2017-05-09 11:55:02 -0300 2017-05-09 11:55:02 -0300
netobtu Luis Gustavo Da Luz

[PRIMEIRAS IMPRESSÕES] PREY

Umas 6 horas de jogo já, acho que já deu pra pegar bem o estilo e falar melhor sobre.

-> Os gráficos são no máximo aceitáveis. Não tem nada de lindo, mas a direção de arte hi-tech misturado com um pouco de clássico forma um contraste muito bom para a proposta do jogo.

-> A sonoplastia do jogo é um primor, te deixando tenso a todo momento. Barulhos de rachaduras estourando no casco da nave de Talos I, sons de tensão quando tem um inimigo por perto, trilha sonora incidental que vai ficando cada vez mais tensa dependendo do que está ocorrendo. Nada de novidade, mas muito bem executado, o que deixa Prey um jogo ainda mais tenso. Ah, e o jogo tem barulhos específicos dependendo do que ocorre, como completar um objetivo ou coletar algum item importante... Eu adoro esses sonzinhos.

-> A trilha sonora é boa, e aparece em vários momentos. Por enquanto, poderia ser melhor e mais presente, mas ainda assim ela é ouvida em grande parte do tempo durante a exploração de Talos I, tudo a depender do ambiente em que nos encontramos, ou de quando engatilhamos uma batalha.

-> A história do jogo é misteriosa o suficiente pra te deixar querendo saber como agir. Lembra bastante Bioshock nesse ponto, pois os objetivos principais e conversas importantes vêm através de contatos por voz de January, outras vezes por December e outras, ainda, pelo irmão de Morgan Yu, que também trabalha na espaçonave. A diferença para Bioshock aqui é que, do que estou entendendo, ao final eu terei a oportunidade de escolher o que fazer, até mesmo pelo gameplay bastante livre.

-> Logo ao chegar ao átrio da Talos I, o jogo já me informou que eu estava livre para seguir para onde quiser. A lá Metroid, no entanto, temos vários locais com travas que só podem ser abertos depois, desde que tenhamos alguma habilidade ou algum cartão de acesso ou senha. Outros, ainda, possuem mais de uma entrada ou podem ser entrados de outra forma não convencional, como ocorre em Deus Ex e Dishonored.

-> Apesar de aparentar estar vazia (com a exceção dos alienígenas), Talos I possui centrais de segurança que te informam sobre a tripulação, e te informando onde estão os membros mortos e os vivos. Até agora só achei um vivo, mas vários mortos (do que me lembro, cada cadáver espalhado por Talos I têm um nome próprio e uma função que desempenhava ali - e deve haver alguma conquista por encontrar todas as pessoas, vivas ou mortas, no jogo).

-> O jogo adota principalmente elementos de survival horror e immersive sim, com munição bastante limitada e exploração para conhecer a nave e obter materiais, mais munição, plantas para construção de aparelhos, armas e munições, cartões de acesso a partes trancadas, neuromods e muito mais.

-> Caso o jogador explore bastante, a recompensa principal são itens que podem ser reciclados em unidades recicladoras, que dão matérias primas que podem ser revertidas em munições, neuromods e outros.

-> O jogo possui uma skill tree com poderes que são habilitados através da instalação de Neuromods, que são encontrados pela nave e/ou fabricados pelo próprio jogador. As skills mais básicas temos disponíveis para instalação desde o início, como mais saúde, maior rendimento de med kits, mais força para levantar objetos mais pesados, capacidade de consertar coisas quebradas pela nave, e muitos outros. Após um determinado ponto, podemos obter upgrades alienígenas, como transformação em outros objetos (mímese), explosão telecinética... esse ponto é tipo um Megaman, é obter o poder do inimigo.

-> Para obter esses poderes aliens, temos que escanear vários deles, e assim vamos habilitando novos poderes na Skill Tree, usando um aparelho de escaneamento próprio dos funcionários da nave. Não somente aliens, mas também podemos escanear máquinas e outros sobreviventes, dando informações de fraquezas e imunidades. Lembra bastante Metroid Prime e Bioshock nesse ponto, mas com o twist de habilitar novas skills.

-> Apesar das skills aliens serem divertidas e fortes, um personagem me avisou que, quanto mais skills alienígenas eu instalar, mais a nave vai me reconhecer como alien e vai querer me matar com suas torretas e seguranças. Bom, eu to tentando não instalar muitas dessas, porque já bastam os aliens de inimigos...

-> O jogo é bem difícil, especialmente no começo. Jogando no hard (tem uma dificuldade acima, ainda), o jogo apresenta um bom nível de dificuldade... encarar os inimigos francamente é um erro, e isso faz com que a cada virada de esquina eu fique com medo de me deparar com um Fantasma ou que um Mímico surja do nada (os Mímicos são os inimigos mais trolls do jogo, visto que se transformam em qualquer objeto e é difícil saber onde ele está, e aí de repente eles voltam à sua aparência alienígena e começam a te dar dano, é sempre um susto e uma correria danada, especialmente quando o Mímico sai correndo, entra em uma sala e se transforma em algo antes que você consiga ver). Portanto, o stealth acaba sendo o meu caminho, apesar de eu achar que depois de pegar o jeito não deve ser tão difícil de encarar francamente os inimigos. E pelo que li por aí, até no Normal o jogo é difícil.

-> Para derrotar os inimigos temos bombas, armas de fogo e até mesmo uma chave inglesa (ó o Bioshock aqui de novo), mas o aparelho mais útil acaba sendo a Gloo Canon, que é um canhão que atira uma espuma branca que solidifica, e ela serve tanto para criar plataformas até locais antes inacessíveis quanto para paralisar inimigos, habilitando dano crítico quando o acertarmos.

-> O jogo tem várias missões paralelas, um tanto de backtracking e muita exploração, e tudo isso é muito recompensador e a Talos I é muito bem construída, e cada local é bem pensado com bastante Lore. Temos também partes em Gravidade Zero, o que é um diferencial.

Eu estou gostando bastante do jogo, amigos. Não é nenhum jogo revolucionário, mas é tudo muito bem feito em tudo e tem excelentes influências. Espero que venda bem no longo prazo.
Prey (2017)

Plataforma: PC
39 Jogadores
29 Check-ins

9
  • Micro picture
    _gustavo · quase 2 anos atrás · 1 ponto

    Eu queria comprar ele, mas ta muito perto de Junho, e Junho = Sale da Steam kkkk. Provavel que pegue no fim do ano, ou se ele pegar uns 30% de desconto antes, oq seguindo o padrão da Bethesda é provavel q aconteça

    3 respostas
  • Micro picture
    healy · quase 2 anos atrás · 1 ponto

    O jogo parece ser muito bom, esperar lançar a mídia física!

    5 respostas
Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...