vante · 17 days ago · 2 pontos

      Pra ter uma fala final pra todos os inimigos que você vence o jogo deve ter sido feito com muito carinho/boa vontade

    • Micro picture
      lordsearj · 17 days ago · 2 pontos

      Nunca joguei nenhum desses. Tipo os tres primeiros dragon Quest. O terceiro é o prequel. Interessante.

  • 2021-03-24 15:58:59 -0300 Thumb picture
    Post by andre_hirosaki: <p>O download acabou de ser liberado na play store

    O download acabou de ser liberado na play store e baixei no cel pra dar uma olhada.

    É um joguinho bem simples e direto mas diferente do temple run em q vc tem fases curtas pra concluir ao invés de uma corrida infinita.

    E como é um mobile, evidentemente tem aquele esquema de ficar coletando itens pra liberar mais itens ou acelerar o processo comprando fisicamente na lojinha do jogo.

    Sobre o gameplay em si, ele respeita bem os jogos apesar de ser muito estranho vc morrer por trombar em uma caixa ou perder aku aku por isso.

    É bem legal tbm o esquema de sub chefes a derrotar antes de encarar o principal.

    Achei ok mas n consigo jogar mais pq os servidores estão tão cheios q n me deixam avançar nas fases.

    20
  • 2021-03-13 21:45:09 -0300 Thumb picture
    andre_hirosaki checked-in to:
    Post by andre_hirosaki: <p>Growlanser II foi <strong>uma aposta</strong> da
    Growlanser II: The Sense of Justice

    Platform: Playstation 2
    16 Players
    1 Check-in

    Growlanser II foi uma aposta da Working Designs. Como se sabe, a WD foi uma empresa focada na tradução de RPGs japoneses desconhecidos para o público ocidental e foi uma das primeiras q trabalhou para eliminar a barreira idiomática entre o Japão e o Ocidente. Mesmo com uma missão tão nobre, a WD pagou caro por isso anos mais tarde.

    Um dos títulos foi GL, lançado em um pacote especial q reunia o 2 e 3 em dois discos separados e assim, o Ocidente voltou a poder conhecer os produtos da Careersoft.

    Zerado em +/-15h (NG), dps zerado de novo em +/- 9h fazendo o ending da Charlone (NG+1), zerado pela 3a vez, fazendo a rota do Wolfgang em +/- 9h (NG+2) e zerado pela quarta e última vez com auxílio de um guia, fazendo uma run perfeita, pegando todas as 16 histórias, recrutando o Lyell, fazendo o ending da Arieta e completando a quest da menina gato em cerca de 6h (evitei um NG+3 dando load em um save estrategicamente feito na bifurcação das rotas). 

    Gameplay total = +/-35h pelo PCSX 2 v.1.6.0.

    E foi exatamente isso q vc leu: esse jogo é curto.

    Ele é tão curto q eu acabei em 5 dias e legit fiquei bolado q tinha caído em um bad ending devido às minhas escolhas na história e achei q tinha ainda mais chão pra percorrer.

    Mas ele é assim msm, entre 15h e 20h o jogador consegue terminar a história, mesmo dando uma enrolada pra grindar os personagens.

    Eu achei essa ideia bem estranha, pra quem veio achando q ia gastar mais de 50h acha muito suspeito essa duração.

    Eu fui completamente incapaz de ficar satisfeito com isso, e por isso abri o NG+ pra tentar fazer mais coisas e fiquei bastante surpreso com a quantidade de informação escondida q na primeira run acabei deixando passar.

    O jogo em si é beeemmm...diferente do anterior.

    De cara, uma das mudanças q menos gostei foi a retirada da excelente exploração em dungeons e cidades para dar lugar agora a um modelo simplificado de exploração em q vc têm as cidades e caminhos visíveis em linhas e vc apenas abre uma lista com as opções disponíveis para conversar com npcs, comprar itens, descansar e etc.

    Eu achei bem estranho pra ser sincero, a exploração do primeiro jogo era tão boa q é dificil engolir essa mudança. Ao menos explorar é mais ágil mas meio chato com o tempo pois só uma música fica tocando e com o tempo começa a achar enjoativa.

    Aliás, pode rolar random battle andando entre as cidades...é bem estranho isso. Felizmente tem uma joia (Secret Step) q diminui a frequência q as random battles acontecem e ajuda um pouco, principalmente quando tá andando entre as cidades procurando coisas.

    O mapa múndi tbm reúne bastante evento secreto q vai por exemplo desde o q os personagens acampando, discussões filosóficas sobre guerras, batatas até para algumas lutas secretas q dependem do desempenho nas lutas. É bem dificil conseguir ver tudo então usei um guia para poder acessar todas elas.

    Mas em outros pontos, oh boy, como esse jogo acertou bonito. Se eu precisasse resumir o melhor ponto desse jogo é uma palavra só:

    agilidade

    Tudo nesse jogo é rápido, desde o movimento dos personagens, o grind, a possibilidade de cancelar animações das magias e por aí vai.

    Em especial, o movimento dos personagens é tão veloz q isso contribuiu para aumentar um pouco a dificuldade pois tudo é bem veloz e estratégico, eu gostei pra caralho dessas mudanças e é preciso raciocinio rápido para responder a algumas situações do jogo.

    Outra muito foda tbm foi a expansão das habilidades quando sobe de nível e vc desbloqueia q nem o primeiro jogo: vc ganha pontos para serem alocados como quiser nas habilidades q desejar.

    As novas habilidades são bem úteis às vezes e vc vai iberando cada vez mais à medida q vai avançando de nível. Porém, como o jogo em si é bem curto, lá pelo level 27-30 o personagem já tá bastante forte.

    Outra grande mudança foi a inclusão das Ring Weapons e as joias para equipar. Parece ser um sistema bastante complexo mas é muito fácil e intuitivo de aprender.

    A numeração do anel simboliza o nível máximo q uma joia pode ser equipada, indo de 0 até 9. Evidentemente os melhores anéis são os 9-9-9 q são bem raros de aparecerem.

    Ou seja, além da tradicional armadura, temos um anel q permite +3 equips das joias além de conceder alguns stats boosts.

     O mesmo vale para as joias, existem CENTENAS de joias para equipar e todas elas têm um efeito e um nível para serem colocadas nos aneis e 3 ainda podem ser equipadas.

    As excelentes mudanças no gameplay, a agilidade, as opções de customização, todas foram mudanças fodas demais. É bom demais ver um SRPG q dá tanta liberdade de customização dos personagens com centenas de opções disponíveis, algumas até bem game breaking de tão OP q são.

    Jogar em inglês tbm é bom pra caralho, o trabalho da WD aqui foi impecável, até a dublagem em inglês é foda com destaque para as vozes do Logan, Sereb, Wolfgang e Gevas de tão boas q são.

    A ÚNICA coisa q eu detestei na tradução foi q eles mudaram o nome do Oscar Reeves para Kenshim Reeves e só. Eu n entendi bem pq o resto todo eles mantiveram mas não o nome do Reeves mas ok.

    Outra mudança boa pra k7 tbm foi colocar 8 personagens para cair na porrada, em vez de 5 no anterior. No GL 1 era preciso revezar a party entre os personagens, aqui todo mundo vai para o pagode junto, é foda demais levar a trupe inteiro nas batalhas.

    Sobre personagens, é bom demais tbm alguns personagens do anterior voltarem como playable como o Carmaine e o Xenos. 

    Um segredinho legal tbm é o recruit secreto do Lyell e da Arieta.

    Na prática, é possível vc n conseguir recrutar o Lyell e Arieta na primeira run, então o jogo seguiu a proposta de Fire Emblem ao colocar o Sereb e o Brett como recruits substitutos para vc n ficar com menos de 8 personagens na run.

    Em termos de gameplay, esse jogo conseguiu melhorar consideravelmente todos os pontos do antecessor.

    Acha q as surpresas acabam por aí? As missões tbm deram uma diferenciada, como por exemplo:

    Missões de Stealth

    Oi?

    Vc n leu errado, existem missões de stealth em um fucking SRPG.

    Eu n cheguei a comentar isso no primeiro GL, lá tbm tinha Stealth mas era um modelo muito parecido com Pokemon em q vc precisava esperar o carinha olhar para o outro lado e passar correndo por trás para ele n ver.

    Nesse jogo, os devs efetivamente colocaram algumas partes de furtividade para valer nas missões, apesar dessa em específico eu sempre passar por força bruta.

    Apesar disso, a missão anterior exigia q os inimigos não vissem o Wein de forma alguma ou era Game Over de cara.

    Eu achei bem engraçado na hora, felizmente têm pouquíssimas missões nesse estilo e não são muito cursed de passar.

    Assim como no primeiro jogo, existem umas boss fights bem daorinhas tbm apesar de serem bem poucas. Nessa parte, precisamos derrotar o Wolfgang porém o mesmo está dentro de uma armadura neural q fica atirando uma bola de energia q causa algum status nos personagens (paralysis, poison ou deadly poison) enquanto carrega o canhão principal. Ou seja, ainda tem limite de tempo.

    Nessa parte tbm existem várias armaduras neurais menores bem fortes q vão para cima da party impedir q eles cheguem no chefe antes de carregar o canhão. É uma boss fight bem desafiadora, na primeira vez eu penei bastante para poder passar devido ao veneno ou paralisia sempre atacar nos momentos inconvenientes.

    A dificuldade desse jogo é tranquila, no entanto, com alguns picos, assim como no primeiro.

    Por exemplo, as missões mais difíceis para mim são as de proteger NPC q geralmente aparece muito reforço no meio do combate e eles aparecem em lugares desagradáveis (atrás dos magos ou muito perto dos NPCs) e pode acabar tendo q resetar a missão várias vezes ou as missões q têm limite de tempo para completar.

    Existem algumas outras missões bem chatinhas tbm como a de recuperar a antena da ruínas em q o chão está colapsando. As missões com tempo contado são um pouco difíceis no começo mas dps q pega a manha, especialmente se equipar as joias e itens certos, dá pra levar numa boa.

    Edit: esse jogo até tem uma abertura mas ela é muito inferior a do primeiro jogo. Eu duvido seriamente q o Urushihara fez essa abertura dps de uma abertura top no primeiro jogo.

    E como eu já falei antes, esse jogo é tão curto q acabei iniciando um NG+. A vantagem do NG+ é q vc começa com todas as joias, armaduras e aneis do playthrough anterior, q vc começa a atropelar o jogo todo, especialmente se equipar umas joias bem diferenciadas (Hans de Hyper Attack lvl 8, New Horizons e Strenght Increase é balanceada sim amigo, assim como Wizard Secret, Magic Awakening e Quick Aria).

    Tinha missões q eu penei tanto na primeira vez q foi até satisfatório poder simplesmente castar meteor, quake, tornado, soul force e Thunder Storm com cerca de 1h de jogo, era satisfatório demais explodir os inimigos com as melhores magias, ainda mais com a animação sensacional de cada uma delas.

    O NG+ tbm facilita bastante jogar a rota do Wolgang pq é necessário dar Mission Complete em todas as lutas antes dele (exceto a 1a) q é bem mais fácil fazer isso em um NG+.

    Eu aproveitei tbm e fiz o Ending de romance com a Charlone e Arieta e aproveitei para recrutar o Lyell na última run. Tinha muita informação escondida nas rotas q acabou valendo muito a pena, especialmente os diálogos do Lyell e Arieta. 

    Eu completei tbm a quest da menina gato q abria uma interessantíssima opção de extra com Sandra Side Story, ela é bem curtinha e forneceu algumas informações muito úteis q n foram contadas no GL 1.

    Uma coisa q eu n gostei muito foi a retirada do Iwadare da produção das músicas, ainda q o Akira Fujioka tenha feito um trabalhinho legal, eu preferia mais o Iwadare na produção.

    Aqui vou abrir outro parênteses relacionado à emulação para quem tiver interesse.

    ______________________________________________________________________________

    Esse jogo tem um bug horrível relacionado ao save q congela na hora q vc vai salvar (ele pode congelar no final das missões tbm). Para corrigir isso, siga os passos abaixo:

    1-Abra o bloco de notas;

    2-No campo em branco, dê um ctrl c+ ctrl v no seguinte texto: 

    patch=1,EE,001153DC,word,0C042618

    3- Dê um save e no nome, coloque o seguinte:

    03F9C6D1.pnach

    4-Pegue esse arquivo e salve na pasta de cheats do emulador PCSX 2. Por padrão, essa pasta fica salva em Documentos->PCSX2->cheats.

    5-Abra o PCSX 2 e vá em System->Enable Cheats

    Eu n cheguei a testar se na versão undub funciona esse patch. Em teoria é pra funcionar porém o código CRC muda, sinta-se à vontade para testar. Repita os passos acima, e na hora de salvar, coloque o seguinte número no nome:

    094577F9.pnach

    ______________________________________________________________________________

    De uma forma geral, eu curti o jogo, eu curti bastante os personagens da party antiga voltarem como jogáveis e o fato de poder controlar 8 ao mesmo tempo, as opções de customização através dos aneis e das joias e a historia q começa durante os eventos do GL1 e continua após a derrota do vilão, foi uma ótima experiências mesmo com a mudança esquisita na excelente exploração do primeiro game.

    Por ser bem curto, acabei zerando mais vezes q o necessário e dificilmente vou voltar pra jogar ele de tão enjoado q acabei ficando.

    Felizmente, os diálogos entre os personagens, especialmente da party antiga com a nova valeram mais a pena do imaginei q seria.

    32
    • Micro picture
      pathicakes · about 1 month ago · 2 pontos

      Um dos rpgs que mais quero conheçer é a saga growlanser, se é tão curto pra cada final é uma pena mais certeza que tem muito mais a se ver nesses jogos.

    • Micro picture
      bobramber · about 1 month ago · 1 ponto

      Rapaz!!! Um dos maiores posts que já vi!!!
      Não li todo, mas leva meus parabéns!!

    • Micro picture
      vante · about 1 month ago · 1 ponto

      Caraca, parece um Fire Emblem só que ainda mais complexo, embora deva ser mais tranquilo depois de pegar o jeito

  • 2021-03-01 13:00:30 -0300 Thumb picture
    Post by andre_hirosaki: <p>#img#[763888]</p>

    Elden Ring

    Platform: Playstation 4
    2 Players

    18
    • Micro picture
      mateusfv · about 2 months ago · 1 ponto

      Pensei que ele ia dizer "We got bonfires to burn" ou algo assim XD

  • 2021-02-27 22:54:10 -0300 Thumb picture
    andre_hirosaki checked-in to:
    Post by andre_hirosaki: <p>A saída do time Careersoft da Masaya não foi o f
    Growlanser

    Platform: Playstation
    18 Players
    1 Check-in

    A saída do time Careersoft da Masaya não foi o fim da equipe, muito pelo contrário. Todos os membros foram contratados pela Atlus para, dessa vez, criarem o sucessor espiritual de Langrisser, um excelente rpg tático chamado Growlanser, até hoje preso na exclusividade do Japão, mesmo tendo passado 22 anos de seu lançamento original (da data dessa postagem).

    Zerado em +/- 55h no Retroarch com o PCSX Re Armed.

    E caramba, quanta evolução absurda nos conceitos táticos do jogo. Primeiramente eles abandonaram de vez o estilo full tático dos jogos, especialmente a divisão em mapas de combate por capítulo para dar agora um ar totalmente RPG ao jogo.

    Agora é inteiramente possível explorar dungeons, cidades, falar com npcs, pegar quests opcionais, comprar armas, itens e armaduras, equipar acessórios, grindar À VONTADE e onde quiser e escolher as opções de romance ou amizade entre os membros da equipe.

    Eu já começo dizendo q achei todas as mudanças sensacionais, é incrível ver como um time amadureceu tanto as ideias e abandonaram a lentidão q os rpgs táticos são conhecidos para dar ao lugar um rpg muito mais rápido e divertido de jogar. Obrigado Shinjiro Takada (e lembrem bem desse nome, esse é um japonês brabo na produção de jogos).

    Eu curti bastante tbm a introdução dos personagens q recebem uma cg com arte de adivinha quem? para mostrar detalhadamente o mesmo quando aparece pela primeira vez na história.

    Sobre o design eu gostei bastante da mudança para armaduras de ombreiras enormes que simbolizavam a autoridade no exército para um design mais estiloso, com mais atenção aos detalhes nas roupas e ornamentos.

    Sobre a exploração eu fiquei bastante satisfeito com o resultado. As cidades são numerosas, todas têm um lojinha com centenas de itens à venda (q vai de um arsenal de mais de 100 armas pra comprar, sem falar das armaduras e acessórios q alteram os stats)  e ainda contam com um INN para descansar e recuperar totalmente o HP e MP da party após os combates.

    Ah e como dá pra perceber, sim esse jogo não tem fan translation ainda msm tendo passado duas décadas de seu lançamento porém tem um guia de altíssima qualidade no gamesfaq q cobre a maioria dos diálogos da história. Não só o guia tem uma qualidade de ponta na tradução, ele ainda deu muitas dicas de como avançar no game, especialmente nas boss battles e event battles.

    Normalmente o tradutor comenta algo do tipo: "ei po, vai nessa cidade aí e conversa com o npc de cabelo vermelho bem no cantinho da lojinha, ele vende uns itens daorinha" ou "para a próxima luta, estoque itens e aprenda thunder pois os inimigos da área são fracos contra o elemento".

    O jogo tbm n dava muitas dicas de como avançar. Por ser mais rpg, agora a exploração é por conta do jogador e das poucas dicas q dá nos dialogos porém é desnecessário dizer aqui q n tinha nem como eu avançar por esse jogo totalmente blinded, eu gostei bastante do guia q se comprometia até a dizer onde vc tinha q ir e onde IR PRIMEIRO para evitar algumas situações bastante desagradáveis (como a quest para resgatar a Karen).

    Sobre o gameplay eu fiquei bastante satisfeito tbm. Por ser mais rpg, agora os personagens não evoluem baseado a cada 100 xp ganho, eles limitaram o grind como um rpg normal e uma excelente lista de skills para distribuir bonus point como quiser para ganhar habilidades extremamente úteis e controlar a build do personagem como desejar.

    Por exemplo, o Wallace não tem MP então não faria sentido algum fazer ele aprender magias, ao invés disso seria melhor ele aprender habilidades q focam na defesa (anti poison, anti paralysis, HP UP, counter etc.) para deixar ele bem tanque.

    O mesmo raciocínio se aplica a Ruise, não faria nenhum sentido desbloquear habilidades q aumentam o ataque pois a Ruise tem pouco HP e quase nenhuma defesa, portanto ela é muito melhor aprendendo magias (fireball, thunder, blizzard, meteor, attack up, defense up, resist, cure etc.) mas ainda é bem vindo um HP UP de vez em quando pq a bichinha leva qq dano e já ta quase mortinha.

    Mas n se engane, o jogo é bem mais tático e estratégico do q aparenta ser. Tome como base a luta acima.

    Nessa luta, precisamos proteger a mãe do Elliot ao mesmo tempo em q impedimos os assassinos de materem ela. Pra piorar as coisas, eles ainda ateiam fogo no mapa e precisamos fugir logo pois o fogo avança muito rápido e pra piorar eu ainda fiz a burrice de salvar o jogo com um party member a menos, quase q eu softlockei por pura estupidez. (hm pera um pouquinho, acho q já vi um mapa com gimmnick assim em um Langrisser...)

    Todos os personagens tbm andam ao mesmo tempo, é necessário tomar atenção especial principalmente com os magos da equipe pois eles são bem frágeis e as vezes, quando vc se dá conta, tem um assassino em cima da Ruise dando espadada na cara dela.

    Sobre combates, esse jogo tem umas boss fights bastante legais e interessantes tbm.

    Esse é um guardião de uma das dungeons, era necessário dar cabo primeiro do guardião maior pq os menores eram instantaneamente ressuscitados pelo grandão quando morriam e ainda ficavam castando magia AoE q matavam muito facil devido a quantidade.

    A estratégia consistiu em primeiro dividir a party para só um ou dois tomarem magia enquanto o resto ficava longe no suporte com cura e buff ou magia AoE tbm.

    Mas não é bem um chefe bem dificil, eu gostei bastante q o jogo tem uma dificuldade bastante moderada com um grinding bastante justo, geralmente eram nas event battles q eu recebia a maior quantidade de xp e upava o pessoal.

    Aliás eu tbm gostei muito q vc podia montar a party como quisesse. O máximo são exatamente 5 e eu até tava pensando em colocar o Julian no lugar de alguem lá mas eu achei uma droga q o sujeito era um personagem secreto q exigia um esforço enorme só para conseguir colocar ele na equipe, e pior q eu ainda fiz certinho como o guia dizia, eu n faço a menor ideia onde foi q errei para n ativar um dialogo durante a invasão de Ranzak.

    As magias Aoe desse jogo são absurdamente legais de usar. Primeiramente é necessário prestar atenção no range delas e se o inimigo não absorve o elemento e ainda prestar atenção no tempo q leva para poder castar. Se o mago levar dano enquanto carrega a magia, o tempo para liberar ela acaba sendo aumentado levemente então é preciso manter os magos na backline e colocar os tanques na frente.

    E segundo são o formato delas. Holy Light por exemplo tem a forma de uma cruz e boa parte dos inimigos do jogo tem fraqueza a holy. Thunder tem a forma de um retângulo e por aí vai.

    Outra coisa q eu gostei bastante tbm foi a historinha. Por ser um híbrido entre RPG clássico e tático, eu diria q a historia se distanciou um pouco da novela q os táticos raiz são conhecidos (historia meio previsível, reinos em guerra etc).

    Ok, acontece uma guerra aqui tbm mas o foco da história é bem mais focada no desenvolvimento dos personagens.

    A cada investigação bem sucedida, os personagens ganhavam férias em q era preciso viajar forçadamente para algumas opções de lugares onde só jogavam conversinha fora enquanto tomavam banho de Onsen ou iam pra cidade do MC e assistir um teatro, museu de artes, etc. para aumentar a afinidade entre os membros. Foi só la para o final q eu acabei notando q era só nesses momentos q era necessário escolher com cuidado quem vc queria desenvolver mais intimidade pq isso impacta diretamente no ending.

    Em especial, eu curti bastante o plot twist no final do disco 1 onde a história se distanciou totalmente do modelo de guerra previsivel de um tático para dar lugar a uma investigação completa para descobrir o paredeiro dos Growsians desaparecidos da Academia de Magia. Se o jogo fosse full tático, esse tipo de coisa nem sequer ia acontecer.

    Minha única reclamação foi bem no finalzinho da história q eu ja tava achando meio chato o Venzel indo de lá pra cá fazendo merda e vc só tendo q eliminar uns Yungs chatos q eu ja tava cansado de matar no jogo inteiro.

    Sobre o final boss, mas caralho mano q final boss simplesmente foda. Como dá pra ver na imagem, existem 6 garras, 4 olhos e o Venzel no meio enquanto vc só tem 5 membros. 

    As garras das laterais conseguiam acertar qq membro presente e, pra piorar, essas fdps ainda miravam só em q tinha pouca defesa pra matar rapidinho. Os olhos ficavam castando magia sem parar, o Venzel tinha um ataque em área quase mortal q deixava todos meus personagens na merda e pra piorar a luta ainda tinha limite de tempo antes da distorção no espaço-tempo contínuo separar completamente as realidades o q seria o fim do mundo na história.

    Pessoalmente falando eu curti bastante essa luta, o jogo inteiro eu achei q teve uma dificuldade até por vezes extremamente baixa com alguns momentos de pico de dificuldade mas nada muito grave, foi só nessa aqui q o bagulho realmente ficou mais insano.

    Uma das poucas coisas q n gostei é q eu achei as sprites do mundo feio fraquinhas, acho q eles poderiam ter se esforçado um pouco mais apesar de geralmente eu n ligar tanto assim pra gráfico.

    Abaixo está uma pequena dica para vc q n tem tanta familiaridade em jogo multi disc no RetroArch, vou abrir um pequeno parenteses para quem n quiser ler só pular para a etapa seguinte.

    __________________________________________________________________________________

    Primeiramente, em jogos multi disc da era ps1, é preciso tomar um cuidado em especial se jogar pelo retroarch.

    ANTES DE JOGAR CRIE UM ARQUIVO .M3U SENÃO CORRE O RISCO DE SEU SAVE N SER TRANSFERIDO PARA O SEGUNDO DISCO.

    Como se sabe, chega um ponto q os jogos dizem "Pls, insert disc 2" e vc provavelmente vai abrir o menu do Retroarch para trocar o disco na opção Change Disc Entry.

    NÃO FAÇA ISSO pois o jogo não consegue salvar o jogo. Assim q vc sair, quando voltar na verdade seu progresso não estará salvo e assim vc vai ter simplesmente perdido todo seu progresso até antes do save do disco 1.

    Isso fica bem mais claro quando vc tenta dar um save state no disco 2 pois aí essa opção não aparece.

    Para consertar isso, pegue os 2 arquivos .cue q vem na iso do jogo e salve elas em um bloco de notas. Ela deverá ficar assim:

    Growlanser (Japan) (Disc 1).cue

    Growlanser (Japan) (Disc 2).cue

    Então vc pega esse arquivo de texto e salva com qualquer nome+.m3u. Então ele deverá ficar assim:

    Nome.m3u, por exemplo Growlanser.m3u

    Aí basta mandar o RA escanear a pasta inteira junto com o bloco de notas salvo no mesmo diretório para ele entender q o jogo precisará trocar de discos em algum ponto.

    Se, assim como eu, vc chegou aqui e não fez isso ANTES DE COMEÇAR A JOGAR, saiba q tbm é possível contornar essa dor de cabeça ativando a opção de SECOND MEMORY CARD e o save tbm consegue ser transferido para o segundo disco sem problemas.

    Porem evite isso e crie o arquivo .m3u assim vc evita o medo de ter um save de mais 38h no lixo como eu quase pensei q tive. A internet tbm n tinha muita explicação para essa situação, por isso deixo salvo aqui como minha contribuição para quem ainda não passou por isso.

    __________________________________________________________________________________

    Voltando, agora falando das músicas.

    Olha eu vou falar bem sério agora. Eu sei q o Iwadare é lembrado como um dos melhores musicistas japoneses mas cada vez mais q eu jogo jogos q esse sujeito trabalhou, mais eu acho q a ost desse cara é braba demais.

    Essa musica é tão foda q só tocava nos momentos mais fodas do jogo, especialmente a luta contra os 3 Imperial Knights (Oscar Reeves, Ernest Lyell e Julian) o q só deixava o clima ainda mais foda

    Essa aqui tbm é soul demais, todas as vezes q eu ia pra Featherland eu adorava simplesmente primeiro admirar a paisagem ao fundo e ler com muita calma a tradução do gamesfaq enquanto eu acalmava os nervos escutando a música do Iwadare.

    Como eu quase ia esquecendo de adicionar q esse jogo tem uma motherfucker abertura em anime dos anos 90 com uma animação q pqp, nostálgica pra caralho essa é a melhor definição

    Apenas fazendo um resumo geral do q falei, mas eu amei todo o tempo q gastei aqui. Está muito enganado quem acha q foi um rpg tortuoso e chato de jogar todo em japonês.

    Os personagens são muito caristmáticos, a historia é bem diferente da padronizada de um tático, a exploração é sensacionalmente completa, livre e com muita coisa para ficar fazendo, a arte é totalmente desnecessária dizer q ainda é excelente e o jogo tem muitos segredos típicos de um rpg comum.

    A grande verdade é q enquanto estou escrevendo esse texto aqui, eu estou explodindo de ansiedade em jogar o resto da franquia, uma franquia completamente obscura de rpg. Só o primeiro jogo eu já achei um dos melhores tactics q já tive o prazer de conhecer e jogar.

    É só uma bosta total q esse jogo teve não só uma, mas DUAS chances de ser traduzido mas eu sei lá quem foi q disse q uma pérola dessas simplesmente não ia chegar no Ocidente, agora temos q amargar uma fan translation q até hj tá enrolada com a tradução e a Atlus nem aí para traduzir tbm.

    Eu com ctz adoraria jogar isso até mesmo para poder ler a descrição dos itens e cenários e a conversinha q alguns npcs nas cidades ficam jogando e principalmente para fazer a dungeon secreta. Tem o remake pra PSP tbm mas essa desgraça tbm n foi traduzida, espero demais q a Atlus possa olhar para uma tradução oficial algum dia, não seria demais sonhar.

    Mas chega de enrolação em check in, avante a mais um GL!

    37
    • Micro picture
      gicba · about 2 months ago · 2 pontos

      grande André zerador de jogos com guias do Gfaqs, admiro sua coragem
      Em questão de vender o jogo como um JRPG, você fez um ótimo trabalho, devo dizer. Espero que um dia traduzam para eu dar uma olhada.
      Só uma coisa que não entendi: como exatamente funcionam as lutas?

    • Micro picture
      rax · about 2 months ago · 2 pontos

      Parabéns pela zerada.

      Vou continuar acompanhando os seus check-ins,mas fico feliz de ao menos esse ano eu ter tirado o Langrisser 1 do backlog.

    • Micro picture
      vante · about 2 months ago · 2 pontos

      Parabéns pela zerada mano! Tá numa maratona sinistra de RPG tático hein?

  • 2021-02-07 21:05:14 -0200 Thumb picture
    andre_hirosaki checked-in to:
    Post by andre_hirosaki: <p>Terminei hj em 26h24min com 85% de taxa de compl
    Hollow Knight: Voidheart Edition

    Platform: Playstation 4
    164 Players
    66 Check-ins

    Terminei hj em 26h24min com 85% de taxa de completo, ainda bem q ele ficou de graça pela PS Plus pq quando o assunto é metroidvania eu sou muito fraco e quando o assunto é souls-like eu sou mais fraco ainda.

    Eu acabei n pegando o true ending, aí meu final foi só o q a gnt vira o novo hollow knight e acaba por aí msm, eu e minha mania de jogar sem olhar guia.

    Mas eu tbm n fazia a menor ideia aonde tinha q ir, eu tentei explorar cada canto possível sem olhar um guia na internet, eu diria até q consegui explorar bem e ainda catei 33 dos charms notchs.

    Eu já vi q o pessoal tilta nele mas eu achei muito facil, o segredo de todo metroidvania é sempre explorar bem e catar bastante upgrade.

    Pra falar a vdd eu tive dificuldade em certos bosses só como esses

    Esse aqui eu achei bem chatinho até pq todos os ataques causavam o dobro de dano, bosses q davam dano em dobro foram os mais dificeis pra mim

    Eu fui pra cima de alguns dream bosses tbm e a versão mais encapetada de alguns, esse foi um dos q achei mais dificil ate pq o bicho se move muito rapido e me explode com cada marretada q ele da e olha q eu tava cheio de upgrade, notch e vida e msm assim achei complicado.

    E esse aqui eu gostei bastante por ser uma experiencia bem soulslike por estar bem distante do save point e a luta ser bem ardua por ter q lidar com dois bichos enormes ao mesmo tempo

    Sobre o jogo em si, eu achei bem tranquilo mas eu só vou reclamar um pouco da exploração. Pra quem já gastou uma vida nos castlevanias do iga e metroid e joga Hollow Knight, acaba achando a exploração meio fraca.

    Eu vou dar um desconto até pq ele é um indie mas eu senti uma grande falta de ser mais recompensado com armas e magias como um arsenal de mais de 50 armas em castlevania ou upgrade de tiros, pulo infinito, melhorias na zero suit como em metroid.

    Mas ok, eu achei bem razoável a exploração e gastei bastante tempo principalmente procurando upgrades de vida e na barra de acumulo de magia.

    Hollow Knight tinha minha atenção a muito tempo principalmente por ser um hibrido entre dois estilos de jogos q curto muito, agora vou só procurar guias para fazer o true end e pensar se eu invisto na platina algum dia.

    18
    • Micro picture
      srnicko012 · 2 months ago · 2 pontos

      esse ai vi algumas pessoas dizendo que tem glitch de invencibilidade pra platinar (sem ele é bem insano de se fazer), ainda nem se quer instalei ele mas geral fala bem, quero conferir alguma hora

      1 reply
  • 2021-02-01 16:01:08 -0200 Thumb picture

    Desafios de Classes de Fire Emblem - Dia 7 Extra! - Vilões

    Ainda não falei de Fire Emblem o suficiente. Bora rankear os chefes! 

    Antes, o texto abaixo tá infestado de spoilers, leia por sua conta e risco.

    ______________________________________________________________________________

    Regras:

    - Dia 1: Fazer um top 5 de suas classes favoritas de Fire Emblem

    - Depois disso, fazer um TOP 5 de personagens nos outros dias

    - Se quiser, fazer um dia adicional com uma menção honrosa.

    - Marque a persona @desafio

    ______________________________________________________________________________

    5- Hardin

    Uma das minhas maiores surpresas quando joguei o New Mystery. Eu fiquei legitimamente bolado quando um dos companheiros do Marth em Shadow Dragon e supostamente um líder benevolente q faria de Archanea um reino próspero, acabou se tornando um tirano e um vilão a ser obrigatoriamente derrotado.

    Plot Twist assim é bem raro e por isso sempre lembro da ousadia em fazer um aliado da guerra virar um vilão sem escrúpulos na continuação.

    Parte do q fez Hardin se tornar um foi o casamento conturbado dele, q o fez ganhar muita tristeza e rancor. Bastou o Gharnef chegar com a Darksphere e pronto, sua alma se corrompeu nas escuridões profundas de seus pensamentos negativos.

    4-Ashnard

    Esteticamente acho Ashnard um dos vilões com design mais legal.

    Além de ter uma presença imponente, o cara ainda vem montado no Rajaion/ Black Dragon e não tem coisa mais foda do q chefe montado em dragão. 

    Ele é muito conhecido como Mad King por ter planejado a ascenção ao trono de Daein basicamente matando toda a família na hierarquia até sobrar só ele. E como se já não fosse o suficiente, ele foi ainda mais longe ao incitar a guerra no Path of Radiance somente para alimentar o Lehran Meddalion e assim, ganhar poderes sobre humanos.

    Ainda acho ele um dos chefes mais poderosos da série por ter uma speed descomunal, a ponto de passar até do Ike em velocidade e capacidade de voar o que o torna ainda mais perigoso.

    3-Manfroy

    Os magos negros em FE são bastante creepy, ainda mais usando magias q tem umas animações bastante sinistras.

    O Manfroy se destaca por ser um dos maiores responsáveis por várias tragédias nos eventos do FE 4 e 5 o que inclui assassinatos, manipulações de reinos inteiros em numerosos conflitos, sequestro de várias crianças para virarem soldados sem almas do império Loptous. Mas nenhuma delas foi tão trágica quanto a lavagem cerebral da Deirdre para q ela e Arvis pudessem se relacionar e gerar dois filhos os quais receberiam a possessão de Loptous e assim o império pudesse ressurgir, para o desespero de Sigurd.

    Até hoje acho muito marcante a influência q somente uma pessoa com um desejo incomensurável de ressuscitar um império das trevas conseguiu ter em um continente. Há quem não acredite mas na vida real isso já aconteceu diversas vezes.

    2- Zephiel

    Talvez não exista tragédia maior do que possuir pais q maltratem seus filhos. De todos os bosses da série, Zephiel talvez tenha um dos backgrounds mais tristes e humanizados.

    Ainda muito novo, ele já seu viu preso em um jogo político complexo por causa de seu pai Desmond. Msm q ele seja o filho legítimo, ele nunca foi reconhecido como o verdadeiro herdeiro. Ao invés disso, Desmond queria q Guinivere fosse a sucessora do trono uma vez q o verdadeiro amor de Desmond era uma mulher de origem comum.

    E aí está a receita do desastre pois Zephiel sempre foi desprezado por seu pai e todas as tentativas de aproximação entre os dois só serviam para aprofundar a relação de mágoas entre eles.

    Para piorar, Zephiel ainda sofreu duas tentativas de assassinato cujo ordenante foi ngm menos q seu próprio pai. Com o passar dos anos, ele acabou matando Desmond e finalmente ascedeu ao trono, mas para q se tornar um líder?

    As pessoas são horríveis

    egoístas

    sedentas por controle

    poder

    sem um pingo de humanidade

    tudo q resta ao final é

    morte

    E passando por tantos anos de sofrimento e angústia, Zephiel se aliou com os dragões e tentou aniquilar a humanidade, crente q os dragões não repetiriam os mesmo erros dos humanos.

    E finalmente devemos pôr um fim ao reino de tristeza dele. Ah e Zephiel tem um dos melhores sprites e animação de crítico da série.

    1- Nergal

    Nergal pode não ter o background mais profundo e compreensível mas eu gosto muito dele como um boss. OK, a mulher dele e Ninian e Nils tem um plot bem interessante contado no Hector mode.

    Primeiro ele era um estudioso q acabou ficando maravilhado com o reino de Arcadia, um lugar onde dragões e humanos conviviam pacificamente.

    Durante suas viagens pelo reino, ele conheceu Athos e ambos acabaram sendo convidados para viverem e aprenderem com os dragões.

    O problema foi quando Nergal descobriu a magia proibida q manipulava a força vital dos indivíduos. Eventualmente, ao descobrir o uso de artes proibidas, ele foi banido do reino.

    Com o tempo ele passou a acumular força e criando morphs para incitarem guerra em todos os cantos, para q ele pudesse acumular quintessence dos corpos mortos. 

    Outro motivo q me faz gostar muito dele é seus maravilhosos sprites, um dos mais caprichados dos jogos pra mim. A animação de Ereshkigal é maravilhosamente detalhada e incrivel de assistir por isso inclui ele nesse lugar.

    E por ultimo é o design dele em q um dos olhos não fecha e só acompanha o esquerdo.

    E essas foram minhas escolhas no dia extra, marcando o @vante e @gicba pra ver quais os vilões preferidos deles tbm.

    Fire Emblem

    Platform: Gameboy Advance
    1128 Players
    256 Check-ins

    19
    • Micro picture
      gicba · 3 months ago · 2 pontos

      Hardin e Zé Fiel brabos demais, mas gosto de todos aí (apesar da trope de mago negro que manipula tudo nas sombras em FE as vezes me irritar)
      O Nergal é até desenvolvido pra um vilão de FE pô, tem umas coisas legais sobre a backstory dele em capítulos secretos, que é algo que eu aprecio um bocado no FE7

      1 reply
    • Micro picture
      noyluiz · 3 months ago · 2 pontos

      Tirando o 4(pq não joguei o jogo do mesmo) Same List

      2 replies
    • Micro picture
      vante · 3 months ago · 2 pontos

      Zephiel e Hardin: a dubla de imperadores malégnos que não usam magia.
      Pior que o você falou sobre o Manfroy é uma tensa realidade mesmo...

      1 reply
  • 2021-01-31 22:19:42 -0200 Thumb picture

    Desafios de Classes de Fire Emblem - Dia 6

    E chegamos na minha classe favorita q são os Berserkers!

    ______________________________________________________________________________

    Regras:

    - Dia 1: Fazer um top 5 de suas classes favoritas de Fire Emblem

    - Depois disso, fazer um TOP 5 de personagens nos outros dias

    - Se quiser, fazer um dia adicional com uma menção honrosa.

    - Marque a persona @desafio

    ______________________________________________________________________________

    5- Arthur

    O arthur é um caso engraçado pq ele é o alívio cômico do inferno q é zerar Conquest.

    Primeiro é o jeito q ele se veste q lembra as cores da bandeira dos EUA. Segundo é o jeito como ele fala: "IN THE NAME OF JUSTICE!". E por fim é o cabelo loiro.

    Todas essas características me levam a crer q a Intelligent System simplesmente alfinetou os Estados Unidos em um personagem de jogo pq todos os diálogos do Arthur com os personagens são deles ridicularizando o Arthur, chamando ele de otário entre outras coisas.

    In-game eu achei ele meio fraco apesar das taxas de crítico serem relativamente boas mas graças ao gameplay do Fates ele nem sequer precisa lutar na linha de frente, o que é uma boa considerando as defesas horriveis dele.

    Resumindo só botei o Arthur pq até hoje me custa a acreditar q ridicularizaram um país estrangeiro dessa forma.

    4- Dozla

    Dozla é um personagem muito legal do Sacred Stones por já vir promovido. Isso já coloca ele em destaque pois o carinha pode aproveitar do bonus de crit para simplesmente explodir inimigos irritantes do jogo sem sacrificar demais algumas units. Meio desnecessário considerando a dificuldade meio baixa do FE 8 mas ainda assim muito divertido de usar.

    A personalidade dele lembra bastante os anões de Senhor dos Aneis. Ele basicamente fala rindo toda hora, ele inclusive ri da própria morte! 

    E claro por proteger uma das waifus supremas de FE.

    3- Gonzales

    Um dos personagens mais dificeis de usar e únicos na franquia.

    O q mais diferencia o Gonzales é a possibilidade de usar um inimigo totalmente feio esteticamente com uma personalidade estilo Shrek "Sou feio e horroroso, as pessoas tem medo de mim".

    No jogo ele é um dos pouquíssimos brigands jogáveis na série inteira e um dos mais dificeis por ter uma piores hit rates do jogo. Isso significa q tem q babysittar ele até demais. Mas quando chegou a promoção, meu amigo todo o esforço valeu a pena pois o sujeito, apesar de não ter uma hit rate ainda muito boa, compensou com muita STR e giros de machado no ar kkkkkk.

    2- Hawkeye

    Um dos berserkers mais fodas da série. O cara é tão foda q a IS criou um sprite só dele em vez de usar o modelo de Berserker genérico.

    Assim como o Dozla, o Hawkeye tbm já vem promovido e se prova uma excelente unidade do momento q aparece até o fim afinal o FE 7 tem uma dificuldade não muito alta mas alguns mapas podem dar um pouco de dor de cabeça.

    In-game ele é uma das melhores unidades para se usar por causa dos stats altos e da capacidade de tankar ataques e poder suavizar algumas partes problemáticas, é muito dificil recusar a ajuda dele quando inicio uma run no 7.

    1- Ross

    São vários os pontos pelos quais eu coloco o Ross como o melhor berserker da saga.

    Primeiro é o level inicial dele em q é necessário upar 10 níveis e escolher entre Fighter ou Pirate. Ele vem extremamente fraco e é dificilimo usar sim mas é um investimento q vale muito a pena.

    Esses 10 níveis extras podem dar ótimos pontos nos stats e ajudar demais no late game quando ele promove para Berserker.

    In-game ele é fraco e chato de usar mas assim como a Amelia e Ewan, ele é provavelmente uma das 3 melhores units do jogo com um potencial absurdo e muitas rotas e caminhos para se escolher a vontade.

    Geralmente eu prefiro Berserker pois seu pai, Garcia, já dá um bom Warrior e Paladins já estão bem representados por outras units. Por isso prefiro Berserker pois apesar do Dozla já estar evoluido, eu sempre percebi como os stats dele podem ficar meio baixos no fim.

    E pra quem quer pegar uma nice pontuação no modo Monster Campaign, o Ross é de longe uma das units obrigatórias nesse modo de run.

    E assim rankeei todas minhas classes preferidas, espero q tenham gostado e não tenham me bloqueeado por isso.

    Fire Emblem: The Sacred Stones

    Platform: Gameboy Advance
    913 Players
    132 Check-ins

    14
    • Micro picture
      vante · 3 months ago · 2 pontos

      Arthurmight, o herói número 1! Kkkkkkkkkkk
      Dessa lista só usei o Ross

      4 replies
    • Micro picture
      gicba · 3 months ago · 2 pontos

      Ah essa arte da L'arachel
      e o meme do Gonzales me deu vida kek

      1 reply
  • 2021-01-31 00:39:03 -0200 Thumb picture

    Desafios de Classes de Fire Emblem - Dia 5

    Agora vamos rankear a classe mais popular que são os Swordmasters!

    ______________________________________________________________________________

    Regras:

    - Dia 1: Fazer um top 5 de suas classes favoritas de Fire Emblem

    - Depois disso, fazer um TOP 5 de personagens nos outros dias

    - Se quiser, fazer um dia adicional com uma menção honrosa.

    - Marque a persona @desafio

    ______________________________________________________________________________

    5- Joshua

    Eu nunca escolhi outra classe além de swordmaster para o Joshua no Sacred Stones. Ele não tem tantas habilidades OPs como os próximos da lista virão mas eu sempre gostei muito dele e da personalidade em ser viciado em apostas. Ele até faz uma aposta rapida na batalha final hehehe. Porém ele tem a SPD alta, crit decente e SKL mortal e seu gameplay n é nada além menos do q divertido e engraçado como swordmasters são conhecidos.

    Por ser um personagem bem equilibrado e legal, optei por incluir ele nesse lugar.

    4- Ryoma

    O Ryoma foi uma das poucas coisas q eu gostei no Fates Birthright.

    O sujeito é um dos poucos swordmasters q possuem uma arma pessoal totalmente única e divertidíssima de usar. Estou falando de Raijinto, a katana do relâmpago.

    Um swordmaster é sempre conhecido por ter uma arma de range = 1 mas o Ryoma quebra essa tradição ao possuir uma espada pessoal de dano mágico e ser uma das melhores units do jogo.

    O que esse cara consegue trivializar nos jogos em q ele é playable n ta escrito n. Imagine ter tanta SPD a ponto de desviar de tudo e nem precisar da DEF mediocre q ele tem, imagine ainda poder procar Astra e mandar 5 relâmpagos seguidos cada um podendo critar à vontade.

    Por mais q eu n goste muito do Fates, o gameplay do Ryoma definitivamente se destacou como um dos mais divertidos para mim.

    3- Mareeta

    Jugdral tem o melhor cast de swordmasters de todos os FEs já lançados. Vamos falar dessa mocinha q foi mais um caso de lavagem cerebral, ideia plantada na cabeça do Kaga q se repete com uma frequência até bem alta nos outros jogos.

    A Mareeta definitivamente se destaca como uma das mais poderosas swordmasters da saga por vários pontos. Primeiro é seu FCM 5 q praticamente garante um critico em todo ataque duplo q ela dá devido a sua alta SPD.

    Segundo é a excelente seleção de skills iniciais como Nihil e Luna. Luna sozinho já se mostra mais do q suficiente pois a Mareeta Sword simplesmente oblitera qq existência viva q respire e não tenha um minimo de defesas contra os ataques dela e Nihil é o ultimo prego do caixão para os inimigos.

    E olha q eu nem comentei q ela ainda pode aprender Astra e quebrar o jogo no meio kkkkkkk

    2- Larcei

    A Larcei é um dos melhores exageros do Kaga. Primeiramente ela vem na segunda geração de unidades e assim como os filhos de todos os pais da primeira parte, ela vem com uma das mais generosas seleções de skills.

    Sua mãe é ninguém menos q a Ayra e isso garante a ela duas das melhores skills do jogo q são Nihil e Astra. Independente do pai q venha, as ótimas skills da sua mãe já fazem um estrago danado.

    No meu gameplay, a Ayra se casou com o Lex e isso deu Paragon e um ótimo Growth em DEF, um stat muito ruim em todos os swordmasters da série.

    E por isso a Larcei brilha demais pra mim pois um swordmaster tank e com SPD altissima foi o cúmulo do desbalanceamento pra mim kkkkkkk.

    1- Shannan

    O Shannan é um dos exageros mais exagerados q a mente exagerada do kaga já exagerou.

    Pegue todos os pontos fortes da classe. Coloque as melhores skills já conhecidas como Astra e Adept e dê para um carinha capaz de empunhar a Balmung, uma arma tão balanceada q tem 30 de dano base e ainda oferece +10 SKL e +20 SPD pra um carinha q já tem pontos fortes nos stats especificados.

    Imagine procar astra com uma Balmung...

    E basicamente por isso o Shannan é o meu swordmaster favorito pq era ridículo de engraçado demais Astra procar com a espada equipada e ainda podendo critar em todos os golpes. Eu não consigo imaginar outro swordmaster mais digno de estar no primeiro lugar do q esse de tão OP e útil q o Shannan é em solar quase todos os inimigos mais perigosos do jogo e sem nenhuma chance de ser atingido por causa da SPD descomunal q ele ganha.

    E por hoje é "só" de FE, nos vemos na próxima!

    Fire Emblem: Seisen no Keifu

    Platform: SNES
    228 Players
    87 Check-ins

    18
    • Micro picture
      rax · 3 months ago · 3 pontos

      Vou ficar com trauma desse meme do Joshua...

      2 replies
    • Micro picture
      vante · 3 months ago · 2 pontos

      Shannan é outro que todo mundo gosta, mas eu acabei usando tanto a Larcei e o Ulster que ele foi o que eu menos usei kkkkk. Mas ele tava no level 30 no final também.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...